CHUTANDO O PAU DA BARRACA DAS RELIGIÕES

Mensagens Para a Geração dos Últimos Dias

MINHA MAIOR PREOCUPAÇÃO – DEIXAR UM LEGADO EDUCATIVO PARA A POSTERIDADE

**********
A maioria das pessoas só vive para comer, beber e fazer filhos, e não deixam um legado para a posteridade, não servem de referência para nada.

Jesus Cristo anunciando o Reino

As coisas que escrevo não servem para esses crentes velhos que já estão com a mente cauterizada pela lavagem cerebral e fanatismo religioso. Eles mesmos sabendo que estão errados, nunca dão o braço a torcer, e morrem na própria ignorância. Teimar com essa gente é recalcitrar contra os aguilhões.

O que escrevo e ensino é direcionado para os jovens de mente aberta, gente que quer ser inteligente e esclarecida, que procura saber a verdade das coisas para não ser iludida por religiosos fanáticos.

Minha maior preocupação é deixar um legado para a posteridade, para que esses jovens que hoje leem o que escrevo não sejam iludidos e enganados pelos religiosos e por heresias inventadas por causa de interpretação errônea da Bíblia.

Os crentes se iludem com esse negócio de viver no céu. Que céu! Quem disse que “céu” é um lugar específico, localizado, um lugar paradisíaco?!

Céu, como um lugar de habitação de seres espirituais, não passa de ilusão inventada por fanáticos religiosos que fazem interpretação errônea da Bíblia! Quando Yesu Cristo retornar dos céus com seus anjos ele virá em corpo físico, de carne e osso, e seus anjos também virão em corpos físicos.

O “reino dos céus” que a Bíblia fala, não é um reino no céu. Chamem os maiores linguistas, os maiores PhDs em Língua Portuguesa e peçam que expliquem para vocês o que significa a expressão “reino dos céus”. Reino dos céus significa tão somente um “reino que veio do céu” para se instalar aqui na Terra. O reino de Cristo que o Pai lhe concedeu não está nos céus; o seu reino vem do céu para ser instalado aqui na Terra. Nos céus não existem nações onde Cristo possa reinar. Mas os crentes verdadeiros já vivenciam o reino de Cristo, porque ele está dentro de cada um dos justos, das pessoas pacíficas, daqueles que praticam a caridade e a partilha, que lutam pela igualdade social e justiça para todos. Aí o crente neófito, e até mesmo os que se dizem formados em teologia, não sabem fazer interpretação de texto, e se iludem com a expressão “reino dos céus”, achando que esse tal reino é no Céu ou é o próprio céu. Os tradutores da Bíblia sabiam o que estavam escrevendo ao traduzir os textos sagrados, mas eles morreram e não tem como perguntar a eles o que significa a expressão “reino dos céus”. Só resta perguntar aos que sabem verdadeiramente interpretar vocábulos e figuras de linguagem. Aprendi o suficiente sobre Língua Portuguesa para estudar e interpretar corretamente os textos sagrados. Por isso me atrevo a ensinar as verdades das Sagradas Escrituras.

“Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós” (Mateus 17:20-21).

O reino de Deus já está sendo vivenciado na vida e nos corações dos verdadeiros cristãos, daqueles que buscam a paz – e não os que buscam adquirir armas de fogo -; daqueles que lutam por justiça social e distribuição de renda; daqueles que amam o próximo, fazem caridade e acolhem os estrangeiros que vêm se refugiar no nosso país; daqueles que ajudam com mantimentos e alimentos os pobres e necessitados – e não esses que ficam só orando, pedindo para Deus visitar as casas dos pobres, os hospitais, asilos e presídios. Os falsos cristãos oram pedindo para Deus fazer aquilo que Ele ordenou que o crente fizesse.

Nenhum ser humano vai viver no céu. Céu não é um lugar específico. Céu é apenas um nome genérico para designar o espaço sideral acima das nuvens.

Os espíritos dos mortos justos estão aguardando o dia da ressurreição do último dia em algum lugar nesse Universo. A ressurreição existirá para que os santos e justos possam retornar à forma humana novamente, para habitarem neste mesmo planeta Terra.

Por favor, concorde comigo que isso é uma grande ilusão de crente fanático: “Acreditar que quando um crente morre ele vai direto para o “céu” prestar contas com Deus, conhecer Jesus e os patriarcas e cantar com os anjos, e depois esse mesmo crente que morreu terá que voltar para a Terra para ressuscitar e receber um corpo espiritual para voltar de novo para o céu”. Concorda que isso é uma grande maluquice desses crentes fanáticos?

A ressurreição vai acontecer para que os que morreram voltem a forma humana, de carne e osso, para viver novamente neste mundo, e não para voltar de novo ao céu.

Minha preocupação é ensinar o caminho certo para esses crentes que vivem iludidos com fantasias incutidas por fanáticos religiosos.

Se eu partir mais cedo que vocês, e depois de alguns anos constatarem que eu estava com a razão, vão sentir falta das minhas palavras. Podem crer. Geralmente as pessoas ignoram o que escrevo no meu blog, porque elas querem que eu escreva aquilo que elas querem ouvir. Mas um dia elas se lembrarão de mim e vão voltar no meu blog para aprender o que deviam ter aprendido há muito tempo.

**********
O REINO DOS CÉUS NÃO É NO CÉU. O REINO DOS CÉUS SERÁ ESTABELECIDO AQUI MESMO NA TERRA. POR ISSO YESU CRISTO ENSINOU NA ORAÇÃO DO PAI-NOSSO: “VENHA O TEU REINO”.

“Também vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus” (Mateus 8:11).

Esse “reino dos céus” que Yesu Cristo se refere em Mateus 8:11 não está localizado nos céus, e nem é o próprio “céu”. Reino dos céus quer dizer o reino de Cristo que virá dos céus para ser implantado aqui na Terra durante mil anos. E depois da purificação do planeta Terra, este mesmo reino será estabelecido eternamente.

Os crentes se iludem com essa história de ir morar no “céu”. E céu não é um lugar específico, paradisíaco. Céu é um nome genético usado na Bíblia para designar o espaço sideral acima das nuvens. Deus, Yesu Cristo e os anjos são seres superaperfeiçoados e santos. Mas eles não são seres espirituais; são seres físicos, possuem corpos, embora possam se camuflar para que não possam ser vistos a olho nu.

Os crentes imaginam que quando um cristão salvo morre, ele vai direto para o céu se encontrar com Deus, abraçar Yesu Cristo e ver Abraão, Isaque e Jacó. Dizem também que os crentes arrebatados não voltarão mais para habitar nesse velho planeta no reino milenar do Messias, e ficarão para sempre cantando com os anjos no céu, ou se embalando numa rede na mansão que Cristo foi preparar para cada um deles. E quem ficará habitando neste velho planeta durante o milênio serão os judeus e povos de outros países que escaparem da morte na Grande Tribulação. A Igreja triunfante estará reinando com Cristo no céu, e os judeus estarão comandando as nações aqui na Terra. É mais ou menos assim a loucura ensinada por esses crentes protestantes.

Porém, o próprio Senhor Yesu Cristo garantiu que Abraão, Isaque e Jacó estarão governando as nações no seu reino aqui na Terra, após a Grande Tribulação. Então, como esses crentes malucos pensam que vão estar ao lado de Abraão, Isaque e Jacó nos céus?

Na ceia da última Páscoa que Yesu Cristo celebrou com seus discípulos, ele se despediu e disse que não mais beberia do fruto da videira até aquele dia em que de novo o bebesse no reino de seu Pai juntamente com os seus discípulos. O problema é que, quando os crentes leem esta declaração de Yesu, eles imaginam que Cristo está se referindo a um reino no céu. Enquanto que ele está se referindo ao reino que seu Pai lhe concedeu aqui mesmo na Terra. Em Apocalipse 21 se diz que Deus estenderá o seu tabernáculo sobre os homens aqui na Terra e com eles habitará. Ou seja, não são os crentes que irão habitar nos céus; é Deus que virá habitar junto com os seres humanos aperfeiçoados aqui na Terra. Yesu Cristo não prometeu levar nenhum dos escolhidos seus para os céus; antes, prometeu levá-los para habitar junto com ele no seu reino, mas aqui mesmo na Terra. É isso que ele quis dizer em João 14: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; vou preparar-vos lugar; viverei outra vez e vos levarei para mim mesmo para que onde eu esteja, estejais vós também”. Nessa passagem de João 14 Yesu Cristo está falando do reino que seu Pai lhe concedeu. Essa passagem da Bíblia causa confusão porque a mensagem foi mal interpretada pelos que a ouviram, ou então, o autor do Evangelho de João não coletou informações corretas sobre o que Yesu Cristo disse em João 14. Tenho plena certeza que o autor do Evangelho de João não foi o discípulo de nome João, irmão de Tiago, filhos de Zebedeu. Tudo indica que a narrativa foi feita por uma pessoa que não presenciou os fatos. Se fosse João o autor, logo, ele teria sido mais preciso na narrativa, porque havia sido testemunha ocular dos fatos. A frase “na casa de meu Pai há muitas moradas” quer dizer “no reino que meu Pai me concedeu haverá muitas moradas”. Em Apocalipse 14 os 144 mil aparecem junto ao Cordeiro no Monte Sião. Ora, esse Monte Sião não se localiza nos céus. Monte Sião é o nome da velha cidade de Jerusalém em Israel. É lá que Cristo estará reinando com os 144 mil, e todos aqueles que ressuscitarem na primeira ressurreição. Abraão, Isaque e Jacó irão ressuscitar de carne e osso, para habitar novamente neste planeta Terra e governar as nações juntamente com Cristo.

“Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba de novo, no reino de meu Pai” (Mateus 26:29).

Preste atenção: O reino é de Deus, o Pai, mas seu regente é Cristo. E este reino será estabelecido aqui na Terra, e não nos céus.

“Ao que lhe disse Jesus: Em verdade vos digo a vós que me seguistes, que na regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, sentar-vos-eis também vós sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel” (Mateus 19:28).

“Mas vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas provações; e assim como meu Pai me conferiu domínio, eu vo-lo confiro a vós; para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos senteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel” (Mateus 22:28-30).

Por tudo que é mais sagrado, vocês, pastores e teólogos protestantes: Parem de ensinar heresias; ensinem a verdade como eu faço. Nesta passagem de Mateus 22 Yesu Cristo deixa claro que o seu reino é aqui na Terra e não nos céus. Os salvos vão cear com Cristo no seu reino aqui na Terra e não nos céus.

“E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apoc. 21:3-4).

*****

25/03/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, ESCATOLOGIA BÍBLICA, ESTUDOS BÍBLICOS, FANATISMO RELIGIOSO, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, TEOLOGIA | , , , , , , | Deixe um comentário

OS SETE PERÍODOS DA HUMANIDADE E O 666

Oficial – Os Sete Períodos da Humanidade e o 666 (Elaborado por Miquels7)

(ATUALIZADO E CONCLUÍDO)

Os Algarismos Romanos são a forma mais fácil de se entender os períodos da Humanidade e o significado do Nº 666.

João, o que escreveu o livro de Apocalipse, baseou-se nos Sete Algarismos Romanos para escrever as profecias, relatar as trombetas, as taças da ira de Deus, e relacionar os governos humanos, impérios mundiais, e por fim, o período do Reino Milenar.

São Sete (7) os Algarismos Romanos: I (1), V (5), X (10), L (50), C (100), D (500) e M (1000).

A soma dos 6 primeiros algarismos dá 666 (I+V+X+L+C+D = 1+5+10+50+100+500 = 666).

O número 666 representa o período do Governo Humano, isto é, o Governo da Besta.

O sétimo algarismo (M), cujo valor é 1000, representa o Governo de Jesus Cristo, que durará mil anos.

Sete-7 (Sábado) é o Dia do Senhor, o Dia do Descanso, que durará um milênio.

Os 6 primeiros Selos abrangem o período desde a queda do homem no Jardim do Éden até o término da Dispensação da Graça. No período do 7º Selo são tocadas 7 trombetas. Entre a 6ª e a 7ª trombetas há um intervalo de 7 tempos menores, período que equivale ao derramamento das 7 Taças. Quando é tocada a 7ª Trombeta, o tempo está cumprido e se inicia o Reino Milenar.

Blog - Calendário da Profecia - Oficial (Miquels7)

EXPLICAÇÕES:

O bom estudioso da Escatologia Bíblia deve ater-se ao seguinte detalhe:

Existem duas linhas de tempos proféticos: o tempo de paz e de provação para o povo escolhido de Deus, o povo judeu; e o tempo de paz e provação para o mundo ou habitantes da Terra.

O tempo de paz e repouso para o povo judeu é de 7 anos, 70 anos e 490 anos. Ou seja, esses tempos são múltiplos de 7 com 7 (7, 7×7=49 e 7×70=490).

O tempo de provação do povo judeu e o mundo é de 6 anos, 42 anos e 420 anos. Ou seja, esses tempos são múltiplos de 6 com 7 (6, 6×7=42 e 6×70 = 420 anos).

Sendo assim, existem dois calendários proféticos, que correm um ao lado do outro: um com datas relativas ao povo judeu, e outro, com datas relativas ao mundo ou planeta Terra.

O difícil é harmonizar as datas desses dois calendários proféticos, de tal forma que elas não entrem em conflito.

————————————————————————-
Sou apenas eu que faço esses cálculos, porque minha escatologia é diferente da teologia tradicional. Outros estudiosos da Bíblia e escatologistas não dão valor para os meus estudos porque eles estão presos ou apegados à velha forma de estudar as profecias. Eu sozinho não consigo encaixar direito as datas, de forma a ser mais preciso nos cálculos. Se os escatologistas tradicionais deixarem a velha forma de ver as profecias, garanto que aqui comigo eles verão coisas espantosas que estão retratadas na Bíblia.
————————————————————————-

É preciso um estudo minucioso sobre as datas relacionadas
aos múltiplos de 6 com 7. 

Continue lendo

29/07/2015 Posted by | ESCATOLOGIA BÍBLICA, TEMAS DIFÍCEIS | , , , | 3 Comentários

CRÍTICA SOBRE O QUE OS EVANGÉLICOS PENSAM, ASPIRAM E DEFENDEM

O REINO MESSIÂNICO NA TERRA SERÁ DITATORIAL

Aos evangélicos e cristãos que são contra o Comunismo ou Socialismo, mas são ávidos defensores da Democracia, tenho a dizer que a Bíblia prega o contrário do que vocês defendem.

Vocês, evangélicos, defendem muito a Democracia, e são contra o Comunismo, mas não sabem discernir o que a Bíblia fala a respeito do reino do Messias aqui na Terra.

Então, por que vocês não são contra o Reino Milenar do Messias, que será uma ditadura durante mil anos?

As seguintes referências bíblicas mostram que o reino do Messias será uma baita ditadura durante mil anos: Apocalipse 2:26-27; 12:5; 19:15.

“Ao que vencer, e ao que guardar as minhas obras até o fim, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com vara de ferro as regerá, quebrando-as do modo como são quebrados os vasos do oleiro, assim como eu recebi autoridade de meu Pai” (Apoc. 2:26-27).

“Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso” (Apoc. 19:15).

A expressão “Reger as nações com vara de ferro”, significa que o governo será ditatorial, sem democracia, com exigência de total submissão dos povos ao ditames do Rei de Israel, o Messias. Quem não acatar, e for se rebelar, será sumariamente destruído.

Em Zacarias cap. 14 está escancarado que o reino do Messias será ditatorial, pois não aceitará nenhum descontentamento, nenhuma revolta.

“Esta será a praga com que o Senhor ferirá todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: apodrecer-se-á a sua carne, estando eles de pé, e se lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua se lhes apodrecerá na boca” (Zac. 14:12).

Essa profecia é tão terrível, porque revela até possível uso de armas químicas, como a bomba atômica, para destruir os inimigos de Israel. A parte do texto que diz “apodrecer-se-á a sua carne, estando eles de pé”, está sugerindo destruição por armas químicas. Será que o Messias será tão complacente com os revoltosos, a ponto de destrui-los sumariamente com armas químicas???

Imagina quantos inocentes morrerão com mortes terríveis, pois não serão as criancinhas que se revoltarão contra os ditames do reino do Messias, mas seus pais. E quase ninguém será poupado.

O conceito ou senso de justiça que os evangélicos tem hoje, não é o mesmo senso de justiça que será adotado pelo Rei Messias. Então, não adianta tomar a Bíblia como modelo de justiça.

“Então todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorarem o Rei, o Senhor dos exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos. E se alguma das famílias da terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o Senhor dos exércitos, não cairá sobre ela a chuva. E, se a família do Egito não subir, nem vier, não virá sobre ela a chuva; virá a praga com que o Senhor ferirá as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos. Esse será o castigo do Egito, e o castigo de todas as nações que não subirem a celebrar a festa dos tabernáculos” (Zac. 14:16-19).

No reino do Messias não haverá democracia e o sol e a chuva não será para todos, como é hoje. E os revoltosos padecerão com terríveis pragas.

Esses revoltosos que restarem serão obrigados a adorar o Rei Messias. E isso acontecerá durante mil anos. Muitas ditaduras na Terra não chegam a durar 100 anos.

Esta será a bela Democracia do reino do Messias durante mil anos? Será que os crentes pensam que poderão fazer no reino do Messias o mesmo que eles fazem hoje na democracia aqui na Terra???

Possivelmente, no reino milenar do Rei Messias de Israel e dos cristãos haverá mais mortes do que em todos os reinos comunistas que já houveram aqui na Terra, como Rússia, China, Coréia do Norte e Irã. O reino do Messias abrangerá toda a Terra, todos os países do mundo, durante 1.000 anos. E o texto fala que TODOS OS QUE RESTAREM DE TODAS AS NAÇÕES DA TERRA serão obrigados a adorar o Rei Messias. Significa que os demais serão dizimados.

Se no reino milenar do Messias já será assim, sem Democracia, com completa submissão de todos os povos ao Rei Messias e os judeus, imagina como não será no Céu?!

Quero saber onde os sabichões vão achar argumento para justificar que o reino milenar do Messias não será ditatorial.

O reino do Messias pode até ser próspero, sem males e doenças, mas que será um reino ditatorial, isso não tem dúvida. O Messias será justo, e no seu reino não haverá corrupção. Porém, não será nada complacente com a liberdade das pessoas, e subjugará a todos, indistintamente.

Por essas e outras revelações da Bíblia, sou a favor do Comunismo ou Socialismo.

Democracia é coisa do Diabo, que surgiu de uma das sete cabeças da Besta, ou do Dragão, Lúcifer, que foi o reino da Grécia, e que a Segunda Besta, os EUA juntamente com o chifre menor, a Grã-Bretanha, espalha por todos os países do mundo.

Engana-se quem pensa que é o Governo da Besta (ou do tal Anti-Cristo) que será ditatorial em toda a Terra. Embora no capítulo 13 de Apocalipse indique que o Governo da Besta será ditatorial, mas na verdade, está claro que será a Democracia, o capitalismo e o humanismo que levará a grande maioria dos povos da Terra a abandonar a crença em Deus e seguir o seu próprio caminho. É algo tão sutil isso que está acontecendo, que as pessoas nem desconfiam. A Marca da Besta é o dinheiro, e todos estão sendo dependentes do sistema bancário em todo o mundo, e dependentes da internet. No reino da Besta (Anti-cristo) serão mortos os religiosos, e as religiões serão suprimidas até serem extintas. A adoração se constituirá na exaltação ao humanismo e a democracia, que é a forma de Governo Humano ou Governo da Besta. Só que o Dragão deu o seu poder a Besta. Portanto, humanismo, democracia e adoração ao Dragão, são a mesma coisa. Tudo é voltado para o capeta. A Serpente fez acordo com os líderes humanos. E eles morrerão abraçados, juntamente com todos os que os seguirem.

Atualmente as pessoas [até mesmo os crentes] que estão melhorando de vida, e que estão adquirindo mais conhecimento, vão aos poucos abandonando a crença em Deus, achando a Bíblia um livro ultrapassado, sem valor. Estão dando mais valor ao humanismo, e relegando os preceitos bíblicos a segundo plano. Na Europa e nos EUA, as pessoas de padrão de vida mais elevado e que tem mais estudos, geralmente se tornam ateus, pois acham que não precisam mais de Deus para suprir suas necessidades e resolver os seus problemas.

O Governo Messiânico, sim, é que será ditatorial. E serão mortos não somente aqueles que forem lutar contra o governo do Messias, mas também até aqueles que se recusarem a visitar o Rei pelo menos uma vez por ano e depositar riquezas aos pés dos judeus. Se se recusarem a obedecer a ordem do Rei, serão atingidos por terríveis pragas, além de não receberem chuva para as suas plantações. Serão cobrados altos impostos de todos os países da Terra durante o reino milenar. E o Messias não estará nem aí pra esse negócio de humanismo, direitos humanos e democracia. No reino do Messias serão mortos todos aqueles que se recusarem a adorar o Deus do Céu e seu Messias.

E agora, o que os evangélicos tem a dizer sobre o seu Messias?

Será que o Messias que eles esperam não é este mesmo prometido na Bíblia?

O Messias dos evangélicos e cristãos de hoje é complacente com a teologia da prosperidade, tolera as diferenças e gostos das pessoas, aceita a democracia, acata os direitos humanos e preza o humanismo; é a favor da causa dos homossexuais e das prostitutas; não tolera o comunismo e regimes ditatoriais. É nisso que vocês acreditam???

Admira-me muito desses pastores de araque defender a democracia e os direitos humanos, mas não dizer nada contra o reino messiânico ditatorial que se instalará aqui na Terra durante mil anos.

Os crentes gostam de ler aquelas passagem do Apocalipse onde Jesus promete aos salvos vencedores julgar (governar) as nações ao seu lado durante o reino milenar.

Bando de hipócritas!!!!

Hoje esses crentes hipócritas, que acham que serão salvos e que vão reinar com Cristo, defendem a democracia, falam mal dos comunistas que não respeitam os direitos humanos. Mas quando estiverem no reino, governando as nações ao lado de Cristo com vara de ferro, aí eles não estarão nem aí para democracia e direitos humanos. Hipócritas!

No texto bíblico está claro que no reino milenar do Messias haverá milhões de mortos por se recusarem a acatar os ditames vindo de Israel. Os árabes, os muçulmanos, os chineses, os ateus, os homossexuais, e todos os que se revoltarem contra Israel e seu Messias serão dizimados, sem nenhuma complacência. E advinha quem estará sendo conivente com tudo isso??? Os vencedores, os crentes que serão salvos e se assentarão ao lado do Messias para massacrar as nações.

E o crente não pode se esquivar agora, dizendo que no reino do Messias será outra realidade, e que os humanos de lá não terão valor como os de hoje tem.  Ou que os governantes do reino milenar serão insensíveis, e não terão sentimento nem respeito pelas pessoas que não quiserem adorar o Messias e acatar as suas ordens. Só posso garantir que a morte de um ser humano de forma cruel durante o reino milenar do Messias, por não acatar as ordens, terá o mesmo efeito de uma morte cruel realizada em nossos dias.

Tão quanto os regimes comunistas, a Igreja, em nome de Deus e da religião, dizimou milhares de seres humanos sem complacência, na fogueira, na forca, na guilhotina. Será que no reino milenar os salvos que estarão governando o mundo ao lado de Cristo vão aceitar o massacre das nações? Será que terão os mesmos sentimentos de repulsa e pavor pela violação dos direitos humanos, ou vão ficar insensíveis ao direito de liberdade das pessoas?

Se acham que ficarão inertes, apenas acatando a ordem do Messias, então esses crentes [QUE ACHAM QUE SERÃO SALVOS] que hoje defendem a democracia, a liberdade, os direitos humanos, e são contra os regimes ditatoriais, NÃO PASSAM DE UM BANDO DE HIPÓCRITAS! Pois tudo o que eles são contra, hoje, no reino do Messias eles praticarão, ou no mínimo, serão coniventes.

Ou então, deixe de hipocrisia, e admita que o reino do Messias será ditatorial. E pare de falar mal do comunismo e dos partidos de esquerda.

Update (Acréscimo)

Se você pesquisar na internet artigos e comentários sobre o Reino Milenar do Messias (ou Reino Milenial), verá que só falam do lado bom do reino, do período de paz e prosperidade na Terra. E não falam nada a respeito do outro lado do governo de Cristo, que será ditatorial, que não haverá democracia, e que regiões de vários países serão devastadas com a seca e as pragas. Durante o Reino Milenar não será toda a Terra um paraíso; apenas a região de Israel e adjacência será como um paraíso, e ao redor da cidade de Jerusalém será construída uma grande muralha, para que os cães não possam entrar. “Cães” refere-se aos cananeus, muçulmanos e demais gentios. As autoridades de todos os países da Terra terão que prestar culto obrigatório ao Deus de Israel e ao Messias pelo menos uma vez por ano, e depositar tributos aos pés dos judeus. E quem se recusar, sofrerá severas punições, incluindo-se até privação da própria subsistência dos habitantes desses países. Na cidade não entrará nada que contamine, e nas 12 portas haverá guarnições dia e noite. Quem estiver fora da cidade e também os moradores dos demais países poderão padecer privações, fome, sede e morte.

“Toda a terra [DE ISRAEL] em redor se tornará em planície, desde Geba até Rimom, ao sul de Jerusalém; ela será exaltada, e habitará no seu lugar, desde a porta de Benjamim até o lugar da primeira porta, até a porta da esquina, e desde a torre de Hananel até os lagares do rei. E habitarão nela, e não haverá mais maldição; mas Jerusalém habitará em segurança” (Zacarias 14:10-11).

A expressão “toda a terra”, está se referindo apenas à região de Israel e adjacências, e não a todo o planeta Terra.

Repito: no Reino Milenar, só se tornará um paraíso a região de Israel. E a cidade de Jerusalém será murada e fortificada.

“As suas portas [DA JERUSALÉM TERRESTRE] não se fecharão de dia, e noite ali não haverá; e a ela trarão a glória e a honra das nações [TRIBUTOS]. E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (Apoc. 21:25-27).

“Ficarão de fora [da cidade de Jerusalém fortificada] os cães [ou cananeus, gentios, muçulmanos], os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira” (Apoc. 22:15).

Estes trechos de Apocalipse referem-se ao período do Reino Milenar.

Para que se entenda melhor que parte da Terra se tornará um paraíso, é preciso ler cuidadosamente os capítulos 40 a 48 de Ezequiel, e também, os capítulos 60 a 66 de Isaías. Veja trechos de Ezequiel, que foram repetidos no Apocalipse:

“E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário [ou do Trono de Deus e do Cordeiro]. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio” (Ezequiel 47:12).

Agora, confira com Apocalipse 22:1-2:

“E mostrou-me o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, e de ambos os lados do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a cura das nações”.

Agora, compare Isaías com Apocalipse:

“Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão. Mas alegrai-vos e regozijai-vos perpetuamente no que eu crio; porque crio para Jerusalém motivo de exultação e para o seu povo motivo de gozo. E exultarei em Jerusalém, e folgarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor” (Isaías 65:17-19).

“E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe” (Apocalipse 21:1).

Se analisarmos direito, essa expressão “novo céu e nova terra”, não se refere a todo o planeta Terra, mas apenas à região de Israel, ou as adjacências da cidade de Jerusalém. Veja que o texto diz que o novo céu e a nova serão motivos de regozijo apenas para os habitantes de Jerusalém, e não para os demais habitantes do planeta Terra. Tanto é que, nos capítulos 65 e 66 de Isaías fala a respeito da rejeição final dos rebeldes.

Ora, se durante o Reino Milenar, toda a Terra fosse um paraíso, de fartura, paz e prosperidade, é claro que não haveria rebeldes.

Quase todos os teólogos admitem que as profecias do cap. 21 e 22 de Apocalipse referem-se ao tempo pós-milenial, quando Deus destruir tudo aqui na Terra e depois recriar novos céus e nova Terra totalmente diferentes. A coisa é tão absurda que eles chegam a imaginar que os novos céus e a nova Terra não serão formados de coisas físicas, mas de elementos espirituais. E que a cidade dourada, a Nova Jerusalém, descerá dos céus e ficará pairando entre a terra e o céu, iluminando 24 horas por dia todo o paraíso criado para os santos. Chegam a imaginar, também, que não existirá mais o Sol físico e a Lua, pois, “a cidade não necessita nem do sol, nem da lua, para que nela resplandeçam, porém a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada”. Só que a imaginação de que tudo isso será algo real, literal, é pura fantasia. Por que eu sei disso?

Primeiro, porque se a Cidade Nova Jerusalém descer dos céus somente após o reino milenar, e se ela for literal, mas espiritual, para que ela precisará ter uma grande muralha de proteção, e ainda ficarem um querubim em cada porta para não deixar entrar nada que contamine, se todas as coisas estarão restauradas, e os ímpios e o mal já não existirão mais???

Segundo, porque se todas as coisas forem restauradas, e o mal, o pecado e a morte e todos os ímpios forem exterminados, por que na profecia diz que haverá nações habitando a Terra e que elas darão glória e tributos à Cidade de Jerusalém??? E por que também se diz que as folhas da árvore da vida servirão de cura ou de remédio para as nações, já que as doenças e a morte já não existirão mais???

Portanto, as narrativas dos cap. 21 e 22 de Apocalipse foram escritas numa linguagem tão enigmática e poética, a tal ponto de levar milhões de cristãos a imaginarem coisas fantasiosas. Basta ler os cap. 40 a 48 de Ezequiel, e os cap. 60 a 66 de Isaías para se ter a verdadeira noção de como serão as coisas futuras aqui na Terra. Lembrando, os cap. 21 e 22 de Apocalipse são um resumo enigmático e poético das profecias de Isaías e Ezequiel.

Concluindo, volto a reiterar que, a noiva do Cordeiro são os 144 mil israelitas selados, salvos e arrebatados antes da grande tribulação. Na verdade, a cidade de Nova Jerusalém que desce do céu, referida em Apocalipse 21, não é uma cidade literal. A Nova Jerusalém que desce do Céu quer dizer a comitiva dos 144 mil, também denominados de a Noiva do Cordeiro. As dimensões da cidade (12×12=144), 12 portas, 12 fundamentos, fazem referência aos 144 mil israelitas santos e aperfeiçoados, que governarão o mundo ao lado do Messias. Creio que outros salvos, dos gentios, que vencerem, também terão o privilégio de estar ao lado do Messias para governar as nações com vara de ferro. Eles governarão o mundo com Cristo a partir da Jerusalém terrestre, que será fortificada e murada.

********************
AINDA PRETENDO FAZER UM ESTUDO COMPLETO SOBRE COMO SERÁ AS RELAÇÕES POLÍTICAS DO REINO DO MESSIAS COM AS NAÇÕES DA TERRA, DURANTE MIL ANOS.
Falou e disse Miquels7

24/06/2013 Posted by | ESCATOLOGIA BÍBLICA, ESTUDOS BÍBLICOS, ISRAEL E AS PROFECIAS | , , , | 2 Comentários