MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

O REINO DOS CÉUS É AGORA E AINDA SERÁ MELHOR AQUI NA TERRA, E NÃO NO CÉU

***************************************************************
É AGORA QUE ALGUÉM FICA COM A PULGA ATRÁS DA ORELHA OU, NO MÁXIMO, FICARÁ COM A CABEÇA FERVENDO.
***************************************************************

PRIMEIRA PARTE:

Em meados do mês de julho deste ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez uma declaração irônica referente à crença dos cristãos de que os pobres irão ganhar ou desfrutar das riquezas do reino dos céus só no futuro, após a morte. Essa declaração causou muita revolta e crítica dos seus mais ferozes inimigos, cristãos intolerantes.

Muitos jornais estamparam a notícia de que Lula da Silva, num discurso em Salvador (BA), fez certo descaso da famosa passagem bíblica sobre a entrada do rico e do pobre no Reino dos céus, quando discursava para um público, formado principalmente por pequenos agricultores.

Lula disse: “É bobagem, essa coisa que inventaram que os pobres vão ganhar o reino dos céus [somente no futuro]. Nós queremos o reino agora, aqui na Terra. Para nós inventaram um slogan que tudo tá no futuro. É mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico ir para o céu. O rico já está no céu, aqui”. (A parte em azul é grifo meu).

Na realidade, a última parte da declaração que Lula fez está corretíssima, pois, é verdade que os ricos já receberam a sua recompensa aqui nesta vida. O céu dos ricos já é aqui nesta vida. Ele cita o mesmo que Jesus falou.

Mas, e os pobres, onde e quando usufruirão das coisas que não puderam usufruir nesta vida?

“Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os [RICOS] hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa” (Mat. 6:2).

“Mas ai de vós que sois ricos! porque já recebestes a vossa consolação [recompensa] (Luc. 6:24).

“Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro de igual modo os males; agora, porém, ele aqui é consolado, e tu atormentado” (Luc. 16:25).

“E agora vós, ricos, chorai e pranteai, por causa das desgraças que vos sobrevirão. (…) Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações no dia da matança. Condenastes e matastes o justo” (Tiago 5:1,5-6).

“Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” (Apoc. 3:17).

Lula da Silva tem razão em reclamar do ensinamento de que os pobres herdarão o reino do Céu só no futuro, após a morte. Ele fala assim porque a maioria dos pobres não tem plena certeza de que será salvo ou que receberá recompensa após a morte. E mesmo que receba recompensa, imagina-se que esta não será material, mas, sim, riquezas espirituais, como diz em Apocalipse 3:18. Além do mais, conforme a parábola do Rico e Lázaro, o pobre Lázaro não recebeu recompensas materiais no Céu (Seio de Abraão), mas apenas consolação. Se ele foi consolado, indica que havia promessas de receber recompensas materiais na ressurreição e depois (no mundo vindouro), a vida eterna. Lázaro foi consolado com a promessa de que iria ressucitar em carne e osso e reinar com Jesus durante mil anos aqui na Terra.

Ora, se os pobres vão receber recompensa no Céu em tesouros espirituais, de que valerá isso para gozo e prazer pessoal, visto que lá não haverá divisões de classes sociais, nem salvos mais ricos ou menos ricos?

De que adiantará receber uma mansão no Céu para habitar “sozinho” nela, se embalando numa rede? Aliás, esse negócio de ganhar uma “mansão” no Céu é pura utopia, pois nem na Bíblia existe a tal palavra “mansão”. Essas imaginações surgem de sonhos ou revelações que muitos velhos costumam contar. Já ouvi uma pessoa me contar de ter sonhado estando no Céu, e visto lá casebres simples e mansões. Então ela concluiu que os casebres seriam para os crentes que recebessem poucos galardões, e as mansões seriam para os crentes que recebessem muitos galardões. Ora, isso poderia até acontecer no Reino Milenar aqui na Terra. Só que no Reino de Cristo aqui na Terra o que prevalecerá é o comunismo. Embora alguns terão um pouco mais e outros, um pouco menos, no entanto, não haverá pobres, e nem terá ricos ostentando riquezas e pisando nos fracos. E na Cidade Santa (Nova Jerusalém) é que não haverá mesmo nada dessas bobagens.

Esses cristãos intolerantes, além de criticarem o Lula por ter feito a infeliz declaração, ainda lhe desejaram o mal, ou uma punição da parte de Deus. E isso não é comportamento de uma pessoa regenerada e aperfeiçoada.

Muitos desses cristãos evangélicos são mais ignorantes que o próprio ex-presidente Lula, pois se gabam conhecer a Bíblia, mas na realidade não a conhecem. Se Lula fez a infeliz declaração, a fez por ignorância, por não conhecer o verdadeiro ensino do Evangelho. Ele talvez não tenha lido nenhum livro da Bíblia por completo. E o que ele declarou, o fez por ter ouvido alguém falar ou ensinar erroneamente sobre o reino dos céus.

Por isso, o ex-presidente é DESCULPÁVEL por fazer a infeliz declaração. Quem não é desculpável são esses falsos cristãos que o crucificam, sem medir palavras para o ofender. Lula é uma dignidade, e deve ser respeitado.

“Ainda que outrora eu era blasfemador, perseguidor, e injuriador; mas alcancei misericórdia, porque o fiz por ignorância, na incredulidade” (I Tim. 1:13).

“Especialmente aqueles que, seguindo a carne, andam em imundas concupiscências, e desprezam toda autoridade. Atrevidos, arrogantes, não receiam blasfemar das dignidades” (II Ped. 2:10).

“Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam” (Atos 17:30).

Lula tem razão em falar errado sobre o reino de Deus, porque talvez alguém o ensinou errado.

Na verdade, os pobres (salvos), e os crentes fieis e abnegados, usufruirão das riquezas do reino dos céus, mas aqui mesmo durante o Reino Milenar de Cristo, e também depois, no MUNDO VINDOURO, isto é, na Nova Terra Restaurada.

Na Bíblia há muitas promessas de Deus para os pobres. O Evangelho de Cristo visava mais alcançar os pobres. A luta de Jesus era pela igualdade de condições materiais e econômicas do seu povo. Além das mensagens de amor e salvação para os pobres, Jesus trouxe uma mensagem de esperança, referente ao estabelecimento de um Reino de paz e justiça aqui na Terra.

“Então, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus [isto é, o reino aqui na Terra] (Lucas 6:20).

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” (Mateus 5:5).

“Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são purificados, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho” (Mateus 11:5).

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres” (Luc. 4:18).

“Não temas, ó pequeno rebanho! porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino” (Luc. 12:32).

“Ouvi, meus amados irmãos: Não escolheu Deus os que são pobres quanto ao mundo para fazê-los ricos na fé e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?” (Tiago 2:5).

“E todos os do teu povo serão justos; para sempre herdarão a terra; serão renovos por mim plantados, obra das minhas mãos, para que eu seja glorificado” (Isaías 60:21).

“E os meus escolhidos herdarão a terra e os meus servos nela habitarão” (Isaías 65:9).

“Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz. (…) Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre” (Salmo 37:11,29).

“E os mansos terão cada vez mais gozo no Senhor, e os pobres dentre os homens se alegrarão no santo de Israel” (Isaias 29:19).

Agora, se tudo isso que está prometido na Bíblia para os pobres e fiéis é uma utopia, então a religiosidade dos cristãos e judeus é vã.

O QUE SIGNIFICAM AS RIQUEZAS ESPIRITUAIS?

A expressão “ajuntar tesouros no Céu” não se refere a bens materiais, como ouro, jóias, diamante, pérolas, mansões, etc. Significa valores espirituais (galardões) que o crente vai acumulando, de acordo com as suas boas obras aqui na Terra, e que mais tarde lhe garantirão posição de destaque ou de honra. Esses galardões ainda garantirão aos salvos desfrutar dos bens materiais do Reino Milenar, pois eles resuscitarão para isso, também.

“Mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam” (Mat. 6:20).

“Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças” (Apoc. 3:17-18).

“E todo o que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna” (Mat. 19:29).

“E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Uma coisa te falta; vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me” (Marcos 10:21).

“Respondeu Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no mundo vindouro a vida eterna” (Marcos 10:29-30).

Essas promessas de recompensas materiais citadas nos versículos, acima, não são bem exatamente para acontecer neste tempo presente. Elas só se cumprirão na vida dos salvos e fiéis no Reino Milenar, depois que ressuscitarem para reinar com Cristo durante mil anos, e posteriormente, no MUNDO VINDOURO, quando forem criados novos céus e Nova Terra.

“Porque não foi pela lei que veio a Abraão, ou à sua descendência, a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo, mas pela justiça da fé” (Rom. 4:13).

“Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra” (Heb. 11:13).

Preste atenção. Os ricos do tempo presente usufruem de suas riquezas durante 70 anos, no máximo. No resto do tempo que lhes resta, eles gastam suas riquezas com remédios e tratamento, tentando adiar a morte, que é certa. Os salvos que vão ressuscitar e viver no Reino Milenar de Cristo, terão mais de 100 anos de existência. Eles voltarão a ser mortais, mas o tempo de vida será longo, como acontecia na época antes do dilúvio bíblico.

“Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão. (…) Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não tenha cumprido os seus dias; porque o menino morrerá de cem anos; mas o pecador de cem anos será amaldiçoado” (Isaías 65:17,20).

Mil anos de paz e prosperidade é MUUIIITO TEMPO! Enquanto os ricos de hoje vivem com saúde no máximo 70 anos, os salvos no Reino Milenar viverão mais de 100 anos de vida com muita saúde, e desfrutarão de todos os bens desta Terra. Eles constituirão famílias e terão filhos; irão construir casas, plantar e colher os frutos da terra.

“E eles edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o fruto delas. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus escolhidos gozarão por longo tempo das obras das suas mãos. Não trabalharão debalde, nem terão filhos para calamidade; porque serão a descendência dos benditos do Senhor, e os seus descendentes estarão com eles” (Isaías 65:21-23).

A promessa de que o cristão abnegado e fiel receberá CEM VEZES TANTO, refere-se ao tempo de duração de sua vida no Reino Milenar, desfrutando de tudo aquilo que Deus lhe restituirá em dobro. Durante o Reino de Jesus aqui na Terra, os salvos que reviverem (ressuscitarem) poderão viver até 1000 ANOS. E isso será tempo mais do que suficiente para desfrutar de tudo aquilo que Deus tem preparado para os seus. Esse tempo de vida poderá ser 10 vezes maior o tempo que os ricos de agora dispõem para desfrutar de suas riquezas.

Essas promessas de recompensas são mal-interpretadas pela maioria dos pregadores. Pois, não é comum – e dificilmente acontece de um crente abnegado, obediente e fiel em tudo –  receber, ainda no tempo presente, CEM VEZES TANTO aquilo que perdeu ou abandonou por amor a obra de Cristo. Será que você conhece ou conheceu alguém que  tenha  abandonado  casa,  carro, emprego, irmãos, mãe, pai e filhos por amor à obra de Cristo, e depois recebeu 100 vezes o que perdeu? Duvido! Nem 10 vezes recebe, quanto mais “100 vezes”.

Milhares de cristãos neste mundo seguiram os passos de Jesus, sendo fiéis em tudo, cumprindo com o IDE de Jesus, contribuindo na obra de Deus, tendo abandonado tudo por amor a Cristo. Mas eles morreram sem ter recebido em vida “cem vezes tanto, já neste tempo presente, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos”.

E aí, como fica a promessa de Jesus de retribuir aos seus fiéis seguidores abnegados ainda nesta vida tudo aquilo que perderam ou abandonaram por amor à sua obra?

É claro que eles terão que reviver (ressucitar) para habitar nesta Terra novamente, a fim de que se cumpram as promessas de Jesus, de desfrutarem daquilo que os senhores do mundo e os ricos lhes negaram.

Se fosse realmente se cumprir essas promessas de Cristo na vida de um crente ainda nesta vida, primeiramente ele teria que empregar o tempo integral de sua vida na pregação do Evangelho. Só que ele não teria como prever até quando iria durar a sua labuta, de forma que depois recebesse em dobro tudo aquilo que perdeu, e ainda lhe restasse tempo de vida com saúde para desfrutar dos bens que lhes seriam restituídos. Setenta (70) anos para realizar essa proeza é pouco tempo. Temos o caso do patriarca Jó, na Bíblia. Mas o caso dele não pode servir de comparação, pois ele não perdeu tudo que possuia para servir a Deus e fazer a sua obra. O caso de Jó foi provação. E ele teve mais de 100 anos de vida para desfrutar dos bens que lhe foi restituído.

Conheci alguns irmãos já em idade avançada que foram abnegados e obedientes a Deus em tudo, a vida inteira; eram dizimistas fiéis e, inclusive, davam o dízimo até dos ovos das galinhas que criavam no quintal. Contudo, morreram pobres, sem nunca terem recebido nada em dobro ou cem vezes mais.

AS RECOMPENSAS DOS SALVOS E VENCEDORES SERÃO DADAS EM TRÊS MOMENTOS

Os pobres (salvos), e os santos fiéis e vencedores (cristãos gentios e judeus), receberão recompensa em três momentos:

I – No Monte Sião (Céu, Paraíso, Nova Jerusalém Celestial), após o arrebatamento e primeira ressusrreição.

Os santos da 1ª ressurreição e arrebatamento serão primeiramente elevados aos céus para participarem das Bodas do Cordeiro. Depois, serão submetidos a um tribunal para serem galardoados.

Serão galardoados, receberão honrarias, terão um novo nome numa pedra branca (posição de destaque). Só que isso não se constituirá em divisões de classes sociais na Cidade Santa.

“Porque é necessário que todos nós compareçamos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal” (II Cor. 5:10).

Essas recompensas não serão em valores materiais, mas espirituais.

Esse “Tribunal” que Paulo se refere não é o tribunal do último dia, quando serão julgados os pecadores da 2ª ressurreição. Jesus disse que aquele que crê em Deus e obedece os seus mandamentos não entrará em juízo.

“Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida” (João 5:24).

Os salvos da 1ª ressurreição estarão livres do julgamento do Grande Trono Branco e da segunda morte. Essa 2ª morte significa a morte definitiva ou aniquilação do espírito.

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante os mil anos” (Apoc. 20:6).

Alguns teimosos afirmam que um espírito não pode morrer ou ser  aniquilado. Ora, se Deus criou o espirito de cada criatura, como Ele mesmo não pode desfazer aquilo que criou? Se não pode desfazer aquilo que criou, então, não é Todo-Poderoso.

“E o pó volte para a terra como o era, e o espírito volte a Deus que o deu” (Eclesiastes 12:7).

Se Deus deu o espírito a cada criatura, então Ele mesmo dará o destino certo a esse espírito.

Paulo enfatizou que, se alguém destruir o próprio corpo – que é o santuário do Espírito Santo – Deus o destruirá também. Ou seja, Deus aniquilará o espírito do malfeitor.

“Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque sagrado é o santuário de Deus, que sois vós” (I Cor. 3:17).

Paulo disse que Jesus, após ter ressuscitado, já não morre mais. Só que este é um privilégio exclusivo de Cristo, pois ele venceu a morte e o autor da morte, literalmente. Ele agora tem as chaves da morte e do Inferno, ou seja, Ele agora tem domínio sobre a morte e sobre os mortos.

“Sabendo que, tendo Cristo ressurgido dentre os mortos, já não morre mais; a morte não mais tem domínio sobre ele” (Romanos 6:9).

“Eu sou o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre! e tenho as chaves da morte e do inferno” (Apoc. 1:18).

Atenção! Deve ficar claro uma coisa aqui. A expressão “reinar” não significa tão somente “governar como um rei”, mas também tem sentido de “habitar em um reino”. A frase “e reinarão com Ele durante mil anos” significa “habitarão, residirão com Ele durante mil anos”. Durante o Reino Milenar de Cristo aqui na Terra, apesar de toda paz, prosperidade e longevidade de vida, ainda assim haverá mortes dentro e fora da Jerusalém terrena. Os moradores da Terra ainda estarão sujeitos ao pecado e a maldição, mesmo Satanás estando preso. Aonde não haverá morte, pecado ou maldição é dentro da Cidade Santa, a Nova Jerusalém que descerá dos céus. Os salvos ressurretos que estiverem residindo na Jerusalém terrena, mesmo estando cercados e protegidos, ainda assim estarão sujeitos à morte e ao pecado. Confira lendo Isaías 65:20-25.

Os santos da primeira ressurureição estarão residindo (reinando) com Cristo aqui mesmo na Terra, a partir da cidade de Jerusalém terrena. Na segunda parte da Grande Batalha do Armagedom a cidade de Jerusalém terrena e o arraial dos santos serão cercados pelos inimigos. Se se diz que serão cercados, é porque estarão residindo fisicamente aqui na Terra.

“E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida; mas desceu fogo do céu, e os devorou” (Apoc. 20:9).

Não há indícios na Bíblia de que os mortos (judeus e gentios), que reviverem na 1ª ressurreição, ficarão convivendo junto aos seus parentes, nos seus respectivos países de origem, durante o Milênio. O que se diz é que eles estarão residindo nas terras de Israel e na cidade de Jerusalém.

II – No Reino Milenar de Cristo com os Judeus aqui na Terra

Os salvos ressurretos da 1ª ressurreição, a maioria deles será formada de pessoas pobres que muito sofreram nesta vida, passaram fome, humilhações, foram traspassados pela espada e pelo fogo, e martirizados.

“Todos estes morreram na fé, sem terem alcançado as promessas; mas tendo-as visto e saudado, de longe, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Ora, os que tais coisas dizem, mostram que estão buscando uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela donde haviam saído, teriam oportunidade de voltar. Mas agora desejam uma pátria melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus não se envergonha deles, de ser chamado seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade” (Hebreus 11:13-16).

“E vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos” (Apoc. 20:4).

O autor da Carta aos Hebreus se refere à Pátria Celestial, que na verdade é a Nova Jerusalém. Só que nesta santa cidade só habitarão os salvos 100% aperfeiçoados. Os demais salvos que tiverem o privilégio de participar das Bodas do Cordeiro, como convidados, deverão retornar à Terra e constituir as nações que habitarão fora da Cidade Santa, depois que forem criados os novos céus e a nova Terra.

“E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das Bodas do Cordeiro” (Apoc. 19:9).

O grande erro dos cristãos é querer espiritualizar demais as coisas futuras relativas aos salvos. A Bíblia é clara em afirmar que os salvos REVIVERÃO. Ressuscitar quer dizer reviver, isto é, voltar a ser um humano de carne e osso. A diferença é que os humanos que habitarão na Cidade Santa que descerá dos céus terão seus corpos blindados, isto é, revestidos com o poder da incorruptibilidade. Só assim seus corpos ficarão adaptáveis para residir na Santa Cidade.

No futuro Reino, aqui na Terra, não haverá salvos muito ricos (ricaços) nem menos ricos. Haverá, sim, honra e recompensa para os vencedores, mas isso não tornará um salvo melhor ou superior a outros irmãos. Toda regra tem suas exceções, por isso, alguns receberão em dobro tudo aquilo que perderam por amor a Cristo e sua obra.

Só que os últimos serão os primeiros. E se Jesus quiser recompensar um salvo além do que merecia, ninguém poderá questionar.

“Vindo, então, os primeiros, pensaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam um denário cada um. E ao recebê-lo, murmuravam contra o proprietário, dizendo: Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os igualastes a nós, que suportamos a fadiga do dia inteiro e o forte calor. Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não ajustaste comigo um denário? Toma o que é teu, e vai-te; eu quero dar a este último tanto como a ti. Não me é lícito fazer o que quero do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos” (Mat. 20:10-16).

OBS: O Dragão e a Besta estão fazendo de tudo para impedir que se instale o Reino de Cristo aqui na Terra durante mil anos. Os que adoram a Besta não querem jamais ser governados por judeus. Para eles é preferível a morte. Da mesma forma, os cristãos que defendem a democracia e o sistema capitalista estão do lado da Besta, pois é isto que a Besta tem proposto como o melhor para a humanidade. Quem não quer ser governado por Jesus e os judeus, é melhor se juntar à Besta.

A humanidade do jeito que está caminhando, com democracia, liberdade, humanismo, consumismo, ateísmo, levará os adoradores da Besta a odiar os judeus e os cristãos por causa das profecias bíblicas. Eles ainda chegarão ao ponto de declarar a Bíblia e suas profecias A MAIOR AMEAÇA OU A MAIOR CONSPIRAÇÃO JAMAIS VISTA CONTRA A HUMANIDADE. 

Uma coisa eu garanto: a Besta que surgiu da Terra (EUA) não defenderá e não estará para sempre ao lado de Israel. Os judeus devem se preparar, porque eles lutarão sozinhos contra os seus inimigos. Quando não tiverem mais força para resistir, Deus intervirá, e destruirá todos os inimigos de seu povo.

III – No Novo Céu e Nova Terra com a Igreja Durante a Eternidade

“Ao que vencer, e ao que guardar as minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações” (Apoc. 2:26).

“Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono” (Apoc. 3:21).

O fato de “VENCER” implica em algo muito mais forte do que simplesmente aceitar a Jesus e ser batizado. Vencer significa servir a Deus incondicionalmente do início ao fim, sem nunca se desviar. Significa também não negar o nome de Jesus em hipotese alguma, mesmo diante da morte. Não é qualquer crente mal-aperfeiçoado que terá o privilégio de se assentar ao lado de Jesus para julgar as nações.

Aliás, a escolha daqueles que se assentarão junto com Jesus em tronos para julgar as nações também dependerá da vontade de Deus-Pai.

Jesus falou claramente aos filhos de Zebedeu que eles poderiam até tomar o cálice da dor e do sofrimento por amor a Cristo, mas não poderia lhes conceder o direito de se assentar com Ele no trono, porque esse privilégio é para aqueles que Deus-Pai escolher.

“Aproximou-se dele, então, a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, ajoelhando-se e fazendo-lhe um pedido. Perguntou-lhe Jesus: Que queres? Ela lhe respondeu: Concede que estes meus dois filhos se sentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino. Jesus, porém, replicou: Não sabeis o que pedis; podeis beber o cálice que eu estou para beber? Responderam-lhe: Podemos. Então lhes disse: O meu cálice certamente haveis de beber; mas o sentar-se à minha direita e à minha esquerda, não me pertence concedê-lo; mas isso é para aqueles para quem está preparado por meu Pai” (Mateus 20:20-23).

*******

PARA LER A SEGUNDA PARTE DESTE POST CLIQUE AQUI

***************************************************
Miquels – Manaus-AM 2011

Anúncios

08/11/2011 - Posted by | CASOS POLEMICOS, ESCATOLOGIA BÍBLICA | , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: