MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

NÃO ENTRE NO ZOHAR, NÃO ENTRE NA CABALÁ – KABBALAH É 666

**********
Tenho visto muitas pessoas na internet interessadas em estudar a Cabalá para conhecer os mistérios do conhecimento esotérico. Mas não se dão conta de que tais conhecimentos pertencem à esfera do ocultismo velado. Outros manifestam desejo de entrar para a sociedade secreta Maçonaria achando que se trata de uma agremiação de homens da elite social, solidários uns com os outros irmãos da Loja, sábios e influentes na sociedade, e detentores de um vasto conhecimento sobre esoterismo, simbologia e culturas antigas. E observo que essas pessoas estão querendo entrar num caminho desconhecido e obscuro, e não sabem que caminham na beira de um precipício, onde podem cair e nunca mais sair de lá.

Cerca de 99% dos maçons não são e nunca exerceram a profissão de pedreiro ou de arquiteto. Então, por que eles usam os símbolos de pedreiro e arquiteto? Na antiguidade realmente existiu sociedades secretas de pedreiros e construtores, mas eles realmente exerciam a profissão. E essas sociedades dos pedreiros (maçom, mason) vêm desde os construtores das grandes pirâmides no Egito e, depois, no reino de Israel durante a construção do grande Templo de Salomão. Porém, esses maçons de hoje nada têm a ver com o ofício de pedreiro e arquiteto. Sendo assim, qual o objetivo dessa sociedade secreta? O que eles carregam escondido?

“O conhecimento superficial da Bíblia transmitido pelas escolas teológicas cristãs é um grande perigo. Mas, perigo maior é o conhecimento oculto transmitido pelos mestres cabalistas. É preciso ter um conhecimento intermediário entre esses dois ramos do conhecimento. Doutra forma, todos continuarão sendo enganados. Ou então, é necessário que alguém de fora do sistema conscientize as pessoas que estão presas na Matrix” (Miquels7).

**********
A Kabbalah Revelada - Filosofia oculta e ciencia - Knorr Von Rosenroth

Há uma série de vídeos no YouTube, publicado no canal do site Kabbalah.info/pt, intitulado “Entre no Zohar”, tratando de uma série de lições sobre o livro cabalista Zohar (Sefer ha’ Zohar, o Livro do Esplendor), o maior arquivo do mundo em Cabalá. O apresentador, que também é o professor, faz uma propaganda extensiva sobre o Zohar, falando sobre a história desse livro, as polêmicas levantadas e incentivando os ouvintes e interessados no curso a entrar no mundo da Cabalá em busca de conhecimentos inimagináveis. Eis, abaixo, o vídeo e a transcrição do áudio. Corrigi a transcrição do áudio, mas não ficou 100% igual. Se preferir, assista ao vídeo.


https://www.youtube.com/watch?v=gSd3l3wyUNk

Olá a todos! Bem-vindos ao vídeo-curso virtual “Entre no Zohar”.

Eu sou Wellman, serei o professor no decorrer do curso.

Este não é um curso vulgar sobre um livro vulgar. Se aqui estão é porque sentem, pensam, desejam que haja algo mais na vida, e estão no lugar certo.

Se estão a começar a sentir alienação entre vocês e outras pessoas, e no meio ambiente dentro da vossa família e o que vos costumava satisfazer, perfeito! Se estão assustados por ninguém fazer ideia em como lidar com as cheias, os furacões, os derrames de petróleo, as guerras, o ódio e assim por diante… É por isso que estamos aqui!

Há um livro, é chamado ‘O Livro do Esplendor’, isso em português, e em hebraico é chamado Sefer ha’ Zohar, tem 2000 anos de idade e, escutem isto, foi escrito especificamente para este tempo, para a primeira geração que um dia acordaria com um suor frio e se apercebesse que o mundo inteiro está conectado. Somos um todo que vive e respira. Belisque-se! Estais vivo! Conseguiu! És um membro premiado da primeira geração, você conseguiu! Está na hora de abrir este livro e brilhar algum do seu esplendor sobre o sistema que nos conecta e como ele funciona. Não precisaremos de lápis ou blocos de notas, só uma mente aberta para os que são suficientemente sortudos em ter um. Por favor, abram o vosso coração.

Que é o Livro do Zohar?  Por que nos é importante agora e como ele irá nos ajudar?

Vamos direto ao assunto, aqui está o que sabemos. Durante séculos o Zohar tem sido considerado ser o mais importante e poderoso livro do misticismo ocidental, dito conter todos os segredos do Universo, todos os reinos celestiais, cartografando o mundo em anjos e demônios e seres celestes, preenchido de parábolas fantásticas, referências bizarras e estranhas histórias extraídas da Torá, a Bíblia, a qual ele comenta, apontando para um código oculto que se adequadamente compreendido desbloqueia os segredos da própria vida.

Sim, uma obra certamente muito misteriosa. Porque é misteriosa, ela levantou suspeitas e alguns têm medo que o seu conteúdo e propósito sejam muito mais nefastos. É a primeira conspiração ocultista do mundo, uma Cabalá obscura. Instruções escondidas em como controlar o mundo, uma fonte de poder, as sociedades secretas, os maçons, os judeus, o vaticano, que manipulam estruturas políticas, econômicas e sociais, seduzindo as massas com fantasias bíblicas infantis em prol de nos escravizarem para que possam manter os seus estilos de vida da realeza e que isso nos previna de alcançar o sentido e propósito da vida.

Então, para alguns é uma força mística sagrada além do entendimento a ser respeitada e reverenciada, e para outros é um poder não assim tão compreendido para ser usado por alguns para as suas mais obscuras metas. Ambos estão certos. Ambos não compreendem, e é assim que o nosso cérebro o vê, porque nós não compreendemos nada sobre como a nossa natureza funciona e as pessoas também. Sabemos um pouco sobre as leis da física quântica, astrofísica, biologia, geologia, mas no que diz respeito ao nosso lugar no sistema, os nossos desejos, as nossas emoções, as nossas conexões, como funcionam com ele, quero dizer, olhem para as vossas vidas! Olhem para o mundo! Não me parece, mas ambos estão certos sobre acreditarem nele conter algo grande, sobre o propósito e sentido das nossas vidas e que está escondido de nós.

Então vamos só colocar todas as nossas suposições e medos em espera e vamos começar daí.

Ok, então por que histórias bíblicas? E por que são esses escritos a influência cultural mais impregnada dos últimos 3.500 anos? A fonte das principais religiões ocidentais, vocês sabem, cada uma pensa que as outras duas estão erradas. Por que é que a maioria das leis e códigos morais do mundo estão construídos à volta deles? Como é que os seguir não fez um mundo que funcione? Quero dizer, se realmente não faz sentido para nós e não está alinhado com a nossa ciência moderna e não funciona da maneira que é suposto, então, por que é que captura a nossa imaginação? Com tamanha profunda posse sobre estas sensações de direito e reverência e mistério? Por que é que pensamos que trata da verdade? Porque trata, mas nós não. Significa que, embora precioso e seja transcendente, está escondido de nós pelo presente estado da nossa própria natureza, que por falar nisso, também nos está escondido.

Olhem para isso, referências bíblicas estão tão entrelaçadas no tecido do nosso mundo que, não dependendo se vocês acreditam nisso, não dependendo de se vocês acreditam em Deus ou não, mas porque esses escritos realmente revestem certa lei geral da realidade que interage com os nossos pensamentos e desejos de uma certa maneira especial. E esta interação tem construído e operado o nível humano da existência. Sim, é por isso que a vemos em todo o lugar, ela parece estar fora de nós, mas não está.

O Zohar é uma verdadeira maravilha, e é talvez a maior obra cabalística. Quero dizer, ele tem dados exatos sobre cosmologia física e antevisões histórias que precedem acontecimentos e descobertas por milhares de anos. Mas o seu gênio intemporal é que ele não é uma obra de arte, não de ciência, mas de propósito. E a nossa incapacidade de o ver pelo que ele é seja talvez pela nossa ideia vaga de que um livro, que simplesmente não se aplica aqui.

Há uma enorme, e no que nos diz respeito, força totalmente imperceptível que torna os livros cabalísticos não livros de todos iguais, e o Zohar é a própria estrutura da natureza. Um sistema de leis que fluem abaixo numa cadeia de causa e efeito de uma simples e singular lei na natureza em prol de direcionar este mundo.

Para os cabalistas, as pessoas que escreveram o Zohar e a Biblía, a qual ele comenta, o termo ‘livro’ refere-se à habilidade de aceder ao mecanismo de propósito de ser. Um método de nos transformarmos a nós mesmos, de fazer a nossa natureza entrar em equilíbrio com a natureza subjacente da existência.

Para penetrar nisso, para começar a nos envolver nisso, como se dobrássemos para trás as capas do livro e virássemos o mundo de dentro para fora, e vocês e eu e o cosmos e a força que o conecta a tudo são as palavras do livro sem capas e, não há nada do lado de fora da história. Agora mesmo, quer gostemos quer não, estamos a ser empurrados por forças evolucionárias a entrar num mundo interconectado e interdependente. Este é um nível inteiramente novo de existência onde temos de alcançar uma conexão consciente com as leis subjacentes da natureza.

O Zohar é o exato oposto da nossa intenção dominante e porque nós queremos o que queremos. Isto é o que os cabalistas identificam como ‘corporalidade’ o nosso mundo, o desejo de querer para mim mesmo mais muito mais do que eu quero para qualquer outra pessoa. O que chamamos de ‘egoísmo’.

Mas o por que dos livros espirituais ou sagrados o próprio pensamento a partir do qual eles foram construídos é a qualidade inversa, a vontade de doar incondicionalmente, sem uma migalha de consideração própria. Verdadeiro amor, doação pura. Nós precisamos dessa resposta agora e ele dá a nós do ponto de vista do que vamos ser em vez do que nós fomos. Numa linguagem que parece enigmática e antiga, mas na realidade, é a expressão de um futuro que não conseguimos percepcionar, porque neste momento por agora, não somos nada como ela. O que ele tem para nos dar é dirigido a todos, mas não podem simplesmente saltar e lê-lo. A sua linguagem não vem da mente e não é feita para a mente; é feita para ser realizada por um grande desejo e um coração ardente. Tal como o coração de uma criança quando inicialmente descobre este mundo suga tudo, sente forças opostas que a compelem a crescer. Ela sente o quente, ela sente o frio. Ela sente a luz, ela sente o escuro. Prazer e dor, um desejo implacável de tentar novamente. Ela brinca e ela imita até alcançar esse equilíbrio. Não no seu intelecto. Quer dizer, que mente usa um bebê quando aprende a caminhar? Considerando que somos interiormente opostos a ele não sabemos como funciona ou como o viver precisamos de um método de como crescer neste belo, mas aparentemente impossível, futuro de perfeição com que o Zohar nos coloca em contato.

Sim! Zohar, 1) o completo sistema unificado de conexões governado por uma lei singular toda abrangente que é oposta à minha natureza; 2) nada é excluído do sistema ou exterior a ele; 3) a estória é vida sem fim; 4) exigir ser mudado pela intenção por trás de tudo no sistema; 5) um meio de se tornar internamente idêntico à lei singular governante do amor; 6) a criação de um verdadeiro mundo que funciona por dentro e por fora.

Simples, certo? Com o espirito de grande aventura, tudo vai levar um pouco de preparação e experimentar algumas novas percepções, desaprender algumas velhas ideias e verem por vocês mesmos, e pouco a pouco, o que é de fato, e isso vai lhes apontar para a atitude certa. E assim que tenham isso, podem entrar no Zohar.

Neste outro vídeo, abaixo, do qual transcrevo a descrição, o orador faz uma série de considerações sobre o livro Zohar. O texto da descrição do vídeo é diferente das palavras do orador. Se preferir, assista ao vídeo, que está legendado.

https://www.youtube.com/watch?v=1NHL1C6vDcA

Kabbalah – O segredo mais bem guardado (Introdução)

Kabbalah é uma sabedoria antiga que revela como o Universo e a vida funcionam. No sentido literal, a palavra Kabbalah significa “receber”. É a ciência sobre como alcançar a plenitude em nossas vidas. 

Quando mencionamos plenitude, não nos referimos a ser feliz ou usufruir um sentimento de bem estar de forma temporária, porque todos nós já experimentamos flashes de felicidade. Quando falamos sobre nos conectar com a energia de plenitude, queremos dizer sustentar essa conexão de forma duradoura e ininterrupta. 

A Kabbalah é ao mesmo tempo um antigo e inteiramente novo paradigma de vida. Ela ensina que todos os ramos das nossas vidas – saúde, relacionamentos, negócios – emanam do mesmo tronco e da mesma raiz. É a tecnologia de como o Universo funciona no seu nível essencial. É toda uma nova maneira de olhar para o mundo, que poderá conectá-lo com a espécie de plenitude que você possa estar buscando. 

Uma das coisas mais agradáveis sobre estudar Kabbalah é que isso não requer que você abandone a sua fé ou caminho religioso atual. A Kabbalah vai apenas aprofundar a sua compreensão do Universo e fornecer-lhe mais informações e ferramentas para entender porque algumas coisas acontecem com você e quão melhor você pode conectar-se com a Luz do Criador e receber a plenitude que você busca. 

Aonde queremos chegar? 

Todos nós desejamos nos entender melhor, viver vidas mais plenas, passar por experiências enriquecedoras a respeito de quem somos e sobre o porquê de estarmos aqui. Todos nós desejamos ser felizes e, na verdade, todos nós queremos as mesmas coisas na vida: 

– desejamos amar e ser amados
– desejamos ter os melhores relacionamentos
– desejamos usufruir recursos financeiros e nos sentir seguros
– desejamos saúde abundante
– desejamos que nossos filhos sejam felizes e estejam a salvo…
…e todos nós temos questões – e quantas questões… 

No fundo, todos nós desejamos compreender o significado de nossas vidas. 

Quando criança, você deve ter-se perguntado: “Por que eu nasci? Qual é o propósito da minha vida?”. Então nós crescemos e nos tornamos ocupados. Precisamos pagar o aluguel, construir uma vida, construir uma carreira, fazer compras no mercado. Às vezes, em meio à exaustão, nos tornamos escravos da rotina, com uma existência robótica e paramos de formular as profundas questões que nos fascinavam quando éramos crianças. 

Mas tem que ser assim? Não teria sido muito melhor se tivéssemos continuado a crescer e a nos desenvolver, a nos maravilhar e a definir o nosso propósito na vida? Conectar-nos com o nosso verdadeiro potencial? 

Todos nós nos resignamos de certa forma com os altos e baixos da vida. Um dia,  nos sentimos ótimos sobre nós mesmos; no dia seguinte, estamos um tanto ou quanto deprimidos. Um dia, estamos felizes com o(a) nosso companheiro(a) de vida; no dia seguinte, rompemos com essa pessoa. Num dia, há dinheiro em nossa conta; no outro,  ele desaparece. Existe um jeito de alcançarmos o que desejamos em nossas vidas? 

Sim, existe um jeito. E não só isso, mas você sempre tem a oportunidade de alterar o seu destino e de atingir o seu verdadeiro potencial. Qualquer um pode fazê-lo — ninguém é muito jovem, muito velho ou muito estagnado na sua forma de ser. Todos nós temos a habilidade de encontrar significado e de alcançar a plenitude muito além dos nossos mais ousados sonhos ou fantasias. Você não precisa viver como um robô ou uma vítima, ou sentir-se confuso com uma vida que parece sem propósito ou cheia de altos e baixos aleatórios. Você é ilimitado; você pode voar alto. 

Como? Um caminho é a sabedoria da Kabbalah.

**********
Alguns cabalistas mentem, dizendo que a verdadeira Kabbalah não tem nada a ver com ocultismo, com numerologia secreta ou com estudo das cartas do Tarô egípcio. Mas tem tudo a ver, sim.

Na realidade, o estudo da Kabbalah não é toda essa maravilha de conhecimento divino e vida feliz que eles prometem.

Não é através do conhecimento cabalístico que Deus quer que o ser humano se aperfeiçoe. O aperfeiçoamento humano começa pela obediência e temor a Deus, pela prática do amor e da caridade. São essas coisas que moldam o caráter do homem. A tentativa de obter o aperfeiçoamento através de energias cósmicas, conceitos filosóficos e ações abstratas é apenas uma ilusão humana na tentativa de encontrar o elixir da vida, o fruto da vida eterna. A busca do conhecimento e da perfeição através da Cabalá é o caminho natural do homem sem o Deus verdadeiro. São as nossas ações boas que vão moldando o nosso caráter. O desejo de paz, de união, de partilha e de justiça é o que molda o nosso caráter. Obter todo o conhecimento e sabedoria do mundo, mas viver uma vida egoística e sem participar da tristeza e da felicidade do seu semelhante não representa nada, não dignifica em nada o ser humano.

**********
EXISTE UMA CONSPIRAÇÃO QUE VEM SENDO CONDUZIDA DESDE OS PRIMÓRDIOS DA HUMANIDADE PARA QUE SATANÁS (LÚCIFER) CONTINUE CONTROLANDO O MUNDO COM A AJUDA DOS INICIADOS DAS ESCOLAS DE MISTÉRIOS, QUE TAMBÉM EXERCEM INFLUÊNCIAS SOBRE OS GOVERNOS HUMANOS.

O número 6 é o número do homem e o número da Terra. Segundo o livro de Gênesis, foi no sexto dia que Deus criou o homem. No sistema numérico cabalístico babilônico a letra ‘A’ tem valor 6. Por isso que na numerologia secreta dos cabalistas o alfabeto indo-arábico se inicia com o número seis (6).

Quando João propõe o desafio no livro de Apocalpise (13) para que os entendidos decifrassem quem é a Besta, cujo número é 666, ele estava se referindo ao conhecimento esotérico ocultista e a conspiração conduzida pelos iniciados, generais de Satanás, desde os primórdios da humanidade.

A Besta, cujo número é 666, é um complexo sistema formado por iniciados das escolas de mistérios que influenciam diretamente nos governos humanos, com a finalidade de controlar o poder aqui na Terra sob os auspícios de Satanás, o Grande Dragão, a antiga Serpente.

Os estudiosos dizem que “Kabbalah (também Cabala ou Qabbala) é um sistema religioso-filosófico ocultista difundido por judeus esotéricos”. Veja bem: diz que é um “sistema”. Logo, presume-se que é um sistema de controle do mundo e das mentes, a começar pelos que se aventuram no obscuro mundo da Kabbalah-666.

O ninho da Serpente são as Escolas de Magia e Mistérios (Rosa-Cruz, Maçonaria, etc). Nelas é conduzido o plano de Satã para controle das massas e controle do poder aqui na Terra.

A Cabalá e as Escolas de Magia e Mistérios formam o Sistema de Satanás em parceria com os Homens de Preto, o Sistema 666, que controla o mundo.

**********
O QUE É E O QUE NÃO É A CABALÁ?

Os cabalistas dão vários conceitos para Cabalá. E tem um site especializado no assunto Kabbalah, onde se diz que “a Cabalá não é religião, misticismo, magia, água benta, fitas vermelhas, amuletos e um bocado de outras coisas que foram associadas popularmente com ela”.

http://www.kabbalah.info/pt/what-is-kabbalah/myths-about-kabbalah/o-que-a-cabal%C3%A1-n%C3%A3o-%C3%A9

Outros não sentem nenhum rubor em ludibriar os incautos e afirmam que “A Kabbalah não é uma religião. A Kabbalah não é uma filosofia ou uma doutrina. A Kabbalah é um modo de vida; é uma respiração, um caminho vivo e vibrante para a perfeição do ser humano e a transformação do mundo. Perfeição pode entender-se como a felicidade completa, livre de preocupações, medo, ansiedade, raiva e todas as outras emoções negativas que se colocam entre nós e a plenitude. A Kabbalah não é restrita a nenhum sistema de crenças específico ou de fé. É universal. Da mesma forma que a lei universal da gravidade mantém os muçulmanos, judeus, cristãos e ateus firmes na Terra, o caminho universal da Kabbalah eleva muçulmanos, budistas, cristãos e todas as pessoas para níveis mais elevados de plenitude, sabedoria e felicidade autêntica. A Kabbalah ensina-nos que podemos alcançar o controle sobre o mundo físico, incluindo as nossas próprias vidas, no nível mais fundamental da realidade. E a alcançar e a ampliar o poder da mente sobre a matéria e a desenvolver a capacidade de criar plenitude, alegria e felicidade, controlando tudo no nível mais básico da existência”.

Outra fonte diz que A Cabalá tem sido encoberta por confusão, lendas, mitos, e desentendimento, porque a Cabalá autêntica foi mantida em segredo por milhares de anos, até hoje. Embora tenha origens na antiguidade, desde o tempo da antiga Babilônia, a sabedoria da Cabalá permaneceu virtualmente desconhecida da humanidade desde que apareceu, há mais de quatro mil anos atrás. Até este momento, apenas alguns poucos sabiam o que a Cabalá realmente é. Por milhares de anos, a humanidade foi apresentada a uma imensa variedade de coisas sob o nome de ‘Cabalá’: magia, misticismo e até milagres – tudo, exceto o verdadeiro método da Cabalá. Por mais de quatro mil anos, o entendimento comum da Cabalá tem sido confundido com conceitos e interpretações errôneas. A sabedoria da Cabalá necessita, portanto, ser esclarecida. O cabalista Yehuda Ashlag (Baal Ha Sulam) oferece a seguinte definição em seu artigo A Essência da Sabedoria da Cabalá: “Esta sabedoria é nada mais nada menos que uma sequência de raízes penduradas pela causa e efeito, em regras fixas e determinadas, entrelaçadas em um único e objetivo maior, descrito como ‘a revelação de Sua Bondade para Suas criaturas neste mundo’”. De forma simplificada, existe uma força superior, ou o ‘Criador’, que a tudo inclui e que governa na realidade. Todas as forças do mundo advêm desta força abrangente. Algumas dessas forças são familiares, como a gravidade ou a eletricidade, enquanto outras agem sobre nós, mas permanecem ocultas. A Cabalá tem o mapa ou o conhecimento de como essas forças ocultas são estruturadas e as leis pelas quais elas nos influenciam. A Cabalá nos ensina como desenvolver nossa habilidade para sentir essas forças, e finalmente, descobrir o seu único propósito: trazer-nos a revelação do Criador, enquanto vivemos neste mundo”.

Apesar de todos esses conceitos que os esotéricos dão sobre Cabalá, não há dúvidas de que todo o seu estudo envolve magia, numerologia, astrologia e várias formas de ocultismo.

O QUE SIGNIFICA CABALÁ, KABBALAH E CAIBALION?

Existem vários conceitos mentirosos espalhados em livros e na internet sobre a origem da palavra Cabalá. Um deles diz o seguinte:

“O termo Caibalion se refere a uma palavra hebraica que significa ‘tradição ou preceito manifestado por um ente de cima’, e compartilha a mesma raiz da palavra Qabala. A etimologia da palavra Kabbalah ou Cabalá é formada do prefixo “kab”, que em língua semítica significa ‘carcaça de um corpo’, e do sufixo ‘Ala’, que significa ‘Deus’ (A Maçonaria e o Livro Sagrado, pág.93). O significado real desta palavra é a “carcaça do conhecimento divino”. Mas, segundo Knorr Von Rosenroth, ‘A Kabbalah deve ser definida como uma doutrina esotérica judia. Em hebreu, é chamada QBLH, Qabalah, que é uma derivação da raiz QBL, Qibel, que significa ‘receber’. A denominação desse conceito vem do costume de transmitirem-se os conhecimentos esotéricos oralmente. (…) Adotei a forma ‘Qabalah’, que é mais condizente com a escritura hebraica da palavra”.

O conhecimento oculto sempre fascinou os homens desde os tempos antigos, fossem eles líderes religiosos, governantes, filósofos e cientistas renomados. Tanto era o fascínio pelo desconhecido, que chegou a cegar o homem considerado o mais sábio de todos, o rei Salomão, rei de Israel.

“Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e heteias, das nações de que o Senhor dissera aos filhos de Israel: Não ireis para elas, nem elas virão para vós; doutra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão, levado pelo amor” (I Reis 11:1-2).

Segundo alguns estudiosos do esoterismo, os livros sobre Cabalá e a organização desse sistema filosófico-científico surgiram em meados do século XII, no tempo das Cruzadas, quando um grupo de soldados guerreiros – protetores das ruínas do Templo de Salomão, denominado Cavaleiros Templários -, descobriram segredos do ocultismo nas ruínas do palácio de Salomão. Foram denominados ‘Templários’ porque guardavam os segredos do Grande Templo e dos achados nas ruínas do palácio de Salomão.

A REAL ORIGEM DA PALAVRA CABALÁ OU KABBALAH, CUJO SIGNIFICADO É 666

Assim como os cabalistas esotéricos do Judaísmo oculto forjaram o nome YHWH, o nome do Deus Eterno, designando-o de Tetragrama (Tetragrammaton), nome impronunciável, acrescentando as vogais da palavra ADONAI entre as consoantes para formar o nome pronunciável de Yavéh, (YAHOWAH=YEHOVAH), os cabalistas do ocultismo moderno também forjaram outro tetragrama conhecido como QBLH ou KBLH, desta vez inserindo a letra A (que tem valor 6 na numerologia babilônica) entre as consoantes, ficando QABALAH, QABBALAH. Mas, para que a palavra Cabalá expressasse exatamente o maior mistério do ocultismo e carregasse o segredo do sistema satânico que governa o mundo (o sistema 666), eles rescreveram a palavra, ficando sua forma final KABBALAH, que traz de forma velada o valor 666.

Na numerologia secreta a letra A vale 6. Muitas vezes vemos a palavra Kabalá escrita com as consoantes KBL maiúsculas e o A minúsculo: KaBaLa.

Se o A vale 6, então, temos K6B6L6, com o 666 inserido na palavra.

Para que a palavra Kabaláh na língua inglesa carregasse de forma velada o número da Besta-666, eles formaram uma nova grafia, ficando “Kabbalah” a forma final. As consoantes que carregam o valor normal são multiplicadas pelo A que secretamente vale 6. Somando-se as três sílabas da palavra Kabbalah, temos o valor 666.

A B C D E F G H I J K L
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
6 12 18 24 30 36 42 48 54 60 66 72

A=6, K=11, B=2, L=12 e H=8

Kabbalah = (11×6)+(2x2x6)+(12x6x8) = 66+24+576 = 666

Esse mesmo artifício os cabalistas do esoterismo ocultista empregaram para forjar os nomes JESUS, MESSIAH E LÚCIFER. Só que desta vez eles inverteram o 6. Eles numeraram o alfabeto indo-arábico iniciando a primeira letra com o valor 9.

O número 9 é o preferido dos ocultistas. Repare que os valores de algumas letras mudam, como se os números tivessem se invertido nas duas tabelas (J-60 e J-90).

A B C D E F G H I J K L M
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
9 18 27 36 45 54 63 72 81 90 99 108 117
N O P Q R S T U V W X Y Z
14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26
126 135 144 153 162 171 180 189 198 207 216 225 234

Repare que alguns desses números aparecem na Bíblia citados por Jesus: 99, 144, 153, etc.

J + E + S  + U + S
90 + 45 + 171 + 189 + 171 = 666

L + U + C + I + F + E + R
108 + 189 + 27 + 81 + 54 + 45 + 162 = 666

M + E + S + S + I + A + H
117 + 45 + 171 + 171 + 81 + 9 + 72 = 666

Portanto, essa descoberta é a prova cabal de que os nomes KABBALAH, JESUS, MESSIAH e LÚCIFER foram arquitetados pelos magos do esoterismo cabalístico nos porões das Escolas de Magia e Mistério. E o Papa e os cardeais da Igreja Católica Apostólica Romana também estão por trás disso, não somente os judeus cabalistas e os maçons.

Se 666 é o número do Diabo, na verdade, o Diabo é o próprio homem, especificamente os magos ou iniciados das Escolas de Magia e Mistério.

**********
COM O QUE A CABALÁ TRABALHA?

A Cabala trabalha com toda sorte de conhecimento oculto, principalmente com a magia dos números e o valor numérico das palavras. Inclui até o estudo e significado oculto das cartas do Tarô egípcio. Os adeptos costumam usar amuletos cabalísticos como o pentagrama e a estrela de seis pontas (Estrela de Davi), entre outros símbolos.

A Gematria ou Numerologia Esotérica trabalha diretamente com as letras dos alfabetos hebraico e indo-arábico, onde para cada letra são atribuídos valores normais e valores secretos. A Cabalá trabalha diretamente com os valores numéricos das palavras e significados oculto dos números.

A mudança de nomes é uma pratica cabalística, pois, segundo eles dizem, os nomes podem trazer sorte ou azar. Eles tomam exemplos da Bíblia onde o Deus Eterno modificou os nomes de Abrão e Sarai, sua esposa. Abrão passou a se chamar Abraão e Sarai passou a ser Sara. Deus também mudou o nome de Jacó para Israel.

A FINALIDADE DO ESTUDO DA CABALÁ HERMÉTICA

A Cabalá hermética tem como propósito central conhecer ou ler a mente divina procurando tornar o homem um com Deus, isto é, o homem fazendo parte da divindade. A Cabalá procura ainda a restauração do homem e sua integração à divindade pela reencarnação.

AS SUCESSIVAS REENCARNAÇÕES VISANDO O APERFEIÇOAMENTO

O estudo esotérico da Kabbalah (ocultismo) ensina o aperfeiçoamento humano através de sucessivas reencarnações. É disso que se trata o estudo das Sephiroth ou Séfiras ou 10 (ou 11) emanações da Árvore da Vida, figura objeto da Cabalá. As Sephiroth (emanações numéricas) são em número de 11 em referências aos 9 planetas do Sistema Solar, incluindo-se o Sol e a Lua. As dez Sephiroth, em sua totalidade, representam o Homem Celestial ou o Ser Primordial. Ou seja, o verdadeiro objetivo do estudo da Cabalá esotérica é a busca do conhecimento oculto a fim de se obter o aperfeiçoamento pleno e a imortalidade. Em outras palavras, é o caminho ensinado por Satanás para o homem alcançar o poder e a imortalidade da alma.

Árvore da Vida - Caminhos, Tarô, Letras

Figura: Árvore da Vida – Caminhos, Tarô, Letras

O objetivo final do homem ao adentrar em todos os segredos das Séfiras da Árvore da Vida cabalística é tornar-se um ser aperfeiçoado, ou seja, tornar-se um ser divino, isto é, um semi-deus. Quando o homem alcança o ápice do conhecimento oculto se diz que ele agora é um ser divino, um semi-deus, conforme orientação do seu mestre e mentor maior, Satanás.

E na realidade, o fim de todos os iniciados que galgam os mais altos graus no estudo da Kabbalah é a morte. Todos eles são igualmente mortais. Todos um dia morrerão, e de nada valerá todo o esforço que fazem para obter o conhecimento divino em busca da tal imortalidade. Apesar de todo o conhecimento esotérico que os maçons e os magos cabalistas adquirem estudando os ensinamentos da Kabbalah, eles não são melhores do que os símplices que não se envolvem com ocultismo, mas prezam pela paz, fazem o bem ao próximo e lutam pela justiça igual para todos. Os cabalistas, por mais que atinjam o ápice do conhecimento esotérico, não vivem mais que os simples mortais que gozam de boa saúde.

Na verdade, todo o ensino oculto da Cabalá é apenas engano de Satanás, porque não resulta em nada. Tudo é ilusão. Funciona apenas como um entretenimento para os iniciados que pensam que alcançarão a perfeição e a imortalidade da alma. E bem sabemos que os verdadeiros mentores do ensino cabalístico escondem os reais segredos do ocultismo. Tudo isso serve para levar em frente o plano de domínio de Satanás sobre as mentes das pessoas envolvidas no ocultismo, e também para controlar os governos humanos. Por isso os líderes governamentais ficam fascinados pelo ocultismo. O ditador nazista, Adolf Hitler era fascinado pelo ocultismo. E não é diferente os presidentes americanos. Quase todos eles pertencem ou pertenceram à Maçonaria. Aqui no Brasil a maioria dos nossos governantes, juízes e parlamentares são maçons, a começar pelo presidente Michel Temer.

O livro de Enoque diz que os anjos rebeldes (decaídos) ensinaram aos homens coisas proibidas por Deus. Satanás, o querubim caído, seduziu Adão e Eva repassando o conhecimento proibido, fazendo com que se tornassem civilizados.

O conhecimento proibido é bom para quem é aperfeiçoado. Mas, o conhecimento nas mãos de seres não aperfeiçoados pode causar sua própria destruição.

O homem primitivo não poderia se tornar civilizado, nem obter conhecimento sobre o oculto, sobre a física e a astronomia. O ideal de Deus ao colocar a Raça Adâmica na Terra era para que eles cuidassem do belo jardim que havia criado e não se tornassem civilizados. Adão e Eva viviam nus e não se envergonhavam porque Deus os criou como nativos, como indígenas, povos não civilizados, que não sentem vergonha de ardar nu. O pecado de Adão e Eva foi o ato de receberem o conhecimento proibido e deixarem a condição de nativos, passando a civilizados. A partir do dia que Adão e Eva viram que estavam nus e se envergonharam, foi a transição do estágio entre nativo e civilizado. Eva foi seduzida por Azazel e levada até o reino dos Atlantes, uma raça primitiva de humanos remanescentes que habitava no meio do Grande Jardim chamado Éden (nome antigo do planeta Terra). Lá ela viu os atlantes trajando vestimentas e utilizando toda sorte de ferramentas e armamentos. Depois ela retornou ao Jardim Santo que ficava ao oriente do Éden e contou o que viu a Adão.

Segundo Eliphas Levi, o grande filósofo e cabalista do século XIX, “os cabalistas têm verdadeiro horror a tudo aquilo que pareça idolatria; eles, de qualquer maneira, atribuem a Deus a forma humana, que é puramente uma figura hieroglífica. Eles consideram Deus como a inteligência, a vida e o amor único e infinito. Ele não é, para eles, o conjunto ou a coleção de diversos seres e elementos nem uma abstração da existência, nem um ser definível filosoficamente. Ele é tudo e está em tudo, mas distingue-se de tudo e é maior que tudo. Seu verdadeiro nome é inefável; e, em todo caso, seu nome só expressa o ideal humano de Sua Divindade” (História da Magia, Livro I, Cap.7).

PARA QUE SERVEM AS ESCOLAS DE MAGIA E MISTÉRIO OU SOCIEDADES SECRETAS, TAIS COMO MAÇONARIA E ROSA CRUZ?

A principal função é levar o conhecimento oculto via oral pelos iniciados. Os iniciados de alto grau, acima do grau 33, são os verdadeiros detentores do segredo dos segredos. Eles são os generais de Satã, os pedreiros, que levam em frente o plano de domínio da Terra. Satanás é o grande arquiteto. Os maçons da elite são apenas os pedreiros da grande Obra. Os maçons da Loja Azul formam a base da pirâmide maçônica que tem o Olho Que Tudo Vê, e formam uma agremiação de homens camaradas que funciona apenas como fachada param camuflar os reais propósitos da Maçonaria. Pensam que sabem alguma coisa, mas não sabem de nada. E os que galgam até o grau 33 são os aspirantes a generais de Satã. O segredo dos segredos que eles pensam que lhes será revelado, na verdade é a missão de carregar a cruz do ocultismo, isto é, levar o conhecimento oculto via oral e trabalhar para manter vivo o plano de Satanás. Mas esse segredo só é transmitido aos que entram para o grupo seleto, a elite da Maçonaria. Depois que o candidato entra para elite, ele não pode retroceder. Porque “retroceder significa a morte”.

QUEM ERA THOTH E HERMES TRIMEGISTO?

Thoth era o Enoque bíblico. O nome “Enoch” significa “iniciado”. Enoque entregou os seus livros de ciência e mistérios ocultos aos cuidados de seu filho, Matusalém. Mas, após o Dilúvio bíblico, os ocultistas egípcios se apoderaram dos escritos de Enoque, principalmente o Livro de Enoque. Os sacerdotes egípcios guardavam o Livro de Toth em segredo, mas o faraó sabia que eles praticavam alta magia. Segundo alguns autores, Ramsés II ordenou que fosse destruído e queimado o Livro de Toth, porque era muito perigoso e podia atrair pragas e destruição para o seu reino.

Mas os magos do Egito fizeram ressurgir das trevas o temível Livro de Toth. E para não despertar a ira do rei, os magos egípcios tiveram a ideia de reescrever o Livro de Toth através de lendas e símbolos, de tal forma que o conteúdo do livro ficasse resguardado sem despertar a desconfiança das pessoas que o lessem, sendo apenas decifrados os significados dos seus símbolos e lendas através do conhecimento transmitido por via oral através dos iniciados das escolas de mistérios e magia. Daí que surgiu a frase “Hermes Trimegisto”, que significa “Hermes ou Toth três vezes mais poderoso”, porque ninguém jamais poderia destruir o conhecimento oculto.

O mago (bruxo) grego Homero também codificou o conhecimento oculto e a história dos deuses caídos nas suas obras Ilíada e Odisseia. Quando alguém lê ou assiste filmes sobre as estórias de Homero sobre os deuses do Olimpo, imagina que tudo aquilo são contos inofensivos, mas na verdade, estão recheados de conhecimento oculto, que somente os iniciados sabem o significado.

Todos os astros do Sistema Solar foram batizados com nomes dos deuses caídos, para perpetuar a memória deles.

**********
Querem saber como e por que o rei Salomão se desviou dos caminhos do Deus Eterno?

Então leiam o livro ocultista ‘A Chave de Salomão’. O livro inicia relatando uma carta do rei Salomão para o seu filho Roboão, entregando todos os livros com segredos do ocultismo. Mais na frente há um relato de como ele ficou enfeitiçado por uma jovem por quem se apaixonou, e por causa dessa jovem ele foi capaz de oferecer sacrifícios a um deus das trevas. O livro relata como ele contou com a ajuda de seres das trevas para ajudar na construção do Templo.

“Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e heteias, das nações de que o Senhor dissera aos filhos de Israel: Não ireis para elas, nem elas virão para vós; doutra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão, levado pelo amor” (I Reis 11:1-2).

No dia em que Salomão colocou a Arca da Aliança numa sala especial dentro do Templo ele fez uma declaração um tanto esquisita sobre Deus. Ele disse: “O Senhor disse que habitaria na escuridão. Certamente te edifiquei uma casa para morada, assento para a tua eterna habitação” (I Reis 8:12-13). Outra versão diz assim: “O Senhor disse que habitaria numa nuvem escura”. Ou então, “O Senhor me disse que habita nas trevas”.

“Então disse Salomão: O Senhor disse que habitaria nas trevas” (II Crônicas 6:1).

Salomão disse ao povo que o Deus Yavéh não mais habitaria nas trevas, porque agora lhe fizera uma casa para sua eterna habitação.

Os ocultistas citam o livro Atos de Salomão, que não faz parte da Bíblia, mas que é citado nela, e acham que nele continham informações sobre o envolvimento de Salomão como o ocultismo.

“Quanto ao restante dos atos de Salomão, e a tudo o que ele fez, e à sua sabedoria, porventura não está escrito no livro dos atos de Salomão?” (I Reis 11:41).

Baixem o livro do meu acervo clicando no link. A senha é “magia”.

LIVRO A CHAVE DE SALOMÃO

**********
O QUE DIZEM OS CABALISTAS SOBRE O ZOHAR, O LIVRO DO ESPLENDOR?

O texto, a seguir, foi extraído do site kabbalah.info/pt.

http://www.kabbalah.info/pt/o-zohar/5-coisas-que-voc%C3%AA-deve-saber-sobre-o-zohar

1) O que é o Zohar?

Zohar - O Livro do Esplendor (blog)

O Zohar é uma coleção de comentários sobre a Torah, com o propósito de guiar aquelas pessoas que já alcançaram níveis espirituais elevados desde a raiz (ou origem) de suas respectivas almas.

O Zohar compreende todos os estados espirituais que experimentam as pessoas à medida que suas respectivas almas evoluem. No final do processo, as almas alcançam aquilo que os Cabalistas chamam de “o final da correção”, o mais alto nível espiritual.

Para aqueles que não alcançaram nenhum nível espiritual, o Zohar pode parecer apenas uma compilação de alegorias e lendas que podem ser interpretadas e percebidas distintamente por cada individuo. Mas para aqueles que já alcançaram níveis espirituais, ou seja Cabalistas, o Zohar é um guia prático para levar a cabo as ações internas com o propósito de descobrir estados de percepção e de sensação mais profundos e elevados.

2) Para quem é o Zohar?

Quando perguntaram ao Rav Kook- o grande Cabalista do século 20 e o mais importante Rabino de Israel – quem poderia estudar Cabala, sua resposta foi inequívoca: “Qualquer um que queira”. Nos últimos cem anos, todos os Cabalistas, sem exceção, e em muitas ocasiões, deixaram claro que hoje a Cabala está disponível para todos. Disseram também que ela é a ferramenta necessária para resolver a crise global que previam viria a acontecer e que hoje estamos enfrentando.

De acordo com todos os Cabalistas, os dias em que a Cabala era um segredo acabaram. A sabedoria da Cabala manteve-se oculta no passado porque os Cabalistas temiam que ela fosse mal aplicada e mal entendida. E realmente o pouco que escapou gerou muitos mal-entendidos. Porque os Cabalistas dizem que a nossa geração está pronta para entender o real significado da Cabala, e para acabar com os mal-entendidos, esta ciência está agora sendo revelada para todos que desejam aprender.

De acordo com todos os Cabalistas, os dias em que a Cabala era um segredo acabaram. A sabedoria da Cabala manteve-se oculta no passado porque os Cabalistas temiam que ela fosse mal aplicada e mal entendida. E realmente o pouco que escapou gerou muitos mal-entendidos. Porque os Cabalistas dizem que a nossa geração está pronta para entender o real significado da Cabala, e para acabar com os mal-entendidos, esta ciência está agora sendo revelada para todos que desejam aprender.

3) Quem escreveu o Zohar e quando?

De acordo com todos os Cabalistas e de acordo com o início do livro, o Zohar foi escrito pelo Rabino Shimón Bar Yochai(Rashbi), que viveu nos séculos II e III da nossa era. Existem algumas opiniões nos círculos acadêmicos que afirmam que o Zohar foi escrito no século XI pelo cabalista Rabino Moises de Léon. Esta opinião foi negada pelo próprio Rabino Moises de Léon, que afirmou que o livro foi escrito pelo Rashbi.

Para o enfoque Cabalístico, é muito mais importante o que é o Zohar do que quem o escreveu. O propósito do Zohar é ser um guia para as pessoas alcançarem a origem das suas almas.

Este caminho até a origem da alma de cada um consiste em 125 etapas. Rabino Yehuda Ashlag escreve que um Cabalista que passa por todas estas etapas e que compartilhe a mesma percepção espiritual que o autor do livro, vê claramente que o autor não poderia ser outro a não ser o Rashbi. 

4) Por que o estudo do Zohar esteve oculto por tanto tempo?

O Zohar foi mantido oculto por 900 anos, entre o século II e o século XI da nossa era, devido a que os que possuíam sua sabedoria compreendiam que naqueles tempos as pessoas não a necessitavam e por isso interpretariam incorretamente o seu conteúdo. No século XVI apareceu um Cabalista que explicou os fundamentos da Cabala. Este cabalista foi o Santo Ari, o Rabino Isaac Luria (1534 – 1572). O Ari afirmava que deste momento em diante a sabedoria da Cabala estava preparada para ser revelada para todo o mundo.

Os comentários sobre os trabalhos de Ari e do Zohar apareceram apenas no século XX, no século onde se vê mais nitidamente a explosão da história dos desejos humanos. Durante este período apareceu uma alma única, a do Rabino Yehuda Ashlag (Baal HaSulam). Baal HaSulam, Cabalista do século XX, escreveu comentários sobre o Zohar e os trabalhos do Ari.

Isto não significa que não houve grandes Cabalistas antes dele, simplesmente os trabalhos deles não são facilmente compreendidos pelos estudantes contemporâneos. A popularidade atual e a grande demanda pela Cabala confirmam o desejo da nossa geração em absorver sua mensagem universal e compreender os textos autênticos que falam sobre a raiz de nossas vidas e como alcançá-la.

**********
CONCLUSÃO

O ensino cabalístico está se proliferando no mundo de tal forma que existe até Cabalá para crianças. Um absurdo.

Cabala para crianças1

http://www.kabbalah.info/brazilkab/bibliotecaFrameset.htm

Ou seja, o conhecimento oculto saiu do submundo das trevas e está à mostra para quem se interessar. E a Kabbalah faz parte do Sistema 666. Quem entra nesse sistema está aceitando o sinal e a marca da Besta.

A Kabbalah é o Palavra de Satanás oculta para os homens sem Deus (humanidade decaída) que vivem nas trevas e odeiam a luz.

Mas, a Bíblia é a Palavra de Deus revelada àqueles que andam na luz, que querem se aperfeiçoar para um dia habitar no reino de Deus que está preparado para aqueles que o amam. O reino de Deus será estabelecido aqui mesmo na Terra.

————————————————————-
Produzido por Miquels7
Manaus, 14 de fevereiro de 2018.

Anúncios

14/02/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, CONSPIRAÇÃO, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, Ocultismo, SOCIEDADES SECRETAS | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

OS NOMES JESUS, MESSIAH E LÚCIFER VALEM 666 NA NUMEROLOGIA SECRETA

**********
Enquanto teólogos e estudantes ingênuos estudarem o Apocalipse e se prenderem apenas entre as duas capas da Bíblia, e não procurar respostas em fontes extra-bíblicas para elucidar os mistérios, nunca sairão da mesmice e do blá-blá-blá de sempre. Continuarão sempre repetindo interpretações infundadas que há séculos vêm sendo disseminadas nos seminários teológicos das diversas seitas protestantes.

Aqui é revelação sem dó! E quem tem mente fraca não aguenta, e se benze, e faz o sinal da cruz. Ou se é um evangélico fanático, diz que é a voz do inimigo querendo confundir o povo de Deus.

E o próprio sinal da cruz católico é um tipo de sinal da Besta. Logo no início quando surgiu o ato de se benzer, o sinal da cruz era feito com o dedo polegar direito somente na testa da pessoa. Depois de alguns séculos, o sinal passou a se estender por sobre o corpo e a testa.

Há mais de cinco anos que rompi de vez com o fanatismo religioso. Livrei-me da teologia enlatada e viciada, cheia de ingenuidade e fantasias. O fanatismo religioso limita a mente humana e não deixa a pessoa pensar livremente. Agora faço uso 100% da minha racionalidade. Depois de fazer uso pleno da minha racionalidade, descobri o quanto os crentes são ingênuos e massa de manobra dos religiosos, que, por sua vez, também são massa de manobra de seus superiores.
**********

NÃO TEM COMO NÃO ACREDITAR NISSO

Os nomes “Jesus” e “Lúcifer” foram arquitetados nos porões das escolas de magia e mistérios. Esses nomes surgiram do esoterismo cabalístico. E os valores numéricos das palavras criadas pelos ocultistas derivam do Latim (antigo dialeto de Roma, a primeira Besta) e do Inglês (idioma da segunda Besta). Até os algarismos romanos formam o número 666, as seis primeiras letras (I+V+X+L+C+D=666). O apóstolo João criou a charada do número da Besta a partir dos algarismos romanos, que eram os números usados pelos romanos. A letra M, que vale 1000, João colocou como o tempo do reino do Messias, o reino milenar. Ou seja, o valor dos seis primeiros algarismos romanos equivale ao tempo do domínio dos governos humanos sobre a Terra (666). E a sétima letra representa o tempo do domínio dos céus sobre a Terra, o reino dos céus (1000).

O alfabeto indo-arábico tem 26 letras, e estudiosos abelhudos descobriram alguns segredos dos ocultistas; descobriram que o 666 pode ter o mesmo significado de forma invertida, isto é, 999. No ensino esotérico, o número 9 é o número da iniciação (ou do iniciado). O número 11 é conhecido como o número da imperfeição.

Há duas tabelas numéricas secretas. Uma atribui o valor 6 para a primeira letra (A=6), e vai se somando mais 6 a cada letra seguinte. A segunda tabela numérica é mais misteriosa. Nela nenhuma letra possui o valor 9. E o 9 ficou sendo um fator primordial.

Tabela cabalística
Tabela Cabalística

**********
Primeiro Caso: A primeira letra vale 6 e às seguintes vai se somando + 6.

A=1, B=2, C=3, D=4, e assim por diante. Então, vamos empregar o fator 9 para o valor numérico de cada letra do nome JESUS em Inglês.

A B C D E F G H I J
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
6 12 18 24 30 36 42 48 54 60
K L M N O P Q R S T
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
66 72 78 84 90 96 102 108 114 120
U V W X Y Z
21 22 23 24 25 26
126 132 138 144 150 156

J = 10×9 = 90
E = 5×9 = 45
S = 19×9 = 171
U = 21×9 = 189
S = 19×9 = 171

O resultado total é = 666

O mesmo resultado ocorre com o nome MESSIAH (Messias em Inglês). Veja:

M = 13×9 = 117
E = 5×9 = 45
S = 19×9 = 171
S = 19×9 = 171
I = 9×9 = 81
A = 1×9 = 9
H = 8×9 = 72

Total = 666

L = 12×9 = 108
L = 12×9 = 108
U = 21×9 = 189
C = 3×9 = 27
I = 9×9 = 81
F = 6×9 = 54
E = 5×9 = 45
R = 18×9 = 162

Total = 666

Já li e ouvi falarem muitas blasfêmias contra Jesus, mas esses cálculos, acima, deixaram-me bastante preocupado. Acho que os líderes evangélicos e católicos que lerem este artigo devem dar satisfação ou melhores explicações ao povo cristão. Eu acho que esses cálculos matemáticos não são meras coincidências. Se você tentar pegar nomes de outras pessoas, políticos, ditadores, reis, imperadores, religiosos, não conseguirá obter o valor 666, multiplicando por 9 os valores de cada letra.

M = 13×9 = 117
I = 9×9 = 81
Q = 17×9 = 153
U = 21×9 = 189…………………….Total = 864
E = 5×9 = 45
L = 12×9 = 108
S = 19×9 = 171 

P = 16×9 = 144
A = 1×9 = 9
U = 21×9 = 189…………………….Total = 585
L = 12×9 = 108
O = 15×9 = 135

**********
O nome do Messias Yeshua ou Yehoshua só dá o valor 666 porque os padres católicos mudaram a transliteração do nome para o Latim, que antes era IESU ou YESU. Trocaram o I pelo J e acrescentaram um S no final. Tudo para poder dar o valor de 666 na numerologia secreta.

O antigo nome de Jesus era Iesu ou JesuVulgata - Nome IESU no Evangelho de João
Figura pag. antigo Evangelho em Latim

Biblia Vulgata Inglesa - Iesv

**********
O falso nome JESUS não tem poder nenhum. É um nome falso que criaram para substituir o verdadeiro nome do Messias. O verdadeiro nome de Cristo era escrito e pronunciado em Aramaico Siríaco, a língua que os judeus falavam naquele tempo. E o verdadeiro nome do Messias se perdeu, ou os padres católicos esconderam nos porões do Vaticano.

COMO É O NOME DE CRISTO EM GREGO?

O nome hebraico Yeshua (ישוע/ יֵשׁוּעַ) é uma forma alternativa de Yehoshua que vem do original paleo-hebraico Yehoshua (יהושע) Josué, e é o nome completo de Jesus, Yeshua Hamashiach ישוע המשיח (transliterado ao grego Yeshua fica: Ιησου’α, “Iesua”/”Ieshua” [também Ιησου’ς, “Iesu’ “/”Ieshu’ “/”Iesus”]; Yehoshua [יהושוע/ יְהוֹשֻׁעַ‎] fica: Γεχοσούαχ). Fonte: Wikipédia.

Se usássemos o nome de Jesus na sua forma original, hebraica ou aramaica, não passaríamos por esse constrangimento. Em hebraico o nome de Jesus é YESHUA (forma abreviada) ou Yehoshua (forma completa). Da mesma forma, o nome de Deus-Pai deveria ser escrito YAVÉ ou YHVH ou ADONAI, e não JEOVÁ ou SENHOR. “Senhor” era um tratamento usado para o deus Baal.

Agora, temos que rebolar para darmos explicações sobre o por que do valor numérico dos nomes JESUS e LÚCIFER ser 666. Espero que este texto possa ajudar a elucidar a questão, porque os inimigos do verdadeiro Cristo estão procurando de todas as formas encontrar uma vítima para o 666. E, devido a enxurradas de textos e vídeos ofensivos à pessoa de Cristo que estão sendo divulgados na Internet e no YouTube, muitos crentes neófitos e fracos acabarão apostatando da fé se não receberem uma explicação correta.

Para você ficar mais boquiaberto, vamos ao segundo caso e ver por que foi empregado o fator 9 para realizar a multiplicação e a soma.

O valor numérico normal do nome JESUS, no nosso alfabeto, é 74. Mas, nos números secretos da Kabalah (primeira tabela), o nome JESUS tem o valor de 444.

J E S U S SOMA
60 30 114 126 114 444
10 5 19 21 19 74

Porém, o fator 9 foi usado por causa da divisão do 666 por 74. E 74 é 37+37, um número de valor essencial na numerologia bíblica e na Kabalah.

Veja: 666 / 74 = 9

Verificamos também que o nome de LÚCIFER também dá o valor numérico secreto de 444. E no nosso alfabeto também dá 74.

L U C I F E R SOMA
72 126 18 54 36 30 108 444
12 21 3 9 6 5 18 74

E 444 dividido por 74 dá 6, que é o número do homem e número da Terra, ou número incompleto.

O nome “Lúcifer” foi criado por São Jerônimo, na ocasião em que traduziu a Bíblia Vulgata (versão latina da Bíblia Sagrada). Ele traduziu a expressão “estrela da manhã”, de Isaías 14:12, como “Lúcifer”. Note que no livro de Apocalipse Jesus também se intitula “Estrela da Manhã”.

“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!” (Isaías 14:12).

“Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã” (Apoc. 22:16b).

**********
O 666 ESTÁ OCULTO NA PALAVRA KABBALAH

Você sabia que o número 666 está escondido na palavra KABBALAH?

Na numerologia secreta a letra A vale 6. Muitas vezes vemos a palavra Kabala escrita com as consoantes KBL maiúsculas e o A minúsculo: KaBaLa.

Se o A vale 6, então, temos K6B6L6.

Mas, isso não é nada. A verdadeira grafia da palavra Kabala é Kabbalah.

A B C D E F G H I J
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
6 12 18 24 30 36 42 48 54 60
K L                
11 12                

K=11, B=2, L=12 e H=8

Kabbalah = (11×6)+(2x2x6)+(12x6x8) = 66+24+576 = 666

Portanto, meus caros, essa descoberta é a prova cabal de que os nomes JESUS, MESSIAH e LÚCIFER foram arquitetados pelos magos do esoterismo cabalístico nos porões das escolas de magia e mistério. E o Papa e os cardeais da Igreja Católica Apostólica Romana estão por trás disso, não somente os judeus cabalistas e os maçons.

Se 666 é o número do Diabo, na verdade, o Diabo é o próprio homem, especificamente os iniciados das escolas de magia e mistério.

A Kabbalah hermética é um conjunto de ensinamentos repassados somente aos iniciados das escolas de mistério. A Kabbalah hebraica surgiu nas primeiras escolas de mistérios desde os tempos do rei Salomão, rei de Israel, quando este se envolveu com o ocultismo e se desviou dos caminhos de Yavé. Mas ela deriva desde os magos do antigo Egito, de Hermes Trimegistos (Toth), e do mago grego, Homero, que codificou toda a história dos deuses caídos nas mitologias narradas em suas obras Ilíada e Odisseia. Depois que o faraó Ramsés II mandou destruir/queimar o livro de magia de Toth, os magos do Egito pensaram numa maneira de manter o conhecimento oculto sem que despertasse a ira dos governantes. Foi aí que tiveram a ideia de codificar o conhecimento oculto através de símbolos e contos mitológicos. A partir daí eles começaram a chamar Toth de Hermes Trimegisto, isto é, Toth três vezes mais forte, porque agora ninguém poderia destruir o conhecimento oculto. Quando um profano lê um livro sobre a mitologia egípcia e grega ele acha inofensivas aquelas estórias dos deuses do Olimpo. E as escolas de mistérios e magias (Sociedades Secretas) existem para que possam levar o conhecimento oculto via oral. Depois que o maçom conclui o grau 33 ele é convidado para integrar a elite da Maçonaria. Somente aí que é repassado o conhecimento oculto via oral, e ele aprende o conhecimento secreto que está por trás dos símbolos e contos mitológicos. Este é o grande segredo que todo maçom pensa encontrar ao galgar os graus na Maçonaria. Até o grau 33 o maçom pode desistir, pode renunciar, pode voltar. Mas depois que ele entra para a elite, retroceder significa a morte. Ele se tornou um general de Satã aqui na Terra. Ele agora é um pedreiro de Satanás, que vai ajudar a construir o seu reino na Terra.

Segundo os esotéricos cabalistas, “na Kabbalah, o número 666 sempre representou Tiferet, o SOL, desde milhares de anos atrás. Tiferet representa o ser Crístico que habita dentro de todos nós. Dentro da Kabbala, representa todos os deuses iluminados e solares: Apolo, Hórus, Bram, Lugh, Yeshua (Jesus), Krishna, Buda, todos os Boddisatwas, todos os Mestres Ascencionados, todos os Serenões, todos os Mentores, todos os Pretos-velhos e assim por diante. Escolha uma religião ou filosofia e temos um exemplo máximo a ser atingido”.

Para os iniciados das escolas de magia e mistério, como a Maçonaria e a Rosa Cruz, o SOL simboliza a vida e o renascimento. Mas esse significado é para os profanos. O significado real do SOL no esoterismo cabalístico é outro. Neste, o o SOL representa LÚCIFER, a divindade que trouxe o conhecimento para a humanidade. E o SOL é simbolizado pelo número 36. Esse número tem a ver com a geometria. O círculo tem 360º (36×10); o ano tem 360 dias redondos. E o planeta Terra tem um círculo perfeito. O quadrado de 36 casas é cheio de simbolismo no esoterismo. O triangular de 36 é 666. Ou seja, a soma dos números de 1 a 36 é igual a 666.

Os números que representam o SOL são o 6 e o 36. Os números que representam o planeta Vênus são 7 e 49. 

Na Bíblia, Satanás é chamado de Estrela da Manhã; e Jesus também é chamado de Estrela da Manhã. Só que existem duas estrelas da manhã: o Sol e o planeta Vênus. O Sol simboliza Satanás/Lúcifer (nº 6 e 36) e o planeta Vênus simboliza Jesus (Yesu, nº 7 e 49).

Os maçons são adoradores do SOL. Desde o tempo do profeta Ezequiel já existia os ocultistas que adoravam o SOL dentro de um dos compartimentos do grande Templo, em Jerusalém. As lojas maçônicas são parecidas com o Templo de Salomão. E os rituais são voltados para o Leste em direção ao SOL.

“Então me disse: Viste, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel fazem nas trevas, cada um nas suas câmaras pintadas de imagens? Pois dizem: O Senhor não nos vê; o Senhor abandonou a terra. Também me disse: Verás ainda maiores abominações que eles fazem. Depois me levou à entrada da porta da casa do Senhor, que olha para o norte; e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando por Tamuz. Então me disse: Viste, filho do homem? Verás ainda maiores abominações do que estas. E levou-me para o átrio interior da casa do Senhor; e eis que estavam à entrada do templo do Senhor, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do Senhor, e com os rostos para o oriente; e assim, virados para o oriente, adoravam o SOL” (Ezequiel 8:12-16).

O deus Tamuz era o amado das mulheres, por quem elas choravam. Elas sacrificavam seus filhos para Tamuz. No livro de Daniel diz que o príncipe que há de vir – o tal Anticristo – não terá respeito pelos deuses de seus pais, nem ao amado das mulheres. Tem uma versão bíblica que diz que ele não terá respeito ao amor das mulheres, aí os tolos dizem que o tal Anticristo seria um homossexual, porque ele não teria prazer em mulheres. Kkkkkkk. Enquanto que o amado das mulheres era o deus Tamuz, por quem elas choravam e sacrificavam os seus filhos. Em Apocalipse 13 diz que o anticristo destruirá todas as religiões, todas as crenças e todos os deuses, e ele se engrandecerá como um deus. Ora, isso nada mais é do que a humanidade em estágio avançado, amadurecida cultural e tecnologicamente, que irá abolir todas as religiões na Terra e se engrandecerá, será dona do seu próprio destino e não dependerá de nenhum um deus.

“E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem ao amado das mulheres, nem a qualquer outro deus; pois sobre tudo se engrandecerá” (Daniel 11:37).

Existem outros métodos para se criar nomes de forma que seu valor seja 666.

Por exemplo, o nome do nazista Adolf Hitler pode ter sido criado através da Kabbalah. Veja:

Considerando que A=100, B=101, C=102, e assim por diante, a soma das letras do nome de HITLER dá 666 (107+108+119+111+104+117 = 666).

Os nazistas traziam no uniforme a sigla SS. E “s” é sigma, a 18ª letra do alfabeto (6+6+6).

O dinheiro é a marca da Besta e sua característica é o materialismo. As antigas moedas traziam a imagem e a marca do imperador/governante. Logo no princípio, o dinheiro era cunhado em moedas de metal, o bronze, a prata e o ouro. E os valores das moedas eram de acordo com os algarismos romanos: I (1), V (5), X (10), L (50), C (100) e D (500), isto é, 666. No Brasil, as cédulas de cruzeiros eram: de 1, de 5, de 10, de 50, de 100 e de 500 cruzeiros. Ou seja, os valores das cédulas de dinheiro somavam 666. Atualmente criaram as cédulas de 2 e de 20 reais.

Quem vive em busca de prosperidade material e riquezas nesta vida está servindo ao Diabo. A Bíblia diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males.

“Porque nada trouxe para este mundo, e nada podemos daqui levar; tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes. Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” (I Tim. 6:7-10).

**********
Segundo Caso: A primeira letra vale 9 e às demais vai se somando + 9.

O número 9 é o preferido dos ocultistas. Repare que os valores de algumas letras mudam, como se os números tivessem se invertido nas duas tabelas (J-60 e J-90).

A B C D E F G H I J
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
9 18 27 36 45 54 63 72 81 90
K L M N O P Q R S T
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
99 108 117 126 135 144 153 162 171 180
U V W X Y Z
21 22 23 24 25 26
189 198 207 216 225 234        

Repare que alguns desses números aparecem na Bíblia: 99, 144, 153, etc.

J + E + S  + U + S

90 + 45 + 171 + 189 + 171 = 666 (Número da 2ª Besta?)

L + U + C + I + F + E + R

108 + 189 + 27 + 81 + 54 + 45 + 162 = 666 (Número da 1ª Besta?)

M + E + S + S + I + A + H

117 + 45 + 171 + 171 + 81 + 9 + 72 = 666

E agora, José?! Alguém vai dizer que isso tudo é apenas coincidência?

Jesus vs Satan

**********
Alguns estudiosos afirmam que a terminação SUS do nome de Jesus significa PORCO em latim e grego; e significa CAVALO em Hebraico. Existem muitas controvérsias sobre a forma atual do nome de Jesus. Uma pessoa que se diz entendida sobre a língua Hebraica comenta a esse respeito. Confira no link:


(http://www.youtube.com/watch?v=Q7LkrCrmQAo)

**********
Antes de concluir, quero que leiam mais este texto extraído da internet:

SUS, O DEUS-PORCO DOS ROMANOS (Latim)

Iesoús – Os romanos traduziram este nome, dando a ele o sufixo masculino em Latim “-VS” (-us), ou seja: Iesús (IESVS). No Séculos 14, as letras iniciais “I” foram alongadas de modo a distinguí-las da letra “l” em “Iesús” (Jesús). A palavra “Je-SUS” é pronunciada como Gi-SUCE na lingua latina, e surgiu da palavra ou nome em Latim “Ie-SUS”, que se pronuncia assim: “ii-SUCE”. O sufixo para esta palavra é o mesmo para a palavra em Latim, PORCO ou SUÍNO. Excluindo-se a palavra ou nome grego, está palavra em Latim para a palavra PORCO é “SUS” e é identica quando escrita ao sufixo em latim a transliteração em português (e também em inglês) “Ie-SUS” e a “Je-SUS”, ou seja, “SUS”, que se pronuncia “SUCE” ou “ZUS” em inglês e português!

Em Latim a palavra “SUS” significa “SUÍNO” ou “PORCO”, e também possui o mesmo som do sufixo grego, tal como na palavra ou nome “Ie-SOUS”, que se pronuncia “SUCE”. De acordo com a Igreja Católica Romana, o significado das palavras que estão escritas em latim não MUDAM! Se você quiser entender, você irá perceber facilmente que a palavra em latim para PORCO e SUÍNO está escrito “SUS”. Não é difícil de entender! “SUS” em hebraico significa “Cavalo”, porém, em Latim significa “porco”: “SUS”, suis 1. Um suíno, leitão, javali, porco.

Viu agora com clareza quem é o “salvador” dos cristãos? Quando alguém que foi mal ensinado e instruido ora, invoca e adora o nome greco/romano “Jesus”, na verdade, esta orando, invocando e adorando o “deus cavalo da mitologia grega” e o “deus porco da mitologia romana”.

Por motivos e interesses diversos, pessoas bem e mau-intencionadas, resistem a grande verdade a respeito do nome sagrado do Filho de Elohim, o Adhonay Yehoshua Ha-Mashiach. O próprio apóstolo Shaúl (Paulo) perseguiu a verdade e sofreu as conseqüências de ter recalcitrado contra os aguilhões. O amado apóstolo precisou passar pela experiência de um encontro com o próprio Mashiach (Messias) para entender que “contra fatos não existe argumentos”. Em 2 Cor. 13:8, já convertido a verdade, ele escreveu: “Porque nada podemos contra a verdade, a não ser em favor da verdade”. Nosso intuito neste trabalho não é ficar se justificando a ninguém, mas, apenas apresentar a verdade argumentada e baseada diante dos fatos racionais e não de simples atos de sentimentalismo que não conduzem ninguém a lugar algum. Não podemos nos enclausurarmos em nossas cegueiras espirituais, não devemos resistir a verdade, antes devemos acatá-la para nossa vida. Vamos analisar e responder algumas argumentações daqueles que defendem o nome Jesus!

Algumas pessoas, aproveitando a ignorância e falta de conhecimento de alguns que abraçam a fé do nome sagrado Yehoshua, tentam combater com argumentações esdrúxula a verdade que liberta! Por exemplo, alguns “pseudos sábios”, cheios de Teologia (Théos = Zeus grego, Iesous, Iesus etc… + logia – estudo), conhecedores na verdade do deus falso, grego, e não do Adhonay da salvação, achando-se donos da verdade, fazem vistas grossas para os fatos verídicos que comprovam estar o mundo enganado pelo poder do Cristianismo romano. Afinal, quem é o salvador de Roma? A quem Roma invoca como seu deus salvador? Não é por acaso o mesmo “Jesus” dos cristãos? Aliás, Roma não afirma ser o “IESVS”, IESUS, JESUS, etc… um dogma da Igreja Católica Apostólica Romana? Não é o mesmo Jesus, deus cavalo dos gregos e deus porco dos romanos que também o Cristianismo invoca? Os defensores do deus falso Jesus, afirmam, que o nome “Iesus” não poderia ser “deus cavalo” porque é um nome grego e a palavra “SUS” é hebraica. Vamos dar um pouco do próprio veneno deles para que eles bebam.

Se uma palavra hebraica não serve para identificar um deus falso, por ser uma palavra hebraica, um nome grego (eles concordam ser o nome Iesus um nome grego) também não serve para ser o nome do Salvador Yehudym (Judeu), pois as profecias dizem que seu nome seria um nome hebraico, e que a salvação viria dos Yehudyns (Judeus): João 4:22. “Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus”. Entenderam?! Sabemos que não se usa este tipo de fórmulas e nem se aplica estes argumentos absurdos para justificar qualquer coisa. “SUS ” é cavalo mesmo! O que afinal estas pessoas estão querendo defender? A verdade que salva e liberta? Sabemos que não.

JESUS NÃO É O NOME DO MESSIAS PELAS SEGUINTES RAZÕES

1- O nome JESUS não é um nome TEOFÓRICO, isto é, o nome JESUS não é derivado do nome do Elohim de Israel. A prova principal de que o nome JESUS não é o nome do Messias, é porque Ele NÃO é um nome TEOFÓRICO.

2- Não existe o nome JESUS na Bíblia Hebraica.

3- Não existe o nome JESUS no Novo Testamento Hebraico.

4- Não existe o nome JESUS no Novo Testamento Grego.

5- Não existe o nome JESUS no Novo Testamento Latim

6- No alfabeto hebraico, grego e latim não existe a letra “J”.

7- O nome JESUS tem duas sílabas “JE” e “SUS”.

8- A 1ª sílaba do nome JESUS é “JE”.

9- “JE” não é a 1ª sílaba do nome do Elohim de Israel e nem do nome do verdadeiro Messias. Esta é a prova principal de que JESUS não é o nome do Messias.

10- Não existe a sílaba “JE” nem no Velho e nem no Novo Testamento Hebraico.

11- O falso nome “Jesus” só apareceu após o século XIV, uma vez que a letra “J” (Jota) só apareceu no século XIV (1400 anos após o Messias ter vindo), sendo impossível que no século primeiro se pudesse escrever um nome com uma letra inexistente. A letra “J”, com o som que lhe é característico, não faz parte nem do hebraico, nem do latim e nem do grego. A igreja primitiva nunca usou o falso nome JESUS.

12- A letra “J” é a prova real de que o nome JESUS é falso.

13- A Sociedade Bíblica do Brasil diz que a 1ª sílaba do nome do Elohim de Israel é YHWH (Bíblia Online 3.0 da Sociedade Bíblica do Brasil).

14- A 2ª sílaba do nome JESUS é “SUS”.

15- Não existe a sílaba “SUS” no nome do verdadeiro Messias.

16- “SUS” em grego e latim significa PORCO.

17- “SUS” em hebraico significa CAVALO.

18- O significado do nome JESUS é: JE É CAVALO.

Conclusão: O nome JESUS faz parte de um sistema maligno para que o mundo NÃO conheça o nome do Elohim de Israel, e também NÃO conheça o nome do verdadeiro Messias. O nome Jesus foi criado para enganar o mundo.

**********
CONCLUSÃO

Os pastores e pregadores cristãos afirmam que têm realizado muitos prodígios e milagres através do nome de JESUS. Mas os magos de faraó também faziam milagres e prodígios em nome dos deuses deles. O pastor mercenário Benny Hinn é um dos grandes falsos profetas que usam o nome falso de Jesus para fazer prodígios e milagres fajutos. Tenho um vídeo não-oficial da cruzada de Benny Hinn aqui em Manaus, no ano de 2005, onde podemos constatar que não houve nenhum milagre que eles alegam terem sido realizados por este falso profeta. Confira, abaixo, o vídeo onde selecionei as partes que não aparecem no vídeo oficial das cruzadas de Benny Hinn que são publicadas num canal do YouTube. As pessoas doentes e cadeirantes que aparecem na filmagem não são curadas; ele faz uma mudinha dar uns berros, coisa típica de mudo, e diz que ela foi curada; e faz uma senhora de idade passar vexame, fazendo-a correr e crer que foi curada de paralisa nas pernas, sendo que a mesma sofria de um enfisema pulmonar e estava na cadeira inalando oxigênio. E o fenômeno do cai-cai é outro prodígio de mentira que esse falso profeta realiza através do nome falso de Jesus.


(https://www.youtube.com/watch?v=17vnoda0YqU)

Baixe a filmagem completa da cruzada de Benny Hinn em Manaus e veja você mesmo os prodígios e sinais de mentiras realizados por esse falso profeta. Clique no link.

Cruzada de Falsos Milagres de Beny Hinn em Manaus (2005)

Certa vez um discípulo veio avisar Jesus que algumas pessoas estavam usando o nome dele para expulsar demônios. Aí Jesus respondeu: Quem não é contra nós, é por nós. Logo, percebe-se que essas pessoas usavam o nome correto de Cristo. Mas, não se diz que elas eram consagradas para realizar o exorcismo em nome de Yesu.

Em Atos 19 temos o relato dos filhos do sacerdote Ceva que tentaram usar o nome de Yesu para fazer exorcismo, mas não tiveram êxito. Certamente porque eles não tinham consagração e bom testemunho para enfrentar os demônios.

“Ora, também alguns dos exorcistas judeus, ambulantes, tentavam invocar o nome de Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, um dos principais sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: A Jesus conheço, e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? Então o homem, no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa” (Atos 19:13-16).

Muitas pessoas são curadas simplesmente pela grande fé que têm em Deus, e não por causa do falso nome do Messias que os pastores e pregadores invocam em vão.

Eu não tenho ideia de como Deus vai agir para julgar esses crentes ingênuos que seguem os ensinos desses falsos pregadores. Só sei que poucos se salvarão. Até mesmo o apóstolo Pedro disse que é difícil um justo se salvar. Imagine esses que seguem esses falsos pastores e acreditam no nome de um falso Cristo.

“E se o justo dificilmente se salva, onde comparecerá o ímpio pecador?” (I Pedro 4:18).

——————————
Miquels7
Manaus, 28 de dezembro de 2017.

28/12/2017 Posted by | CASOS POLEMICOS, CONSPIRAÇÃO, CRISTIANISMO EM CRISE, ESTUDOS BÍBLICOS, MENSAGENS ESPECIAIS, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, TEMAS DIFÍCEIS | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

LULA NÃO É COMUNISTA E O PT É PURO SOCIALISMO

*******
“Esse é o Cara! Eu adoro esse Cara!” – Barack Obama

“Lula não é comunista, não é marxista. No fundo, ele tem uma formação cristã muito forte” – Mino Carta

Lula nos braços do povo 2 xxx

*******
O que é COMUNISMO

Comunismo (do latim communis – comum, universal “coisa pública”, segundo Platão) é uma ideologia política e socioeconômica, que pretende promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária, sem classes sociais e apátrida, baseada na propriedade comum dos meios de produção.

O seu principal mentor filosófico, Karl Marx, postulou que o Comunismo seria a fase final do desenvolvimento da sociedade humana e que isso seria alcançado através de uma revolução proletária, isto é, uma revolução encabeçada pelos trabalhadores das cidades e do campo. O “Comunismo puro”, no sentido marxista, refere-se a uma sociedade sem classes (sociedade regulada), sem Estado (ácrata ou apátrida) e livre de quaisquer tipos de opressão, onde as decisões sobre o que produzir e quais as políticas devem prosseguir são tomadas democraticamente e permitindo dessa maneira que cada membro da sociedade organizada possa participar do processo, tanto na esfera política e econômica da vida pública e/ou privada. Marx, no entanto, nunca forneceu uma descrição detalhada de como o comunismo poderia funcionar como um sistema econômico (tal foi feito, por Lenine), mas subentende-se que uma economia comunista consistiria de propriedade comum dos meios de produção, culminando com a negação do conceito de propriedade privada do capital, que se refere aos meios de produção, na terminologia marxista. No uso moderno, o comunismo é muitas vezes usado para se referir ao bolchevismo, na Rússia. Como um movimento político, o sistema comunista teve governos, em regra, com uma preocupação de fundo para com o bem-estar do proletariado[5] , segundo o princípio “de cada um segundo as suas capacidades, a cada um segundo as suas necessidades”.

Como uma ideologia política, o comunismo é geralmente considerado como a etapa final do socialismo (acumulação de Capital), um grupo amplo de filosofias econômicas e políticas que recorrem a vários movimentos políticos e intelectuais com origens nos trabalhos de teóricos da Revolução Industrial e da Revolução Francesa. O comunismo pode-se dizer que é o contrário do capitalismo, oferecendo uma alternativa para os problemas da economia de mercado capitalista e do legado do imperialismo e do nacionalismo. Marx afirma que a única maneira de resolver esses problemas seria pela classe trabalhadora (proletariado), que, segundo Marx, são os principais produtores de riqueza na sociedade e são explorados pelos capitalistas de classe (burguesia), para substituir a burguesia, a fim de estabelecer uma sociedade livre, sem classes ou divisões raciais. As formas dominantes de comunismo, como o leninismo e o maoismo são baseadas no marxismo, embora cada uma dessas formas tenha modificado as ideias originais, mas versões não-marxistas do comunismo (como comunismo cristão e anarco-comunismo) também existem.

FONTE: Wikipédia

O que é CAPITALISMO

O capitalismo é um sistema econômico em que os meios de produção, distribuição, decisões sobre oferta, demanda, preço e investimentos são em grande parte ou totalmente de propriedade privada, com fins lucrativos. Os lucros são distribuídos para os proprietários que investem em empresas. Predomina o trabalho assalariado. É dominante no mundo ocidental desde o final do feudalismo.

Alguns definem o capitalismo como um sistema onde todos os meios de produção são de propriedade privada, outros o definem como um sistema onde apenas a “maioria” dos meios de produção está em mãos privadas, enquanto outro grupo se refere a esta última definição como uma economia mista com tendência para o capitalismo, que é onde o Brasil se encaixaria. A propriedade privada no capitalismo implica o direito de controlar a propriedade, incluindo a determinação de como ela é usada, quem a usa, seja para vender ou alugar, e o direito à renda gerada pela propriedade. O capitalismo também se refere ao processo de acumulação de capital.

Economistas costumam enfatizar o grau de que o governo não tem controle sobre os mercados (laissez faire) e sobre os direitos de propriedade. A maioria dos economistas políticos enfatizam a propriedade privada, as relações de poder, o trabalho assalariado e as classes econômicas. Há um certo consenso de que o capitalismo incentiva o crescimento econômico, enquanto aprofunda diferenças significativas de renda e riqueza.

FONTE: Wikipédia

O que é SOCIALISMO

Socialismo refere-se a qualquer uma das várias teorias de organização econômica, advogando a administração e a propriedade pública ou coletiva dos meios de produção e distribuição de bens, assim como uma sociedade caracterizada pela igualdade de oportunidades e meios para todos os indivíduos, com um método igualitário de compensação. Atualmente, teorias socialistas são partes de posições da esquerda política, relacionadas com as atuações de Estado de bem-estar social.

O socialismo moderno surgiu no final do século XVIII tendo origem na classe intelectual e nos movimentos políticos da classe trabalhadora que criticavam os efeitos da industrialização e da sociedade sobre a propriedade privada. Karl Marx afirmava que a luta de classes era responsável pela nossa realidade social, e que este conflito inevitavelmente resultaria no socialismo através de uma revolução do proletariado, tornando-se uma fase de transição do capitalismo para um novo modelo de sociedade que não é dividido em classes sociais hierárquicas, um modelo essencialmente comunista.

A maioria dos socialistas possuem a opinião de que o capitalismo concentra injustamente a riqueza e o poder nas mãos de um pequeno segmento da sociedade – denominado por Marx de Burguesia – que controla o capital e deriva a sua riqueza através da exploração, criando uma sociedade desigual, que não oferece oportunidades iguais para todos a fim de maximizar suas potencialidades.

Fonte: Wikipédia

*******
O sistema Comunista tem caráter ateísta, e o problema disso é que ele não tolera fanatismo religioso e corrupção da sociedade por costumes de outros povos. Assim também acontecia em Israel, com o sistema Teocrático e depois, durante os reinados dos Juízes e dos reis de Judá.

Se o povo brasileiro que se diz cristão acha perigoso o Comunismo por não permitir as práticas de cultos religiosos, porém, a Teocracia e o Fundamentalismo Religioso são tão perigosos quanto o Comunismo, pois ferem o direito dos praticantes de outras religiões, principalmente cultos afros, Islamismo, Budismo e Maometismo.

Conforme a Bíblia relata, o reino de Israel era Teocrático e possuía uma única religião: o Judaísmo. E a orientação de Deus era que o povo judeu jamais se misturasse com costumes de outros povos e nem praticasse os seus cultos.

Aqui no Brasil os evangélicos querem tomar o poder e implantar uma ditadura perecida com a da antiga nação de Israel, implantando um sistema Teocrático, fazendo prevalecer os preceitos bíblicos em detrimento da Constituição Federal, sufocando os direitos das minorias. E isso não pode acontecer, pois o nosso país é multicultural e tem uma Constituição que diz que o Estado é Laico, devendo haver espaço e tolerância com os costumes, religiões e crenças dos demais povos, sem haver o prevalecimento de nenhuma delas sobre as outras.

Os cristãos e evangélicos devem ficar cientes de que aqui no Brasil não é possível prevalecer os preceitos do Cristianismo sobre as demais religiões, mesmo a maioria da população sendo de fé cristã.

Se os evangélicos não querem aceitar o Estado Laico, conforme determina a nossa Constituição Federal, então, devem também desconsiderar os demais preceitos, e determinar que são desnecessários e nulos. Mas eles não podem fazer isso. Pois, tudo o que está na Constituição é válido, pois as leis nela contidas foram aprovadas pelo Congresso Nacional, cuja maioria dos congressistas era de formação cristã.

Não há como implantar uma ditadura religiosa aqui no Brasil. A Igreja Católica tentou fazer isso desde o Período Colonial, mas os evangélicos cresceram muito. Só que agora é a vez dos evangélicos quererem impor a prevalência do fundamentalismo religioso cristão. Mas não terão sucesso na Democracia.

*******
O BRASIL PERDEU A CHANCE DE SE TORNAR UMA POTÊNCIA MUNDIAL

Continue lendo

09/03/2016 Posted by | IGREJA E POLÍTICA, POLITICA | , , , , , , | 2 Comentários