MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

IDOLATRIA EVANGÉLICA

IDOLATRIA EVANGÉLICA – A Confiança em Amuletos 

Exponho este artigo aqui para os crentes das igrejas pentecostais e neopentecostais, porque eles me deixam irado, por tanta ingenuidade (burrice) e fraqueza de espírito. Será que nunca irão se mancar esses crentezinhos da nora era, e deixar de serem enganados por esses lobos devoradores, ladrões e salteadores do povo de Deus? Quando é que vão criar vergonha na cara e procurar servir a Deus da maneira ensinada pelas Escrituras Sagradas? Imaginem quanto Deus deve estar irado com esse povinho cego! Deus se ira todos os dias com os tais. 

====================================================
COMO ACEITAR ESSA DOUTRINA DOS AMULETOS IMPOSTA POR ALGUMAS DENOMINAÇÕES EVANGÉLICAS? CORNETAS, ESPADAS, SAL GROSSO, ARRUDA, ROSA UNGIDA, ÁGUA FLUIDIFICADA, ENXOFRE E MUITO MAIS. ISSO TUDO É INACEITÁVEL, VISTO QUE NÃO TEM BASE BÍBLICA, E NUNCA FOI ACEITO NEM PRATICADO PELA IGREJA PRIMITIVA.
==================================================== 

Acreditamos que a fé das pessoas deve e tem que ser estimulada. Infelizmente vemos que nessa tentativa certas igrejas estão usando um sistema não ensinado pela Bíblia. Sistema esse cuja base é a troca da fé genuína pela fé no visível e palpável. 

Nós, que somos protestantes, somos conhecidos por crer no Deus invisível e não aceitar o palpável (João 20:29). 

Como aceitar essa doutrina dos amuletos imposta por algumas denominações evangélicas? Cornetas, espadas, sal grosso, arruda, rosa ungida, água fluidificada, enxofre e muito mais. Isso tudo é inaceitável, visto que não tem base bíblica e nunca foi aceito nem praticado pela igreja primitiva. Devemos ter em mente o nosso verdadeiro alvo, a fé viva em Cristo Jesus, invisível, mas real (I Tim. 1:17). “…Fitando os olhos de Jesus, autor e consumador da nossa fé” (Heb. 12:2). 

====================================================
O USO DA ÁGUA FLUIDIFICADA PARA SER INGERIDA APÓS UMA SESSÃO – COPO DE ÁGUA, COLOCADO SOBRE O APARELHO DE TV OU SOBRE O PÚLPITO PARA SE TORNAR “BENTA” –, É ENSINO DO ESPIRITISMO, DETERMINADO NAS INSTRUÇÕES DE ALLAN KARDEC EM SEUS LIVROS DE DOUTRINAS.
==================================================== 

Esses desvios de alvo tornaram-se tão sério que as pessoas dessas igrejas precisam quase sempre de um objeto para que sua fé funcione. 

Certo dia encontrei um irmão, amigo meu, que congregava em uma dessas igrejas. Nesse nosso encontro ele mostrou-me uma corneta e tocou bem forte o instrumento. Após isso me perguntou: “Você sentiu?”. “Sentiu o quê?”, repliquei. “O poder”, disse ele. Demonstrei na minha fisionomia que não havia entendido nada. Então ele explicou-me: “É uma corneta ungida e o bispo nos disse que tem poder, poder tão forte que expulsa até demônios”. Chocado, eu lhe explique que só no nome de Jesus havia poder para tal (Marcos 16:17) e que eu não sabia que a igreja dele estava dando aquilo para seus membros. Ele, um tanto chateado, disse: “Dando não, eu paguei 100 reais!”. Depois dessa conversa disse até logo e fui embora. 

Relatei esse fato para mostrar que SE NÃO FOR FEITO NADA A COISA NÃO VAI FICAR BOA. Uma vez ou outra nos deparamos com esses amuletos dependurados nas casas de certos cristãos. 

Em outra ocasião, fui chamado com urgência para expulsar um demônio na casa de uma irmã que pertencia a uma dessas igrejas. Ao chegar ali, contemplei sua nora terrivelmente endemoninhada, mas o que mais me chamou a atenção não foi o estado de possessão em que se encontrava a moça, e sim ver a dita irmã fazendo um exorcismo com um amuleto na mão. O amuleto era o chaveiro da igreja dela. Quando a indaguei sobre o que fazia, ela disse-me que o chaveiro era ungido e que o pastor tinha lhe dito que aquilo era poderoso até para expulsar demônio. Mostrei-lhe como era o certo e a aconselhei a jogar fora aquela idolatria evangélica. 

O Senhor Jesus nos deu autoridade para ORDENAR em seu nome, para expelir os demônios e curar os enfermos, e não usar de amuletos e artimanhas. Não esquecendo de que esses amuletos não são de graça, custam caro, e o que é pior, usurpam a glória de Deus. 

SANTAS SUPERSTIÇÕES 

====================================================
A manipulação dos amuletos da sorte está presente na cultura evangélica. E muitos se aproveitam desse equívoco para tirar proveitos comerciais.
==================================================== 

É comum na cultura brasileira ouvirmos sobre diversas superstições, tais como “não cruzar no caminho de um gato preto”, “não passar por debaixo de uma escada”, “não quebrar um espelho” – tudo isso pra não ter azar. E para obter sorte, há diversos amuletos: ferradura, pé-de-coelho, patuá, figa, imagem de santo, etc. Em outras palavras, se você fizer uma das coisas mencionadas ou tiver o amuleto, terá sorte ou azar, modificando assim as “forças sobrenaturais” a seu favor ou contra você. 

A nossa cultura é riquíssima em crendices desse tipo e, creiamos ou não, passam para a vida do crente após a sua conversão. Mas, espere um pouco! Não pense que não creio em milagres de Deus. A minha vida é um desses milagres. Tenho experiências com Deus em minha vida pessoal e familiar. A minha preocupação é que tenho visto muita gente no meio evangélico tratando a Bíblia como um amuleto e até mesmo indo atrás de um “óleo sagrado”, perfume de mirra e outros objetos, achando que eles têm poder místico e mágico, que podem mudar o rumo da vida ou trazer bênçãos para as pessoas. 

O pior é que se tem conhecimento de pessoas, até mesmo irmãos na fé, que estão se aproveitando disso para comercializar esses produtos como se fossem mágicos, podendo proporcionar uma “santa sorte” para quem os possui. Ou ainda, com a promessa de que podem ter um culto melhor e mais abençoado se puderem colocar alguns objetos que aparecem nos cultos do Antigo Testamento, tais como castiçais, réplicas da arca da aliança (de Moisés), berrantes (cornetas), etc. Temos aqui a linha divisória entre o comércio correto e o oportunismo. No fundo, o princípio do comércio é que, se há quem compre, aparecerá alguém que venda. Mas fica aí um alerta para o crente que compra com esta intenção e para o comerciante oportunista. 

É claro que temos extremos nesse assunto. Há quem, por outro lado, não valoriza nenhum símbolo cristão (tal como a cruz, o peixe, etc) e prefira viver um evangelho intelectualizado e baseado apenas no trabalho cristão. Aliás, é notável, em boa parte dos templos evangélicos, termos uma arquitetura “limpa”, sem símbolos. Algumas igrejas arriscam colocar uma cruz. Valeria a pena estudarmos o valor simbólico por trás dos símbolos cristãos e ver como são importantes para ajudar na formação do imaginário de uma pessoa, além de poder serem utilizados como memorial ou lembrança de algum momento expressivo na experiência de alguém, como temos na Bíblia diversos exemplos. 

Há entre esse uso simbólico e o místico um grande abismo. Nesse sentido, temos de entender que o poder de Deus não pode ser substituído por nada. Nenhum objeto ou ato místico poderá substituir ou estar entre a nossa relação direta com Deus – nada de amuletos intermediários da nossa fé. 

FIM.
———————————————————————————————
Artigo extraído da Revista Fé Cristã – Proclamando as virtudes de Cristo, de junho de 2009, ano 1, nº 1, da Igreja Evang. Assembléia de Deus, Manaus-AM. 

*********************************************

Miquels – 17/08/2009

Anúncios

19/08/2009 - Posted by | DIVERSOS ASSUNTOS |

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d blogueiros gostam disto: