MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

PONTO FINAL SOBRE A FARSA DA VISÃO G12

Ponto Final Sobre a Farsa do G12/M12 e Similares!!

O Movimento G12 ou Visão M12 desmascarado! 

***

Introdução:
Alguns anos atrás eu recebi pelos correios de um pastor amigo chamado Orneas Cezar Filho, um livro escrito pelo mesmo, chamado “G12 – sua origem e sua ligação com o Catolicismo Romano”. Fiquei realmente impressionado com a riqueza e autenticidade das informações. Resolvo agora postar neste blog para alertar sobre a verdadeira origem do movimento G12 defendido e utilizado por muitos no Brasil como uma estratégia de administração evangelística e de crescimento para a igreja. Método este que tem causado grandes divisões no corpo de Cristo, bem como, duras críticas aos seus métodos e ensinos pregados nos encontros e demais atividades gedozistas.
—————————————

Autor: Pr. Orneas Cezar Filho


Enfim toda a verdade deste movimento que agitou tanto as igrejas evangélicas, veja de onde começou todo este movimento, e aprenda mais para poder ter mais informações:

Gosto muito do conselho de Gamaliel, exposto em Atos 5: “Se esta obra é de homens, se desfará, mas se é de Deus, não podereis desfazê-la, para que não sejais achados lutando contra Deus.” Quando o movimento, chamado G12, começou a crescer no Brasil, em nosso ministério, adotamos uma postura de cautela, tanto pelas novidades que trazia, e temos muito cuidado com novidades, excelentes para quem tem “coceira nos ouvidos”, expressão da Palavra de Deus. Mas, por outro lado, admiro a prudência do conselho de Gamaliel, do qual não esqueço nunca. Assim, tomei a decisão de examinar melhor esse movimento, e o reter, se fosse bom.  

Comunicando isto aos pastores sob a minha liderança, eles abraçaram muito bem o conselho dado, e nos propusemos a examinar esse fato novo, confrontando-o com a Palavra de Deus. E Demos uma palavra ao nosso povo, para que esperasse por esse exame. A nossa palavra foi muito bem aceita pelo nosso povo, com exceção de um dos nossos pastores que, pela frente, fez que concordou, mas, por trás, levou um grupo de obreiros daquela nossa igreja-filha para um encontro. O resultado foi que esse pastor nos traiu e provocou uma rebelião naquela igreja, na verdade, uma congregação da nossa igreja-sede. Isto já nos deixou preocupados, mas, ainda que grave, era algo do âmbito interno do nosso ministério, não podendo, necessariamente, atingir o movimento em exame por nós.  

Em seguida, um líder dos jovens da nossa igreja-sede, começou a freqüentar, escondido, e sem bênção do seu pastor, encontros e seminários de louvor de grupos ligados ao G12, a vertente musical desse movimento. Novamente, rebelião entre nós e prejuízo para a obra de Deus aqui. Foi quando começamos a tomar conhecimento de igrejas e mais igrejas, antes viçosas e florescentes, que, ao entrarem nesse movimento, começaram a rachar. Aí, começamos a nos preocupar, como já vendo que havia alguma coisa estranha nisso. Mas, como o movimento de renovação espiritual, no passado, que teve como preço inevitável uma cisão, para que a obra do Espírito avançasse, mesmo isto ainda não constituía um fator que desabonasse inteira e definitivamente o movimento G12.  

Mas, quando eu, pessoalmente, insistia em me manter cauteloso e prudente quanto a essa questão, tive uma experiência que não foi a primeira do meu ministério. Já por algumas vezes, estando eu no meu gabinete de trabalho, em minha casa, o Espírito Santo me falou, mostrando-me caminhos, particularmente, do que escrever para o seu seu povo.  

Era de noite, e eu estava na minha “poltrona do papai”, acho que lendo alguma coisa, quando o Espírito Santo me falou: “Levanta e vai à estante, à tua frente. Eu vou te mostrar um livro com algo que você precisa ver”. Eu me levantei e fui à estante, e comecei a mexer nos meus livros. E achei um antigo livro, escrito em l973 (guarde bem esta data). Era um velho livro deixado por meu pai, que fora um pastor e já está na glória do Senhor. Meu pai me deixara, por herança especial, os seus livros, todos eles, e esse veio no meio dessa herança. Era o livro “Os Cursilhistas”, escrito pelo Rev. Anselmo Chaves, um pastor presbiteriano, português, mas que viveu muitos anos no Brasil. Eu conheci esse pastor, e acho até que fui apresentado ao Senhor por ele, na Igreja Presbiteriana de Bangu, no Rio.  

Peguei o livro e voltei à minha poltrona. Comecei a lê-lo, e, aí sim, tive a confirmação que me faltava sobre a verdadeira origem do movimento G12. Já tendo pesquisado bastante sobre esse movimento, com era, como se davam os seus encontros, com informações substanciais do conteúdo desses encontros, ainda que tudo tente ficar em segredo, descobri que o Encontro do G12 estava todo, absolutamente todo, xerox fiel, nos Cursilhos da Cristandade, particularmente nas chamadas “Ultreyas”, como o chamam no movimento católico onde são realizados há muitos anos. . Foi quando vi que esses Cursilhos vêm dos Jesuítas e do Opus Dei. Seu fundador foi um jesuíta, chamado Dom Escrivá.  

O Rev. Anselmo Chaves havia escrito esse livro (Os Cursilhistas), justamente para combater, até radicalmente, o Movimento dos Cursilhos da Cristandade, veja bem, em l973. Ele, depois de ser um católico praticante, português de nascimento, converteu-se à fé evangélica, e se tornou um pastor protestante.  

Nisto, eu já tinha um livro, de Valnice Milhomens, que respeito muito, ainda que pense diferente, onde ela citava um outro livro, do Apóstolo César Castellanos (Sonha e ganharás o mundo), em que ele diz:  

“Em l991, sentimos que se aproximava um maior crescimento, mas algo impedia que o mesmo ocorresse em todas as dimensões. Estando em um dos meus prolongados períodos de oração, pedindo a direção de Deus para algumas decisões, clamando por uma estratégia que ajudasse na frutificação das setenta células que tínhamos até então, recebi a extraordinária revelação do modelo dos doze. Deus me tirou o véu. Foi então que tive a clareza do modelo que agora revoluciona o mundo quanto ao conceito mais eficaz para a multiplicação da igreja: os doze. Nesta ocasião, ouvi o Senhor dizendo-me: vais reproduzir a visão que tenho te dado em doze homens, e estes devem faze-lo em outros doze, e este, por sua vez, em outros doze.”(Sonha e ganharás o mundo – São Paulo – Palavra da Fé – 199 – Pág. 59-60).  

Ora, se alguém aparece, dizendo que, em l991, recebeu “a extraordinária revelação do modelo dos doze…”, mas algo que já , veja bem, em l973, um pastor já combatia, como um movimento do Catolicismo Romano, eu só pude pensar nisto: É FRAUDE! Note bem, eu tinha um documento nas minhas mãos! Um livro de l973, já com suas folhas amareladas pelo tempo, que trazia exatamente o que traz a “revelação do Espírito Santo de l991”, e uma dura contestação a ela. Eu tinha, nas minhas mãos, uma prova documental, e a tenho bem guardada.  

Não desejo criticar diretamente os Cursilhos da Cristandade dos católicos, esta não é minha intenção, em o fazendo, é apenas circunstancial, mas o que vejo com a mais absoluta restrição é o fato de alguém dizer que teve uma revelação do Espírito Santo em l991, que revolucionaria o mundo, mas algo algo já servido à mesa católica desde os idos de l930, e já falada e combatida por um outro pastor em l973. É aqui que começa o engano no nosso meio, de uma “revelação” de algo já existente, há anos, no seio católico romano. Assim, vi que o movimento do G12 é uma fraude profética, antes de tudo. Vergonha para os católicos? Não! Eles têm o direito de ter os seus programas de treinamento das suas ovelhas, sem dúvida. Vergonha para nós, em que alguém aparece com algo novo no nossos meio, dizendo que Deus lhe mostrou, mas que já é “comida de ontem em outra mesa”.  

No livro do Rev. Anselmo Chaves, que mostraremos algumas páginas aqui, ele diz, veja bem, em l973, que houve um congresso latino-americano do Movimento dos Cursilhos da Cristandade em Bogotá, capital da Colômbia, em l968, que teria servido para a difusão desse movimento em toda a América Latina. Ora, como pode alguém dizer que recebeu uma revelação do Espírito Santo, em l991, de algo que mudaria o mundo, mas que já existe desde os anos 30, como movimento de outra religião? E o pior: “o que é dito que o Espírito Santo teria mostrado a esse senhor, em l991, já existia, e, veja bem, em Bogotá. Assim, Bogotá, a terra de origem do G12 é, também, o mesmo lugar de um grande congresso, em l968, dos Cursilhos da Cristandade!”  

Alguém precisa confrontar esse senhor, sobre a sua revelação de l991 com o fato histórico do congresso latino-americano de l968, onde se tratou do mesmo programa de avivamento, o mesmo, como vamos ver logo a seguir. Por volta de l992 aparece alguém que diz ter recebido uma revelação do Espírito Santo, como algo novo, que mudaria o mundo, mas que já foi servido na mesa do Catolicismo Romano. Volta a dizer que não critico, aqui, os católicos, ainda que não seja ecumenista, não! Critico veementemente a fraude evangélica, um tipo de “plágio’, de direito autoral usurpado.  

O mais duro para mim é ver que, mesmo diante de uma prova inequívoca dessa fraude, ainda há crentes, principalmente pastores, que fecham os olhos, não querendo ver o que está aí. Parecem-se mesmo o povo “cego que tem olhos e surdo que tem ouvidos”, como diz a Palavra de Deus. Para mim, toda a possível autenticidade desse movimento G12, que poderia haver, quando procurei investigar, caiu por terra. Como pode o Espírito Santo dar algo novo à sua Igreja, algo que mudaria o mundo, mas algo que já era conhecido e praticado desde cerca de 60 anos antes. E o pior, originado na mesma terra: Bogotá. Lamento que ainda há gente que crê nisto. O mais duro é quando o povo de Deus coloca a experiência acima da Palavra de Deus, acreditando em profecias do passado, isto é, em profetas que falam do passado. Ora, é fácil falar do passado, mas profetas falam do presente oculto e do futuro, trazendo a sua revelação.  

Agora, você verá como o Movimento do G12 é cópia fiel, xerox “inautenticada” dos Cursilhos da Cristandade, outra prova real da farsa. Pesquisando sobre os cursilhos, entrei no Site oficial dos Cursilhos da Cristandade. Ali achei o seu estatuto, registrado em cartório próprio, na cidade de São Paulo. Veja o que diz o artigo segundo:  

Art. 2o – Para alcançar sua finalidade, o MCC tem uma estrutura, tem um método próprio, o qual se desenvolve em três tempos ou etapas:  

I. O pré-cursilho (PRÉ) no qual se faz a busca ambiental:  

a) da área ou ambiente a ser evangelizado;  

b) dos líderes desses ambientes  

II. O cursilho (CUR) (curso vivencial que dura normalmente três dias), durante o qual se faz a proclamação do fundamental cristão ou Plano de Deus, a integrantes dos ambientes a serem evangelizados, ouvidas e respeitadas as Diretrizes Pastorais Diocesianas.  

III. O pós-cursilho (PÓS) no qual se dá a inserção na Evangelização ambiental.  

Parágrafo único – o carisma específico do MCC está na sua finalidade que é a conversão pessoal e a evangelização de ambientes.  

SITE ORIGINAL: http://www.cursilho.org.br (consulte este site e verifique isto).  

Aí está exatamente as três etapas do Encontro do G12: “Pré-Encontro”(I – Pré-Cursilho) – “Encontro”(II – Cursilho) – “Pós-Encontro”(III – Pós-Cursilho), outra prova de que o G12 veio mesmo dos Cursilhos da Cristandade católicos. Ao invés de “célula”, eles usam o nome “ambiente”. O cursilho de três dias, de que o “Encontro” é similar, e o pós-encontro, similar do pós cursilho.  

“Os que quiseram ver, sei que verão, e os que quiserem crer, sei que crerão”, diz o belo hino do Grupo Logos. Veja bem: I – A origem – Bogotá. II – As etapas – Pré-Cursilho (Pré-Encontro) – Cursilho (Encontro) – Pós-Cursilho (Pós-Encontro). É tudo segredo, desde o local da sua realização (igual nos cursilhos e nos encontros) – Proibida a comunicação interpessoal (nos dois movimentos) – fazer lista de traumas e pecados do passado (nos dois movimentos) – choro convulsivo e canto emocionado (nos dois movimentos). Alie-se a isto, a própria origem dos movimentos: Dom Escrivá tinha 13 seguidores, mas um abandonou o movimento ainda no seu início, fato que ele, Dom Escrivá, atribuiu a Cristo e seus 12 discípulos, exatamente o cerne do G12.  

Escrevi um livro (G12 Sua Origem e Sua Ligação Com o Catolicismo Romano). Ali mostro que a escada do sucesso e a expressão “sonha e ganharás o mundo”, vem de outro movimento comercial, o chamado “marketing de rede”, cuja maior empresa é a Am Way. Conversando com uma jovem crente, que foi contratada para trabalhar numa convenção da Am Way, em linguagem de sinais, para surdos, ela me disse que ficou espantada de ver montada uma verdadeira operação de convencimento das pessoas sobre o sistema, um tipo de lavagem cerebral. Havia, inclusive, um pastor, que veio dos Estados Unidos, que pregou um sermão sobre vida vitoriosa. Disse-me ela que os líderes dessa empresa chegavam em limusines e o povo presente os tratava como ídolos, tentando tocar neles, em grande euforia. Toda a reunião era conduzida em tom altamente emocional, levando-se as pessoas a um clima de histeria e comoção. Pois saiba você que é disso que vem a expressão, melhor, o conceito do “sonha e ganharás o mundo” e da “escada do sucesso”.  

Creio que o Espírito Santo tem mesmo um avivamento espiritual reservado para a sua Igreja, particularmente no Brasil, antes do dia de Cristo. E espero por esse dia. Mas não posso crer num “avivamento de métodos humanos”, de articulações e programas elaborados previamente. Avivamentos espirituais, desde o primeiro, no dia de Pentecostes, ocorreram de modo absolutamente espontâneo. No cenáculo, os discípulos estava orando, e desceu o poder do Espírito Santo sobre eles. Simples e maravilhosamente o Espírito Santo se moveu. Não marcaram dia, hora, lugar. Não elaboraram método de como alcançar o poder e o mover do Espírito. Ele veio, Ele veio, nada mais, nada menos. Foi assim no avivamento do País de Gales, e outros. Não se organizou encontros de três dias, com esse e aquele modo de proceder. Ninguém foi a um avivamento local para aprender como fazê-lo. Simplesmente eles se puseram disponíveis ao Espírito de Deus, em casa, no trabalho, na rua, na igreja, e em todo lugar em que viviam, e o Espírito desceu, movendo-se no seu meio. Portanto, além de tudo o que já mostrei aqui, não posso crer num avivamento de métodos humanos, do “faz assim e assado”, prepara um grupo, leva para um determinado lugar, traça um programa dentro dos moldes originais, e o Espírito Santo vai se mover. Não!  

Agora, levantar alguém e dizer: “Eu estava num prolongado período de oração, e Deus me deu uma revelação que vai revolucionar o mundo.” Mas descobrimos que a revelação dada em l991 já existia desde a década de 40, ou de 30, cerca de 60 anos antes. Descobrimos mais, que ela já fora combatida por um pastor evangélico em l973, 18 anos antes. E mais, descobrimos que ela já havia sido “dada” a uma ala radical do catolicismo romano, os Jesuítas, responsáveis históricos pelo martírio de muitos milhares de protestantes inocentes, como os huguenotes, os valdenses, e muitos da inquisição. Não estão esses mártires entre os do Apocalipse, como cremos? Leia Apocalipse 6:9-11.  

Vivemos mesmo a era de Laodicéia, da Igreja que diz: “rica estou, e não tenho falta de nada. Mas não sabe, nem vê que é miserável, pobre, cega e nua”. Dói ainda mais, em ver que essa mesma igreja nem ao menos que comprar colírio para os seus olhos, para que veja. Dói muito ver uma gerações de “anjos da igreja”, que são cegos, ambiciosos, cobiçosos de torpe ganância, glutões que enchem o seu ventre pelo desejo desmedido de crescer, como se as igrejas locais do Senhor Jesus fossem lojas de comércio, filiais de uma grande cadeia de lojas que comerciam a Palavra de Deus como mercadoria principal. E põem a Palavra de Deus e o próprio rebanho como saldo de liquidação, a qualquer preço, para fim de estoque. Dói passar em frente a igrejas evangélicas e vê-las como lojas comerciais, cheias de balões de ar, de aniversário, com se ali fosse lugar de brincadeira. Nunca entendi o que significam as bolas de ar aos montes decorando igrejas. Coisa desse tempo.  

Nasci e cresci num lar evangélico. Acompanhei de perto os muitos anos do envolvimento da minha família com igrejas locais (na casa de meus pais nasceram duas igrejas). Convivi com pastores e mais pastores desde a minha meninice. Sou filho de pastor, e sou pastor. Mas nunca vi uma geração de pastores tão ruim como a de hoje. A ambição de crescer a qualquer preço, a qualquer custo tem dominado os corações de muitos líderes, hoje. E vem o pensamento: “os outros estão fazendo e estão se dando bem; eu vou fazer também”.  

Estão fazendo avivamento de tecnologia no nosso tempo, e isto no meio evangélico. “Vai lá, num Encontro, e aprende como fazer; depois, implanta a visão na sua igreja!” isto é absurdo! Avivamento programado. Avivamento onde mexem com o emocional das pessoas, que programam tudo para não dar uma espaço ao raciocínio das pessoas. Já no portão, na entrada, o domínio começa e uma atividade emenda na outra até ao momento de se sair dali. As pessoas nem tempo têm de pensar!  

Vivemos, sim, o tempo do “Evangelho de marketing”. E de marketing eu conheço, pois foi a minha área de formação profissional durante quase 20 anos, pois fui executivo de empresa comercial de grande porte. Por outro lado, temos uma geração de crentes que sente coceira nos ouvidos, querendo ouvir alguma novidade, como se o “velho” Evangelho já não fosse suficiente. De outro lado, vemos uma geração de pastores que engordam os seus próprios ventres com a gordura das ovelhas, como disse Ezequiel (Capítulo 34).  

Agora, tenho conhecimento de que teria havido um “racha” no Movimento G12, em que fundaram outro: M12. E tudo seria porque começou-se a cobrar royalties (direito de propriedade) sobre a marca “G12”. Quem usar, tem que pagar! Pouca vergonha evangélica travestida de avivamento. E o pior, com a chancela indevida do Espírito Santo. Avivamento pago, com registro no INPI (Instituo Nacional de Propriedade Industrial), assim, “avivamento fabricado e pago”. Por isto, eu disse que temos, neste tempo, a pior geração de pastores no nosso meio. E, em meio ao que digo, rendo honra aos verdadeiros pastores, homens que podem olhar para o texto de Ezequiel 34 e o ler com a consciência tranqüila.  

Sei que esta minha palavra pode parecer absurda, radical e destemperada a muitos que lêem este artigo. Isto deverá gerar protestos de muitos. Mas isto está na Bíblia, quando o Senhor procurou um homem que estivesse tapando a brecha, e não achou: Veja: “E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.” (Ez. 22:30). A Igreja de Jesus está, sim, no cativeiro, neste tempo. Igreja de Laodicéia, presa no cativeiro de um cristianismo com letra minúscula, de cegueira espiritual. Igreja que busca novidades, com grande coceira nos ouvidos, cumprindo a profecia dos que sentiriam coceira nos ouvidos, querendo ouvir novas doutrinas, pois já o “velho Evangelho” não lhes é suficiente. Já há, entre nós, pregadores até de grande sucesso, dizendo: “Deus me deu uma revelação sobre a graça que nunca antes sobre alguém”.  

Minha formação profissional se deu, por muitos anos, no comércio de grande porte, onde fui gerente geral de duas cadeias de lojas de departamentos. Hoje, em qualquer empresa, executivos dedicam-se de corpo e alma, põem mesmo suas almas, no afã de crescer e crescer, superando os concorrentes. Essa “escada do sucesso” domina de tal modo suas mentes, que muitos estão perdendo suas famílias, seus casamentos, por tanto trabalho. Isto é um preciso paralelo com o que está ocorrendo no nosso meio. Pastores empresários, que fecham os olhos para a Palavra da Verdade, desprezando a Palavra de Deus diante das experiências espirituais, ou espirituosas à nossa volta. “Não importa o que diz a Bíblia, importa que dá resultado, que os outros estão fazendo e devemos fazer também, para não ficar para trás”. Hoje, ninguém quer ficar para trás, como se vivêssemos um “evangelho capitalista”, da livre concorrência.  

É daí que virá, virá mesmo, e ninguém vai impedir, porque Deus, o Grande Deus, Senhor dos tempos e estações, determinou assim, a aliança com o anticristo. É aí que virá, nos braços dessa aliança, o ecumenismo mundial, liderado pela cidade das sete colinas, ou sete cabeças, Roma. E, pasme, o ecumenismo virá por um “avivamento”. Pentecostais e carismáticos verão que, acima das “pequenas diferenças doutrinárias” há um “mover do Espírito” lá e cá. Precisamos entender que sete anos do governo do homem da iniqüidade é muito pouco para que tudo se organize. Ali, haverá o ajuntamento das partes, das peças desse grande jogo da história da humanidade, para aqueles sete anos, quando tudo será posto em cena. As cortinas se abrirão naqueles sete anos, mas a preparação do cenário já começou.  

Com esta mesma ousadia, sem temer ninguém, não me deixei enganar por esse espírito de mentira, de alguém que, cara de pau, surge dizendo que “recebeu do Espírito Santo uma revelação de algo que vai mudar o mundo, durante um prolongado período de oração”. E um grande número de pastores insensatos e crentes mal-conduzidos entra nessa. Mas, indo aos livros deixados por meu pai, descubro que a “revelação de l991” era de algo que já se fazia, havia décadas, como se o Espírito Santo andasse atrás dos fatos. Nem mesmo a Igreja de Jesus deve andar atrás dos fatos da história, pois o Senhor Jesus disse que o Espírito Santo nos falaria das coisas que haveriam de vir(futuro).  

Por fim, chego à triste conclusão de que o Senhor Jesus precisa mesmo voltar logo, e creio que Ele voltará muito em breve, e por dois motivos básicos: 1- Livrar os seus verdadeiros fiéis, o seu povo, deste mundo que vai engolindo e deitando a verdade por terra, e tornando impossível de os verdadeiros servos de Deus permanecerem aqui. 2- Livrar as suas ovelhas de pastores do nosso tempo. O Senhor Jesus voltará logo, logo, por esses dois motivos básicos.  

Mas, se você é um pastor, e tem a mais plena consciência de que é um homem de Deus, eu o abraço, e digo a você, por consolo, que, como Deus disse por Ezequiel, que procurou um homem que estivesse tapando a brecha do muro, e não achou, naquele mesmo tempo, havia o próprio Ezequiel, e mais, Daniel, Ananias, Misael e Azarias, além de Jeremias. Mas, ainda que tivessem se esforçado, servindo a Deus com fidelidade, num tempo de uma geração corrupta, suas forças foram insuficientes para isso, pois a brecha era muito grande, mas, talvez, não tão grande como a dos nossos dias. O pior, hoje, é que o cativeiro que se aproxima, e o sermão escatológico de Jesus mostra, como o Apocalipse, que o tempo da religião mundial única se aproxima, e já mostra o seu ar.  

 Por último, eu vou profetizar algo aqui. Quem tem ouvidos, ouça: O ecumenismo mundial virá pelo caminho que menos se podia esperar, até aqui: virá por um “mover do Espírito” por um avivamento”. Veja o que o diabo é capaz de fazer, promover o ecumenismo mundial exatamente pelo povo que mais o combate e rejeita: o povo pentecostal”. 

Veja abaixo as imagens do livro do Reverendo Anselmo Chaves:
 

Estas são a capa e a primeira página do livro original do Rev. Anselmo Chaves, publicado em 1973.

Neste livro, como você verá pelas páginas seguintes, Anselmo Chaves já combatia as práticas dos Cursilhos da Cristandade, práticas absolutamente semelhantes às do G12, hoje.

Você verá que, contrariamente ao que alega o Sr. César Castellanos, de que teria recebido uma revelação do Espírito Santo, em l992, essa “revelação” vem de décadas atrás, quando os Encontros (Ultreyas) já eram realizados pelos Cursilhos, dentro da Opus Dei, uma associação que volta à tona, nesses nossos dias, na imprensa mundial.

Esse livro, cujo original guardo com especial cuidado, é uma prova documental da fraude dos Encontros do G12. A pretensa revelação que mudaria o mundo já existe há décadas, chegando ao Brasil no fim dos anos 50. Você verá a completa semelhança.

————————————————————



Aí está, na foto ao lado, Dom José Maria de Escrivá, fundador da Opus Dei e do movimento dos Cursilhos da Cristandade.

O Opus Dei tem sua origem na Espanha, entre os Jesuítas, a ordem religiosa responsável pela Inquisição e outras perseguições a protestantes.

O próprio Papa João Paulo II reconheceu os “excessos” cometidos pela Santa Inquisição.

————————————————————



Aqui está o conceito do “grupo dos doze”. O jesuíta Dom Escrivá foi o que ligou os doze que lhe restaram, no seu movimento, aos doze discípulos de Jesus.

Observe que isto data de l932, cerca de 60 anos antes da revelação do Modelo dos doze, ou grupo dos doze, de César Castellanos.

Observe que isto foi escrito pelo Rev. Anselmo Chaves e publicado em l973, 18 anos da “revelação” recebida, “do Espírito Santo”, por César Castellanos.


————————————————————


Na página 44, o Reverendo Anselmo Chaves, veja bem, em 1973, ele já falava do processo que chamou de “lavagem cerebral” a que as pessoas participantes dos cursilhos eram submetidas.

Hoje, nos encontros dos G12, os métodos são os mesmos, rigorosamente os mesmos, com algumas características evangélicas.

Especialmente quem já participou de um encontro do G12 pode testemunhar a tremenda semelhança.

Confissões do passado, escritas em papel, depois queimadas.


————————————————————

O Padre Martinechen, segundo o Rev Anselmo Chaves, era um opositor, na época, dos cursilhos. Mesmo no seio romano, a Opus Day encontra resistências.

Vale dizer que esse movimento nasceu na Espanha, berço também da inquisição.

Veja o que é dito acima no final da página 51.


————————————————————


 

Nesta página acima do livro “Os Cursilhistas”, o Rev Anselmo Chaves narra o diálogo entre dois homens dentro de um elevador no Rio de Janeiro.

Leia este diálogo, ocorrido, veja bem, por volta de 1970, e veja a incrível semelhança, “tremenda”, como gostam os encontristas do G12 de falar: “É tremendo”.


————————————————————



Olhe bem, até a expressão chave dos encontros do G12: “É tudo segredo”. Não se sabe previamente o local do encontro. É assim, há décadas, nas Ultreyas Católicas e nas versões evangélicas, os Encontros. É rigorosamente o mesmo.

————————————————————



Veja que os métodos são absoluta e rigorosamente os mesmos: uma massificação contínua sobre as mentes dos participantes, desde a sua chegada, não lhes dando tempo para pensar, refletir ou ponderar. Um segmento das ministrações vem logo após o outro. Não há tempo para nada além do que colocam aos participantes. Semelhança, incrível semelhança.

O resultado, na grande maioria dos presentes, é o impacto emocional que trazia o choro com soluços, e as confissões de culpa, etc. Exatamente o mesmo nos Encontros do G12. Os participantes, num e no outro evento, são levados, primeiramente, a um sentimento de culpa muito forte, confrontando esse sentimento com a cruz de Cristo, o que produz um forte choque emocional.


————————————————————



Até os resultados desse tratamento de choque são absolutamente os mesmos do Encontro do G12. “ninguém dormia e a maioria chorava”, diz o livro acima, citando o depoimento de um participante da Ultreya. E veja bem: em 1970, exatamente 21 anos antes do G12.

Olhe para a página acima e veja a outra semelhança plena: manter segredo absoluto.

Acima, está mais outra incrível semelhança: a presença da música em todo a Ultreya (Encontro para o G12).

Veja o detalhe da despedida. É rigorosamente o mesmo, rigorosamente, não se poder negar.

Há alguma condição de alguém, em sã consiência, negar tudo isto que vimos até aqui? Fatos que mostram que o G12 nasceu num berço bem mais antigo, e não em 1991 ou 1992?


————————————————————



Agora, chegamos ao que mais me chocou, na minha constatação de que o G12 era, e é uma cópia dos Cursilhos da Cristandade, da Igreja Católica.

Em 1968, realizou-se um congresso latino-americano dos Cursilos… Onde? Em Bogotá, Colômbia, o “berço” do G12, pela “revelação recebida por Cesar Castellanos, que mudaria o mundo”.
Não desejo, criticar os católicos aqui. Repito que eles têm o mais pleno direito ao exercício da sua crença. O que critico é o fato de copiarmos algo de propriedade deles, e dizermos que Deus nos mostrou algo que mudaria o mundo.

Aqui é que aparece algo que deve ser visto por nós: “uma nova receita que já era servida na mesa do povo católico muitos anos antes”.

Isto fica feio para nós. Qualquer padre, ou mesmo fiéis católicos que conheçam os Cursilhos, verão que a “nossa revelação” é propriedade intelectual deles, e é mesmo, os fatos o provam.


————————————————————



O Espírito Santo é chamado, na Bíblia, de o Espírito da Verdade, e, também, de o Espírito de Revelação. Certamente Ele não há de conduzir a sua Igreja com revelações enganosas, que se mostram fraudulentas na história.

Já pastores têm me ligado, pedindo-me para ver este antigo livro de Anselmo Chaves, para constatarem, in loco, que esse modelo de avivamento já existia no passado.

————————————————————

Para maiores informações, fale diretamente com o autor do artigo acima:

Pastor: Pr. Oneias Cezar Filho
Ministério Chama Viva
Avenida Cesírio de Melo, 3973
Campo Grande, Rio de Janeiro/Brasil
CEP – 23.050.100
Fone: (021)3384 3474 2416 1265

************************************************** 

FONTE: Site Bereanos
http://bereianos.blogspot.com/2008/04/ponto-final-sobre-verdade-do-g12m12-e.html 

 

17/10/2009 Posted by | DIVERSOS ASSUNTOS | | Deixe um comentário

O INCRÍVEL EQUÍVOCO “JESUS, A ROSA DE SAROM”

***
O GRANDE EQUÍVOCO ROSA DE SAROM ***

Jesus e a Rosa

 

* * *
“Uma mentira repetida mil vezes torna-se uma verdade”. (Joseph Goebbels)
* * *

 

 

 

 

 

O caso que trago à tona, de forma bem explícita e imparcial, fará com que muitos evangélicos e cristãos mudem seus conceitos com relação aos nomes (cognomes) atribuídos a Jesus Cristo, idéia essa tirada dos livros da Bíblia. No mais, sei que esse comentário causará grande constrangimento a muitos escritores, compositores, cantores, pastores e pregadores cristãos. Mas a verdade tem que ser dita, enquanto é dia. E eles devem se retratar o mais urgente possível. 

E não escapa quase nenhuma igreja cristã, porque até mesmo os católicos e adventistas caíram nesse equívoco. 

A Bíblia é um livro que só devia ser lido e interpretado pelas autoridades religiosas nas sinagogas e nas congregações. Ou então deveria ficar restrita a leitura e interpretação de alguns livros, tais com dos profetas, Cântico dos Cânticos, Apocalipse, etc, aos homens letrados. E essa era a regra nos tempos do Antigo Testamento. Porém, com a invenção da imprensa por João Gutemberg, no século XV, ficou mais fácil a impressão de livros, como a Bíblia, e houve maior acesso aos livros por parte dos religiosos, estudantes e intelectuais daquela época. No entanto, após a Reforma Protestante, cópias da Bíblia se espalharam com maior rapidez entre o povo cristão leigo, e assim, tiveram mais acesso à leitura dos Livros Sagrados. Com isso, passou a aumentar a proliferação de seitas heréticas, passou a surgir pensamentos e interpretações divergentes das incutidas pela Igreja Católica Romana. Não sei exatamente discernir até que ponto isso foi bom para os cristãos ou negativo para a propagação do Evangelho. Só sei que quanto mais livre ficou o acesso das pessoas à leitura da Bíblia, mais doutrinas falsas surgiram, e ainda estão surgindo. 

Já escrevi um comentário bem áspero sobre a não-inspiração divina do livro de Cântico dos Cânticos (ou Cantares) de Salomão. Mas o que vocês irão ler nas próximas linhas é SOBRE algo tão absurdo e lastimável justamente extraído do Livro de Cantares, algo que já perdura várias décadas ou até séculos. 

O grande equivoco histórico que exponho aqui é sobre o título “Rosa de Sarom” atribuído ao Senhor Jesus Cristo, idéia esta extraída do livro Cântico dos Cânticos de Salomão. Cantares 2:1-2. 

“Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales. Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha amada entre as filhas (de Jerusalém)”. 

A partir da leitura deste simples texto bíblico um incrível equívoco perdura até hoje. 

Se cometeram tamanho erro com a interpretação de uma simples passagem bíblica, que dirá das passagens que tratam de casos mais polêmicos!!! 

Simplesmente cristãos leigos, incultos e desatentos incutiram em suas mentes que o texto supracitado está se referindo a Jesus, ou que a frase foi proferida pelo “noivo”, dando a idéia de que o termo “Rosa de Sarom” se aplica a Jesus, de acordo com a interpretação corrente, incutida por pastores e pregadores, desde quando surgiu a versão da Bíblia na Língua Portuguesa, traduzida por João Ferreira de Almeida. 

O texto citado é da Bíblia versão revista e corrigida de João Ferreira de Almeida. Investiguei em algumas versões da Bíblia e pude constatar que nem mesmo no original hebraico existe a palavra “rosa” no texto de Cantares 2:1. Na verdade, o texto original refere-se a “flor de Sarom”. Se não me engano, apenas no Livro de Cantares, na versão traduzida por JFA, aparece o vocábulo “rosa”, mal-traduzido. 

Engraçado que os eruditos tradutores da Bíblia para Língua Portuguesa apenas concluíram o trabalho, mas não se deram ao luxo de fazer comentários sobre as questões gramaticais de interpretação de texto.  Observando breves comentários de outros eruditos em algumas versões da Bíblia sobre Cantares 2:1, pude constatar que eles corroboram a assertiva de que o termo “Rosa” ou “Flor” do verso refere-se à noiva, a Sulamita. Agora o que sobra é isso aí que se vê na Internet: uma imensidão de leigos especulando sobre coisas difíceis da Bíblia. 

Se a Bíblia não tivesse sido corrigida, isto é, colocado as frases em “linguagem formal”, haveria menos risco de se fazer interpretação literal errada. Na verdade, a linguagem original dos livros da Bíblia é bem popular (pra não dizer vulgar). Por exemplo, os livros dos profetas Jeremias e Isaías foram escritos em formato de versos poéticos, e os tradutores deveriam ter mantido o estilo. Só que isso não ocorreu, e os livros foram traduzidos como textos dissertativos e narrativos comuns, e mais tarde ainda sofreram correção para a linguagem formal. As Bíblias versões católicas são mais fiéis ao texto original. 

Se no Livro de Cantares tivesse os diálogos separados, não haveria risco de má interpretação. Algumas versões antigas da Bíblia trazem o texto com os diálogos separados. Vejam cap. 1:15-17 e 2:1-2. 

O noivo: 

15 Eis que és formosa, ó amada minha, eis que és formosa; os teus olhos são como pombas. 

A noiva: 

16 Eis que és formoso, ó amado meu, como amável és também; o nosso leito é viçoso.
17 As traves da nossa casa são de cedro, e os caibros de cipreste. 

A noiva: 

1 Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales. 

O noivo: 

2 Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha amada entre as filhas (donzelas). 

No final deste texto incluo o livro completo de Cântico dos Cânticos, versão da Bíblia Católica, em linguagem popular, com as devidas separações dos diálogos. 

Como se vê, a frase “Eu sou a Rosa de Sarom” é de autoria da noiva, a Sulamita, e não do noivo. 

Se realmente tivéssemos que cognominar Jesus com algum título baseado no livro de Cantares, na Bíblia versão de JFA, os nomes sugeridos seriam: Sequitel de Mirra, Ramalhete de Hena, Macieira, Gamo, Filho de Veado ou Filho da Gazela,  Amado e Amor. 

A Igreja, por sua vez, teria os seguintes cognomes: Morena Formosa, Égua, Rosa de Sarom, Lírio dos Vales, Pomba, Noiva e Tirza. 

Acredito que essa má interpretação deu-se por dois motivos básicos: 

1) Por motivo de os tradutores terem simplificado demasiadamente o texto do Livro de Cantares, e traduzido os vocábulos “flor de Saron” como “rosa de Saron”. Se os diálogos dos personagens tivessem sido destacados ou diferenciados, não havia margem para interpretação equivocada. 

2)  Em razão de ensinos ou conclusões teológicas deturpadas, que foram inseridas nos ensinos das igrejas, nos seminários e nas escolas dominicais. O ensino teológico deturpado incutiu na mente dos crentes que em cada um dos 66 livros da Bíblia Jesus recebe um nome, título ou designação. E que no Livro de Cantares ele é cognominado de Rosa de Saron. Outro ensino é de que muitas passagens difíceis dos livros de Salmos e dos profetas referem-se a Jesus ou à Igreja. O crente leigo tendo isso em mente passa a fazer interpretação equivocada de certas passagens bíblicas, sem ter o devido preparo teológico para tal. 

================================================ 

Fiz algumas pesquisas sobre o caso e constatei a ingenuidade com que muitos cristãos e evangélicos falam sobre Jesus ser a Rosa de Sarom. Alguns exaltam até exageradamente, chegando a afirmar que Jesus é a rosa das rosas, a rosa mais perfumada, a rosa que não murcha, que não tem preço, que além de ser rosa, Ele é o lírio dos vales… Absurdo, não?! 

Camiseta Jesus, Rosa de Sarom

 

 

 

 

 

 

 

 

 Imagina um crente andando na rua com esta camiseta!!! Pura heresia!

*************************************************************

 EIS ALGUMAS INDICAÇÕES DE SITES RELACIONADOS AO CASO:  

Coisa absurda falada no site de perguntas e respostas do Yahoo. 

http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070402095649AAlj0Oj
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080829054413AAUyd3n  

Uma heresia bem grande sobre Jesus ser Rosa de Sarom 

http://www.scb.org.br/inspiracao/naturezaviva/2k21228.asp  

Outra heresia ainda maior sobre Jesus ser Rosa de Sarom

http://missaoamerica.googlepages.com/rosadesarom 

Pastor Ciro Zibordi responde que o título Rosa de Sarom não se aplica a Jesus 

http://pastorciroresponde.blogspot.com/2009/02/o-titulo-rosa-de-sarom-aplica-se-jesus.html  

Até crentes adventistas do sétimo dia caíram no equívoco Rosa de Sarom 

http://imagensbiblicas.wordpress.com/2008/06/23/jesus-cristo-a-rosa-de-sarom/  

Vejam este artigo equivocado, ingênuo e inofensível (?): heresia pura.

http://www.adorando.com.br/novo/MostraEstudo.aspx?codigo=578

O que é a Rosa de Saron?
Por Rodrigo M. de Oliveira
EU sou a rosa de Saron, o lírio dos vales. Cantares 2:1 – Jesus é freqüentemente chamado de Rosa de Saron nos hinos mas entendemos este significado? Em que consiste o conteúdo de Cantares? Poemas “profanos”? Não há motivos para assombros, pois, a Bíblia, de forma belíssima, descreve a paixão e o amor como expressões sensíveis, honestas e transparentes, revelando, no sincero amor humano, um Deus do carinho, da ternura, da relação íntima.
Que outros dados podem ser acrescentados?
Ao longo da história, nasceram várias interpretações, ou seja, caminhos diferentes que trouxeram considerações distintas com relação à intenção do texto.
Uma linha de interpretação, denominada de alegórica, ressalta Cantares como descrição da história de amor entre um homem e uma mulher, comparado com o amor de Deus pelo seu povo (de Cristo pela Igreja). Essa é a que resgatamos com maior freqüência, comparando o amor à labareda de Javé (Ct. 8, 6), porém vamos aqui neste estudo ver também um pouco do contexto histórico.
A Rosa de Saron e O Lírio dos Vales Como Tipo de Cristo.
(e um conseqüente reflexo em nossa vida)
A Origem de Saron
Saron é uma região da Palestina entre montanhas do Efraim e Mar Mediterrâneo. Esta região era anos antes de Cristo de solo seco, rochoso e de água escassa. Entretanto, como plano de Deus, foi colocado ali o povo por Ele escolhido (Is. 33:1,2) e a partir daí houve abundância.
Esse povo, vendo a promessa de Deus se cumprindo em suas vidas, não se cansavam de contemplar, exaltar e adorar ao Deus vivo, pois viram a Glória do Senhor. Passaram a viver na terra que emanava vida e vida abundante, onde este povo passou a cultivar as rosas mais belas do mundo.
Rosa esta, que exala o mais puro perfume e beleza sem igual, nunca visto até os dias de hoje. Por tamanha beleza e perfeição, Jesus Cristo é chamado de A Rosa de Saron. (Ct 2:1) Além das rosas eles também cultivam ervas e especiarias desta região onde se extrai aromas da terra, vejamos o Lírio:
“Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha querida entre as donzelas.” (Cantares 2:2)
“Sim você é um lírio entre os espinhos. Essa é uma boa comparação entre a minha amada e as outras moças”. (Bíblia Viva)
A Igreja é como um lírio entre espinhos para Jesus. O que o Senhor está nos ensinando com isso?
Essa comparação, sem dúvida, destaca a beleza do lírio. Jesus vê a beleza da Sua Igreja. Em meio a tanta sujeira, destruição, violência e miséria, há algo que enche os olhos do Senhor. Há algo que O agrada. Há algo que chama a Sua atenção.
E esse algo é a beleza da Sua Igreja. É a beleza da nova criação = você. Você tem a beleza da santidade de Cristo. Você tem a beleza da justiça de Cristo.
Jesus, ao morrer por nós, nos tornou justiça de Deus. Isso significa que, aos olhos de Deus, não somos mais considerados pecadores, mas sim justos – nós que recebemos Jesus como nosso Senhor e Salvador e aceitamos o Seu sacrifício. Veja 2 Coríntios 5:21 = “Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”. Romanos 5:19 nos diz que pela obediência de Cristo, fomos constituídos justos.
No versículo 1 deste capítulo, Jesus diz que Ele é o lírio dos vales e, em seguida, diz que ela também é comparada a um lírio. Quando contempla Sua Igreja, Jesus vê a Si mesmo (lírio). Jesus Se vê em você. Ele vive em você e através de você. Você é como Cristo. Mas, a sua forma de agir tem mostrado que você se parece com Cristo ou que você tem se parecido mais como uma pessoa que não conhece o Senhor? O lírio é muito diferente dos espinhos. A Igreja se parece com Cristo, ela é diferente de todo o resto.
Aonde estivermos, podemos manifestar as qualidades de Jesus, pois somos como Ele. O pecado não precisa tirar a tua beleza de lírio. O pecado não pode ferir a justiça de Deus em você. Não deixe que esses espinhos firam a tua santidade em Jesus. Nenhuma tentação será maior do que aquilo que você pode suportar. Isso é promessa de Deus. Então, aguente firme, você já tem a habilidade para resistir ao pecado. Você pode dominá-lo.
Lírio tem perfume. Exale o bom perfume de Cristo em seu modo de viver. Você tem toda a habilidade que precisa para ser santo e continuar a encher os olhos do Senhor de alegria com a tua beleza. O mundo precisa sentir esse perfume, o mundo precisa enxergar a tua beleza. Deixe que tua beleza e teu perfume atraiam as pessoas a Cristo.
Você é lírio e não espinho. Você é justo e não pecador. Você é diferente, então seja diferente.
Rodrigo M. de Oliveira
Fonte: www.efatah.com
http://www.adorando.com.br/novo/MostraEstudo.aspx?codigo=578 
*********

Uma boa explicação sobre o equívoco Rosa de Sarom no site do Mario Persona 

http://www.respondi.com.br/2005/06/o-que-significa-rosa-de-sarom.html  

O Jesus que nunca foi Rosa – Comentário do pastor Daniel Rocha da Igreja Metodista

http://www2.uol.com.br/bibliaworld/igreja/mensag/droch002.htm 

A ROSA DE SAROM, YESHUA HA MASHIACH!!!!!

http://moizeismizuki.ning.com/ 

Existem vários grupos corais de igrejas evangélicas e cristãs pelo Brasil a fora com o nome Rosa de Sarom 

http://coralsaron.blogspot.com/  

Até mesmo a cantora Cassiane possui um LP de 1985, intitulado Rosa de Saron 

http://4.bp.blogspot.com/_98OFihAcNok/SdYK2pxhiKI/AAAAAAAAA5I/NqOxiH1GSAQ/s1600/Cassiane+-+Rosa+de+Saron+(1985).jpg

Cassiane - Rosa de Saron (1985) 

http://www.cabanaomundaogospel.net.br/2009/04/cassiane-rosa-de-saron-1985.html  

Existe também uma banda católica de rock chamada Rosa de Saron 

Grupo Rosa de Saron 2 

http://www.bicodocorvo.com.br/cultura/musica/rosa-de-saron
http://aerogunner.blogspot.com/2009/05/momento-rosa-de-saron.html  

E até igrejas evangélicas têm o nome Rosa de Sarom. Nesse caso, se Rosa estiver se referindo à própria igreja, então o título não está errado. 

http://www.igrejarosadesarom.com.br/
http://www.apontador.com.br/local/rj/duque_de_caxias/religiao/VUA3U726/igreja_batista_rosa_de_saron.html  
http://riodejaneiro.entrei.net/empresa/igreja-pentecostal-de-jesus-rosa-de-saron/1409317.html

Uma ótima explicação de Antônio Evangelista – A Bíblia não diz…. 

http://simonedemelo.blogspot.com/2009/09/voce-le-biblia-com-atencao-simone-de.html  

“Na verdade Sarom é uma zona de Bosques. A planície de Sarom localiza-se entre o sul do monte Carmelo e Jope. Com uma extensão de 85 Km, sua largura se aproxima a 22 Km. Seu solo era coberto de lírios e flores exóticas. Foi diante dessa beleza selvagem que a esposa dos Cantares cantou ‘Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales’ (Ct 2.1) e o esposo respondeu: ‘Qual lírios entre espinhos tal é a minha amiga entre as filhas’ (Ct 2.2). Na planície de Sarom eram encontrados quatro tipos de flores vermelhas de grande beleza: anêmona, botão-de-ouro, tulipa e papoula. 

A formosura de Sarom é comparada por Isaías à glória do Líbano (Is 35.2)

Como se percebe, tudo não passou de uma comparação de beleza entre a esposa e a planície. Ela, ao contemplar a beleza de Sarom, compara sua formosura com a do bosque. Porém, o que temos ouvido diariamente é que Cristo é a Rosa de Sarom. Existem até hinos dizendo isso. Alguém pode então dizer: É só uma comparação! Mas que comparação? Com o noivo? Se ao menos fosse com a igreja, que é anoiva do Cordeiro menos mal. No entanto, toda comparação que se faz e, até se afirma, é que Jesus é a Rosa de Sarom. E a Bíblia não diz isso.”

http://bereianos.blogspot.com/2009/09/biblia-nao-diz-que-jesus-e-rosa-de.html  

E a Bíblia diz isto (veja a pergunta 230) 

http://www.webartigos.com/articles/18198/1/e-a-biblia-diz-isto/pagina1.html  

A música “Rosa Vermelha”, cantada por Luiz de Carvalho, também faz alusão a Jesus, como a Rosa de Sarom. E é outro caso lastimável, pois se trata do principal cantor evangélico brasileiro. 

http://www.youtube.com/watch?v=mbKr7o6f2E4
http://www.hipermusicas.com/luiz_de_carvalho/rosa_vermelhaNzYzODI0/  

A letra da música diz bem explicitamente que: 

“Jesus é o lírio dos vales, Rosa de Sarom; e até seus espinhos são marcas de amor. E hoje Ele vive a plantar um grande jardim, se você quiser, serás uma flor”. 

Agora vejam o caso lamentável de uma pessoa que se diz Jornalista e Bacharel em Teologia (que teologia, heinn!!!) 

http://atendanarocha.blogspot.com/2008/05/rosa-de-sarom.html  

O nome da que fez o infeliz comentário é Wilma Rejane. A maioria das pessoas que leram o texto, a elogiaram. Porém, um leitor replicou que o nome Rosa de Sarom não se aplica a Jesus. Mas ela respondeu com algo que não tem nada a ver com o caso. E ainda diz que é bacharel!!! 

Transcrevo aqui o texto por ela publicado, antes que retire do ar:

=================================================

Quarta-feira, 10 de Junho de 2009

Rosa de Sarom

Rosa branca

“Eu sou a rosa-de-sarom, o lírio dos vales” (Cantares 2:1). 

Você conhece a rosa-de-sarom? Já viu uma? Se a resposta for sim o artigo que segue não lhe será novidade, mas se não, a partir de hoje você poderá identificar a pequenina rosa aonde encontrá-la. 

O nome científico da planta é “habiscus syaricus”, popularmente é chamada de: rosa-de-sarom, rosa-de-sharão ou mimo. É originária da Ásia. 

É uma planta popular e muito florífera, é arbustiva e conhecida pelo doce perfume de suas flores. As flores podem ser simples ou dobradas e formam-se durante o ano inteiro, mas são mais abundantes na primavera e verão. 

As rosas-de-sarom podem ser: róseas, azuis ou brancas e ainda ser uma combinação entre essas cores. 

Suas flores são consideradas comestíveis e delas se pode fazer deliciosas saladas ou geleias.Das folhas se faz um chá aromático. 

É muito graciosa e por ser de fácil adaptabilidade é muito utilizada em paisagismo e decoração tanto de interiores como de exteriores.Tolera o sol forte, a geada, e se desenvolve muito bem tanto em terrenos bem adubados como no litoral onde há salinidade do solo. 

Procurei muito por esta plantinha, encontrei até mesmo quem dissesse que ela não existia e que Sarom era apenas uma planície litorânea em Israel, ao sul do Monte Carmelo. É verdade, a planície existe e a rosa-de-sarom também.

A planície de Sarom 

Planicie

Sarom significa “terreno plano”, no período Bíblico havia dois lugares com esse nome: Um que se situava entre a montaanha de Efraim e o mar mediterrâneo, entre o monte Carmelo e a cidade de Jope e outro entre o oriente e o Jordão.

Suas pastagens eram ricas e constituiam principais fonte de renda em Israel, a perda dessas terras seria fatal, portanto, dispensavam um cuidado especial aos administradores em Israel.

Jesus, a flor e a planície de Sarom 

Jesus é a rosa-de-sarom: Cheio de graça, perfume, beleza e como à rosa que floresce o ano inteiro assim Ele é, por todos os dias, o ano inteiro, florescendo nos mais variados tipos de solos que representam os diversos tipos de corações. 

Jesus é a Planície de Sarom: “Terreno Plano”, seguro, confiável, abundante, que alimenta em toda e qualquer estação. Alimenta Israel, nação, alimenta a Igreja filhos por conversão.

Fontes:
Bíblia Sagrada, Almeida J.F, SBB.
www.jardineiro.net
http://missaoamerica.googlepages.com/ 
http://atendanarocha.blogspot.com/2008/05/rosa-de-sarom.html

================================================= 

Eu não sei se escritores de renome como Joyce Meyer, Silas Malafaia, etc, citaram em algum de seus livros que Jesus é Rosa de Sarom. Se há algum registro, então eles têm que se retratar, e de cara lisa. Infração grave. Serão menos 20 pontos na carteira. 

Finalizando, quero dar uma ênfase maior ao caso do hino 196 da Harpa Cristã (hinário oficial das Assembléias de Deus) – “Uma Flor Gloriosa”

Não sei como é possível este hino ainda estar sendo cantado nas igrejas evangélicas pentecostais sem ninguém se dar conta do equívoco!!! Não vejo ninguém se manifestar contra o erro deste cântico. 

Não sei se no hinário “Cantor Cristão” dos batistas existe algum cântico referindo-se a Rosa de Sarom. Também não consultei todos os hinos da Harpa Cristã. 

(Hinos da Harpa que fazem menção a Jesus como Rosa de Sarom e Lírio dos Vales: 58, 83, 196, 198 (Jesus, o bom amigo), 311, 344, 420).

Experimente digitar no google as palavras uma flor gloriosa 196 harpa cristã, e veja quantos sites existem com referência a este hino. 

O que me chama a atenção é o fato de que até hoje este hino é entoado nas igrejas pentecostais, e pastores, teólogos, “doutores” em Bíblia, não se tocam, não questionam, e entoam o cântico como se o mesmo fosse inspiradíssimo pelo Espírito Santo. A melodia deste hino realmente é linda, mas isso não justifica o erro das letras de sua poesia. 

O cântico “Uma Flor Gloriosa” é de autoria de Frida Vingren, missionária do movimento Pentecostal, de nacionalidade sueca, esposa do missionário Gunnar Vingren. 

Veja a biografia de Frida Vingren no seguinte site: 

http://pentecostalismo.wordpress.com/category/historia/  

No site Pegadas de Jesus há um breve comentário sobre a missionária Frida Vingren e a composição do hino Uma Flor Gloriosa, de sua autoria. 

http://pegadasdejesus.blogspot.com/2008/08/uma-flor-gloriosa.html 

Eis o que diz no site português:

=================================================

24 Agosto, 2008

UMA FLOR GLORIOSA

Frida Vingren é autora de um dos mais belos hinos, o que conhecemos bem e temos cantado diversas vezes. O poema é divino!
ELA ENTROU PARA A HISTORIA COMO UM DOS MAIORES NOMES DO MOVIMENTO PENTECOSTAL NO BRASIL.
O hino referido em título tem o número 196, em ambos os hinários, “Cânticos de Alegria” e “Harpa Cristã” do Brasil.
Apraz-nos indicar que no nosso livro “Cânticos de Alegria” existem cerca de 18 hinos da autoria de Frida. A biografia desta senhora, nossa irmã na fé, merece que oportunamente voltemos com mais algumas notas sobre a sua vida na obra de Deus, como missionária. Por ora, ficamos com alguns fatos interessantíssimos acerca da sua vida.
«Frida Vingren: exemplo de dedicação.
Casou com o missionário Gunnar Vingren em 16 de Outubro de 1917 em Belém do Pará -Brasil, numa cerimónia presidida pelo missionário sueco Samuel Nystrom. Seus pais eram crentes luteranos e Frida nasceu em Junho de 1891, no norte da Suécia. Frida formou-se em enfermagem. Em Estocolmo, na Suécia foi chefe da secção de enfermaria do hospital onde trabalhava. Tornou-se membro da Igreja de Filadélfia de Estocolmo, onde foi batizada nas águas, em 24 de Janeiro de 1917 pelo pastor Lewi Pethrus. A chamada para a obra missionária sempre impulsionou Frida, logo ela foi enviada para o Brasil pela Igreja Sueca, obedecendo à chamada de Deus. O casal Vingren teve seis filhos e viveram desde 1917 a 1932, no Brasil, totalmente dedicados ao trabalho missionário.
Além dos cuidados do lar, marido e filhos, Frida era bastante ativa na Igreja e com bastante zelo. Junto ao marido, ao longo da sua vida, passou por todo o tipo de sofrimento, aflição e dificuldade. Mas, ao lado do esposo, nunca desistiu de trabalhar pela salvação das almas.
Frida e Gunnar, recém-casados, tiveram que se adaptem ao clima quente do Brasil, e à falta de conforto da casa onde viviam. Contudo, mesmo quando só tinham banana com farinha para comer, sentiam o poder de Deus e I presença do Espírito Santo em suas vidas. Sofreram bastante, todavia superavam as suas muitas dificuldades com oração e jejum. Frida era uma mulher dedicada m oração pela obra de Deus, pela evangelização do Brasil I pela salvação das almas.
Pela facilidade que tinha pela palavra escrita, esta missionária, de nacionalidade sueca, desta com se entre os mais importantes colaborariam dos jornais ‘Boa Semente’, ‘O Som Alegra e o ‘Mensageiro da Paz’ (que substituiu m dois primeiros a partir de 1930). Além de escrever, Frida sempre se dedicou à música Cantava, tocava órgão, violão e compunha hinos de grande valor espiritual. A ‘Harpa Crista contém cerca de 23 hinos de sua autoria, então eles “Deixa entrar o Espírito de Deus” (n°85) e “Uma fiem gloriosa” (n° 196).
Frida Vingren faleceu em 30 de Setembro de 1940, seis anos após o falecimento do marido.
Dedicaram, ambos, quinze anos das suas vidas ao Brasil, findos os quais eles decidiram regressar à Suécia em Setembro de 1932. Frida, tinha a certeza da sim chamada para a obra de Deus. Ela entrou para a História como um dos maiores nomes do Movimento Pentecostes no Brasil.» “
Autor do Artigo :
Trocado Lopes
http://pegadasdejesus.blogspot.com/2008/08/uma-flor-gloriosa.html 

================================================= 

O hino “Uma Flor Gloriosa” era o preferido dos missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores da Igreja Assembléia de Deus no Brasil, em 1917, na cidade de Belém (PA). 

http://lucimauroassembleiadedeus.blogspot.com/2008/05/oua-voz-do-pioneiro-parte-02.html  

Veja o histórico de alguns hinos da Harpa Cristã: 

http://www.scribd.com/doc/6212209/Harpa-Crista-Historias-e-biografias  

Veja no YouTube o hino Uma Flor Gloriosa: 

http://www.youtube.com/watch?v=mIJZrCT5QRw=  

ou na voz de Feliciano Amaral (um dos precursores da música evangélica) 

http://www.youtube.com/watch?v=1BMSfzjQ0hc  

Eis as letras do hino completo: 

Hino 196: UMA FLOR GLORIOSA

1
Já achei uma flor gloriosa, 
E quem deseja a mesma terá;
A rosa de Saron preciosa
Entre mil mais beleza terá;
No vale de sombra e morte,
Nas alturas de glória e luz,
Esta rosa será a minha sorte,
Precioso p’ra mim é Jesus! 

Coro
Precioso p’ra mim é Jesus!
Precioso p’ra mim é Jesus!
Eu confesso na vida e na morte
Que tudo p’ra mim é Jesus!

2
Já de muitos foi achada a rosa 
E provado o excelente odor 
E o poder desta flor gloriosa 
Que dá vida ao vil pecador. 
Mui zeloso pela lei foi Saulo, 
Perseguia o povo de Deus, 
Mas transformado foi em um Paulo. 
Pois achou ele a rosa dos céus. 
3
Vai buscar a Jesus precioso, 
Vai depressa, a noite já vem, 
E, se perdes o amor glorioso, 
Será triste pra ti o além; 
Esta flor hoje é ofertada 
A quem humildemente a buscar; 
Será logo da terra tirada, 
Para brilhar em outro lugar.

(fim)

http://br.geocities.com/letrademusica_h/harpa_crista_10.htm#16
http://www.restaurandoadoutrina.xpg.com.br/files/196umaflorgloriosa.htm  

Não sei em quantos idiomas este hino já foi traduzido. Mas, sei que este grave erro terá repercussão internacional! 

Pode até ser que através do cântico “Uma Flor Gloriosa” algumas almas se decidiram por Cristo, mas isso não justifica o crasso erro da composição das letras do hino. 

Concluindo, o caso “Rosa de Sarom” é um grave equívoco histórico porque não se trata apenas de equívocos em pregações feitas por alguns pregadores leigos (e até mesmo letrados) ou em algumas composições de hinos, mas trata-se de um equívoco expresso em livros evangélicos, em jograis, em revistas, em hinários, em estampas de casmisetas, em nome de grupos musicais, corais, e até mesmo em títulos de igrejas evangélicas. 

Vejam o vexame que a leitura do Livro de Cantares trouxe para os cristãos! E ainda haverá crentes que não se darão por convencidos e continuarão cultuando Jesus como Rosa de Sarom! Uma crendice falsa como esta ficou tão impregnada na mente dos crentes ingênuos que agora se torna difícil admitir que ela está errada. É semelhante à prática da idolatria (veneração de santos) pelos Católicos Romanos, da qual não conseguem se desfazer. 

Quero ver se os pentecostais continuarão cantando o hino 196 da Harpa Cristã nas igrejas e se as autoridades evangélicas não irão se retratar e abolir este hino e outros correlatos. Será que vão continuar cultuando Jesus como Rosa de Sarom até a sua volta? 

É isso que dá crente leigo ler a Bíblia e depois pregar erroneamente, compor músicas equivocadas ou ensinar heresias!!!!! 

Engraçado que, lendo vários artigos e posts na Internet, não vi nenhuma autoridade evangélica ou católica (padre, pastor) se retratar sobre esse grande equívoco do emprego do título Rosa de Sarom a Jesus Cristo!!! Fiquei pasmo, realmente! Será que as autoridades cristãs estão simplesmente cegas? Ou fingem que isso não é grave? 

=================================================

Miquels – Manaus, 04 de outubro de 2009.

*
==================================================
LIVRO CÂNTICO DOS CÂNTICOS – VERSÃO BÍBLIA CATÓLICA
================================================== 

Cântico dos Cânticos 1 

TÍTULO

1. O mais belo cântico de Salomão. 

BEIJOS  

A amada: 

2. Beije-me com os beijos de sua boca! Seus amores são melhores do que o vinho,
3. o odor de seus perfumes é suave, seu nome é como óleo escorrendo, e as donzelas se enamoram de você…
4. Arraste-me com você, corramos! Leve-me, ó rei, aos seus aposentos, e exultemos! Alegremo-nos em você! Mais que ao vinho, celebremos seus amores! Com razão se enamoram de você… 

BUSCA E GALANTEIO 

A amada: 

5. Sou morena, mas formosa, ó filhas de Jerusalém, como as tendas de Cedar e os pavilhões de Salma.
6. Não reparem se eu sou morena: foi o sol que me queimou. Os filhos da minha mãe se voltaram contra mim, me obrigaram a guardar as vinhas, e a minha vinha, a minha… eu não a pude guardar.
7. Avise-me, amado de minha alma, onde você apascenta e faz descansar o rebanho ao meio-dia, para que eu não fique vagando perdida entre os rebanhos de seus companheiros. 

Coro: 

8. Se você não sabe, ó mais bela das mulheres, siga o rastro das ovelhas e leve as cabras a pastar junto às tendas dos pastores. 

O amado: 

9. Minha amada, eu comparo você à égua atrelada ao carro do Faraó!
10. Que beleza suas faces entre os brincos, seu pescoço, com colares!
11. Faremos para você pingentes de ouro cravejados de prata. 

Dueto: 

12. Enquanto o rei está em seu divã, o meu nardo difunde seu perfume.
13. Um saquinho de mirra é para mim o meu amado, repousando entre meus seios.
14. O meu amado é para mim um cacho de cipro florido entre as vinhas de Engadi.
15. -Como você é bela, minha amada, como você é bela!… Seus olhos são pombas.
16. Como você é belo, meu amado, e que doçura! Nosso leito é todo relva.
17. -As vigas da nossa casa são de cedro, e seu teto, de ciprestes. 

Cântico dos Cânticos 2 

1. -Sou um narciso de Saron, uma açucena dos vales. (QUEM FALA AQUI É ELA) 

2. -Como açucena entre espinhos é a minha amada entre as donzelas.
3. -Macieira entre as árvores do bosque, é o meu amado entre os jovens; à sombra dele eu quis sentar, com seu doce fruto na boca.
4. Ele me levou à adega, e contra mim desfralda sua bandeira de amor.
5. Sustentem-me com bolos de passas, dêem-me forças com maçãs, oh! que estou doente de amor…
6. Sua mão esquerda está sob a minha cabeça, e com a direita ele me abraça.
7. -Filhas de Jerusalém, pelas cervas e gazelas do campo, eu conjuro vocês: não despertem, não acordem o amor, até que ele o queira! 

PRIMAVERA 

A amada: 

8. A voz do meu amado! Vejam: vem correndo pelos montes, saltitando pelas colinas!
9. Meu amado é como um gamo, um filhote de gazela. Ei-lo postando-se atrás da nossa parede, espiando pelas grades, espreitando pela janela.
10. O meu amado fala, e me diz: “Levante-se, minha amada, formosa minha, venha a mim!
11. Veja: o inverno já passou! Olhe: a chuva já se foi!
12. As flores florescem na terra, o tempo da poda vem vindo, e o canto da rola já se ouve em nosso campo.
13. Despontam figos na figueira e a vinha florida exala perfume. Levante-se, minha amada, formosa minha, venha a mim!
14. Pomba minha, que se aninha nos vãos do rochedo, na fenda dos barrancos… Deixe-me ver a sua face, deixe-me ouvir a sua voz, pois a sua face é tão formosa e tão doce a sua voz!”
15. Agarrem as raposas, as raposas pequeninas que devastam nossas vinhas, nossas vinhas já floridas!…
16. O meu amado é meu e eu sou dele, do pastor das açucenas!
17. Antes que a brisa sopre e as sombras se debandem, volte! Seja como um gamo, amado meu, um filhote de gazela pelas montanhas de Beter. 

BUSCA NOTURNA 

Cântico dos Cânticos 3 

1. Em meu leito, pela noite, procurei o amado da minha alma. Procurei e não encontrei!
2. Vou levantar-me, vou rondar pela cidade, pelas ruas, pelas praças, procurando o amado da minha alma… Procurei e não encontrei!…
3. Encontraram-me os guardas que rondavam a cidade: “Vocês viram o amado da minha alma?”
4. Passando por eles, contudo, encontrei o amado da minha alma. Agarrei-o, e não vou soltá-lo, até levá-lo à casa da minha mãe, ao quarto daquela que me carregou no seio. 

O amado: 

5. Filhas de Jerusalém, pelas cervas e gazelas do campo, eu conjuro vocês: não despertem, não acordem o amor, até que ele o queira! 

DIA DO CASAMENTO 

Coro:

6. Que é isso que sobe do deserto, como colunas de fumaça perfumada com incenso e mirra, e perfumes dos mercadores?
7. É a liteira de Salomão! Sessenta soldados a escoltam, soldados seletos de todo Israel.
8. São todos treinados na espada, provados em muitas batalhas. Vêm todos cingidos de espada, temendo surpresas noturnas.
9. O rei Salomão fez para si uma liteira com madeira do Líbano,
10. colunas de prata, encosto de ouro e assento de púrpura, forrada de ébano por dentro.
11. Ó filhas de Sião, venham ver o rei Salomão, com a coroa que lhe pôs sua mãe no dia do casamento, dia em que seu coração se enche de alegria. 

REVELAÇÃO DA BELEZA FEMININA 

Cântico dos Cânticos 4 

O amado: 

1. Como você é bela, minha amada, como você é bela!… São pombas seus olhos escondidos sob o véu. Seu cabelo… um rebanho de cabras ondulando nas encostas de Galaad.
2. Seus dentes… um rebanho tosquiado subindo após o banho, cada ovelha com seus gêmeos, nenhuma delas sem cria.
3. Seus lábios são fita vermelha, sua fala melodiosa. Metades de romã são suas faces mergulhadas sob o véu.
4. Seu pescoço é a torre de Davi, construída com defesas: dela pendem mil escudos e armaduras dos heróis.
5. Seus seios são dois filhotes, filhos gêmeos de gazela, pastando entre açucenas.
6. Antes que sopre a brisa e as sombras se debandem, vou ao monte da mirra, à colina do incenso.
7. Você é bela, minha amada, e não tem um só defeito!
8. Venha do Líbano, noiva minha, venha do Líbano e faça sua entrada comigo. Desça do alto do Amaná, do cume do Sanir e do Hermon, esconderijo de leões, montes onde rondam as panteras.
9. Você roubou meu coração, minha irmã, noiva minha, você roubou meu coração com um só de seus olhares, uma volta dos colares.
10. Como seus amores são belos, minha irmã, noiva minha. Seus amores são melhores do que o vinho, e mais fino que os outros aromas é o odor de seus perfumes.
11. Seus lábios são favo escorrendo, ó noiva minha. Você tem leite e mel sob a língua, e o perfume de suas roupas é como a fragrância do Líbano.
12. Você é um jardim fechado, minha irmã, noiva minha, um jardim fechado, uma fonte lacrada.
13. Seus brotos são pomar de romãs com frutos preciosos:
14. nardo e açafrão, canela, cinamomo e árvores todas de incenso, mirra e aloés, e os mais finos perfumes.
15. A fonte do jardim é poço de água viva que jorra, descendo do Líbano! 

A amada: 

16. Desperte, vento norte! Aproxime-se, vento sul! Soprem no meu jardim para espalhar seus perfumes. Entre o meu amado em seu jardim e coma de seus frutos saborosos! 

Cântico dos Cânticos 5 

O amado: 

1. Já vim ao meu jardim, minha irmã, noiva minha, colhi minha mirra e meu bálsamo, comi meu favo de mel, bebi meu vinho e meu leite. Comam e bebam, companheiros, embriaguem-se, meus caros amigos! 

REVELAÇÃO DA BELEZA MASCULINA 

A amada: 

2. Eu dormia, mas o meu coração velava, e ouvi o meu amado que batia: “Abra, minha irmã, minha amada, pomba minha sem defeito! Tenho a cabeça orvalhada, meus cabelos gotejam sereno!”
3. “Já despi a túnica, e vou vesti-la de novo? Já lavei meus pés, e vou sujá-los de novo?”
4. Meu amado põe a mão pela fenda da porta: as entranhas me estremecem, minha alma, ao ouvi-lo, se esvai.
5. Ponho-me de pé para abrir ao meu amado: minhas mãos gotejam mirra, meus dedos são mirra escorrendo na maçaneta da fechadura.
6. Abro para o meu amado, mas o meu amado se foi… Procuro e não encontro. Chamo, e não me responde…
7. Encontraram-me os guardas que rondavam a cidade. Bateram-me, feriram-me e tomaram-me o manto as sentinelas das muralhas!
8. Filhas de Jerusalém, eu conjuro vocês: se encontrarem o meu amado, que lhe dirão?… Digam que estou doente de amor! 

Coro: 

9. O que o seu amado é mais que os outros, ó mais bela das mulheres? O que o seu amado é mais que os outros, para assim nos conjurar? 

A amada: 

10. O meu amado é branco e rosado e se destaca entre dez mil.
11. Sua cabeça é ouro puro, uma copa de palmeira seus cabelos, negros como o corvo.
12. Seus olhos… são pombas à beira de águas correntes: elas se banham no leite e repousam na margem.
13. Suas faces são canteiros de bálsamo, colinas de ervas perfumadas. Seus lábios são lírios com mirra que flui e se derrama.
14. Seus braços são torneados em ouro incrustado com pedras de Társis. Seu ventre é um bloco de marfim cravejado com safiras.
15. Suas pernas, colunas de mármore firmadas em bases de ouro puro. Seu aspecto é o do Líbano altaneiro, como um cedro.
16. Sua boca é muito doce… Ele todo é uma delícia! Assim é o meu amigo, assim o meu amado, ó filhas de Jerusalém. 

Cântico dos Cânticos 6 

Coro: 

1. Onde anda o seu amado, ó mais bela das mulheres? Aonde foi o seu amado? Nós vamos buscá-lo com você! 

A amada: 

2. O meu amado desceu ao seu jardim, aos terrenos das balsameiras. Foi pastorear nos jardins e colher açucenas.
3. Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu, o pastor das açucenas. 

UMA SÓ É A MINHA AMADA 

O amado: 

4. Você é bonita, minha amiga, você é como Tersa, formosa como Jerusalém. Você é terrível como esquadrão com bandeiras desfraldadas.
5. Afaste de mim seus olhos, que seus olhos me perturbam! Seu cabelo é um rebanho de cabras ondulando nas encostas de Galaad.
6. Seus dentes… um rebanho tosquiado subindo após o banho, cada ovelha com seus gêmeos, nenhuma delas sem cria.
7. Metades de romã são suas faces mergulhadas sob o véu.
8. Que sejam sessenta as rainhas, e oitenta as concubinas, e as donzelas… sem conta:
9. uma só é a minha pomba sem defeito, uma só a preferida pela mãe que a gerou. Vendo, as jovens a felicitam, e rainhas e concubinas a louvam:
10. “Quem é essa que desponta como aurora, bela como a lua, fulgurante como o sol, terrível como esquadrão com bandeiras desfraldadas?”
11. Desci ao jardim das nogueiras para ver os brotos dos vales, para ver se a videira florescia, se os botões das romãzeiras se abriam,
12. e, sem saber, me coloquei no carro, com o meu príncipe! 

Cântico dos Cânticos 7 

DANÇA E ÊXTASE 

Coro: 

1. Vire-se, vire-se, Sulamita. Vire-se, vire-se… queremos contemplar você! Sulamita: “O que vocês olham na Sulamita, quando ela baila entre dois coros?” 

O amado: 

2. Os seus pés… como são belos nas sandálias, ó filhas de nobres! As curvas de seus quadris, que parecem colares, obras de um artista.
3. Seu umbigo… essa taça redonda onde o vinho nunca falta. Seu ventre, monte de trigo rodeado de açucenas.
4. Seus seios, dois filhotes, filhos gêmeos de gazela.
5. Seu pescoço, uma torre de marfim. Seus olhos, as piscinas de Hesebon junto às portas de Bat-Rabim. Seu nariz, como a torre do Líbano voltada para Damasco.
6. Sua cabeça que se alteia como o Carmelo, e seus cabelos cor de púrpura, enlaçando um rei nas tranças.
7. Como você é bela, como você é formosa, que amor delicioso!
8. Você tem o talhe da palmeira, e seus seios são os cachos.
9. E eu pensei: “Vou subir à palmeira para colher dos seus frutos!” Sim, seus seios são cachos de uva, e o sopro das suas narinas perfuma como o aroma das maçãs.
10. Sua boca é um vinho delicioso que se derrama na minha, molhando-me lábios e dentes. 

O CAMINHO DO AMOR 

A amada: 

11. Eu sou do meu amado, seu desejo o traz para mim.
12. Venha, meu amado, vamos ao campo, vamos pernoitar debaixo dos cedros,
13. madrugar pelas vinhas. Vamos ver se a vinha floresce, se os botões estão se abrindo, se as romãzeiras vão florindo: aí lhe darei o meu amor…
14. As mandrágoras exalam seu perfume; à nossa porta há frutos de todo tipo: frutos novos, frutos secos, que eu tinha guardado, meu amado, pra você. 

Cântico dos Cânticos 8 

1. Ah! Se você fosse meu irmão, amamentado aos seios de minha mãe! Encontrando você lá fora, o beijaria, sem ninguém me desprezar.
2. Eu o levaria e introduziria na casa de minha mãe, e você me iniciaria. Eu lhe daria a beber vinho perfumado e licor de minhas romãzeiras.
3. Sua mão esquerda está sob a minha cabeça, e com a direita me abraça. 

O amado: 

4. Filhas de Jerusalém, eu conjuro vocês: não despertem, não acordem o amor, até que ele o queira! 

O MISTÉRIO DO AMOR 

5. Quem é essa que sobe do deserto apoiada em seu amado? Sob a macieira eu despertei você, lá onde sua mãe a concebeu, concebeu e deu à luz. 

A amada: 

6. Grave-me, como selo em seu coração, como selo em seu braço; pois o amor é forte, é como a morte! Cruel como o abismo é a paixão. Suas chamas são chamas de fogo, uma faísca de Javé!
7. As águas da torrente jamais poderão apagar o amor, nem os rios afogá-lo. Quisesse alguém dar tudo o que tem para comprar o amor… seria tratado com desprezo. 

APÊNDICES 

O AMOR NÃO TEM PREÇO 

8. Nossa irmã é pequenina e ainda não tem seios. Que faremos à nossa irmãzinha, quando vierem pedi-la?
9. Se ela é muralha, nela faremos ameias de prata. Se ela é uma porta, nela poremos pranchas de cedro.
10. Eu sou muralha e meus seios são torres; aos olhos dele, porém, sou a mensageira da paz.
11. Salomão tinha uma vinha em Baal-Hamon: deu a vinha aos meeiros e do fruto dela cada um lhe traz mil moedas de prata.
12. Minha vinha é só minha. Para você, Salomão, as mil moedas, e duzentas aos que guardam o fruto dela. 

O AMOR NÃO TEM FIM 

13. Você que habita nos jardins, meus amigos a ouvem atentos: faça-me ouvir sua voz!
14. Fuja logo, meu amado, como gamo, um filhote de gazela pelos montes perfumados… 

(FIM)

05/10/2009 Posted by | DIVERSOS ASSUNTOS | | Deixe um comentário