MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

O “POLITICAMENTE CORRETO” É O DIABO

***************************
Reflexão

Por Caio Fábio

O “politicamente correto” é o Diabo

  
A pessoa “politicamente correta” é aquela que aprendeu e pratica a moral da civilização pós-moderna. Ser “politicamente correto” é ser diplomático sempre. É não enfrentar nada, sempre em nome da boa educação — mas que pára o fluxo da sinceridade em amor.

Ser “politicamente correto” é seguir o fluxo civilizatório como dogma religioso. É ser contra falar qualquer coisa sobre qualquer tema controvertido. Têm suas opiniões, mas em público nada dizem sobre nada. Quando o tema é política, votam, mas jamais dizem o que pensam. E quando o tema é a fé, rebelam-se apenas contra os fanáticos estereotipados, mas não são capazes de dizer ao Dalai Lama o que pensam sobre Jesus, pois, para eles, seria deselegante.

A pessoa “politicamente correta” é mestre em comer galinha enquanto desmaia se vir cortarem-lhe a cabeça para preparar a panelada. Comem carne de animal, desde que não vejam a “maldade” da morte dele.

Assim, são grandes estetas. Vivem de aparências e de elegâncias. Controlam tudo o que dizem a fim de não serem interpretados como sendo “politicamente incorretos”. São os reis da imagem e do som.

Eu abomino o “politicamente correto”.

Sim, porque Jesus não foi “politicamente correto”. Ele dizia tudo o que era importante, e só não o dizia quando não era importante. E disse: “Vós sois aqueles que recebeis glória uns dos outros”. E acrescentou: “Aquilo, porém que é elevado entre os homens, é abominação diante de Deus”.

Em Jesus vemos a liberdade de ser e crer em plena ação. Ele manda amar o inimigo e tratar a todos como gostaríamos de ser tratados. Porém, Nele não há média, nem política relacional, nem agrados a serem feitos conforme o que as pessoas queriam ouvir. Também Nele não vemos nem esbanjamento de palavras e nem a sonegação ou omissão em relação a elas quando os tempos e circunstancias pediam que Ele se manifestasse.

Eu abomino o “politicamente correto” porque quem o pratica enfraquece, se torna bobão, perde o tutano da alma, e vira em ser belamente mimético.

Eu abomino o “politicamente correto” porque se Jesus o praticasse, não haveria Evangelho, ou Cruz, ou a coragem para ser.

Jesus ensina a verdade, não a média. Assim, Seu grande prazer era fazer o bem, mas não tinha nenhum problema em dizer “não”. Não há em Jesus qualquer gestão que seja “politicamente correta”. Sim, porque as ações Dele que parecem ser “politicamente corretas”, de fato não são; sendo apenas a verdade; daí terem tido a anuência de Jesus. Entretanto, não são “politicamente corretas” apenas porque em outra ocasião (seja ela qual tenha sido) Jesus tenha feito algo que se assemelhasse a tal. Não! Muitas vezes o que se vê é Jesus fazendo a coisa oposta em relação àquela outra que Ele antes havia feito; pois, para Ele, havia o justo (justiça); e, o que é justo é sempre o que é justo. De tal modo que às vezes o que Jesus diz atende aos preceitos morais dos “politicamente corretos” — para, então, logo a seguir, Jesus desmontar outra alegria de anuência em relação a algo em relação a que se esperava Dele uma outra ação. Mas quando, em alguma outra circunstancia, Ele toma um partido em relação à vida, contra as etiquetas relacionais e contra as expectativas “politicamente corretas”, os seres “politicamente corretos” chamam a isto de gesto suicida.

Todo ser “politicamente correto” é frouxo. Não se pode contar com tais pessoas para nada. Elas só estão ao seu lado se der prestígio, pois, se algo acontecer de ruim a você, logo o espírito de auto-preservação deles haverá de se manifestar. Além de que eles mesmos haverão de demonstrar seu moralismo “politicamente correto”, o qual, é contra o moralismo dos antiquados, mas é moralismo assim mesmo. Sim, trata-se de um moralismo educado, porém igualmente judicioso; só que manifesto com carinhas sorridentes e simpáticas.

Além disso, o “politicamente correto” é uma ideologia poderosa. Por exemplo, a mídia mundial gosta de tentar ser “politicamente correta”. Ora, tomemos como exemplo o que acontece a Israel hoje. O mundo todo está contra Israel e nem sabe a razão.

Ouço na tevê: “O Hesbollah atacou Israel e 23 pessoas morrem. Israel, porém, retaliou, e apenas matou três militares, mas matou 13 civis”. Ora, quando se trata dos palestinos, diz-se que três militares foram mortos, e 13 civis inocentes. Entretanto, em Israel, parece não existir criança e nem civis, pois, tudo o que de lá se reporta tem a ver com números gerais, como se todo o país fosse militar…

Sim! Até as mães e as crianças brincando no parque!

Já entre os palestinos, a mídia trata a questão com uma simpatia “politicamente correta”, ainda que alienada e injusta no report.

Ora, isto é fruto de uma atitude da “mídia politicamente correta” do mundo todo, a qual, não olha fatos e nem enxerga a história, vendo apenas questões tópicas e recentes. Além disso, eles olham a situação já com a predefinição de que Israel é o agressor. Sim! Mesmo quando Israel não agride, e quando nada faz, eles assim julgam. E mais: digo isto até para o ser mais fanático, estúpido e anti-Israel que exista — mas sempre em resposta… pois sei o que digo; e estou aceitando sair no “pau dialogal” com todo aquele que pense diferente.

Assim, a mídia está sempre vendo os árabes e palestinos como as vítimas que são oprimidas por Israel. Todos os que assim dizem, são jornalistas contaminados pela moda da própria mídia. Sim, eles cultuam no alienante altar do “politicamente correto”, e que têm na mídia seus mais importantes sacerdotes e profetas.

Vejo o “politicamente correto” fazer uma perversão total do sentido de verdade. A verdade agora é a diplomacia. E toda verdade que não seja diplomática, é feia; e, portanto, deixada de lado.

Eu gostaria muito que os paises detentores de mídia formadora de opinião mundial fossem expostos, em seus paises, às mesmas coisas que acontecem em Israel, e, logo que tal se desse, veríamos essa horda de “politicamente corretos” tomarem posições muito mais radicais do que Israel pratica.

O ser “politicamente correto” vive como aquele que nada sente, posto que pimenta nos olhos dos outros é refresco!

O 11 de setembro, que foi mais espetacular do que calamitoso (calamidades acontecem todos os dias no mundo todo, mas sem show de pirotecnia, não impressionam), ainda não deu aos americanos e à sua mídia nem de longe a noção do que é viver a vida dos cidadãos de Israel. Porém, bastou o show de 11 de setembro para os americanos “politicamente corretos” dizerem: “é um absurdo” — pois, tais pessoas, são “politicamente corretas” apenas no quintal dos outros.

No Brasil há pastores “politicamente corretos”. Ora, quem são eles?

São os que são camaradas de todos, que ouvem todas as barbaridades em silencio, que não batem de frente com nada, e que vivem para evitar qualquer enfretamento. Em público são generosos até com o diabo. Sim! Apenas alisam e fazem cafuné. Mas, no particular, expõe o que sentem. Então, eu me pergunto: Como conseguem viver assim?

Pastores “politicamente corretos”, literalmente dizem: “Não precisando de mim, disponha”.

São bons amigos enquanto você é um sucesso. Mas se algum mal lhe acontecer, eles, os “politicamente corretos”, desaparecem como névoa. Temem ser identificados com o que é incorreto no momento. Se a tal pessoa se levantar, então, eles voltam. Mas só são amigos do sucesso e da aparência dele.

O espírito “politicamente correto” não teria trazido o Evangelho até nós.

O “politicamente correto” é a doutrina dos fariseus aplicada ao comportamento irreligioso dos pós-modernos.

Assim, não jejuam, mas comem com elegância. Não oram, embora digam: “Estou torcendo por você”. E mais: se dizem crer no Evangelho, só fazem tal revelação quando o interlocutor já disse que crê também. Do contrário, ficam sempre sorridentes e calados, não importando a loucura que lhes faça companhia mediante a presença de alguém.

O “politicamente correto” é um sentir escatológico. Sim, porque quem lê Mateus 25 logo vê que aqueles que não viram Jesus na História — são os “politicamente corretos”. Eles é que vêem, mas só fazem algo se for seguro. Eles é que sabem, mas se o que sabem não lhes toca a porta da casa, então não lhes concerne.

Ser “politicamente correto” é chamar para si o status que permite não se envolver com nada que doa, ou que seja potencialmente controverso.

O “politicamente correto” é a ética dos que romperam com a moral careta e assumiram uma outra moral, com fachada sofisticada, com atitude de natureza psicologicamente evoluída, com mil etiquetas relacionais, com modos brandos e finos, e com total busca de isenção em relação a tudo o que lhes roube o chão.

Ser “politicamente correto” é decidir não correr riscos jamais!

Os seres “politicamente corretos” em geral são gentilmente arrogantes, e são mestres em fazer discretas caretas de desprezo para aqueles que eles consideram “caretas”.

Quem se torna “politicamente correto” por convicção, acaba se tornando discípulo do Diabo, e fazendo algo que o diabo ama: a evasão da vida comum, exceto da própria vida (egoísmo), enquanto a pessoa se assenta soberana, julgando que está num nível superior ao dos demais.

Desse modo, a Síndrome de Lúcifer se torna algo que é essencialmente ligado à presunção dessa superioridade dos “politicamente corretos”.

Portanto, quanto mais ideologia do “politicamente correto” existe em alguém, mas fria, descomprometida e alheia da existência a pessoa se torna.

O Diabo, quando não cria monstros, cria bonecos de etiqueta. E tal etiqueta produz evasão da vida, das convicções, e da coragem para aceitar e lidar com a contradição.

Por isto o Diabo ama o “politicamente correto”, pois, por tal ideologia o mundo acaba cheio de etiquetas, mas morto de vida.

O Evangelho é completamente politicamente incorreto. Pois, como disse, se tal ideologia estivesse presente em Jesus, o que se teria seria apenas uma sabedoria de sobrevivência, mas nunca a coragem de dar a vida pelo que é Vida, não importando as conseqüências.

Afinal, no “politicamente correto” não há paixão, mas apenas avaliação da vantagem ou da auto-preservação pessoal.

Se Jesus fosse “politicamente correto”, todos ainda estaríamos em nossos próprios pecados.

A história, todavia, nunca foi feita pelos discípulos dessa ideologia de mimetismo e diplomacia. Os profetas poderiam ser qualquer coisa — menos “politicamente correto”.

Ora, é por tudo isto que abomino o “politicamente correto”, pois é a ideologia da elegância do Diabo.

Sim, o “politicamente correto” é o desfile das elegâncias do inferno!

No “politicamente correto” o Sim não é necessariamente sim, e o Não também não é necessariamente não. Pois, em tal ideologia de religiosidade secular, o que é, pode ser, dependendo das circunstancias; posto que se as circunstancias não forem favoráveis, qualquer que seja a verdade, mesmo sendo, na prática não será assim tratada. Afinal, o ser “politicamente correto” só diz que o que é, é, se isto lhe for conveniente e bom para o culto à elegância.

Nele, que me dá de Seu Espírito e não me permite fazer médias, pois, para Ele o que é, é, e não é objeto de nenhum tipo de barganha ou de escolha de conveniência,

 
Caio Fábio.
************************
Anúncios

18/09/2010 - Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS, REFLEXÃO | , ,

8 Comentários »

  1. Três poderes paralelos.

    A democracia tem seu equilíbrio nos três poderes, Executivo, legislativo e judiciário. Quando a democracia está realmente dentro de um espírito democrático existe também o quarto poder que é a imprensa, onde são divulgados sem censura os erros e acertos dos governantes.
    Paralelamente a estes três poderes do regime democrático existem outros três poderes, são eles: poder econômico, político e religioso, naturalmente estes poderes por interesses próprio estão intimamente ligados formando um tripé o qual da sustentação a todo tipo de manipulação do povo brasileiro.
    Primeiro falaremos do poder econômico, todos sabem, em país de terceiro mundo o dinheiro compra tudo, então para os poderosos tudo é possível, nada os impede de manipular qualquer setor da vida nacional.
    Segundo, o poder político, este é sustentado pelo poder econômico e costumeiramente muito bem apoiado pelo poder religioso, que tem a incumbência de manipular a classe mais humilde da população proporcionando aos políticos desonestos a possibilidade de se manterem sempre exercendo cargos públicos sem serem questionados ou importunados.
    Terceiro, poder religioso, a meu ver o maior manipulador das classes menos favorecidas. A manipulação religiosa é que mantém o povo sempre tranqüilo, esperançoso e sempre acreditando na promessa de que na vida eterna, é que está a verdadeira felicidade.
    Dizem eles: Não se preocupem com riqueza, pois é mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico entrar no céu. (E quem falou que rico quer entrar no céu). Os teocratas Alardeiam com muita ênfase, a glorificação, e as delicias do paraíso, tudo isso vem após a morte, sendo assim os fieis religiosos mantém-se calmos, tranqüilos e cordatos sem desejo de reação contra os desmandos do poder político e do poder econômico.
    Para finalizar, tenho ouvido muitos falarem que religião é o freio da humanidade. Não concordo, pois o verdadeiro freio que deveria existir na humanidade é a responsabilidade dos pais de educarem seus filhos os ensinando a serem honestos, trabalhadores, sobretudo ter grande respeito pelos seus semelhantes. Mas ao invés disso os pais na sua maioria ensinam aos filhos fantasias de que existe inferno, paraíso, pecado e sem questionamento devem sempre temer a Deus. Estes ensinamentos são fantasiosos, pois nem mesmo eles sabem com certeza se realmente existe. A meu ver a religiosidade do povo no planeta todo não regride pelo fato da maioria dos pais passarem para seus filhos suas crenças herdadas dos seus antepassados. Na verdade é isso que sustenta a continuação da fé religiosa. Dizem que a religiosidade é uma manifestação divina no ser humano, digo com toda certeza se não existisse o medo da morte, se vivêssemos para sempre, a palavra religião nem faria parte do nosso dicionário.

    Paulo Luiz Mendonça.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 08/09/2012 | Responder

  2. Fazer o que no paraíso.
    Todos os religiosos acreditam e desejam ir para o esplendoroso paraíso, onde é a residência oficial de Deus. Eu pergunto fazer o que lá. A maioria dos seres humanos adoram a vida, ninguém quer morrer todos querem desfrutar das belezas da sua existência aqui na terra. Quais são as maravilhas que existe por aqui? Em primeiro lugar sexo, ninguém abre mão, também um descanso a beira mar, regado com cerveja, água de coco, sempre apreciando as beldades que transitam pela areia quente da praia. Há muitas outras coisas que nem da para enumerar aqui por falta de tempo e espaço. Tem também os mais gananciosos os quais querem mais, lutam desesperadamente para ter poder, dinheiro e muito prestigio.
    Como será esse paraíso, será que tem as mesmas coisas, ou talvez um pouco menos que aqui, será que podemos transferir para lá os direitos adquiridos, se não podemos é uma grande injustiça, pois os gananciosos angariaram muitos patrimônios materiais e, sobretudo muito prestigio, deveria ter algum privilégio afinal são mais importantes e mais espertos que os demais, deveriam chegar ao paraíso já com alguma recomendação para desfrutar de algum privilégio, afinal aqui na terra usa muito isso os apadrinhados têm sempre mais facilidade de conseguir os seus objetivos, se lá não for como aqui as coisas ficarão insuportáveis, pois dizem, no paraíso a coisa é mais amena, somente existe som de harpas regada a orações e muita calmaria, todos estão em estado de júbilo e contemplação espiritual, se for assim acho o paraíso um lugar que não tem nenhum atrativo interessante que agradará os seres humanos acostumados com as benesses maravilhosas da terra.
    Este lugar chamado paraíso foi criado somente para se contrapor com outro lugar também criado da mesma forma chamado inferno, na verdade estas duas fantasias foram criadas com o seguinte objetivo, uma para amedrontar e a outra para enganar. Toda pessoa inteligente que vive hoje no século 21 sabe perfeitamente que estes lugares imaginários não passam de uma mentira, e toda pessoa que vive hoje no século 21 e continua acreditando ou não é inteligente ou está vivendo retrogadamente ainda na idade das trevas que foi a idade média.

    Paulo Luiz Mendonça.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 03/05/2012 | Responder

  3. O que é céu e inferno.

    I nvenção
    N egativa
    F raudulenta
    E nganadora, um
    R esquício
    N atural da
    O pressão religiosa
    ____________________________________
    P romessa
    A menizadora
    R esponsável
    A trativo
    I lusório
    S em nenhuma
    O bjetividade.

    Paulo Luiz Mendonça.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 26/02/2012 | Responder

  4. O mistério do universo e o computador.

    Nós seres humanos sempre estivemos atrás de saber o que representa todo este mistério em que nós estamos envolvidos nesta vida, não sabemos realmente de onde viemos, não sabemos para onde vamos e nem mesmo sabemos o que estamos fazendo aqui.
    Este nosso planeta, o qual se encontra incrustado neste universo sem fim, continua dando a nós uma incerteza absoluta, chegando até a quase fundir o nosso cérebro diante de tantas duvidas. Provas da verdade absoluta até hoje não vi nenhuma, somente suposições e mais suposições, principalmente feitas pelas entidades religiosas. Tirando fora as suposições religiosas que explicam com muita facilidade o mistério continua sem respostas objetivas.
    Os meios científicos, través de muito trabalho e com pesquisas conseguiram provar muitas coisas as quais eram consideradas por religiosos como mistérios de Deus.
    Vamos agora o porquê desta explicação, o computador para quem não entende o seu funcionamento parece uma coisa misteriosa, é um aparelho super sofisticado, um leigo no assunto não vê, não entende e se tentar entender vai fundir a cuca.
    Imaginemos um povo de mais ou menos cem anos atrás, tivesse acesso a um computador destes modernos que existem hoje, como agiriam eles diante de uma maquina desta, a qual parece fazer milagres. Naturalmente iriam ficar estupefatos diante de uma coisa misteriosa e desconhecida para eles. Ai entraria a criatividade, a inteligência do ser humano a qual o diferencia do animal, imediatamente por ser uma coisa desconhecida iriam em primeiro lugar pensar que seria bruxaria, ou então uma coisa divina e que Deus estaria por traz deste misterioso aparelho. Entenderam não há nenhum mistério, mas a mente humana logo de pronto atribuiria à obra as entidades divinas. Diriam os mais espertos que Deus se revelou através de uma maquina e ai iniciaria a exploração da fé publica. Construiriam templos para adorar a maquina cobrariam dizimo e tudo mais. Diante de mistérios sempre aparece algum esperto para tirar proveito do assunto.

    Paulo Luiz Mendonça

    Nota, se tiverem interessados em crônicas combatendo políticos corruptos e religiões fajutas, procurem na Google e só digitar Paulo Luiz Mendonça, tem mais de 100 trabalhos meus.

    O mistério do universo e o computador.

    Nós seres humanos sempre estivemos atrás de saber o que representa todo este mistério em que nós estamos envolvidos nesta vida, não sabemos realmente de onde viemos, não sabemos para onde vamos e nem mesmo sabemos o que estamos fazendo aqui.
    Este nosso planeta, o qual se encontra incrustado neste universo sem fim, continua dando a nós uma incerteza absoluta, chegando até a quase fundir o nosso cérebro diante de tantas duvidas. Provas da verdade absoluta até hoje não vi nenhuma, somente suposições e mais suposições, principalmente feitas pelas entidades religiosas. Tirando fora as suposições religiosas que explicam com muita facilidade o mistério continua sem respostas objetivas.
    Os meios científicos, través de muito trabalho e com pesquisas conseguiram provar muitas coisas as quais eram consideradas por religiosos como mistérios de Deus.
    Vamos agora o porquê desta explicação, o computador para quem não entende o seu funcionamento parece uma coisa misteriosa, é um aparelho super sofisticado, um leigo no assunto não vê, não entende e se tentar entender vai fundir a cuca.
    Imaginemos um povo de mais ou menos cem anos atrás, tivesse acesso a um computador destes modernos que existem hoje, como agiriam eles diante de uma maquina desta, a qual parece fazer milagres. Naturalmente iriam ficar estupefatos diante de uma coisa misteriosa e desconhecida para eles. Ai entraria a criatividade, a inteligência do ser humano a qual o diferencia do animal, imediatamente por ser uma coisa desconhecida iriam em primeiro lugar pensar que seria bruxaria, ou então uma coisa divina e que Deus estaria por traz deste misterioso aparelho. Entenderam não há nenhum mistério, mas a mente humana logo de pronto atribuiria à obra as entidades divinas. Diriam os mais espertos que Deus se revelou através de uma maquina e ai iniciaria a exploração da fé publica. Construiriam templos para adorar a maquina cobrariam dizimo e tudo mais. Diante de mistérios sempre aparece algum esperto para tirar proveito do assunto.

    Paulo Luiz Mendonça

    Nota, se tiverem interessados em crônicas combatendo políticos corruptos e religiões fajutas, procurem na Google e só digitar Paulo Luiz Mendonça, tem mais de 100 trabalhos meus.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça | 22/07/2011 | Responder

  5. Manifestação religiosa.

    A manifestação religiosa, ou seja, a busca de um Deus exercida pelos seres humanos, dizem os entendidos que esta manifestação se dá porque existe dentro de nós uma chama flamejante e divina a qual nos impulsiona a crer em um ser superior e criador do universo como um todo.
    Eu particularmente não acredito em nenhuma chama flamejante interna nos levando para esta manifestação.
    Em primeiro lugar se o ser humano fosse eterno não houvesse a morte, ou seja, o fim da vida, esta manifestação, esta chama flamejante nem faria parte do nosso vocabulário, também não faria parte do nosso intimo. O que acontece na verdade é que o ser humano morre de medo só de pensar na morte, e como será alem dela. Todos nós sabemos que ela é impossível de ser evitada. Diante desta preocupação com o alem túmulo e que leva os seres humanos a buscarem alguma coisa na sua imaginação, ou ainda nos ensinamentos vindo de pessoas que professam religiões, mesmo que estes ensinamentos não sejam verdadeiramente provados, eles acreditam para aliviar um pouco as suas preocupações com o futuro incerto. Sendo assim eles se contentam com uma fantasia qualquer para aliviar suas duvidas e amenizar o medo mórbido da morte.
    A maioria das pessoas irão se arrepiar com esta crônica, irão dizer que é uma escabrosa heresia, mas estou tranqüilo porque, ela está baseada em raciocínio lógico e coerente, é só analisá-lo friamente sem a interferência de dogmas religiosos.
    O que leva a maioria dos seres humanos a buscarem as religiões não é nada mais do que buscar ajuda para problemas de saúde, de dificuldades financeiras, ou por problemas de foro intimo. Observem buscar ajuda: Ninguém se preocupa em levar ajuda para ninguém, pensam somente em angariar vantagens, isso é próprio do nosso egoísmo
    Pessoas, sem os problemas relacionados acima, dificilmente são freqüentadoras assíduas de templos religiosos. Elas freqüentam bem moderadamente sem muito fanatismo, muitas vezes, somente para fazerem se passar por pessoas cheias de moral, para mostrarem que são tementes a Deus, mas o egoísmo, maledicência, orgulho, arrogância e o individualismo continuam intactos na consciência sem nenhum progresso.
    O progresso tecnológico executada pela mente humana caminha rapidamente para um futuro promissor, continua avançando a passos largos, mas infelizmente a moral humana continua caminhando para traz, sempre retrocedendo. Continuando assim a moral humana que dizem ser a essência de Deus estará voltando lá para a idade da pedra.
    Paulo Luiz Mendonça, autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 18/03/2011 | Responder

  6. JUSTIÇA A TODOS.
    Esta crônica não está de maneira nenhuma se relacionando pejorativamente a nenhuma entidade religiosa
    Ela somente terá a incumbência de abrir nossos olhos para as injustiças cometidas por nós seres humanos, principalmente nós cristãos.
    Em primeiro lugar, falamos de Jesus Cristo, um homem sábio, muito evoluído e audacioso para sua época. Seus feitos foram extraordinários, seus ensinamentos foram sem duvida muito significativo. Suas parábolas trouxeram mudanças profundas na nossa maneira de viver. Segundo relatos, foram feitos por ele centenas de milagres, isso ninguém discute são fatos reais os quais são relatados no novo testamento. Agora vamos fazer um paralelo, uma comparação entre Jesus e outros homens de grande talento que surgiram na terra. Por exemplo, enquanto Jesus fez centenas de milagres salvando pessoas as beiras da morte ou com grandes dificuldades. Alexandre Fleming salvou milhares, e milhares de seres humanos da morte certa com a descoberta da penicilina. Pessoas com infecções sem esperança de cura passaram a serem salvas, e a penicilina abriu caminho para outros antibióticos os quais continuam salvando seres por todo planeta terra. Podemos falar também de Luiz Pasteur, que através de suas pesquisas descobriu a vacina anti-rábica. Através desta descoberta, milhares e milhares de seres foram salvos da morte certa e muito dolorosa. Enquanto Jesus salvou centenas de paralíticos, Sabin descobriu a vacina contra a paralisia infantil, com isso salvou milhares e milhares de crianças a se tornarem paralíticas. Alem destes há também Osvaldo cruz, Vital Brasil, Robert Koch descobridor do bacilo da tuberculose e muitos outros médicos e cientistas pesquisadores os quais dedicaram suas vidas na luta contra as varias doenças que assolavam nosso planeta.
    Há também filósofos, educadores e muitos outros nomes importantes no desenvolvimento intelectual da espécie humana.
    Vamos agora, ao porque de toda essa explanação. Está no fato de o nome de Jesus ser amplamente divulgado, não só divulgado, mas vergonhosamente explorado, e estes outros grandes homens também super importantes, seus nomes caíram completamente no esquecimento.
    É fácil de entender a mídia não se preocupa em divulgar os nomes destes homens, porque esta divulgação não gera lucros e o capitalismo vive de lucros quanto mais lucro melhor.
    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro, Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 18/03/2011 | Responder

  7. Coisas misteriosas.

    Temos no nosso planeta e em todo o universo um grande mistério, todos nós seres humanos sabemos disso.
    Sigam meu raciocínio, o computador não deixa de ser também um grande mistério ou no mínimo algo misterioso. O que este aparelho faz, com as transmissões de dados, efetuações de cálculos matemáticos com extrema precisão e todo tipo de comunicação com a rapidez de um raio, faz nos parecer que há nele alguma coisa divina, mas na verdade é uma coisa perfeitamente natural. O computador é uma maquina feita por seres humanos, sem a interferência de nenhuma entidade celestial. Naturalmente nós leigos no assunto não conseguimos entender o funcionamento deste magnífico aparelho, mas um técnico em informática pode perfeitamente explicar com detalhes seu funcionamento.
    Voltando aos mistérios do universo e também do nosso planeta, todo este mistério, deve ter uma lógica em seu intrincado funcionamento, mas até o presente momento não temos nenhum técnico em mistérios do universo para nos dizer o que está por traz de tudo isso. Por este motivo olhamos para todo este intrincado conjunto de estrelas e planetas e não conseguimos entender nada absolutamente nada. Tentamos entender a natureza com sua exuberante flora e fauna e não conseguimos entender a sua formação tão meticulosa.
    A ciência tem suas explicações, que até certo ponto são aceitáveis, pois foram feitas através de incansáveis pesquisas durante muitos séculos. Enquanto a ciência tem lutado com afinco para descobrir o que há por traz deste intrincado mistério, as religiões, simplesmente sem nenhum esforço, sem nenhuma pesquisa apenas acreditando em livros antiqüíssimos. Baseando nos relatos destes livros, os quais nem sabemos se são dignos de crédito. Os teólogos nos dão explicações com tanta segurança como se eles tivessem uma visão diferenciada dos outros seres humanos, mas na verdade as explicações das religiões, são inexplicáveis porque o mistério está alem da nossa imaginação, alem do nosso conhecimento e alem da nossa compreensão.
    Acredito que a ciência, somente a ciência, poderá desvendá-lo, porque penso assim, nas ultimas décadas os meios científicos estão tão avançados em seu progresso, progresso este que me leva a acreditar na possibilidade da tecnologia desvendar este grandioso mistério que nos envolve.

    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    Curtir

    Comentário por Paulo Luiz Mendonça. | 18/03/2011 | Responder

  8. Eu sou um desviado do “protestantismo”, a religião dos cordeirinhos doces. O problema dos evangélicos é que eles confiam mais na palavra do que no sentimento, e assim se tornam cordeiros doces prontos a serem devorados pelo fogo da paixão do amor de Deus pelos perdidos. Se atropelam com a própria marcha, por que os que os conduz “só os leva para o Céu”. Esse abuso deve ser conhecido do MESTRE, pois tenho uma mãe que se rotulou a esses merdas.

    Curtir

    Comentário por Fausto José Vieira Júnior | 27/02/2011 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: