MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

SERÁ QUE EVA FOI ESTUPRADA POR UM ANJO CAÍDO? VEJA UMA EXPLICAÇÃO JAMAIS VISTA NO MUNDO!

*******
Veja a descrição deste vídeo postado no facebook:

Quer dizer que Eva foi estuprada por um gigante que acionou nela as glândulas sexuais?
Quando penso que já vi e ouvi de tudo, me aparece uma nova…!
Onde estão os exegetas de plantão que podem explicar isso melhor?
Não sei se rio ou se choro?
Ajuda, Jesus!!!!

(https://www.facebook.com/prmarioalberto/videos/10201976870540571/)

MINHA EXPLICAÇÃO

Existe uma vertente teológica de uma igreja, surgida no início do século passado, que ensina a tese de que o pecado de Eva foi resultante de sua traição com um anjo caído, e que desse relacionamento pecaminoso nasceu seu primeiro filho, Caim. Por esse motivo Caim foi uma pessoa de má índole e desobediente, e foi amaldiçoado por Deus, após matar seu irmão Abel. E tal teoria ainda é defendida por diversos teólogos.

Eu particularmente tenho estudado sobre isso, e de tudo que já li, vi indícios de que Eva foi seduzida por um anjo caído. O próprio Livro de Enoch diz que Eva foi seduzida por Azazel, mas não frisa se foi sedução para o ato sexual. Só que essa palavra “sedução” pode significar outra coisa.

Acho que essa sedução se deu para que Eva visitasse o Reino dos Atlantes no meio da Pangea. Pangea era a forma primitiva do planeta Terra, formado apenas por um único continente. O Reino dos Atlantes estava concentrado no meio da Pangea, e o Jardim Santo foi criado ao Oriente do Éden (isto é, do lado Oriental da Terra). Éden (lugar de beleza e descanso) era o antigo nome do planeta Terra. Adão e Eva estavam proibidos de sair dos limites do Jardim Santo. Adão e Eva podiam sair e entrar no Jardim Santo, mas eram proibidos de fazê-lo. Tanto é que, quando pecaram e foram expulsos do Paraíso, Deus colocou querubins na porta do mesmo, para que eles não voltassem para lá. Eva foi seduzida por Azazel e visitou o reino dos Atlantes, e lá ela viu uma grande civilização e pessoas trajando-se de roupas. Foi aí que ela teve a noção de vergonha ao ver que estava nua e os atlantes cobrindo sua nudez com vestes. Ao voltar ao Paraíso, falou do que viu a Adão e passaram a fazer aventais de folhas de árvores para cobrir sua nudez. Agora, se Eva manteve relação sexual com algum atlante, isso eu não posso afirmar.

Para entender essas “coisas absurdas” que disse, acima, você deve ler alguns posts mais antigos publicados neste blog. Procure-os.

Gênesis diz que a “Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal” estava NO MEIO DO JARDIM. Ora, esse “jardim” é o Éden, ou seja, o planeta Terra primitivo, e não o Jardim Santo, localizado na parte oriental do Éden (Terra). Não devemos confundir Éden com o Jardim Santo. Repare que Gênesis diz “jardim do Éden”. Portanto, Éden não era o nome do Jardim Santo. O Jardim Santo (paraíso) é que estava dentro do Éden, o paraíso maior, que era o planeta Terra, como um todo. Será que você entendeu agora? Se não, veja: a Civilização dos Atlantes – que estava no meio do Éden (Pangea) – é que era a Árvore do Bem e do Mal. Alguns eruditos defendem que essa árvore do mal era o próprio Satanás. E os ingênuos, que acreditam em contos de fada, acham que essa árvore não passava de um vegetal maligno com frutos bonitos e venenosos, que causavam uma nudez espiritual instantânea em quem os comesse. Satanás/Lúcifer também pode ser considerado a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, pois, segundo os teólogos tradicionais, ele podia entrar no Jardim Santo. Por essa razão ele conseguiu enganar Eva. O “fruto proibido” seria o CONHECIMENTO PROIBIDO de ser repassado ao homem. Com esse “conhecimento proibido” o homem passaria da condição de “inocente” para civilizado. Mas Satanás ofereceu esse conhecimento proibido a Eva, e que depois repassou para seu companheiro Adão.

Mas analisando cuidadosamente o texto bíblico, posso deduzir que Satanás não podia entrar no Jardim Santo. Ele esperou a oportunidade que Eva saiu das dependências do Jardim Santo para dar o bote. Possivelmente Eva, por curiosidade, saiu da área do Jardim Santo e foi se aventurar em terreno perigoso. Não podemos admitir que Deus criou um Jardim Santo, especial, para Adão e Eva, e tenha colocado um ser maligno para conviver com os dois. Fazer isso seria uma incoerência da parte de Deus. Seria a mesma coisa que Deus construir uma casa para você e dentro desta casa colocar uma serpente ou um ninho de serpente. Você acha mesmo que Deus permitiu que o Diabo convivesse junto com Adão e Eva no Paraíso? Ou será que Satanás achou uma brecha e conseguiu entrar no Jardim Santo? Não seria mais razoável admitir que Satanás estava do lado de fora do Jardim, e que Eva, ao desobedecer o mandamento de Deus, deixou as dependências do Jardim Santo e foi se aventurar em um lugar desconhecido, cheio de perigos?! Por outro lado, tem os que ensinam que Satanás só entrou no Jardim Santo porque se incorporou numa serpente. Se assim foi, essa serpente teria que estar do lado de fora do Jardim Santo e encontrou uma brecha para entrar, levando consigo o Diabo. Mas tal explicação é só para cabeça de crianças ou de pessoas medíocres, que acreditam em contos de fada. “Serpente” foi apenas um nome que o escritor sagrado usou para se referir à pessoa do tentador, Satanás. “Serpente” é o nome esotérico de Lúcifer/Satanás. O Diabo não se incorporou em coisa nenhuma para falar com Eva. Era ele “em carne e osso” quem conversava com Eva. De acordo com a angelologia (doutrina sobre os anjos e sua natureza), um anjo não pode se incorporar em humanos e nem em animais. O que se incorpora em seres humanos são os demônios. E anjo, mesmo sendo caído, não é um demônio. E os demônios não são espíritos de anjos caídos. Lucas 22:3 diz que Satanás entrou em Judas, Iscariotes. Mas temos de deixar a meninice de lado e parar de interpretar textos bíblicos de forma literal. Quando o evangelista diz que Satanás entrou em Judas, queria dizer que foi um demônio que se apoderou da sua mente e do seu corpo, e não que Satanás tenha entrado em Judas literalmente.

Preste atenção e aprenda de uma vez por toda que ÉDEN não era o nome do Jardim Santo ou Paraíso especial que Deus criou para Adão e Eva viverem protegidos. Éden era o nome do planeta Terra, como um todo. O Jardim Santo foi plantado na parte oriental do Éden. Repare que o texto não diz “O ÉDEN FOI PLANTADO NA PARTE ORIENTAL DO ÉDEN”. O Jardim Santo era uma coisa (menor), e Éden era uma coisa muito maior.

“Então plantou o Senhor Deus um jardim, da banda do oriente, no Éden; e pôs ali o homem que tinha formado” (Gênesis 2:8).

Explicar essas coisas para os teólogos tradicionais é a mesma coisa que estar dando papa para criancinhas. É preciso ter paciência e repetir várias vezes, até que entenda.

Note que Gênesis 2:9 diz que tanto a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal como a Árvore da Vida estavam “no meio do jardim”. E Eva confirmou que a árvore maligna estava “no meio do jardim”. Mas, fazendo-se uma análise minuciosa, podemos concluir que essa árvore maligna não poderia estar DENTRO do Jardim Santo, junto da Árvore da Vida. Se o Jardim criado para Adão e Eva era santo, não poderia haver uma árvore maligna dentro desse jardim. A árvore maligna só poderia estar do lado de fora. Quanto a estar “no meio do jardim”, acredito que esse “jardim” seria o Éden, o jardim maior, a Pangea, onde se concentra o reino civilizado dos Atlantes. Já a Árvore da Vida estava no jardim menor, o Jardim Santo.

Na verdade, todas as árvores do Jardim Santo seriam “árvores da vida”, mas que na realidade o Jardim Santo como um todo é que era a Árvore da Vida. A convivência nesse recôndito santo garantia o elixir da vida, a imortalidade. Porém, alguns eruditos acham que a Árvore da Vida era o próprio Senhor Jesus, que sempre visitava o casal no meio do Jardim Santo, e lhes falava os mandamentos de Deus. Enquanto o casal obedecesse as ordens de Deus estariam seguros, e a obediência seria o elixir da vida, a garantia da vida eterna.

“E o Senhor Deus fez brotar da terra toda qualidade de árvores agradáveis à vista e boas para comida, bem como a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gên. 2:9).

*******
Há uma incoerência de alguns exegetas tradicionais quando ensinam que Adão e Eva viviam em santidade no Paraíso, só descansando e comendo frutos aprazíveis, sem realizar nenhum trabalho pesado. E que só passaram a trabalhar quando pecaram e foram expulsos do Paraíso. Mas o texto bíblico deixa claro, que apesar de viverem em pureza e santidade no Paraíso, eles tinham o dever de lavrar a terra e cuidar das plantas e dos animais. Deus ordenou a Adão dar nomes aos animais e a todas as árvores que estavam dentro do Jardim Santo. Como bem sabemos, havia árvores e animais em todas as regiões do planeta Terra. E Adão não poderia sair das dependências do Jardim Santo para catalogar a fauna e flora de todas as regiões do planeta.
*******

“Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar” (Gên. 2:15).

Adão e Eva não estavam presos nas dependências do Jardim Santo. Eles podiam sair e entrar de volta no Jardim Santo. Veja o que diz o texto bíblico:

“22 Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente.
23 O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado.
24 E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gênesis 3:22-24).

A prova de que existia outras pessoas habitando na Terra, além de Eva, Adão e Caim, é o fato de Caim, após ser amaldiçoado por Deus e banido de perto do Jardim Santo, ter dito que quem o encontrasse o mataria. Por isso, Deus colocou uma marca em Caim, para que quem o encontrasse não o matasse. Ora, quem iria matar Caim, se naquele momento do relato bíblico só existiam ele, seu pai e sua mãe? Os primeiros humanos saíram justamente dos lombos de Caim. E de onde Caim achou sua esposa? É claro que só pode ter sido do Reino dos Atlantes. A raça dos atlantes já existia muito antes da raça adâmica. Quem só obtém conhecimento através da Bíblia não pode entender essas coisas. Mas se você estudar os ensinos da TEOSOFIA você vai compreender isso que digo.

“14 Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á.
15 O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, sete vezes sobre ele cairá a vingança. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse.
16 Então saiu Caim da presença do Senhor, e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.
17 Conheceu Caim a sua mulher, a qual concebeu, e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade, e lhe deu o nome do filho, Enoque” (Gênesis 4:14-17).

MAIS UMA EXPLICAÇÃO SOBRE O MEDO QUE CAIM TEVE DE MORRER

Quando o povo hebreu (povo de Israel) ainda vivia como nômade, quando ainda não havia se estabelecido como nação na terra de Canaã, Deus outorgou vários estatutos para o povo obedecer. Um desses mandamentos era este: “Olho por olho, dente por dente”. Qualquer atentado contra a vida seria punido na mesma moeda. Como o povo de Israel não era uma nação consolidada, uma Estado consolidado, Deus não autorizou construir CADEIAS/PRESÍDIOS para os criminosos cumprirem pena pelos seus crimes. Por essa razão, havia a pena capital para os crimes hediondos, pois não havia locais de punição para os criminosos. E criminosos não podiam ficar sem punição. Como não havia cadeia, a punição era a morte imediata do meliante. As “cadeias/prisões” para criminosos só foram criadas quando Israel se consolidou como nação na Terra de Canaã. Só que essas “cadeias” não eram prisões tipo a que temos hoje. As prisões eram chamadas de Cidades de Refúgio. Foram construídas vilas para alguns criminosos se refugiarem e não morrerem nas mãos dos vingadores.

Quando prevalecia a lei do “olho por olho, dente por dente”, se alguém matasse um membro de OUTRA FAMÍLIA, os parentes da vítima caçavam o criminoso para o matar. Para que a tal pessoa que cometeu homicídio matando um ente de outra família escapasse do “VINGADOR”, essa pessoa tinha que se esconder na “Cidade de Refúgio”, e de lá não podia sair, pois se saísse, com certeza seria morto. Leia sobre isso em Números 35.

“E estas cidades vos serão por refúgio do vingador, para que não morra o homicida antes de ser apresentado perante a congregação para julgamento”.

Agora, veja bem. Não prevalecia a lei do “olho por olho, dente por dente” para quem matasse um membro da própria família. Só havia vingador do sangue se a morte fosse de um membro de outra família.

Voltando agora ao assunto sobre o medo que Caim teve de morrer.

Se Caim matou um membro da própria família, não haveria VINGADOR do sangue do seu irmão. E mesmo, a lei do “olho por olho, dente por dente” ainda nem existia no tempo de Caim. Então, quem seria esse “vingador”? Seria por acaso o seu próprio pai, Adão? ou seria a sua Mãe, Eva?

Portanto, o medo que Caim teve não foi do VINGADOR. Foi de quem?

Veja o que Caim disse:

“14 Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á”.

Como Caim foi banido, ele andaria errante sobre a terra, e o seu medo natural seria o de ser morto por alguma fera do campo ou da floresta, mas não foi isso que ele falou. Ele teve medo de ser morto por outras pessoas.

Caim teve medo de ser morto por outras tribos de seres humanos que haviam na Terra. Deus o expulsou das imediações próximo ao Jardim do Éden. Ele foi expulso de perto dos seus pais. Como ele iria andar vagabundo sobre a Terra, sabia que poderia ser capturado por outra tribo de humanos e com certeza seria morto, por causa da cor de sua pele. Possivelmente Caim era de cor branca. E talvez as outras tribos fossem de cor parda ou escura. Para proteger Caim do risco de captura por outras tribos, Deus colocou-lhe um sinal, uma marca. Acredito que essa marca foi a mudança de cor da pele. Com a marca, Caim seria confundido como um membro das outras tribos e não seria morto. Assim ficou mais fácil para Caim arranjar uma mulher para si de outra tribo.

Repito: Caim não poderia ter medo de morrer pelas mãos de um membro da própria família, pois, naquele momento só havia ele, seu pai e sua mãe na Terra. O seu terceiro irmão, Sete, ainda estava pequeno ou estava por nascer. E mesmo que Sete tivesse muitos filhos, seria difícil um sobrinho de Caim vingar o sangue de Abel.

Duvido que haja no mundo um estudioso da Bíblia que tenha feito uma explicação parecida com esta.

—————————
Falou e disse Miquels7.

Anúncios

16/05/2016 - Posted by | CASOS POLEMICOS, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, MISTÉRIOS DA HUMANIDADE | , , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: