MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

UM ESTUDO PRÉVIO ACERCA DO NÚMERO SETE 7

**********
UM ESTUDO PRÉVIO ACERCA DO NÚMERO SETE, QUE PROVA DEFINITIVAMENTE A EXISTÊNCIA DE DEUS

(POSTAGEM CORRIGIDA EM 16/07/2008) 

O NÚMERO 7, INSCRITO NA BÍBLIA E EM ELEMENTOS DA NATUREZA,
É A PROVA INEQUÍVOCA DA EXISTÊNCIA DE DEUS.

(SÓ LEMBRANDO AOS LEITORES, A MINHA CRENÇA EXPOSTA NESTE TEXTO AINDA ESTAVA IMPREGNADA DA VELHA TEOLOGIA TRADICIONAL ENLATADA. VOCÊS PODEM NOTAR NOS TEXTOS DE 2010 PARA CÁ QUE MUDEI COMPLETAMENTE O MEU MODO DE VER AS COISAS, MUDEI MEU MODO DE INTERPRETAR A BÍBLIA, AS DOUTRINAS E AS PROFECIAS).
**********

Continue lendo

Anúncios

11/03/2008 Posted by | ESTUDOS DIVERSOS, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, numerologia | , , , , | Deixe um comentário

O MAIOR ENGANO DOS QUE ESPERAM O ARREBATAMENTO

**********
INTRODUÇÃO

Antes de entrar no assunto referente ao título desta postagem, quero tecer alguns comentários preliminares, relembrando de muitas coisas chocantes que já escrevi no meu blog, mas que muitos ainda não leram.

A primeira curiosidade que alguém pode ter sobre mim é saber que tipo de deus eu acredito, que deus eu adoro. E se for explicar em poucas palavras, a reação e repulsa é imediata e tremenda. Concluem logo que sou um lunático, um herege, um desviado, e por aí vai. Isso acontece porque a minha crença na existência de Deus é diferente da crença de 99% dos crentes.

Desde já advirto: Não se ocupe e nem se preocupe em citar versículos da Bíblia para mim, porque conheço todos e sei razoavelmente interpretá-los. Conheço a Bíblia muito mais e melhor que muitos teólogos e doutores em Teologia. E não venha me dizer que o fato de somente conhecer a Bíblia e não ter o Espírito Santo de Deus na vida para compreendê-la, não adianta nada, porque isso é falácia de crente tolo. Esses crentes que dizem ter o Espírito de Deus na vida querem ter exclusividade para interpretar a Bíblia, mas não sabem de nada ou sabem o mesmo que sabem aqueles que não têm o Espírito. Esses que dizem ter o Espírito Santo na vida jamais descobriram os mistérios da Bíblia. E cada teólogo ou doutor de segmento ou denominação religiosa cristã tem seus argumentos próprios sobre a Bíblia e as doutrinas. Cada um tem suas interpretações ditas “inspiradas” e inventa suas doutrinas, crendices e dogmas. Nenhum desses ditos “detentores da verdade” sabe a verdade verdadeira, mesmo dizendo que tem o Espírito Santo na vida. Esses doutores em Teologia das igrejas (seitas) ditas verdadeiras, como assembleianos, batistas, adventistas do sétimo dia, etc, podem escrever dezenas de livros, podem tecer seus argumentos “biblicamente”, mas nenhum deles consegue provar a existência de Deus com seus argumentos “inspirados” pelo Espírito Santo; nenhum deles pode garantir que o que escreveu é uma verdade verdadeira, e que deve ser considerado inspirado, já que dizem que têm o Espírito de Deus na vida. Pois, antes de escrever eles jejuam, eles oram pedindo a direção e orientação do Espírito de Deus. E mesmo assim, tudo o que escrevem pode não ser verdade, pode não servir para nada.

Para mim, o melhor argumento bíblico é aquele respaldado pela razão e não pela fé. E este é o meu foco quando escrevo. Essa crença de que Deus revela a verdade bíblica a quem ora, jejua e se consagra é pura fantasia. Se fosse assim, o mundo não estaria cheio de seitas, cada uma pregando suas heresias e dizendo que é a única verdadeira.

Sou uma pessoa plena em consciência. Sou mortal, mas não um mero mortal. Não penso como pensa 99% dos crentes. Faço uso de 100% da minha racionalidade. E questionar as crenças dos religiosos fanáticos é uma tarefa árdua, pois o que ensino vai contra a maioria de suas crendices. Por isso, tenho que bolar argumentos convincentes. Se não o fizer, serei mais um considerado herege e, portanto, passivo de punição ou de morte na fogueira.

Vivemos em pleno século XXI, na era da informação, no auge do conhecimento humano e científico. E mesmo assim ainda temos que lutar contra crendices religiosas que vêm sendo repassadas há milênios através de interpretação infantil ou deturpada da Bíblia.

Minha missão é desdizer e explicar de forma diferente tudo o que foi dito e ensinado sobre a Bíblia, Deus, Yesu Cristo, os anjos, as profecias, e sobre os acontecimentos do fim dos tempos. Mas tudo de forma racional, sem apelar para a fé cega ou sentimentalismo religioso.

E quem sou eu para fazer isso?

Essa mesma pergunta Moisés fez para Deus, quando este o mandou ir ter com faraó para pedir que deixasse o seu povo sair livre do Egito.

Quem sou eu? Eu sou o cara, aquele doido que fica ensinando coisas ao contrário. Só isso.

AJUDANDO OS SERES RACIONAIS A RACIOCINAR

Será que sou eu que “viajo” nas minhas imaginações do ponto de vista racional ou são os crentes que “viajam” com suas crendices malucas?

Se meus argumentos são baseados na razão e na lucidez de um ser humano racional, sou eu que viajo?

Ora, ora, ora! E as crenças loucas que os crentes fanáticos alimentam não são “viagem”? E o crente imaginar que vai ser arrebatado para ir morar num “céu” fictício, passando toda a eternidade vestido com uma roupa branca talar (da cabeça aos pés), só cantando? Há “viagem” maior do que esta?

Essas crendices absurdas dos cristãos aconteceu devido a alguns ensinamentos equivocados de Paulo sobre o céu, o arrebatamento e a Nova Jerusalém, e também devido a interpretação literal do livro de Apocalipse. Também ocorreu por causa de interpretação infantil do capítulo 14 do Evangelho de João. O Apocalipse é um livro esotérico, e só deve ser interpretado por estudiosos do esoterismo e por teólogos que têm vasto conhecimento, além dessa teologia fraca ensinada nos seminários cristãos. O Apocalipse não pode ser interpretado de forma literal. E crente leigo não deve ler o Apocalipse tentando compreender alguma coisa, porque não vai entender nada. Só vai criar fantasias na mente. Quando o Apocalipse foi escrito somente os líderes religiosos podiam ler e interpretá-lo. Os crentes deviam apenas ouvir a leitura e a interpretação do Apocalipse feita por um religioso letrado e capacitado para ensinar.

Preste atenção. Responda a si mesmo se você é um ser racional, consciente e que está com suas faculdades normais.

Agora, responda usando a sua capacidade de raciocínio lógico:

1) Quem você acha que virá dos céus para arrebatar humanos salvos? Seres “espirituais” ou seres extraterrenos, assim como eu e você?

2) Como você garante que tudo o que existe nos céus são seres “espirituais”?

3) Que provas você pode apresentar para provar que o céu azul, acima das nuvens, é um lugar espiritual onde Deus e os anjos habitam?

Se você responder que são seres “espirituais” que virão arrebatar humanos, então, eu lhe garanto que isso não passa de viagem da sua imaginação.

Se Yesu Cristo prometeu voltar assim como ele subiu aos céus (de carne, osso e sangue), e se no Apocalipse está escrito que ele descerá dos céus com seus anjos e todos irão contemplar, como você pode afirmar que seres “espirituais” virão do céu para arrebatar seres humanos e depois governar a Terra?

Meus caros, o que existe acima nos céus são coisas físicas, seres vivos de carne e osso iguais a mim e você.

Nunca ouviram falar dos astrônomos que vasculham os céus com seus poderosos telescópios verificando o que existe nas galáxias, nas constelações e nos infinitos sistemas solares? Será que os vídeos, as imagens e as fotos que os poderosos telescópios tiram são de um mundo “espiritual”? Como máquinas humanas, feitas de matéria, pode ver, filmar e fotografar coisas espirituais?

E se alguém disser que o “céu” onde Deus e os anjos habitam não é esse céu físico, mas um céu fictício existente em outra dimensão do Universo, então eu lhe garanto que isso que é uma verdadeira viagem na maionese.

Se o “céu” onde Deus e os anjos habitam está além desse Universo físico, fora da realidade deste mundo físico, então por que os crentes apontam para cima, dizendo que Cristo virá de cima? Se Cristo virá de cima, é porque ele virá do espaço sideral, virá das estrelas. E tudo o que existe acima das nuvens, no espaço sideral, são corpos físicos formados da mesma matéria que existe no planeta Terra. E se existem seres vivos em outros planetas e sistemas solares em outras constelações ou galáxias, esses seres vivos são feitos de matéria, e possuem corpos físicos.

**********
O CONHECIMENTO OBTIDO PELA FÉ E O CONHECIMENTO OBTIDO PELA RAZÃO OU RACIONALIDADE SÃO INCOMPATÍVEIS.

Os que adquirem conhecimento através da fé ou crença religiosa não fazem uso da razão e da racionalidade. Por isso, fé e razão são incompatíveis.

Conforme o conhecimento da humanidade vai evoluindo, a tendência é que todas as crenças em divindades desapareçam ou sejam suprimidas (proibidas). Porque é incompatível o conhecimento obtido pela fé com aquele obtido através da razão ou da racionalidade.

Não há como a humanidade evoluída culturalmente continuar admitindo crenças absurdas em entes que não se podem comprovar. Como seres racionais que somos não podemos viver acreditando e vivendo em função de coisas improváveis, alimentando crenças em coisas e entes que transcendem a nossa realidade existencial, ou a razão de ser das coisas, ou o próprio conhecimento científico.

Ou seja, é um grande disparate o ser humano acreditar que é um ser racional e ao mesmo tempo admitir ou acreditar em coisas ou entes produtos de crenças ou de fantasias da mente. E o pior de tudo é a pessoa viver em função de tais crenças absurdas.

Por essa razão eu me esforço para mostrar e provar que a Bíblia é um livro verdadeiro e que o Deus que ela diz existir é um ente real, mas que na realidade os conceitos atribuídos a Ele não são como ensina a teologia tradicional.

A negação total de Deus ou de crenças em divindades é o caminho natural da humanidade evoluída e decaída no pecado, porque isso tudo é fruto da evolução do conhecimento humano e científico. O que estou fazendo é apenas apressar esse fato. Mas, meu objetivo não é negar Deus nem desacreditar na Bíblia Sagrada. Meu objetivo é explicar Deus e a Bíblia de forma racional, porque esta é a maneira correta dos seres ditos racionais agirem. Se eu ajo pela fé cega, logo, estou desprezando a minha racionalidade. Temos que colocar a mão na CONSCIÊNCIA. Pergunte-se: Será que acreditar em Deus da forma que acredito é algo racional? Com certeza, se você estiver cônscio e com suas faculdades normais, você concluirá que pode estar sendo iludido por religiosos fanáticos.

Sei perfeitamente que o ser humano tem livre arbítrio para acreditar naquilo que lhe der na telha. Mas os seres humanos já até criaram leis para proteger aqueles que trilham pelo caminho da bestialidade e irracionalidade. Se a pessoa é maior de idade, tudo bem. Pode acreditar naquilo que quiser e viver em função de suas crenças. Porém, as crianças e os adolescentes precisam ser protegidos dessas crenças maléficas. Os pais não podem obrigar os filhos a viver e pautar suas vidas em função de crendices infundadas. Por isso, acredito que num futuro bem próximo os humanos mais sensatos criarão leis para proteger as pessoas que querem fazer o que bem entender da vida, que querem manter crenças em coisas que não se pode provar e viver em função dessas crenças.

Muitos seres humanos agem como animais irracionais. E é preciso criar leis para protegê-los da própria degradação corporal, moral e mental. Ou seja, não será proibido escrever teorias científicas, pensar e imaginar fantasias da mente, contanto que seja tomado apenas como uma obra de ficção. Por exemplo, imaginar que existe uma divindade superpoderosa, que vai castigar e lançar no inferno de fogo aqueles que não quiserem o servir e adorar, neste caso, tal crença será suprimida e terminantemente proibida.

Os religiosos fanáticos afirmam que a crença na origem do Universo através do famoso Big-Bang, a crença na evolução dos seres vivos e a crença de que os seres humanos evoluíram dos primatas não passam de TEORIAS infundadas. Aí esses mesmos religiosos fanáticos pegam a Bíblia para afirmar que Deus criou o Universo e criou os seres vivos através de um simples falar ao vento. E acham tal atitude racional e algo melhor que qualquer conhecimento científico. Porém, todas as crenças religiosas também são TEORIAS, e teorias infundadas, pois, estas é que não podem ser comprovadas através de nada. A doutrina da trindade é uma terrível TEORIA infundada, fruto de fantasia de mente humana. Crença em anjos alados, em espíritos ou seres espirituais, crença no céu e no inferno, tudo não passa de TEORIAS. Os cientistas estudam até hoje a origem do Universo, estudam os fósseis de animais pré-históricos e a origem das espécies, mas nenhum deles fica adorando os dinossauros e os ancestrais do homem, nem pautam suas vidas e a vida de suas famílias em função dessas crenças. Com os religiosos fanáticos acontece o contrário. A Bíblia para eles é o campo de pesquisa, e os vestígios que eles encontram, sem mesmo ter comprovação científica, passam a temer, reverenciam e creem de forma fervorosa, e pautam suas vidas em função de tais crenças.

A EXISTÊNCIA DE DEUS OU DEUSES (ELOHIM) – OS DEUSES SANTOS

Os Deuses Santos se divertem com a falta de conhecimento dos humanos. Eles deixam os religiosos à vontade para atribuir-lhes conceitos e atributos absurdos. Quanto mais os humanos se confundirem, melhor para os Deuses.

A fé ou crença religiosa em coisas que transcendem à nossa realidade existencial é a base da teologia tradicional. Se não existir fé, não existe teologia.

O caro leitor poderá indagar: “Como você tem a audácia de contrariar doutores em teologia, que passaram anos e anos se graduando, estudando as línguas originais da Bíblia, que estudaram geografia bíblica, que viajaram e conheceram de perto a Terra Santa e os lugares sagrados onde viveram os personagens bíblicos?”. Só, meu caro, que o estudo dos dialetos originais da Bíblia (grego, hebraico ou aramaico) e conhecimento da geografia bíblica não são suficientes para se provar a existência de Deus. Tampouco se graduar e chegar ao doutorado em Teologia, isso não garante que a pessoa é detentora de alguma verdade. O âmago ou corpo de todo o conhecimento teológico é baseado na fé, ou crença cega. Você pode conhecer as línguas hebraica e grega e conhecer a geografia bíblica, mas a crença em Deus não depende dessas coisas; depende da sua fé. E fé não é prova de nada. A fé ou crença religiosa não prova nada.

Há pelo menos três tipos de fé. 1) A fé que é sinônimo de esperança. Essa é a fé mais comum, e todos a possuem; 2) A fé como sinônimo de firmeza, de segurança jurídica, quando alguém firma dizer a verdade perante um tribunal; 3) E a fé como sinônimo de crença em algo fictício, que não se pode provar, mas que a pessoa teima em acreditar que existe. Essa é fé cega.

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem. Porque por ela os antigos alcançaram bom testemunho.  Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê” (Hebreus 11:1-3).

A fé pode ser o firme fundamento das coisas que se esperam. Mas dizer que fé é a prova das coisas que não se vêem, aí é forçar a barra. Pois, fé não prova nada, não é prova de nada. Se alguém diz que tem fé genuína e joga na megasena acreditando que vai ganhar o grande prêmio, isso não é garantia de nada. Se fosse, muitos crentes seriam milionários.

Mas os religiosos dizem que a fé bíblica é uma fé racional, pois, eles se baseiam no que a própria Bíblia ensina sobre fé. Para eles, se a Bíblia diz, está falado!

Isso ocorre porque os religiosos fundamentalistas têm a Bíblia como suprema verdade, e tudo o que ela diz ninguém pode contrariar. Esse é o primeiro grande erro dos que não fazem uso da razão ou da racionalidade, que só acreditam em coisas através da fé cega, e além de tudo, vivem em função dessas crenças. Não é porque um livro escrito há mais de dois mil anos diz que Deus existe, é assim e assado, que ninguém vai questionar nada.

Quem não questiona nada do que está escrito na Bíblia é tolo demais, é um ser humano que vive como um animal, que não sabe usar a sua capacidade de raciocinar. E pior são os crentes que deixam os religiosos pensarem por eles. “Se o meu pastor falou, está falado”.

A Bíblia, o mundo e as coisas palpáveis e visíveis não são provas da existência de Deus. Toda essa crendice tola advém da fé cega, ou advém da leitura de trechos da Bíblia onde diz que Deus é isso, é aquilo, ou fez isso, e fez aquilo. Se a Bíblia e todo o seu conteúdo fosse prova da existência de Deus, ninguém até hoje estaria duvidando da sua existência. Nem os maiores cientistas duvidariam.

Se os mega pastores mercenários, tais como Edir Macedo, Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, acreditassem realmente no Deus da Bíblia eles temeriam e não faziam o que fazem. Mas como para eles Deus não existe, eles fazem o que bem querem, não pregam o verdadeiro Evangelho, exploram os fiéis e ajuntam tesouros nesta terra. As duas maiores características dos pastores mercenários são: cobrar salários para pastorear (dízimos e ofertas em dinheiro) e ajuntar tesouros nesta terra (mansões, fazendas, aviões, apartamentos de luxo, iates, etc), vivendo uma vida regalada em detrimento dos fiéis. Yesu Cristo disse que o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Os pastores mercenários fazem é explorar as ovelhas.

Irei listar alguns argumentos que provam que o Deus da Bíblia não pode ser esse ente divino pintado e desenhado pela teologia tradicional.

1) O NOME DE DEUS NÃO FOI DADO DE FORMA CLARA NA BÍBLIA

O Deus da Bíblia não tem um nome próprio, e se o tem, não o deu a conhecer aos seres humanos. Nem mesmo Yesu Cristo falou o nome de seu Pai, citando-o de forma isolada, para dar mais credibilidade à sua pessoa como enviado de Deus. Cristo jamais citou o nome Jeová (tetragrama YHVH), nem mesmo nos diálogos que teve com João no Apocalipse. Também não vemos o nome Jeová ser citado em nenhum escrito do Novo Testamento, nem no Apocalipse.

A palavra “DEUS” não é um nome próprio; é um termo genérico utilizado por religiosos de todas as línguas, tribos e nações desde os primórdios da humanidade. O vocábulo ‘Deus’ não designa especificamente o nome de nenhuma divindade. Por causa de fanatismo religioso, o nome do deus que os cristãos adoram é DEUS.

O nome que o Deus da Bíblia repassou para os primeiros humanos que o adoravam não foi um nome próprio, mas uma frase que mais tarde os sábios do Judaísmo transformaram em quatro letras ou símbolos, e denominaram de Tetragrama ou Tetragrammaton. E esse nome “sagrado” de Deus foi usado não só pelos primeiros crentes hebreus, mas também pelos magos do Egito, pelos bruxos, pelos esoteristas e ocultistas.

Por que o nome de Deus, sendo um nome santo e quase impronunciável, é utilizado por magos, bruxos, ocultistas, cabalistas e esoteristas, desde a época que foi conhecido pelos primeiros crentes?

O nome YAHVEH, JAVÉ OU JEOVÁ foi um arranjo feito da frase “Eu Sou o Que Sou”, frase esta que Deus mandou Moisés falar ao povo de Israel quando perguntasse pelo seu nome. Seria o mesmo que dizer o AEIOU apareceu a mim no monte Horebe. Ou seja, o nome verdadeiro de Deus nunca foi revelado na Bíblia. Na verdade, não querendo se revelar, os Deuses Santos falaram qualquer coisa para que Moisés falasse ao povo e a faraó e dissesse que esse era o seu nome. Veja o que se diz sobre a origem do nome do Deus da Bíblia.

“Etimologicamente, o nome Javé tem origem do hebraico Yahveh ou Yehovah​, que na Bíblia Sagrada foi traduzido para o latim na forma do tetragrama YHVH​. Segundo algumas teorias, o significado mais aceito para o nome seria “Eu sou aquele que sou” ou “aquele que traz à existência tudo que existe”. Fonte: Internet.

Pasmem vocês! O nome Javé ou Jeová (YHVH) não foi conhecido pelos patriarcas. Adão, Sete, Enoque, Noé, Abraão, Isaque, Jacó e José do Egito jamais tinham ouvido falar do nome de Deus. Eles cultuavam a um Deus do qual nem sabiam o nome. O nome que os patriarcas usavam para se referir à divindade que cultuavam era “Altíssimo” (Deus Altíssimo). A expressão “Deus Altíssimo” se referia ao Deus que habitava nas alturas, acima da abóbada celeste. E os crentes primitivos não imaginavam Deus e os anjos como seres espirituais, mas como seres físicos, de carne e osso. Deus apareceu a Abraão pela primeira vez ainda na terra de Ur dos caldeus, na Mesopotâmia, mas não revelou o seu nome. Passados vários anos, Deus aparece novamente a Abraão e lhe faz promessas, mas não revela o seu nome. Abraão cultua a um Deus que nem o nome ele sabe. Passados mais 25 anos, Deus reaparece a Abraão – quando este estava com 99 anos – e diz que Sara, sua mulher – que era estéril -, lhe daria um filho. E ainda aí Abraão nem sequer tem a curiosidade de perguntar o nome do Deus que ele adora.

“Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do Deus Altíssimo; e abençoou a Abrão, dizendo: bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Criador dos céus e da terra! E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos! E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. Então o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me a mim as pessoas; e os bens toma-os para ti. Abrão, porém, respondeu ao rei de Sodoma: Levanto minha mão ao Senhor, o Deus Altíssimo, o Criador dos céus e da terra” (Gênesis 14:18-22).

O Deus da Bíblia só revelou o seu nome a primeira vez para Moisés. E mesmo assim o nome que ele revelou não foi um nome próprio, mas uma frase, que já me referi, anteriormente, a qual transformaram num tetragrama (YHVH) que é utilizado por crentes, bruxos, magos, ocultistas, cabalistas e esoteristas.

“E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui. Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus. Então disse o Senhor: Com efeito tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos; e desci para o livrar da mão dos egípcios, e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel (…). Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel. Então Moisés disse a Deus: Quem sou eu, para que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel? Respondeu-lhe Deus: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: Quando houveres tirado do Egito o meu povo, servireis a Deus neste monte. Então disse Moisés a Deus: Eis que quando eu for aos filhos de Israel, e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Respondeu Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos olhos de Israel: EU SOU me enviou a vós. E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O Senhor, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é o meu nome eternamente, e este é o meu memorial de geração em geração” (Êxodo 3:4-15).

Perceba que o nome que Deus deu a se conhecer a Moisés foi uma frase. E lá na frente Ele diz: “este é o meu nome eternamente”. E no capítulo 6 Moisés grafa o nome do Deus dos hebreus já na forma de tetragrama: JEOVÁ (YHVH). Primeiramente Deus diz que a frase EU SOU O QUE SOU é o seu nome eternamente, e mais na frente já aparece o tetragrama, YHVH, que foi um arranjo que os magos fizeram para simplificar a frase Eu Sou Aquele Que Sou.

Veja que o próprio Deus dos hebreus diz claramente que não deu a conhecer o seu nome (JEOVÁ – Eu Sou o Que Sou) a ninguém até aquele momento que falou com Moisés no monte.

“Falou mais Deus a Moisés, e disse-lhe: Eu sou Jeová. Apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó, como o Deus Todo-Poderoso; mas pelo meu nome Jeová, não lhes fui conhecido. Estabeleci o meu pacto com eles para lhes dar a terra de Canaã, a terra de suas peregrinações, na qual foram peregrinos” (Êxodo 6:2-4).

Portanto, como é possível os religiosos fanáticos atribuírem tantos conceitos e atributos a Deus se nem o seu nome eles sabem direito?

O nome do Deus Jeová (o Tetragrama) foi cunhado nos porões das escolas de mistérios. Por isso, os magos, bruxos, cabalistas e esoteristas também o empregam em seus rituais e magias.

Sobre o emprego do nome Jeová (YHVH – Tetragrama) nos escritos do Novo Testamento, veja o que diz a seguinte informação.

YHWH (Jeová) é uma palavra típica do Antigo Testamento, usada em hebraico. O Novo Testamento foi todo ele escrito em grego e portanto não usou o termo YHWH. Quando foi feita a primeira tradução do Antigo Testamento em grego, a Septuaginta, feita entre 285 e 150 antes de Cristo, tomou-se o costume de usar “Senhor” (kurios) para indicar YHWH. Os tradutores de Alexandria colocaram por escrito uma tradição oral presente nas sinagogas, onde se lia “ADONAY” (Senhor) toda vez que apareceia o nome YHWH. De fato o povo hebreu não pronunciava o nome de Deus e no seu lugar dizia “ADONAY”.

A Bíblia usada pelos primeiros cristãos foi essa tradução grega, a Septuaginta. Portanto podemos dizer que Jesus não usou o termo “Jeová”. Para citar um exemplo, em Mateus 4,10 ele cita um texto de Deuteronômio 6,13, onde aparece YHWH, mas usa “Senhor” (Ao Senhor (Kurios) adorarás). Também em Atos 15,17 aparece outra citação do Antigo Testamento, na qual existe a palavra YHWH (O Senhor, que faz todas as coisas. – Amós 9,12) e, igualmente, não se usa Jeová, mas Senhor. Em Paulo há ainda outro texto, em Romanos 4,8, onde usa “Senhor”, citando o Salmo 32,2, que tem YHWH.

Portanto, no lugar de YHWH o Novo Testamento usa “Senhor” (Kurios). Considerando todas as passagens, a palavra grega “kurios” (Senhor) aparece 256 vezes no Novo Testamento.

O que podemos notar é que os escribas e sacerdotes hebreus não pronunciavam o nome Jeová ou tetragrama YHVH por não saberem a origem desse nome. Eles não pronunciavam por medo de errar a pronúncia do nome inefável de Deus, mas sim, por duvidarem de sua autenticidade. Eles usavam preferencialmente o nome Adonai em lugar de Jeová. E também porque esse nome Jeová (YHVH) também era utilizado pelos magos, cabalistas e ocultistas em seus rituais de magia.

2) SE DEUS É ESPÍRITO, COMO ELE PERMITIU QUE MOISÉS O CONTEMPLASSE PELAS COSTAS?

3) POR QUE O DEUS DA BÍBLIA NUNCA SE REVELOU ÀS CLARAS, SEMPRE SE MANIFESTOU DE FORMA ESCONDIDA NO MEIO DE FUMAÇA OU DE NUVEM ESCURA?

4) SE DEUS É TODO-PODEROSO E NÃO HÁ OUTRO IGUAL OU MAIOR, QUE POSSA DERROTÁ-LO, POR QUE SATANÁS SE REBELOU CONTRA ELE?

5) POR QUE DEUS SENDO MAIOR QUE TUDO, MAIOR QUE O PRÓPRIO UNIVERSO, DIZ QUE CONTEMPLA OS SERES HUMANOS COMO GAFANHOTOS SOBRE A TERRA, E MESMO ASSIM, SE REBAIXA E VEM CRIAR CASO COM CRIATURAS INSIGNIFICANTES?

6) POR QUE DEUS SENDO TODO-PODEROSO E INVENCÍVEL LUTA CONTRA OUTROS DEUSES INSIGNIFICANTES, E SE ENVAIDECE POR ISSO?

(CONTINUO MAIS TARDE AS EXPLICAÇÕES)

xxxx

**********
O maior engano de todos os tempos daqueles que esperam o tal arrebatamento.

“Acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos anciãos terão sonhos, os vossos mancebos terão visões; e também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo; pois no monte Sião e em Jerusalém estarão os que escaparem, como disse o Senhor, e entre os sobreviventes aqueles que o Senhor chamar” (Joel 2:28-32).
**********
Estrela absinto

O arrebatamento não ocorrerá para levar seres humanos que aceitaram Jesus para morar no céu. Ocorrerá para que seres humanos escolhidos sejam salvos e preservados da extinção. Serão salvos em naves espaciais alienígenas. Depois de passada a nova era do gelo, esses humanos salvos retornarão para povoar a Terra. Conforme diz o texto de Joel, muitos humanos serão salvos da terrível catástrofe que se abaterá sobre o planeta. Muitos sobreviverão protegidos no interior de cavernas.

Só serão arrebatados os 144 mil escolhidos da Terra. Esses humanos escolhidos serão tomados vivos da Terra, como uma forma de garantia de preservação da raça humana contra a extinção, em virtude do grande cataclismo que se abaterá sobre o planeta. Outros humanos serão mantidos salvos em locais seguros aqui mesmo na Terra. E os seres humanos que morreram salvos, e que irão ressuscitar, na verdade essa ressurreição não será literal. Os humanos considerados bons e aperfeiçoados, que morreram, na verdade terão os seus corpos clonados. Os espíritos dos mortos salvos retornarão aos seus novos corpos clonados.

Engana-se quem pensa que muitos serão mortos apenas pelos terremotos, maremotos e tsunamis provocados pelo impacto da “estrela absinto” que cairá sobre o Oceano Pacífico. O que provocará a quase extinção da raça humana e da maioria dos animais serão as cinzas dos mais de 40 vulcões que entrarão em atividades na América do Sul, Central e América do Norte. As cinzas vulcânicas se espalharão sobre toda a Terra, a começar aqui pela América do Sul. Do Brasil poucos escaparão, porque as nuvens de cinzas vulcânicas encobrirão o céu, impedindo a entrada da luz solar, e a temperatura cairá rapidamente. Só escaparão os que se esconderem em cavernas da terra e tiveram água e mantimento para no mínimo 6 meses de confinamento. Todos os moradores das cidades e do campo morrerão, inclusive os animais.

Só serão salvos seres humanos bons, aperfeiçoados. Esses crentes mal-acabados que pensam que serão salvos só pelo fato de aceitar Jesus, estão redondamente enganados. É preciso se aperfeiçoar para ser salvo. E a salvação não é pela fé, mas de acordo com as obras e o caráter da pessoa. Ninguém será julgado pela fé, mas todos serão julgados de acordo com as obras que cada um praticou. Não adianta dizer que tem fé para a salvação e não tiver obras. O Diabo e os demônios também têm fé e estremecem, mas não têm boas obras para se justificarem diante de Deus. O que conta mais para a nossa salvação são as obras, e não a fé.

“Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo? (…) Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demônios também o crêem, e estremecem. Mas queres saber, ó homem vão, que a fé sem as obras é estéril? (…) Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé” (Tiago 2:14-24).

Essa profecia de Joel foi replicada por outros profetas, por Jesus, pelos apóstolos e retratada exaustivamente no livro de Apocalipse de João. O cataclismo objeto da profecia não é algo inédito que acontecerá com o planeta Terra; é algo que já se repetiu em outras épocas. Deus e os anjos sabem que isso se repetirá de novo, por isso, eles mandaram ditar a profecia, seguros de que ela acontecerá, porque esse fenômeno é repetitivo. O que não é repetitivo é a queda do grande meteoro sobre a Terra (estrela absinto). A queda desse meteoro sobre a Terra será provocada pelos anjos por ordem de Deus, para que os governos humanos sejam destruídos e Jesus e os santos tomem posse do planeta, para que seja instalado o reino de paz e prosperidade do Messias para sempre.

A profecia sobre o céu se enrolando como um livro (livro na forma de rolo, como era o formato dos livros na época de João), significa tão somente o céu sendo coberto por uma espessa nuvem de cinzas vulcânicas. Conforme as cinzas vão encobrindo os céus, imagina-se que o céu está se recolhendo, sendo enrolado, como se fosse um livro.

“E vi quando abriu o sexto selo, e houve um grande terremoto; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua toda tornou-se como sangue; e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira, sacudida por um vento forte, deixa cair os seus figos verdes. E o céu recolheu-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares. E os reis da terra, e os grandes, e os chefes militares, e os ricos, e os poderosos, e todo escravo, e todo livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas; e diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos da face daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro; porque é vindo o grande dia da ira deles; e quem poderá subsistir?” (Apoc. 6:12-17).

Todas as vezes que acontecem pequenas catástrofes, guerras, atentados terroristas, erupções de vulcões aqui e acolá, os crentes começam a alarmar, dizendo que JESUS ESTÁ VOLTANDO. Essa é a frase mais idiota que sempre os crentes fanáticos costumam citar quando acontecem tragédias ou fenômenos naturais.

Engana-se quem pensa que Cristo voltará quando este mundo estiver conturbado, cheios de problemas, de conflitos, de guerras e pessoas morrendo de fome. O próprio Cristo disse que “assim como foi nos dias de Noé, assim será na vinda do Filho do homem; pois, casavam e davam-se em casamento e só se preocupavam com as coisas deste mundo, até que de repente veio o dilúvio e pegou a todos de surpresa”. Antes do grande e terrível dia do Senhor este planeta experimentará um período de paz e prosperidade nunca visto antes, e todos os povos da Terra viverão festejando, realizando, felizes, a Copa do Mundo, as Olimpíadas, os festivais de rock, entre outros grandes eventos. A ameaça de guerra nuclear irá acabar. Aí está o governo americano fazendo acordo com o ditador norte-coreano para banir as armas nucleares. A partir de agora o mundo estará sentindo uma sensação de paz e segurança. Esse período será de 7 anos. Porém, quando a NASA revelar a chegada iminente da estrela absinto, será tarde demais para os humanos se arrependerem. Será tipo a erupção do vulcão Vesúvio na Itália, no ano 69 d.C, que matou milhares.

Yesu Cristo disse “quando o Filho do homem vier, por acaso, achará fé na Terra?” Não. Não achará, porque a maioria dos religiosos estará ocupada com as coisas do mundo, com os afazeres desta vida. Bem poucos estarão meditando nas profecias bíblicas. Poucos estarão praticando a caridade, ajudando o próximo necessitado, exercitando a prática de boas obras, fazendo o bem, trabalhado em prol da justiça e da igualdade social e econômica para todos. Cada um estará vivendo para si, vivendo de forma egoística. Bem poucos estarão com azeite em suas lâmpadas, esperando a chegada do Noivo.

Os crentes da atual geração se cansarão de ser crente. E suas obras e ações serão iguais às dos ímpios.

O mundo será tomado de surpresa quando o Dia do Senhor chegar. Mais surpreso ficarão os crentes, pois eles é que deviam estar vigiando, mas não estarão. E as coisas que escrevo bem poucos tem acesso e são pouco repercutidas.

“Porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite; pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão” (I Tessalonicenses 5:2-3).

“Virá, pois, como ladrão o dia do Senhor, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se dissolverão, e a terra, e as obras que nela há, serão descobertas” (II Pedro 3:10).

E isso tudo não acontecerá por causa de aquecimento global nem por causa de guerra entre as grandes potências nucleares do planeta. Acontecerá de repente, quando algo inesperado virá dos céus sobre a Terra. A NASA pode até estar sabendo de grandes meteoros que passarão perto da Terra nos próximos anos, mas segundo seus cálculos, é mínima a chance de se chocarem com nosso planeta. Porém, o meteoro denominado “estrela absinto” referido no livro de Apocalipse não será detectado pelas lentes potentes dos telescópios do mundo todo. Quando conseguirem detectá-lo, será tarde demais. Os anjos de Deus desviarão esse meteoro de sua rota natural, para que se dirija em direção à Terra. Isso acontecerá para que os governos do mundo sejam destruídos. Os governos do mundo (a Besta) são controlados pelo Dragão, a Antiga Serpente.

Tudo isso acontecerá na abertura do sétimo selo, que não demorará em se abrir:

1 Quando abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu, quase por meia hora.
2 E vi os sete anjos que estavam em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas.
3 Veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para que o oferecesse com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que está diante do trono.
4 E da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos.
5 Depois do anjo tomou o incensário, encheu-o do fogo do altar e o lançou sobre a terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremoto.
6 Então os sete anjos que tinham as sete trombetas prepararam-se para tocar.
7 O primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva e fogo misturado com sangue, que foram lançados na terra; e foi queimada a terça parte da terra, a terça parte das árvores, e toda a erva verde.
8 O segundo anjo tocou a sua trombeta, e foi lançado no mar como que um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar.
9 E morreu a terça parte das criaturas viventes que havia no mar, e foi destruída a terça parte dos navios.
10 O terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas.
11 O nome da estrela era Absinto; e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas.
12 O quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte do sol, a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhante, e semelhantemente a da noite.
13 E olhei, e ouvi uma águia que, voando pelo meio do céu, dizia com grande voz: Ai, ai, ai dos que habitam sobre a terra! por causa dos outros toques de trombeta dos três anjos que ainda vão tocar.

Leia também o capítulo 24 do livro do profeta Isaías.

Depois das pragas do sétimo selo, quando for tocada a sétima trombeta, tudo estará cumprido. O reino deste mundo passará a ser do Senhor e do seu Cristo; e Cristo e os santos reinarão para sempre na Terra.

“E tocou o sétimo anjo a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: O reino do mundo passou a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos” (Apoc. 11:15).

Satanás, o Grande Dragão, a Antiga Serpente, faz de tudo para que Yesu Cristo não assuma o governo deste mundo. Ele e os governos do mundo maquinam dia e noite para tentar impedir que Cristo e o povo judeu remanescente reinem sobre a Terra. Eles fazem de tudo para que as profecias bíblicas sejam desacreditadas. Mas tudo será em vão. Os planos de Deus não podem ser frustrados. Se um plano falhar, mas Deus já preparou de antemão outro bem melhor.

(Obs: até o final de semana termino de escrever este texto com mais riqueza de detalhes).

Xxxxxx

20/06/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

O ANTIMASHIACH (ANTICRISTO) NÃO SURGE DE FORA, SURGE DE DENTRO DA REALEZA, E A BESTA NÃO É A MESMA COISA QUE ANTICRISTO

**********
Comentando sobre o casamento da atriz plebeia e negra americana, Rachel Meghan Markle, com o príncipe herdeiro da Coroa Britânica, Henrique Carlos Alberto David, mais conhecido como Príncipe Harry, o sexto na linha sucessória, disse que a entrada dessa jovem na família real pode não ser um bom sinal; pode ser uma armadilha. E disso me veio à mente a lembrança a respeito de tudo o que já se especulou sobre a chegada do tal Anticristo – pessoa física, ou governante muito poderoso que governará o mundo de forma ditatorial – que a Bíblia não fala especificamente no Apocalipse de João, mas que os teólogos e os crentes fanáticos ficam insistindo que virá. Segundo a maioria pensa, esse Anticristo será um líder popular que surgirá repentinamente e possivelmente se tornará presidente de um país Europeu, Asiático, ou dos Estados Unidos da América, ou de Israel ou de um  país árabe. E para sustentar essa maluquice eles usam como base uma profecia do capítulo 11 do livro do profeta Daniel. Segundo a profecia, o governante que se tornará o Anticristo, que governará o mundo com mão de ferro, tomará o trono ou a presidência do país por meio do engano. Alguns especulam que ele não será um herdeiro da linhagem real, mas usará de engano para conseguir assumir o trono. Mas tudo isso são especulações sem fundamento bíblico. A causa disso tudo é provocada por interpretações equivocadas de profecias do livro de Daniel e do Apocalipse. Não afirmo categoricamente que estou com a verdade, mas acredito que minha linha de raciocínio é mais bíblica e isenta de fanatismo religioso.

**********

DE ONDE MESMO SURGIRÁ ESSE TAL ANTICRISTO?

Já especularam de tudo a respeito de onde surgirá o Anticristo tão alardeado pelos cristãos. Inclusive, especula-se que ele poderá surgir do próprio Oriente Médio, da terra de Israel, ou de algum país árabe muito poderoso. Outros dizem que o Anticristo virá do Islã, ou seja, da religião Islâmica, muçulmana. E outros acham que o tal será o Ima Madhi, o Messias esperado pelo povo iraniano. E ainda outros acham que será um líder judeu procedente da tribo perdida de Dã. E os mais aloprados cogitam que o Anticristo surgirá da Rússia, ou da China, ou da França, e por aí vai. Até Lula e Barack Obama já foram candidatos a Anticristo. E ultimamente o candidato é Emmnuel Macron, presidente da França. Porém, o que mais se tem alardeado pelos crentes fanáticos é a respeito do Papa e da Igreja Católica. Todos os Papas que já surgiram foram candidatos a Anticristo. O mais cultuado foi o Papa João Paulo II.

Alguns mais sensatos acham que só seria possível surgir um líder mundial poderoso depois da Terceira Guerra Mundial. Enquanto não ocorrer essa tão falada Terceira Guerra Mundial, não será possível surgir o Anticristo.

Paulo, em todas suas treze epístolas, jamais tocou na palavra ANTICRISTO, ou seja, o ANTIMASHIACH. E tão pouco se vê no Apocalipse a palavra “anticristo”. Mas os protestantes inventaram essa loucura de dizer que o Anticristo virá para perseguir os cristãos e governar o mundo com mão de ferro.

Quem inventou esse termo Anticristo (Antimashiach) foi o apóstolo João nas suas epístolas. E o “anticristo” que ele se referiu não se tratava de uma pessoa física, um governante ou um futuro de ditador que iria surgir para perseguir os cristãos. Tratava-se tão somente do “espírito do anticristo”, ou “espírito anti-Messias, ou anti-Mashiach”. Veja.

“Filhinhos, esta é a última hora; e, conforme ouvistes que vem o anticristo, já muitos anticristos se têm levantado; por onde conhecemos que é a última hora” (I João 2:18).

“Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse mesmo é o anticristo, esse que nega o Pai e o Filho” (I João 2:22).

“E todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo” (I João 4:3).

“Porque já muitos enganadores saíram pelo mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Tal é o enganador e o anticristo” (II João 1:7).

E todo esse equívoco aconteceu porque associaram o Homem do Pecado, o Filho da Perdição, que Paulo se referiu em II Tessalonicenses 2, como sendo o tal Anticristo.

“Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus. Não vos lembrais de que eu vos dizia estas coisas quando ainda estava convosco? E agora vós sabeis o que o detém para que a seu próprio tempo seja revelado. Pois o mistério da iniqüidade já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora; e então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda; a esse iníquo cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás com todo o poder e sinais e prodígios de mentira” (II Tessalonicenses 2:3-9).

Esse “Homem do Pecado” e “Filho da Perdição” não se trata de uma pessoa física, um governante, um líder mundial, que perseguirá os cristãos e todas as religiões. Esse “Homem do Pecado” e “Filho da Perdição” trata-se tão somente do Sistema que governa o mundo atual, cujo objetivo maior é eliminar todas as crenças fantasiosas. O mundo está caminhando para isso: sufocar todas as crenças em coisas fantasiosas. Para os humanistas e ateístas, a crença em um suposto Deus, a crença num suposto Messias que virá salvar alguns crentes fiéis e destruir os não-crentes é pura fantasia da mente de religiosos fanáticos.

NA VERDADE, O MOVIMENTO ANTICRISTO SURGE DE DENTRO DO SISTEMA OU DE DENTRO DA PRÓPRIA REALEZA

O movimento “anticristo ou antimashiach” já existia antes mesmo do surgimento de Yesu Cristo.

“Anticristo” ou “Antimashiach” foi um movimento que surgiu dentro do próprio Judaísmo, com os líderes políticos e religiosos de Israel e Judá. Quando a dinastia dos Macabeus cessou no trono de Judá e Israel, assumiu o comando a família Herodiana, ou os Herodes. Segundo alguns estudiosos, a família Herodiana não era herdeira legítima do trono de Judá e Israel. Eles entraram de gaiatos, tomaram o poder por usurpação, e os reinos de Israel e Judá passaram a ser submissos ao Imperador de Roma. Os Herodes e alguns líderes religiosos do Judaísmo passaram a combater a ideia da chegada do Messias. Ou seja, elas passaram a ser os primeiros Antimashiach. Tanto é que quando o rei Herodes soube que nascera um que seria líder e assumiria o trono de Judá, ele tratou de mandar matá-lo. Quando soube do nascimento de Yesu Cristo, o rei Herodes baixou um decreto mandando seus soldados matar todas as crianças de dois anos para baixo. Ele também poderia ter agido por influência de Satanás, que queria impedir que Yesu Cristo viesse ao mundo cumprir a prova de amor pela humanidade, morrendo numa cruz, para tomar o seu lugar como Regente e Senhor da Terra. Mas o que está mais evidente é a ideia do “espírito do anticristo”, ou espírito antimashiach.

E esse “espírito do anticristo” continuou durante a História, e ainda permanece em nossos dias.

O Anticristo dos cristãos protestantes é um; e o Antimashiach dos judeus é outro. O Anticristo alardeado pelos cristãos será uma pessoa física, um governante poderoso, que terá por objetivo principal persegui-los e matá-los. O Antimashiach dos judeus não é uma pessoa física; é um movimento surgido dentro do próprio Judaísmo para impedir a chegada do Messias prometido. E até os dias de hoje esse movimento permanece, não só do lado de dentro, mas também do lado de fora. Os inimigos do povo judeu também querem impedir a chegada do Messias.

O QUE SIGNIFICA “BESTA”?

“Besta” quer dizer um grande animal selvático, de preferência desconhecido. O cavalo, o leão e o rinoceronte são exemplos de bestas do campo.

Os teólogos tradicionais e os crentes fáticos costumam associar o nome “besta” ao tal “anticristo” que eles tanto temem. Mas isso é um grande equívoco, uma grande bobagem. E o pior de tudo é que eles acham que a “Besta” retratada no capítulo 13 de Apocalipse é o tal Anticristo, pessoa física, enquanto que se trata tão somente do Sistema que governava o mundo no século I, o Império Romano, cujo poder foi recebido das mãos do Grande Dragão, a Antiga Serpente.

Na profecia de Daniel 7 são usados 4 animais do campo, isto é, bestas, para simbolizar os reinos dominantes da época: o Leão (Babilônia), o Urso (Média-Pérsia), o Leopardo (Grécia) e um animal (besta) de aspecto terrível (Império Romano).

No Apocalipse, esses mesmos 4 reinos que dominavam a Terra também são retratados, mas foi dado mais ênfase ao quarto animal, o Império Romano, a Besta de 7 cabeças, com dez chifres, e do quais surgiu um pequeno chifre que abateu três dos dez chifres maiores.

APOCALIPSE 12

17 E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus.
18 E o dragão parou sobre a areia do mar.

APOCALIPSE 13

1 Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.
2 E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.
3 Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte, mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta,
4 e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?
5 Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias; e deu-se-lhe autoridade para atuar por quarenta e dois meses.
6 E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu.
7 Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação.
8 E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.
9 Se alguém tem ouvidos, ouça.
10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.
11 E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão.
12 Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença; e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.
13 E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens;
14 e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.
15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.
16 E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte,
17 para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.
18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.

A análise mais plausível e honesta que existe é a seguinte.

Aqui se diz que a Primeira Besta surge do Mar Grande, o Mar Mediterrâneo. E a mesma coisa se diz em Apocalipse 7.

A Primeira Besta que surgiu das águas traz as características dos reinos da Babilônia, Média-Pérsia e Grécia, pois diz que ela é semelhante ao Leão, ao Urso e o Leopardo. No aspecto dessa Primeira Besta não foi incluso o quarto animal terrível e espantoso (Império Romano).

Porém, repare que na profecia de Daniel 7 os dez chifres estão associados ao quarto animal terrível e espantoso (Império Romano). Veja.

DANIEL  7 

1 No primeiro ano de Belsazar, rei de Babilônia, teve Daniel, na sua cama, um sonho e visões da sua cabeça. Então escreveu o sonho, e relatou a suma das coisas.
2 Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando, numa visão noturna, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o Mar Grande.
3 E quatro grandes animais, diferentes uns dos outros, subiam do mar.
4 O primeiro era como leão, e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em dois pés como um homem; e foi-lhe dado um coração de homem.
5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne.
6 Depois disto, continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha nas costas quatro asas de ave; tinha também este animal quatro cabeças; e foi-lhe dado domínio.
7 Depois disto, eu continuava olhando, em visões noturnas, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha grandes dentes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres.
8 Eu considerava os chifres, e eis que entre eles subiu outro chifre, pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas.
9 Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; o seu vestido era branco como a neve, e o cabelo da sua cabeça como lã puríssima; o seu trono era de chamas de fogo, e as rodas dele eram fogo ardente.
10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades assistiam diante dele. Assentou-se para o juízo, e os livros foram abertos.
11 Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo destruído; pois ele foi entregue para ser queimado pelo fogo.
12 Quanto aos outros animais, foi-lhes tirado o domínio; todavia foi-lhes concedida prolongação de vida por um prazo e mais um tempo.
13 Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele.
14 E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.
15 Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi abatido dentro do corpo, e as visões da minha cabeça me perturbavam.
16 Cheguei-me a um dos que estavam perto, e perguntei-lhe a verdadeira significação de tudo isso. Ele me respondeu e me fez saber a interpretação das coisas.
17 Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis, que se levantarão da terra.
18 Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e o possuirão para todo o sempre, sim, para todo o sempre.
19 Então tive desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, sobremodo terrível, com dentes de ferro e unhas de bronze; o qual devorava, fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobrava;
20 e também a respeito dos dez chifres que ele tinha na cabeça, e do outro que subiu e diante do qual caíram três, isto é, daquele chifre que tinha olhos, e uma boca que falava grandes coisas, e parecia ser mais robusto do que os seus companheiros.
21 Enquanto eu olhava, eis que o mesmo chifre fazia guerra contra os santos, e prevalecia contra eles,
22 até que veio o ancião de dias, e foi executado o juízo a favor dos santos do Altíssimo; e chegou o tempo em que os santos possuíram o reino.
23 Assim me disse ele: O quarto animal será um quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços.
24 Quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis.
25 Proferirá palavras contra o Altíssimo, e consumirá os santos do Altíssimo; cuidará em mudar os tempos e a lei; os santos lhe serão entregues na mão por um tempo, e tempos, e metade de um tempo.
26 Mas o tribunal se assentará em juízo, e lhe tirará o domínio, para o destruir e para o desfazer até o fim.
27 O reino, e o domínio, e a grandeza dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo. O seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão.
28 Aqui é o fim do assunto. Quanto a mim, Daniel, os meus pensamentos muito me perturbaram e o meu semblante se mudou; mas guardei estas coisas no coração.

Tudo indica que o quarto animal terrível e espantoso está incluído no grupo dos reinos da Primeira Besta, que surgiu das águas do Mar Mediterrâneo. A Primeira Besta foi ferida de morte, significando a queda do Império Romano do Ocidente. Mas esse Império não se desfez por completo, porque os dez chifres assumiram o poder dado pelo Dragão, que são as grandes nações europeias que conquistaram e dominaram o mundo até o século XVIII.

No século XIX foi a vez do aparecimento da Segunda Besta, que surgiu da terra, a nova terra, a América do Norte. Quem domina o mundo atualmente são os Estados Unidos da América. Existe a ONU – Organização das Nações Unidas, estabelecido pela Nova Ordem Mundial, mas quem manda mesmo na ONU são os Estados Unidos da América.

A profecia de Daniel 11 diz que os “violadores do Pacto” fariam aliança com a Besta, o poder dominante atual. E quem são os “violadores do Pacto” (a Lei de Moisés)? Ora, são os judeus, o povo de Israel, de forma especial os líderes do movimento sionista, que fizeram acordo com a Inglaterra e os Estados Unidos da América para a criação do Estado de Israel.

O segundo Templo de Herodes foi destruído por causa dos pecados praticados pelos “violadores do Pacto”, a Aliança que Deus firmou com o seu povo escolhido. Após a matança do povo judeu por ocasião da invasão de Jerusalém e destruição do Templo no 70 d.C., e após a segunda diáspora que ocorreu a partir do ano 135 d.C., os judeus ficaram espalhados entre várias nações. Em Apocalipse 12 foi profetizado que a Mulher (Israel) seria levada para o deserto e sustentada por 1260 dias (anos proféticos), longe da vista do Dragão. Mas o Dragão nunca deixou de perseguir a Mulher (Israel). E Deus mais uma vez permitiu o massacre dos “violadores do Pacto”, quando Adolf Hitler sacrificou mais de 6 milhões de judeus, com conivência da Besta (EUA), da Igreja Católica e das Igrejas Protestantes da Europa. Mas o remanescente do povo judeu cometeu outro erro grave. A Mulher (Israel) saiu do deserto e apareceu toda vestida de escarlata, assentada sobre uma Besta. Nesse caso, a Besta representa o governo que domina o mundo atualmente, os Estados Unidos da América. O governo sionista do novo Estado de Israel adotou a democracia e o sistema de governo republicano, abolindo a monarquia. Os “violadores do Pacto” fizeram direitinho conforme está escrito sobre eles nas profecias de Daniel e do Apocalipse.

A contagem dos 1260, ou 1290 dias, ou 1335 dias proféticos (anos) em que a mulher ficaria isolada no deserto, começou a contar a partir do ano 688 e 691 d.C., quando foi instalada a Abominação da Desolação no monte do Templo em Jerusalém. A abominação é a Mesquita ou Templo Muçulmano, ou Mesquita de Omar (Domo da Rocha). Essa mesquita ou templo islâmico foi construída de propósito no local do Templo do Deus de Israel com a intenção de profanar aquele lugar sagrado.

“E desde o tempo em que o holocausto contínuo for tirado, e estabelecida a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa dias. Bem-aventurado é o que espera e chega aos mil trezentos e trinta e cinco dias” (Daniel 12:11-12).

“E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias. (…) E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente” (Apoc. 12:6,14).

“Então ele me levou em espírito a um deserto; e vi uma mulher montada numa besta cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e que tinha sete cabeças e dez chifres. A mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas; e tinha na mão um cálice de ouro, cheio das abominações, e da imundícia da prostituição; e na sua fronte estava escrito um nome simbólico: A grande Babilônia, a mãe das prostituições e das abominações da terra. E vi que a mulher estava embriagada com o sangue dos santos e com o sangue dos mártires de Jesus. Quando a vi, maravilhei-me com grande admiração. Ao que o anjo me disse: Por que te admiraste? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a leva, a qual tem sete cabeças e dez chifres” (Apoc. 17:3-7).

Essa Mulher já havia se assentado a primeira vez sobre a Primeira Besta, especificamente sobre a sétima cabeça, o Império Romano, da qual os reinos de Judá e Israel, no tempo do rei Herodes, eram submissos.

Mas, depois que a mulher foi perseguida, ficando desolada e nua por 1260 dias, ela reaparece montada sobre a Segunda Besta, que também a fará ficar desolada e nua.

Vejamos os cálculos aproximados:

1) 688+1260 anos = 1948 (ano da instalação do Estado de Israel).

2) 691+1290 anos = 1981 (ano que a Unesco decretou a Mesquita de Omar e as ruínas do antigo Templo como patrimônio da humanidade, significando a mesquita não pode ser removida; mas em Apocalipse 6 diz que futuramente haverá um grande terremoto em Jerusalém, e tal terremoto com certeza será para remover Abominação Desoladora; por causa dessa mesquita o povo islâmico tem estado em constante conflito com os judeus disputando o controle da cidade de Jerusalém; e Jerusalém tem sido um cálice de tontear desde a construção dessa abominação que está profanando o santo lugar do Templo).

3) 691+1335 anos = 2026 (O término do tempo dado aos gentios para pisarem o monte do Templo).

“Foi-me dada uma cana semelhante a uma vara; e foi-me dito: Levanta-te, mede o santuário de Deus (o Grande Templo de Herodes, antes do ano 70 d.C.), e o altar, e os que nele adoram. Mas deixa o átrio que está fora do santuário, e não o meças; porque foi dado aos gentios; e eles pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses” (Apoc. 11:1-2).

Essa visão sobre a ordem para medir o Templo João recebeu antes do ano 70 d.C., antes de ele ser isolado na Ilha de Patmos. João não recebeu todas as visões do Apocalipse em Patmos. Ele já havia tido várias visões antes de ser preso, mas foi somente em Patmos que um anjo poderoso (Yesu Cristo), vestido de roupa talar, ordenou que ele escrevesse tudo o que tinha visto ANTES, a visão daquele momento, e outras visões que ainda lhe seriam reveladas.

“Escreve, pois, as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de suceder” (Apoc. 1:19).

**********
UMA ANÁLISE DA PROFECIA DE DANIEL 11

Boa parte da profecia de Daniel 11 já se cumpriu. Há, porém, muitas interpretações equivocadas sobre esta profecia. A maioria dos intérpretes sempre joga para o futuro o cumprimento de tais profecias.

Vou tentar esclarecer alguns detalhes dessa profecia de Daniel 11. Vejamos a explicação por parte, a partir do versículo 21.

DANIEL 11

21 Depois se levantará em seu lugar um homem vil, ao qual não tinham dado a majestade real; mas ele virá caladamente, e tomará o reino com lisonja.
22 E as forças inundantes serão varridas de diante dele, e serão quebrantadas, como também o príncipe do pacto.
23 E, depois de feita com ele a aliança, usará de engano; e subirá, e se tornará forte com pouca gente.

Essa profecia se trata da ascensão do Império Romano e da sucessão dos imperadores.

24 Virá também em tempo de segurança sobre os lugares mais férteis da província; e fará o que nunca fizeram seus pais, nem os pais de seus pais; espalhará entre eles a presa, os despojos e os bens; e maquinará os seus projetos contra as fortalezas, mas por certo tempo.

Alguns imperadores romanos inovaram e fizeram coisas diferentes dos seus antecessores. Veja mais na frente o que será dito no versículo 37.

25 E suscitará a sua força e a sua coragem contra o rei do sul com um grande exército; e o rei do sul sairá à guerra com um grande e mui poderoso exército, mas não subsistirá, pois maquinarão projetos contra ele.
26 E os que comerem os seus manjares o quebrantarão; e o exército dele será varrido por uma inundação, e cairão muitos traspassados.
27 Também estes dois reis terão o coração atento para fazerem o mal, e assentados à mesma mesa falarão a mentira; esta, porém, não prosperará, porque ainda virá o fim no tempo determinado.
28 Então tornará para a sua terra com muitos bens; e o seu coração será contra o santo pacto; e fará o que lhe aprouver, e tornará para a sua terra.
29 No tempo determinado voltará, e entrará no sul; mas não sucederá desta vez como na primeira.
30 Porque virão contra ele navios de Quitim, que lhe causarão tristeza; por isso voltará, e se indignará contra o santo pacto, e fará como lhe aprouver. Voltará e atenderá aos que tiverem abandonado o santo pacto.

Veja que a partir do versículo 30 fala-se a respeito dos “violadores do Santo Pacto”. E quem são esses violadores? E do que se trata esse Santo Pacto? Ora, os violadores são os judeus, principalmente os líderes políticos e a cúria sacerdotal, a partir da Dinastia Herodiana. E o Santo Pacto nada mais é que a Lei de Moisés, a Santa Lei de Deus dada ao povo de Israel.

31 E estarão ao lado dele forças que profanarão o santuário, isto é, a fortaleza, e tirarão o holocausto contínuo, estabelecendo a abominação desoladora.

Essa profecia refere-se à invasão de Jerusalém pelo exército romano, sob a liderança do general Tito. Nesse tempo o Imperador de Roma era Vespasiano. A profecia das 70 Semanas de Daniel, no capítulo 9, também fala a respeito da invasão de Jerusalém, a profanação do Templo e a suspensão do holocausto contínuo. A destruição do Templo não significa que os rituais ordenados no Santo Pacto foram abolidos. Foram apenas suspensos até o dia em que o Terceiro Templo for reconstruído. Veja mais abaixo a profecia das 70 Semanas de Daniel.

32 Ainda aos violadores do pacto ele perverterá com lisonjas; mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte, e fará proezas.
33 Os entendidos entre o povo ensinarão a muitos; todavia por muitos dias cairão pela espada e pelo fogo, pelo cativeiro e pelo despojo.

Esse sofrimento, perseguição e morte do povo judeu começa a contar a partir da invasão de Jerusalém no ano 70 e depois, no ano 135 d.C., em uma nova rebelião, quando milhares de judeus foram mortos, e os demais fugiram e ficaram espalhados por diversas nações. Essa foi a segunda diáspora judaica.

34 Mas, caindo eles, serão ajudados com pequeno socorro; muitos, porém, se ajuntarão a eles com lisonjas.

Essa parte da profecia podemos confrontar com  Apocalipse 12,  quando diz que a Mulher (o povo judeu espalhado pelo mundo) seria ajudado e protegido contra as investidas do Dragão (Satanás).

35 Alguns dos entendidos cairão para serem acrisolados, purificados e embranquecidos, até o fim do tempo; pois isso ainda será para o tempo determinado.
36 e o rei fará conforme lhe aprouver; exaltar-se-á, e se engrandecerá sobre todo deus, e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas; e será próspero, até que se cumpra a indignação: pois aquilo que está determinado será feito.

Essa parte podemos confrontar com o que diz Apocalipse 13 sobre a perseguição dos santos pela Besta, os verdadeiros judeus, os ortodoxos, que ainda são fiéis e guardam os mandamentos do Santo Pacto.

37 E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem ao amado das mulheres, nem a qualquer outro deus; pois sobre tudo se engrandecerá.
38 Mas em seu lugar honrará ao deus das fortalezas; e a um deus a quem seus pais não conheceram, ele o honrará com ouro e com prata, com pedras preciosas e com coisas agradáveis.

Sobre essa parte já havia me referido anteriormente, afirmando que alguns imperadores romanos inovaram, fazendo coisas estranhas e diferentes dos seus antecessores. Um desses imperadores romanos que fez coisas diferentes de seus pais foi Constantino. Os romanos cultuavam vários deuses, e o maior deles era Mitra, o deus Sol Invicto, cuja comemoração se dava no solstício de verão, no final do mês de dezembro, entre os dias 21 e 25. Depois que a falsa igreja cristã liderada pelos Papas se uniu ao Império Romano (semelhante a mulher cor de escarlata montando sobre a Besta), o império passou a ser chamado de Sacro Império Romano. Constantino, que adorava o Sol Invicto, adotou um deus estranho para ser adorado por todos os romanos. E quem foi esse deus? Ora, foi o Jesus Cristo falso, o qual a Igreja Católica elevou à categoria de Deus, ao inventar a herética doutrina da trindade. Portanto, o falso cristo inventado pelo ICAR passou a ser uma espécie de Anticristo ou Antimashiach. Pois o verdadeiro Messias prometido pelos profetas e esperado pelos judeus não será um deus, e muito menos semelhante a Deus, ou Filho de Deus. Yesu Cristo nunca disse ser Filho de Deus; sempre dizia ser Filho do Homem. O deus das fortalezas, referido no versículo 38, trata-se de Tamuz. Esse deus era adorado num compartimento secreto do Templo. Vide Ezequiel capítulo 8. Na mitologia, Tamuz era filho de Semíramis, mãe e mulher de Ninrode. Alguns estudiosos associam Semíramis como a Nossa Senhora, mãe do Jesus Cristo falso, e o Jesus falso é Tamuz. Desde o seu nascimento, o falso Jesus Cristo foi honrado com ouro, prata e coisas preciosas. Isso está escrito no capítulo 2 de Mateus, quando os tais reis magos oferecem ouro, incenso e mirra ao menino-deus.

39 E haver-se-á com os castelos fortes com o auxílio dum deus estranho; aos que o reconhecerem, multiplicará a glória; e os fará reinar sobre muitos, e lhes repartirá a terra por preço.

Desde o estabelecimento do Jesus Cristo falso como mais um deus da mitologia romana, os imperadores romanos foram bem sucedidos até o ano 476 d.C, quando o Império Romano do Ocidente caiu e se dividiu em dez reinos.

As raízes da Segunda Besta começaram a brotar desde a queda da Primeira Besta no ano 476. Veja: 476+1300 anos = 1776. E os Estados Unidos da América foram fundados no ano de 1776.

Tem outra profecia paralela à profecia dos 1260 anos da profecia de Daniel 12. Vejamos o que diz Daniel 8.

“Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão relativamente ao holocausto contínuo e à transgressão assoladora, e à entrega do santuário e do exército, para serem pisados? Ele me respondeu: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado” (Daniel 8:13-14).

Será que desde a fundação dos Estados Unidos da América, em 1776, ainda haveria mais 1000 anos até a construção do Terceiro Templo e a purificação do Santuário?

Se considerarmos 2300 tardes e manhãs não como anos literais, mais como 1150 anos, ou seja, a metade, então temos 476+1150 anos = 1626. Mas se começarmos a contar esses 1150 anos a partir da construção da abominação da desolação, a Mesquita de Omar no monte do Templo, no ano 691, veja o que dá: 691+1150 anos = 1841, o ano aproximado do Grande Desapontamento dos adventistas do sétimo dia, que conforme os cálculos de Ellen White, a volta de Yesu Cristo se daria no ano de 1843; depois disseram que era 19844, e refizeram os cálculos prevendo a volta de Yesu até para o ano de 1974.

Mas, o cálculo oficial dos adventista para o cumprimento da profecia sobre a purificação do Santuário é assim: 457 a.C + 2300 anos = 1843. E eles não se dando por frustrados nos cálculos, começaram a ensinar que no ano de 1943 se deu realmente a purificação do Santuário, mas não do santuário terrestre, mas do Santuário celestial, ao qual Paulo se referiu na sua Carta aos Hebreus.

Só sei de uma coisa. Se interpretarmos literalmente a profecia das 2300 tardes e manhãs como sendo 2300 anos, então esse tempo começaria a contar a partir da retirada do sacrifício contínuo do Templo no ano 70 d.C. e a instalação da transgressão assoladora, (abominação desoladora) e a entrega do santuário e do povo santo para serem pisados por 1260 anos ou 1290 ou 1335 anos.

Cálculo: 70+2300 = 2370 d.C. Ou seja, ainda estaria muito distante a chegada do Messias. Mas o reino milenar do Messias pode começar antes, e o Terceiro Templo ser somente reconstruído no ano 2370.

Mas, e se o tempo da profecia das 2300 tardes e manhãs começou em 274 a.C, então, o construção do Terceiro Tempo e sua purificação se daria no ano 2026 (2300-274=2026).

O Império Romano durou cinco séculos: começou em 753 a.C. e terminou em 476 d.C.

Porém, acredito que essas 2300 tardes e manhãs se referem aos mesmos 1260 dias proféticos ou 42 meses, ou um tempo, dois tempos, e metade de um tempo, que quer dizer 3 anos e meio. Esses 42 dois meses proféticos na verdade são 1260 anos literais. A expressão “tardes e manhãs” se refere aos sacrifícios contínuos oferecidos pela manhã e à tarde que cessariam. Logo, 2300 tardes e manhãs equivalem a 1150 dias proféticos. E 1150 dias equivalem a 38,3 meses. Os meses são de 30 dias e os anos são de 360 dias, de acordo com o Calendário Judaico, que é Lunar. Acredito que aos 2300 tardes e manhãs sejam somadas mais 220 tardes e manhãs, totalizando 2520 tardes e manhãs (2520:2=1260). E onde teria começado essas 2520 tardes e manhãs ou 1260 dias proféticos, que equivalem a 1260 anos? A partir da instalação da abominação desoladora, a Mesquita Muçulmana, no monte do Templo em Jerusalém, no ano 691.

EXPLICAÇÃO MAIS PLAUSÍVEL PARA AS 2300 TARDES E MANHÃS

As 2300 tardes e manhãs se referem aos sacrifícios contínuos que eram oferecidos pela parte da manhã e à tarde no Templo. Desde o tempo que foi dado a ordem para a reedificação de Jerusalém, considera-se que a mesma ordem valia para a reconstrução do Segundo Templo no ano 457 a.C. Mas acredito que esse ano foi 459 a.C. Foi a partir do ano 459 a.C. que os sacrifícios contínuos passaram a ser oferecidos no Segundo Templo. E essas 2300 tardes e manhãs (1150 dias) durariam até a destruição do Segundo Templo, o templo de Herodes, no ano 70 d.C. e a instalação da abominação desoladora, no ano 691 d.C.

Portanto, as 2300 tardes e manhãs quer dizer 1150 dias proféticos, que equivalem a 1150 anos literais. Esses 1150 anos é o período de tempo que vai do ano 459 a.C. até o ano 691 d.C., ano em que foi concluído a instalação do Domo da Rocha no monte do Templo, a abominação da desolação. Cálculo: 459+691 = 1150 anos.

O tempo dado aos gentios (1260/1290/1335) para pisarem e profanarem o monte do Templo não entra nas 2300 tardes e manhãs.

Cálculo: 1150+1260 = 2410 (2410-459 = 1951 d.C.) – Ano aproximado da criação do Estado de Israel.

Cálculo: 1150+1290 = 2440 (2440-459 = 1981 d.C.) – O Domo da Rocha, a Mesquita de Omar e as ruínas do Templo de Jerusalém a Unesco transformou em patrimônio cultural da humanidade, sendo impossível remover a mesquita daquele local.

Cálculo: 1150+1335 = 2485 (2485-459 = 2026 d.C.) – Provável ano da reconstrução do Terceiro Templo).

Repare que Daniel 8:14 diz que após as 2300 tardes e manhãs, mais os 1335 anos dados aos gentios, o Santuário seria purificado, isto é, seria reconstruído e estabelecido os sacrifícios contínuos.

Portanto, 2026 pode ser o ano provável em que o Terceiro Templo será reedificado e o Santuário purificado e estabelecido novamente os sacrifícios contínuos.

Segundo essa minha interpretação das 2300 tardes e manhãs, quando Yesu Cristo retornar, o Terceiro Templo deverá estar de pé.

Depois do versículo 39, a profecia salta para o tempo do fim, os dias atuais.

40 Ora, no fim do tempo, o rei do sul lutará com ele; e o rei do norte virá como turbilhão contra ele, com carros e cavaleiros, e com muitos navios; e entrará nos países, e os inundará, e passará para adiante.

Ora, “ELE” refere-se ao iníquo, o homem do pecado, o líder israelense e seu parceiro político, a nação que domina o mundo atual, os Estados Unidos da América, que supostamente protege Israel. Esse “rei do sul” é o Egito e o “rei do norte” é a atual Turquia, que virá com um grande exército para invadir Israel, sendo apoiada pelo Irã. Portanto, o Egito irá ajudar Israel e servirá de base para as tropas americanas no Oriente Médio.

41 Entrará na terra gloriosa, e dezenas de milhares cairão; mas da sua mão escaparão estes: Edom e Moabe, e as primícias dos filhos de Amom.
42 E estenderá a sua mão contra os países; e a terra do Egito não escapará.

O exército turco aliado com o exército iraniano irá invadir Jerusalém, mas os países árabes neutros serão poupados (Líbano, Jordânia e Síria). O Egito, por ser traidor, será massacrado. Vide mapa.

Essa invasão de Jerusalém é retratada com mais detalhes nos capítulos 38 e 39 do livro do profeta Ezequiel. Gogue e Magogue são respectivamente a Turquia e o Irã. Essa invasão não é a famosa guerra do Armagedom. Lembre-se que a Turquia foi o berço do Império Romano do Oriente.

43 Apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata, e de todas as coisas preciosas do Egito; os líbios e os etíopes o seguirão.
44 Mas os rumores do oriente e do norte o espantarão; e ele sairá com grande furor, para destruir e extirpar a muitos.
45 E armará as tendas do seu palácio entre o Mar Grande (Mar Mediterrâneo) e o glorioso monte santo; contudo virá ao seu fim, e não haverá quem o socorra.

O território do Irã faz fronteira com o do Turquia. Uma parte dos exércitos da Turquia e do Irá virá por Terra e pelo ar, e outra parte virá pelo Mar Mediterrâneo, e ficarão de frente para Jerusalém, esperando a hora do ataque final. Mas algo inesperado irá acontecer e frustrará os seus planos. Os Estados Unidos, com apoio da França, Grã-Bretanha e demais aliados farão o rei do norte com seu exército recuar.

Lembrem-se: o rei norte não é o Anticristo, a Besta que fez acordo com o povo de Israel. Quem é a Besta (a Segunda Besta) são os Estados Unidos da América, aliado e protetor dos judeus sionistas, contra o qual lutará o rei do norte. De certa forma o rei do norte, a Turquia, e seu parceiro, o Irã, também pode ser considerado um Antimashiach, pois ele vem com a intenção de destruir Israel e a Besta que controla o mundo para impedir a chegada do Messias prometido. Mas a Besta prevalecerá. Só quem poderá destruir a Segunda Besta é Deus. Para isso Ele preparou os juízos das sete trombetas e das sete taças da ira que serão derramadas contra o trono da Besta, conforme está retratado no livro de Apocalipse.

O reino de Judá e Israel, quando o prometido Messias reinar, será de regime monárquico. O atual sistema de governo de Israel é República Presidencialista. O atual governo de Israel foi estabelecido pelos violadores do Santo Pacto, os judeus sionistas. Portanto, a criação do atual Estado de Israel não foi da vontade de Deus, foi apenas para o cumprimento das profecias.

O desafio maior para o cumprimento dessa profecia é saber se os agentes envolvidos irão cumpri-la, visto que ela está clara e acessível a todos, de tal modo que eles conhecem essa profecia, mas talvez não saibam interpretá-la. E agora, se por acaso eles lerem o meu texto explicando essa profecia, será que ainda porão em prática os seus planos? Será que depois de tomarem conhecimento do script dos últimos acontecimentos eles continuarão botando em prática seus planos? Ou eles têm suas mentes manipuladas por Deus, sendo obrigados a fazer coisas contra a própria vontade?

O que posso concluir é que os verdadeiros intérpretes da profecia podem atrapalhar o seu cumprimento, por terem revelados os pormenores de como se dará os conflitos, bem como os agentes envolvidos, sendo inclusive citados seus nomes. Será que eu me encaixo nesse perfil? Mas eu não sou o único a revelar os grandes segredos das profecias.

PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL 9

20 Enquanto estava eu ainda falando e orando, e confessando o meu pecado, e o pecado do meu povo Israel, e lançando a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus,
21 sim enquanto estava eu ainda falando na oração, o varão Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora da oblação da tarde.
22 Ele me instruiu, e falou comigo, dizendo: Daniel, vim agora para fazer-te sábio e entendido.
23 No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, pois és muito amado; considera, pois, a palavra e entende a visão.
24 Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo.
25 Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém até o ungido, o príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; com praças e tranqueiras se reedificará, mas em tempos angustiosos.
26 E depois de sessenta e duas semanas será cortado o ungido, e nada lhe subsistirá; e o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até o fim haverá guerra; estão determinadas assolações.
27 E ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada, a qual será derramada sobre o assolador.

————————————————-
Falou e disse Miquels7
Manaus-AM, 20 de maio de 2018.
Todos os direitos reservados para Miquels7.

21/05/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

UM GRAVE ERRO DE EXEGESE BÍBLICA DE PAULO COLOCA EM DÚVIDA A INSPIRAÇÃO DO NOVO TESTAMENTO

**********
Na minha humilde capacidade de fazer exegese bíblica, acho que sou o único escritor até agora a descobrir uma falha grave de interpretação nos escritos de Paulo.

RESUMO

Ainda estou concluindo um texto sobre este assunto.

A Carta aos Hebreus - Fundo

Meu comentário é a respeito da profecia do “novo pacto” de Jeremias 31:31-34 que o apóstolo Paulo, em Hebreus 8, interpretou como sendo a Lei da Graça, a nova aliança que Deus estabeleceu com os crentes gentios.

O erro grave de Paulo é que ele pega uma profecia voltada exclusivamente para o povo hebreu, o povo de Judá e Israel, e tenta aplicá-la aos crentes gentios, para justificar a Lei da Dispensação da Graça, a nova aliança, que segundo ele, substituiu a Lei de Moisés.

É óbvio que para a época de Paulo a profecia de Jeremias sobre o novo pacto parecia se encaixar perfeitamente, porque ele era judeu, e além do mais, os judeus viviam na expectativa da chegada do Messias. Porém, passados quase dois mil anos depois que Paulo escreveu a Carta aos Hebreus, podemos constatar que o “novo pacto” da profecia de Jeremias 31:31-34 não se refere à Lei da Graça, pois, a tal aliança ainda não se cumpriu com o povo de Judá e Israel, e muitos menos com os crentes gentios.

O ponto crucial sobre uma ou duas interpretações de Paulo estarem equivocadas é a credibilidade dos seus demais ensinos nas suas treze cartas apostólicas, que se tornaram base da teologia cristã. Se Paulo cometeu pelo menos um erro de exegese bíblica, só esse fato já seria suficiente para colocar em dúvida outras interpretações suas a respeito de textos extraídos da Torá. E eu mesmo já identifiquei mais de dois comentários equivocados de Paulo somente na Epístola aos Hebreus. Paulo toma informações de um livro apócrifo, denominado Livro de Melquisedeque, supostamente escrito por Abraão, onde é narrada a história desse lendário rei-sacerdote cananeu. Só existe duas referências no Antigo Testamento que fala a respeito desse Melquisedeque. A primeira, no livro de Gênesis, quando Abraão voltando de uma guerra se encontra com o mesmo; e a segunda, no livro dos Salmos, relacionando a função de Melquisedeque com a função do rei Davi. O próprio apóstolo Paulo reconhece que existia na época pouca informações sobre esse tal Melquisedeque. Chega a dizer que ele não teve princípio nem fim de dias, ou seja, ele estava mais ou menos afirmando que o tal era um personagem fictício. E mesmo assim Paulo relaciona a função de Melquisedeque como uma prefiguração para as funções que Yesu Cristo viria a exercer como Sacerdote e Rei. Outro equívoco de Paulo na sua Carta aos Hebreus é quando ele diz que Moisés consagrou os objetos de rituais do tabernáculo e o livro da Lei com sangue de bodes e touros. Fiz uma pesquisa cuidadosa e constatei que Moisés jamais empregou sangue de bodes ou de touros para aspergir ou ungir os utensílios do santuário, porque o sangue desses animais não tinha essa finalidade. Veja em Hebreus 9:13, 19-21 e compare com Êxodo 40 e Levítico 8. Moisés ungiu os utensílios com óleo santo e não com sangue de touros e bodes. No entanto, Moisés pega o texto de Êxodo 24 para afirmar que Moisés utilizou sangue de touros e bodes para aspergir (ou ungir) os utensílios do tabernáculo e o livro da Lei. Leia o texto, abaixo.

Êxodo 24
1 Depois disse Deus a Moisés: Subi ao Senhor, tu e Arão, Nadabe e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel, e adorai de longe.
2 Só Moisés se chegará ao Senhor; os, outros não se chegarão; nem o povo subirá com ele.
3 Veio, pois, Moisés e relatou ao povo todas as palavras do Senhor e todos os estatutos; então todo o povo respondeu a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado faremos.
4 Então Moisés escreveu todas as palavras do Senhor e, tendo-se levantado de manhã cedo, edificou um altar ao pé do monte, e doze colunas, segundo as doze tribos de Israel,
5 e enviou certos mancebos dos filhos de Israel, os quais ofereceram holocaustos, e sacrificaram ao Senhor sacrifícios pacíficos, de bois.
6 E Moisés tomou a metade do sangue, e a pôs em bacias; e a outra metade do sangue espargiu sobre o altar.
7 Também tomou o livro do pacto e o leu perante o povo; e o povo disse: Tudo o que o Senhor tem falado faremos, e obedeceremos.
8 Então tomou Moisés aquele sangue, e espargiu-o sobre o povo e disse: Eis aqui o sangue do pacto que o Senhor tem feito convosco no tocante a todas estas coisas.

Veja o grave erro de Paulo. Os bodes nunca eram usados para ofertas pacíficas, isto é, holocaustos de oferta agradável ao Senhor. Já os touros de três anos (novilhos) eram usados em sacrifícios como oferta pelo pecado e também em holocausto como oferta pacífica. E nesse episódio de Êxodo 24 diz que foram oferecidos bois em holocausto como OFERTAS PACÍFICAS, que com certeza eram novilhos e carneiros. Bodes nunca foram utilizados para ofertas pacíficas; eram oferecidos como ofertas pelo pecado. Sangues de novilhos e carneiros oferecidos como oferta pelos pecados eram usados para aspergir as pontas do altar, mas jamais foram usados para aspergir ou ungir objetos sagrados do tabernáculo. E o mais grave: Paulo disse que até o Livro da Lei foi aspergido com sangue de bodes. Ora, isso é um grande absurdo! Como pode um texto com graves erros de interpretação ser considerado inspirado pelo Espírito Santo?!

“Porque, havendo Moisés anunciado a todo o povo todos os mandamentos segundo a Lei, tomou o sangue dos novilhos e dos bodes, com água, lã purpúrea e hissopo e aspergiu tanto o próprio livro como todo o povo, dizendo: este é o sangue do pacto que Deus ordenou para vós. Semelhantemente aspergiu com sangue também o tabernáculo e todos os vasos do serviço sagrado” (Hebreus 9:19-21).

A profecia sobre o “novo pacto” de Jeremias 31:31-134 só será cumprida no governo milenar do Messias. Irei citar referências dos livros de Isaías, Zacarias, etc, para provar que a profecia do “novo pacto” de Jeremias 31 ainda não se cumpriu.

Já assisti vídeos e li textos em vários sites sobre a profecia do “novo pacto” de Jeremias 31:31-34 e de Hebreus 8, mas ninguém teve a capacidade de questionar a interpretação de Paulo. Todos concordam cegamente com Paulo. Percebi que todos os exegetas e teólogos de séculos atrás e os da atualidade já vêm com a mente condicionada para aceitar tudo o que Paulo escreveu, sem questionar nada, pois, aprenderam que toda a Escritura é inspirada, incluindo-se os escritos paulinos. Parece que os teólogos tradicionais não têm a mínima capacidade de fazer uma crítica literária isenta, sem fanatismo religioso.

Também irei falar a respeito da autoria da Carta aos Hebreus e de outras interpretações equivocadas da Torá que Paulo (e Timóteo) fizeram.

—————–
Miquels7

16/05/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

SEGUNDO O APÓSTOLO TIAGO, A LEI DE MOISÉS É A LEI PERFEITA, A LEI DA LIBERDADE

**********
“Entretanto aquele que atenta bem para a Lei Perfeita, a da Liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer” (Tiago 1:25).

A teologia católica e protestante se fundamenta mais nos ensinos de Paulo que nos ensinos do próprio Cristo nos evangelhos, e nos ensinos dos demais apóstolos. E ainda dizem que o que vale mais é a sabedoria que vem do alto e não a sabedoria humana.

Porém, bem sabemos que Paulo só escreveu mais livros (longas cartas, 13 ao todo) que os demais apóstolos porque ele tinha muita sabedoria humana, sabedoria material. E os demais apóstolos escreveram pouco, cartas bem curtas, porque não tinham muita sabedoria humana. Isto posto, podemos afirmar que os teólogos católicos e protestantes são hipócritas ao dizer que o que vale mais é a sabedoria que vem do alto. Paulo era fariseu, era letrado e muito estudioso. Tinha muito conhecimento da Lei de Moisés, da Torá, dos salmos, dos profetas e de outros livros extra-bíblicos que na época não eram considerados apócrifos. Pedro, Tiago e Judas também possuíam cópias do livro de Enoque. Pedro e Judas chegaram a citar trechos do livro de Enoque em suas epístolas, porém, não escreveram longos textos nem doutrinaram sobre os principais fundamentos da fé cristã como fez Paulo..

E Paulo só foi escolhido para ser apóstolo dos gentios porque Yesu Cristo viu nele capacidade para dialogar com as autoridades, capacidade para escrever, ensinar e exortar, visto que ele era letrado e culto. No entanto, apesar da muita sabedoria e conhecimento de Paulo, ele ensinou doutrinas estranhas e diferentes das que Cristo e os demais apóstolos ensinaram

A EPÍSTOLA DE TIAGO

Epístola de Tiago

A epístola de Tiago foi muita rejeitada pelos pais da Igreja, nos concílios realizados para a canonização dos livros sagrados e inspirados. Teve muita resistência de alguns bispos da Igreja Católica quanto à aceitação da Carta de Tiago como inspirada, pois nela vemos alguns ensinos conflitantes com os de Paulo.

O monge católico, pai da Reforma Protestante, Martinho Lutero, também rejeitou a Carta de Tiago como inspirada, e a menosprezou dizendo ser uma “epístola de palha”, que não valia nada. Pois, Tiago fala bem da Lei de Moisés, e faz pouco caso da Lei da Graça de Cristo que Paulo ensinou. Tiago também confrontou o ensino de Paulo que diz que a salvação ou justificação do pecador é adquirida somente pela fé, e não pelas obras. E Tiago diz que a salvação é pelas obras, pois, a fé sem as obras é morta. E os teólogos católicos e protestantes vendo essa grave contradição nos ensinos do Novo Testamento se viram numa encruzilhada. Será que a Bíblia é toda inspirada? Será que existem contradições nos ensinos da Bíblia? E para que não restasse nenhuma dúvida de que na Bíblia, especialmente no Novo Testamento, não existem contradições, eles bolaram explicações nada convincentes para dizer que Paulo falava de uma fé, e Tiago falava de outra. Ou que a fé para a salvação é uma, e a fé para a prática de boas obras é outra. E na realidade, a fé que Paulo e Tiago se referiam era a mesma fé, a fé para a salvação.

Tanto Tiago como Pedro e Judas também tinham conhecimento do conteúdo das cartas que Paulo escrevia. E Pedro chega a se referir aos escritos de Paulo em uma de suas epístolas, mas não transcreveu nenhum deles. Tiago conhecia bem o que Paulo escrevia sobre a salvação, por isso o confrontou, afirmando que a salvação não é exclusivamente pela fé, mas também pelas obras.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9).

“Porquanto pelas obras da lei nenhum homem será justificado diante dele; pois o que vem pela lei é o pleno conhecimento do pecado. (…) Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei” (Romanos 3:20,28).

“Sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, mas sim, pela fé em Cristo Jesus, temos também crido em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei; pois por obras da lei nenhuma carne será justificada” (Gálatas 2:16).

“Como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição” (II Pedro 3:15-15).

“Que proveito há, meus irmãos, se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo? Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano. e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso? Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demônios também o crêem, e estremecem. Mas queres saber, ó homem vão, que a fé sem as obras é estéril? Porventura não foi pelas obras que nosso pai Abraão foi justificado quando ofereceu sobre o altar seu filho Isaque? Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada; e se cumpriu a escritura que diz: E creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, e foi chamado amigo de Deus. Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé (…) Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago 2:14-26).

“E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era. Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer” (Tiago 1:22-25).

Deus julgará a cada um segundo as suas obras, e não segundo a fé. Que adianta ter a fé, e não ter nenhuma obra boa para apresentar diante de Deus?

“E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor durante o tempo da vossa peregrinação” (I Pedro 1:17).

Paulo disse aos efésios e aos gálatas que a salvação era somente pela fé, sem as obras da Lei. Mas aos coríntios ele se contradiz e diz outra coisa.

“Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se permanecer a obra que alguém sobre ele edificou, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo” (I Cor. 3:11-15).

Alguém se baseando na teologia tradicional pode dizer que essa obra aí que Paulo falou aos coríntios não é obra para obtenção da salvação. Porém, o que Cristo ensinou e o que podemos constatar em outros trechos das Escrituras é que a salvação é obtida, sim, pelas obras. Se não fosse assim, no Apocalipse estaria escrito que os mortos seriam julgados pela fé. E o que vemos bem claro como a luz do dia é que os mortos serão julgados de acordo com as suas obras.

“E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras” (Apoc. 20:12).

Justificado ou julgado de acordo com as obras tem o mesmo sentido. A salvação ou justificação que Paulo ensinou, obtida como num passe de mágica, apenas pela fé em Cristo, contraria o que Cristo ensinou no seu evangelho. Yesu Cristo irá salvar e escolher para habitar no seu reino os seres humanos aperfeiçoados, e não terríveis pecadores que supostamente são justificados por um passe de mágico, simplesmente por dizer que crê em Yesu. Bem falou Tiago, dizendo que os demônios também creem e estremecem. Mas eles não têm obras que possam justificá-los e livrá-los do inferno.

Certo homem rico perguntou a Yesu Cristo o que tinha que fazer para obter a vida eterna. E Yesu perguntou se ele guardava as leis de Deus (Lei de Moisés), e ele disse que sim. Mas Cristo viu que algo impedia o tal jovem de ser salvo. Eram as riquezas a qual ele amava tanto que estavam impedindo de ele ser salvo. Aí Cristo responde: Falta-te uma coisa, vende tudo o que tens, distribuía com os pobres, depois vem e segue-me, e terás um tesouro no reino dos céus. Esse “reino dos céus” a qual Yesu Cristo se referiu não é o “Céu”, como os crentes imaginam. Esse reino dos céus é tão somente o reino que Cristo irá estabelecer aqui na Terra para sempre. E prometeu ressuscitar para reinar com Ele todos aqueles que creem que Ele é o Senhor e salvador da humanidade.

Cristo também disse que os perdidos (joio) serão colocados à sua esquerda, e os salvos (trigo) serão colocados à sua direita. E Ele diz o motivo dos perdidos estarem à sua esquerda e os salvos estarem à sua destra. Simplesmente em razão das obras de cada um. Ele disse: Porque tive fome e me deste de comer, estava nu e me vestistes. Ou seja, os crentes serão salvos de acordo com as suas obras, e não por intermédio da fé. E Yesu Cristo foi mais categórico ainda. Disse: Nem todo o que me diz “Senhor, Senhor”, entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai. Ora, o que diz que tem fé e busca a salvação apenas pela fé só diz “Senhor, Senhor”, é fiel nos dízimos (entrega o dinheiro nas mãos dos pastores mercenários), é fiel adorador, canta, jejua, etc, mas não pratica as boas obras, não faz a vontade do Pai. E qual é a vontade do Pai? “Misericórdia quero e não sacrifícios”. Deus prefere que você viva praticando boas ações, fazendo boas obras, ajudando o seu semelhante necessitado, fazendo a obra de Deus sem pensar em dinheiro, que ficar na igreja dizendo que está só orando pelos pobres e necessitados e pedindo para Deus ir visita-los, enquanto ele disse que você é quem deve ir visitar os pobres, os doentes e os presos. Que adianta dizer que está na igreja todos os dias adorando a Deus? Deus não quer isso. Deus não quer bajulação. Deus quer ver ação do crente em ajudar o próximo, fazer a obra de Deus sem visar dinheiro, sem visar salário, sem exigir estadia em hotéis; cantar ou tocar nas igrejas sem exigir cachês, como fazem esses pastores e cantores gospel famosos da atualidade.

“Quando, pois vier o Filho do homem na sua glória, e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e diante dele serão reunidas todas as nações; e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda. Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes; estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me. (…) Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos; porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; era forasteiro, e não me acolhestes; estava nu, e não me vestistes; enfermo, e na prisão, e não me visitastes” (Mateus 24:31-43).

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres?” (Mateus 7:21-22.

“Depois vieram também as outras virgens, e disseram: Senhor, Senhor, abre-nos a porta. Ele, porém, respondeu: Em verdade vos digo, não vos conheço” (Mateus 25:11-12).

“E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?” (Lucas 6:46).

“Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos” (Oséias 6:6).

“Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios. Porque eu não vim chamar justos, mas pecadores” (Mateus 9:13). [Yesu Cristo vivia entre pecadores, prostitutas, mendigos e doentes, e procurava ajuda-los de alguma forma].

“Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes” (Mateus 12:7).

“De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? diz o Senhor. Estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; e não me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecerdes perante mim, quem requereu de vós isto, que viésseis pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação. As luas novas, os sábados, e a convocação de assembléias… não posso suportar a iniqüidade e o ajuntamento solene! As vossas luas novas, e as vossas festas fixas, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer. Quando estenderdes as vossas mãos, esconderei de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei; porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal” (Isaías 1:11-16). [ISSO DEUS ESTÁ FALANDO DIRETAMENTE COM OS CRENTES QUE VIVEM NA IGREJA ADORANDO A DEUS – BAJULANDO DEUS EM TROCA DE ALGUMA BÊNÇÃO MATERIAL – DIZENDO QUE ESTÃO SENDO FIEIS DIZIMISTAS E ORANDO PELOS NECESSITADOS, E PEDINDO PARA DEUS IR NA CASA DE CADA UM VISITÁ-LOS. HIPÓCRITAS! POR ISSO DEUS ABOMINA O QUE ELES OFERECEM].

“Aprendei a fazer o bem; buscai a justiça, acabai com a opressão, fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva. (…) Como se fez prostituta a cidade fiel! ela que estava cheia de retidão! A justiça habitava nela, mas agora homicidas.(…) Os teus príncipes (PASTORES) são rebeldes, e companheiros de ladrões (POLÍTICOS); cada um deles ama as peitas, e anda atrás de presentes; não fazem justiça ao órfão, e não chega perante eles a causa da viúva (USAM PARA OUTRA FINALIDADE OS DÍZIMOS E AS OFERTAS)” (Isaías 1:17-23).

“A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo” (Tiago 1:27).

**********
A LEI DA GUARDA DO SÁBADO NUNCA FOI ABOLIDA

Yesu Cristo, falando nos sermão do monte a respeito dos acontecimentos que antecederiam a invasão de Jerusalém pelo exército romano, ditou uma profecia que se cumpriria tempos depois da sua ressurreição, dando conta que os judeus continuariam respeitando a Lei da guarda do Sábado. Se depois da sua morte e ressurreição a Lei de Moisés seria abolida, por certo, Yesu Cristo não teria se referido à guarda do Sábado.

“Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias! Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno nem no sábado; porque haverá então uma tribulação tão grande, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá” (Mateus 24:19-21).

Isso é mais uma prova de que a Lei não foi abolida.

Também no livro de Apocalipse vemos outra referência a respeito da Lei de Moisés que os judeus ainda estariam guardando mesmo no tempo do fim. Veja.

“E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus” (Apoc. 12:17).

Ora, quem é essa mulher? Quem é o filho varão? Quem são esses filhos da mulher que guardam os mandamentos de Deus? E o que são esses mandamentos de Deus?

Essa mulher sem dúvida representa Israel, o povo escolhido de Deus. E o texto bíblico deixa bem claro que essa mulher não teve somente um filho; teve outros filhos. O filho varão que foi arrebatado ou tomado para Deus e seu trono pode se referir a duas coisas:

1) Pode representar o grupo dos 144 mil que serão selados e arrebatados durante a Grande Tribulação.

2) Pode representar o grupo de todos os salvos, cujas almas ou espíritos se encontravam no antigo Hades, e que Cristo, ao morrer, desceu nas profundezas da Terra e as transportou para um local especial nos céus, onde estão aguardando a ressurreição do último dia. A guerra nos céus entre Satanás e seus anjos contra Miguel e seus anjos teria se dado por causa da elevação das almas que estavam no Hades sob o controle de Satanás. Ele não teria aceitado que as almas fossem tiradas de lá. Mas Yesu Cristo desceu lá e levou cativo o cativeiro. Yesu disse que tinha recebido todo o poder nos céus e na Terra e que agora Ele tinha as chaves da morte e do inferno, e Satanás não mais mandava no Hades.

E os outros filhos da mulher são todos os cristãos que guardam os mandamentos da Lei de Moisés, os Dez Mandamentos, incluindo-se o mandamento do Sábado, que celebram a festa da Páscoa e outras festas de Israel. Esses sãos os judeus ortodoxos, remanescentes. E também estão incluídos aí os cristãos que acreditam na história de Cristo e pregam sua mensagem, o evangelho do reino.

Os católicos e cristãos protestantes sempre tiveram preconceitos pelos judeus, e inclusive não se consideravam filhos da mulher. E se os cristãos ainda acham que não são filhos da mulher, então, a profecia de Apocalipse 12:17 não se refere a eles. Refere-se somente aos judeus ortodoxos, que ainda guardam os mandamentos de Deus e as ordenanças da Lei de Moisés.

Foi somente o apóstolo Paulo que inventou essa história de que a Lei de Moisés foi abolida. Nenhum dos doze apóstolos de Cristo falou que a Lei foi abolida.

“Mas o entendimento lhes ficou endurecido. Pois até o dia de hoje, à leitura do Velho Pacto, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em Cristo é ele abolido; sim, até o dia de hoje, sempre que Moisés é lido, um véu está posto sobre o coração deles” (II Cor. 3:14-15).

Não! De jeito nenhum! Isso que Paulo falou aos coríntios sobre a abolição da Lei não foi coisa inspirada pelo Espírito Santo.

“Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a Lei dos mandamentos contidos em ordenanças, para criar, em si mesmo, dos dois um novo homem, assim fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um só corpo” (Efésios 2:13-16).

“Pois, com efeito, o mandamento anterior é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos aproximamos de Deus” (Hebreus 7:18-19).

“E a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos; e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz” (Colossenses 2:13-15).

“Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor pacto, o qual está firmado sobre melhores promessas. Pois, se aquele primeiro fora sem defeito, nunca se teria buscado lugar para o segundo. Porque repreendendo-os, diz: Eis que virão dias, diz o Senhor, em que estabelecerei com a casa de Israel e com a casa de Judá um novo pacto. Não segundo o pacto que fiz com seus pais no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; pois não permaneceram naquele meu pacto, e eu para eles não atentei, diz o Senhor. Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo; e não ensinará cada um ao seu concidadão, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior. Porque serei misericordioso para com suas iniquidades, e de seus pecados não me lembrarei mais. Dizendo: Novo pacto, ele tornou antiquado o primeiro. E o que se torna antiquado e envelhece, perto está de desaparecer” (Hebreus 8:6-13).

Esse ensino de Paulo (ou de Timóteo) na Carta aos Hebreus, que diz “Dizendo: Novo pacto, ele tornou antiquado o primeiro; e o que se torna antiquado e envelhece, perto está de desaparecer”, foi um erro grosseiro de Paulo. Ele tomou uma profecia do profeta Jeremias referente ao reino milenar do Messias para tentar contradizer a Lei de Moisés e justificar a Lei da Graça. Pois, esse “NOVO PACTO” que Deus falou através do profeta ainda não foi realizado. Com certeza esse “novo pacto” não é a dispensação da graça que Paulo se refere. Esse “novo pacto” com o seu povo escolhido ainda está para ser cumprido. E isso só ocorrerá no reino milenar do Messias.

“Eis que os dias vêm, diz o Senhor, em que farei um pacto novo com a casa de Israel e com a casa de Judá, não conforme o pacto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito, esse meu pacto que eles invalidaram, apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas este é o pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniqüidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados” (Jeremias 31:31-34).

E QUAL A DIFERENÇA DO HOMEM QUE GUARDA OU VIVE SOB A LEI DE MOISÉS PARA O HOMEM QUE VIVE SOB A LEI DA GRAÇA DE CRISTO ENSINADA POR PAULO? NENHUMA. AMBOS ESTÃO SUJEITOS AO PECADO E À MORTE.

“Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Romanos 6:14).

“E a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos” (Col. 2:14).

Yesu Cristo ao morrer na cruz não perdoou os pecados de todos os pecadores, de toda a humanidade. Todos continuam pecando de alguma forma e precisam se arrepender para receber o perdão. Não adianta dizer que é pecador e que crê e aceita Yesu, mas continua pecando, pois, o sangue de Cristo não o livrará da morte.

Não há nenhuma diferença em relação ao enfrentamento do pecado do crente judeu que pratica a Lei de Moisés para o crente gentio que vive sob a dispensação da graça. Todos pecam, pois estão sujeitos ao pecado. E todos que se arrependem das culpas devem se esforçar para não voltar a pecar. O sangue de Cristo não torna ninguém imune ao pecado.

Mesmo debaixo da Graça o crente está sujeito ao pecado. Ninguém fica imune só pelo fato de dizer que crê e aceita a Yesu Cristo.

Tiago disse que todos nós somos falhos e imperfeitos. Ninguém se torna super-homem depois que aceita a Yesu.

“Pois todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo” (Tiago 3:2).

Nenhum crente, por mais honesto que seja, é capaz de afirmar com sinceridade que não peca, que não tropeça em alguma coisa. Até em pensamento ele pode pecar.

Da mesma forma que na Lei o pecador tinha que se arrepender e oferecer sacrifícios pedindo perdão pelas suas culpas, também os pecadores de hoje que supostamente vivem sob a dispensação da graça precisam se arrepender e pedir perdão de Deus para serem perdoados. Ambos estão sujeitos ao pecado e à morte. Não adianta a pessoa aceitar a Yesu Cristo e se batizar para se gabar dizendo que agora está protegida do pecado. Todos podem continuar pecando e, se não se arrependerem, podem se perder.

Então, qual a diferença da Lei de Moisés para a Lei da Graça de Cristo? Nenhuma. Todos estão sujeitos ao pecado e à morte. Todos precisam se arrepender e pedir perdão de Deus. Se a pessoa é perdoada e continua obedecendo aos mandamentos, esse é justo e temente a Deus. Mas se não obedece aos mandamentos, pode ser judeu ou gentio, todos são pecadores e precisam se arrepender. Paulo disse que sangue de bodes e touros não tem poder para perdoar pecados. Mas disse que o sangue de Cristo tem poder para purificar os pecados. Porém, digo que o sangue que Cristo derramou na cruz não era sangue divino, era sangue humano. E será que sangue humano tem poder para tirar pecados, por mais inocente que seja a pessoa? Não.

Yesu Cristo disse que passariam os céus e a Terra, mas nenhum mandamento da Lei seria abolido. E bem sabemos que os céus e a Terra ainda permanecem. Portanto, a Lei de Moisés ainda é válida.

“Não penseis que vim destruir a Lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir; porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido” (Mateus 5:17-18).

Quando Cristo diz que veio “cumprir”, quer dizer que Ele veio praticar e obedecer a Lei e os mandamentos, exceto a tradição dos anciãos, que foi contra.

“A Lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem forceja por entrar nele. É, porém, mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da Lei” (Lucas 16:16-17).

A frase “A Lei e os profetas vigoraram até João” foi traduzida de forma errônea. A frase correta é “A Lei e os profetas profetizaram até João”, conforme foi trazido em Mateus 11:13.

“Pois todos os profetas e a Lei profetizaram até João” (Mateus 11:13).

Não são a Lei e os ensinos dos profetas que vigoraram até João; são as profecias contidas na Lei e nos profetas que se referiam até a chegada de João Batista, o Elias que havia de vir, o precursor de Cristo.

É óbvio que muitas ordenanças e mandamentos da Lei de Moisés não são possíveis de serem cumpridos atualmente, porque o Grande Templo não mais existe e os serviços dos sacerdotes, a função do sumo-sacerdote e o sacerdócio da tribo de Levi foram suspensos por tempo indeterminado. Leis de sacrifícios pelos pecados e holocaustos e a prática dos dízimos não são mais obrigatórias. Mas, mesmo assim, os judeus e todos os cristãos têm por obrigação dar assistência aos órfãos, às viúvas e aos idosos, aos estrangeiros, e a todos os necessitados. E se querem dizimar, podem perfeitamente empregar o dinheiro dos dízimos na assistência aos necessitados.

O apóstolo João disse que os mandamentos da Lei do Senhor não são pesados.

“Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos” (I João 5:3).

O salmista Davi sempre se referia a Lei de Moisés nos seus salmos. Ele sempre dizia que a Lei do Senhor era perfeita. Disse ainda que “lâmpada para os meus pés é a tua Palavra, e luz para o meu caminho”.

Nenhum escrito bíblico afirmou que a Lei era má. Paulo disse que a Lei era IMPERFEITA e não servia para salvar ninguém, mas ao mesmo tempo disse que ela era boa e santa. Paulo se contradisse em muitas de suas afirmações.

“Porque o pecado, tomando ocasião, pelo mandamento me enganou, e por ele me matou. De modo que a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Logo o bom tornou-se morte para mim? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte por meio do bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se manifestasse excessivamente maligno. Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa” (Romanos 7:11-16).

Se você acredita que a Lei de Moisés foi abolida, então nunca leia os salmos de Davi que falam sobre a Lei, principalmente o Salmo primeiro. Os salmos devem ser recitados somente por aqueles que guardam e obedecem aos mandamentos do Senhor.

Se a Lei de Moisés não aperfeiçoou ninguém, por acaso, a Lei da Graça de Cristo está aperfeiçoando alguém? Quantos cristãos realmente cumprem o ensino do Evangelho de Cristo? Quantos têm condições de abrir a boca em alto e bom som e dizer ser “eu sou fiel, santo, puro, liberto, caridoso e que não amo as riquezas e os prazeres desse mundo?” Tem um exemplo na Bíblia de um grupo de pessoas realmente aperfeiçoadas que será tomado da Terra. Será que os 144 mil foram aperfeiçoados pela Lei de Moisés ou pela Lei da Graça? Com certeza pela Lei de Moisés, pois esses são judeus fiéis aos mandamentos de seu Deus.

“E olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o Monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que traziam na fronte escrito o nome dele e o nome de seu Pai. E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão e a voz que ouvi era como de harpistas, que tocavam as suas harpas. E cantavam um cântico novo diante do trono, e diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil, aqueles que foram comprados da terra. Estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis” (Apoc. 14:1-5).

**********
O QUE É ESSA “LEI PERFEITA” OU “LEI DA LIBERDADE” QUE TIAGO SE REFERIU?

“Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer” (Tiago 1:25).

“Todavia, se estais cumprindo a lei real segundo a escritura: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem. Mas se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo por isso, condenados pela lei como transgressores. Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos. Porque o mesmo que disse: Não matarás. Ora, se não cometes adultério, mas és homicida, te hás tornado transgressor da lei. Falai de tal maneira e de tal maneira procedei, como havendo de ser julgados pela lei da liberdade” (Tiago 2:8-12).

Ora, essa Lei Perfeita ou Lei da Liberdade é a Lei de Moisés que fala sobre o amor ao próximo e a prática de boas obras. Isso se evidencia quando ele diz para o crente não ser somente ouvinte, mas praticante da Lei. Tiago fala sobre a prática da Lei Perfeita depois de contrapor o ensino de Paulo, que diz que a salvação ou justificação é obtida pela fé, sem as obras da Lei. E ele contraria Paulo, dizendo que a fé sem as obras é morta. E diz bem claro: “Que proveito há, meus irmãos, se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo?”. Por aí se vê que Tiago estava falando de salvação e justificação pelas obras. Estava falando de salvação.

Tiago estava ensinando que não adiantava ouvir os mandamentos da Lei e não praticá-los, principalmente o mandamento da prática do amor ao próximo necessitado.

E é exatamente a mesma coisa que fazem os cristãos da atualidade. Eles ouvem o ensinamento de Cristo na igreja que diz que devemos praticar boas obras, visitar e levar ajuda material aos doentes, aos órfãos e às viúvas (idosos nos asilos), aos encarcerados (ladrões de galinha ou pessoas que roubaram para comer), e repartir o pão com os que nada têm. Mas o que a maioria desses cristãos faz? Entregam os dízimos nas mãos dos pastores mercenários, dizendo que é para a obra, mas eles embolsam a maior parte do dinheiro, ficam ricos e milionários, e ainda recebem altos salários. Quando não, vão para a igreja louvar a Deus (bajular para alcançar algum bem material ou uma cura milagrosa) e orar pedindo para Deus visitar os necessitados, enquanto Deus diz que eles é que têm que visitar e ajudar os necessitados.

Mas, por que os cristãos da atualidade não fazem a vontade do Pai? Por causa do ensino de Paulo, que diz que a salvação não é alcançada através das obras. Aí os crentes se fiam no que Paulo disse, e ficam com medo de praticar boas obras, fazer o bem, fazer caridade, pois, isso configuraria que eles estão tentando alcançar a salvação através das boas obras.

E bem sabemos que eles preferem obedecer aos ensinos de Paulo que os de Cristo. É muito difícil que alguém mude de pensamento e atitude, pois, receberam lavagem cerebral. Só martelando muito a gente conseguirá fazer com que a camada de cautério se quebre de suas mentes cauterizadas.

Quem é maior e tem mais autoridade: Yesu Cristo ou Paulo? Com certeza é Cristo.

No capítulo quatro de sua epístola, Tiago exorta os crentes a não falar mal um dos outros e faz uma clara referência à Lei de Moisés como algo que os cristãos da época deviam observar. Veja.

“Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da Lei, e julga a Lei; ora, se julgas a Lei, não és observador da Lei, mas juiz” (Tiago 4:11).

Ora, como Tiago, sendo irmão de Yesu Cristo, não soube que a Lei de Moisés tinha sido abolida?

Por isso me revolto com esses teólogos tradicionais que tentam defender os absurdos ensinados pelo apóstolo Paulo contra a Lei de Moisés.

Paulo, para discriminar as mulheres e o serviço delas na igreja, ele recorreu à Lei de Moisés. Veja.

“As mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar; mas estejam submissas como também ordena a Lei” (I Cor. 14:34).

**********
A LEI DE MOISÉS JAMAIS FOI ABOLIDA. MAS OS CRISTÃOS GENTIOS FORAM ORIENTADOS PELOS APÓSTOLOS DE CRISTO A NÃO PRATICAR CERTOS RITUAIS DA LEI, POIS TAIS RITUAIS ERAM APENAS COSTUMES DOS JUDEUS

Mas, se os cristãos gentios afirmam que toda a Escritura é inspirada e proveitosa para o ensino e citam textos da Lei de Moisés nos cultos de doutrina, então eles têm que guardar os mandamentos da Lei, e não apenas citá-los. Não adianta dizer que a Lei foi abolida e depois dizer que os ensinos do Antigo Testamento são proveitosos. Se são proveitosos, logo, os mandamentos da Lei ainda são válidos.

A maior prova de que a Lei de Moisés não foi abolida com a morte de Cristo está estampada em Atos 21:18-25. Até o próprio apóstolo Paulo cumpriu mandamentos da Lei de Moisés. Os judeus que criam em Yesu Cristo eram fiéis zeladores da Lei de Moisés. Ou será que Paulo mentiu para os judeus que era fiel observador da Lei? Para mim, tenho certeza que Paulo mentiu para os judeus.

Como Paulo pode se sujeitar a mentir para dar a impressão que ele era um judeu, fariseu, fiel guardador da Lei de Moisés? Pois, éh! Paulo mentiu para os seus irmãos judeus para não ser reprimido.

“E no dia seguinte, Paulo entrou conosco em casa de Tiago, e todos os anciãos vieram ali. E, havendo-os saudado, contou-lhes por miúdo o que por seu ministério Deus fizera entre os gentios. E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor, e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zeladores da Lei. E já acerca de ti foram informados de que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apartarem-se de Moisés, dizendo que não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo o costume da Lei. Que faremos pois? em todo o caso é necessário que a multidão se ajunte; porque terão ouvido que já és vindo. Faze, pois, isto que te dizemos: Temos quatro homens que fizeram voto. Toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles os gastos para que rapem a cabeça, e todos ficarão sabendo que nada há daquilo de que foram informados acerca de ti, mas que também tu mesmo andas guardando a Lei. Todavia, quanto aos que creem dos gentios, já nós havemos escrito, e achado por bem, que nada disto observem; mas que só se guardem do que se sacrifica aos ídolos, e do sangue, e do sufocado e da fornicação. Então Paulo, tomando consigo aqueles homens, entrou no dia seguinte no templo, já santificado com eles, anunciando serem já cumpridos os dias da purificação; e ficou ali até se oferecer por cada um deles a oferta” (Atos 21:18-26).

Se a Lei de Moisés tivesse sido abolida, bem como os rituais de sacrifícios pelos pecados e a lei da guarda do Santo Sábado, por certo Yesu Cristo, após ressuscitar e aparecer aos discípulos, teria dito que a partir de agora a Antiga Aliança estava abolida, bem como todos os rituais de sacrifícios pelos pecados, e que não precisavam mais guardar o Sábado. Mas Cristo esteve e conversou diversas vezes com seus discípulos e não falou nada a respeito da Lei de Moisés ter sido abolida.

No dia da Festa de Pentecostes, quando todos os discípulos estavam reunidos em Jerusalém, ninguém se levantou para dizer que a Lei de Moisés tinha sido abolida, ninguém levantou a voz dizendo que os sacrifícios de agora em diante tinham que cessar, porque Yesu Cristo tinha realizado um único sacrifício por todos os pecadores. Nem Pedro falou isso durante o seu discurso.

Nenhum dos apóstolos de Cristo pediu audiência com os sacerdotes da tribo de Levi que administravam no Templo para avisar que a Lei dos sacrifícios havia sido abolida.

Vejam mais este detalhe. Se a Lei de Moisés e os rituais de sacrifícios tivessem sido abolidos, as atividades no Grande Templo em Jerusalém teriam encerradas antes mesmo do ano 70, quando os romanos invadiram Jerusalém e destruíram o Templo, cessando os sacrifícios contínuos. Os rituais de sacrifícios no Grande Templo não foram abolidos por ocasião da destruição do Templo ou por causa da morte de Yesu Cristo. Os rituais foram cessados assim como cessaram quando o Templo foi destruído a primeira vez pelos babilônios. Quando o Terceiro Templo for reerguido, os rituais de sacrifícios serão retomados. Isso está profetizado nos capítulos 40 a 48 de Ezequiel e no livro do profeta Zacarias. Durante o reino milenar do Messias, os rituais de sacrifícios e as festas de Israel continuarão sendo realizadas no Grande Templo em Jerusalém.

Se considerarem isto que acabei de ensinar algo totalmente errado e fora do ensino bíblico, então, não resta mais nada a fazer por este povo de mente cauterizada, de coração rebelde e de dura cerviz, exceto lamentar.

**********
O TERCEIRO CAPÍTULO DO LIVRO DE TIAGO É O MAIS LINDO DE TODOS

Tiago 3
1 Meus irmãos, não sejais muitos de vós mestres, sabendo que receberemos um juízo mais severo.
2 Pois todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo.
3 Ora, se pomos freios na boca dos cavalos, para que nos obedeçam, então conseguimos dirigir todo o seu corpo.
4 Vede também os navios que, embora tão grandes e levados por impetuosos ventos, com um pequenino leme se voltam para onde quer o impulso do timoneiro.
5 Assim também a língua é um pequeno membro, e se gaba de grandes coisas. Vede quão grande bosque um tão pequeno fogo incendeia.
6 A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniqüidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno.
7 Pois toda espécie tanto de feras, como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se doma, e tem sido domada pelo gênero humano;
8 mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal.
9 Com ela bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.
10 Da mesma boca procede bênção e maldição. Não convém, meus irmãos, que se faça assim.
11 Porventura a fonte deita da mesma abertura água doce e água amargosa?
12 Meus irmãos, pode acaso uma figueira produzir azeitonas, ou uma videira figos? Nem tampouco pode uma fonte de água salgada dar água doce.
13 Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom procedimento as suas obras em mansidão de sabedoria.
14 Mas, se tendes amargo ciúme e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade.
15 Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.
16 Porque onde há ciúme e sentimento faccioso, aí há confusão e toda obra má.
17 Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia.
18 Ora, o fruto da justiça semeia-se em paz para aqueles que promovem a paz.

———————–
Miquels7

14/05/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

YESU CRISTO, APÓS RESSUSCITAR, REAPARECEU DIVERSAS VEZES AOS APÓSTOLOS, MAS NUNCA FALOU QUE A LEI DE MOISÉS FOI ABOLIDA COM A SUA MORTE

**********
MESMO APÓS YESU CRISTO RESSUSCITAR, ELE NUNCA FALOU PARA OS APÓSTOLOS QUE A GUARDA DO SÁBADO E AS LEIS DE SACRIFÍCIOS FORAM ABOLIDAS. ELE TEVE MUITAS OPORTUNIDADES PARA FALAR, MAS NÃO DISSE NADA. POR QUÊ? SIMPLESMENTE PORQUE A LEI NUNCA FOI ABOLIDA.

**********
A Lei de Moisés não foi abolida com a morte de Cristo.

Depois da morte e ressurreição de Yesu Cristo nada mudou em relação à Lei de Moisés. Os mandamentos e as leis de sacrifícios continuaram vigorando. Tanto é que o Grande Templo em Israel continuou existindo com todos os rituais até o ano 70 d.C, quando foi destruído pelos romanos.

Quem inventou essa história que a Lei, a guarda do Sábado e os rituais foram abolidos foi o apóstolo Paulo.

Paulo fala no livro de Hebreus que a antiga aliança caducou, e perdeu a validade. Para ele o que vale agora é a nova aliança que Cristo estabeleceu. Mas eu não concordo com Paulo. Na primeira carta aos Coríntios 11:23-30 Paulo fala sobre a instituição da santa ceia em memória à morte de Cristo e ele diz “pois recebi do Senhor o que também vos entreguei”, mas Paulo não recebeu nenhuma orientação nova diretamente de Yesu. As palavras que Paulo usa se referindo a Yesu ele extraiu do Evangelho de Lucas que já havia sido escrito nessa época. Lucas foi companheiro de Paulo nas viagens. Ele é citado por Paulo em Colossenses 4:14: Saúda-vos Lucas, o médico amado, e Demas”. Na época em que Paulo escreveu a sua primeira carta aos coríntios, entre os anos 55 e 65 d.C, Lucas já tinha concluído a pesquisa sobre a história de Cristo e escrito o evangelho que leva o seu nome. Observe que Paulo repete exatamente as palavras pronunciadas por Yesu no Evangelho de Lucas. E somente no Evangelho de Lucas foi usada a expressão “nova aliança”. Repare também que nos evangelhos de Mateus e Marcos não consta a expressão “nova aliança”, mas tão somente a palavra “aliança”. Logo, a morte de Yesu Cristo não marcou uma nova aliança em substituição à Lei de Moisés. Yesu disse que passariam os céus e a Terra, mas nenhum mandamento da Lei seria abolido. E os céus e a Terra continuam existindo. Portanto, a Lei de Moisés ainda é válida, exceto aqueles mandamentos pesados da tradição dos anciãos. Cristo disse que não veio abolir a Lei, mas cumpri-la. Ou seja, Cristo declara que estava sujeito à Lei e debaixo da Lei. Ele não veio transgredir os mandamentos, mas tão somente praticá-los, exceto aqueles exageros da tradição dos anciãos. O ensino que diz “amarás ao teu próximo e odiarás o teu inimigo” não era uma ordenança da Lei de Moisés; era apenas uma tradição dos anciãos incutida na mente do povo.

“Pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados” (Mateus 26:28).

“E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do pacto, que por muitos é derramado” (Marcos 14:24).

“Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto [nova aliança] em meu sangue, que é derramado por vós” (Lucas 22:20).

Há várias incoerências na tradução dos textos supracitados. 1) Os teólogos tradicionais afirmam, segundo o que diz o Evangelho de Lucas, que o sangue de Cristo derramado na cruz selou uma nova aliança, abolindo a antiga aliança de Deus com Israel, tornando obsoleta ou ineficaz a Lei de Moisés. Porém, Mateus e Marcos não citam Yesu Cristo falando em uma suposta “nova aliança”, mas tão somente uma “aliança”. 2) Os pastores e pregadores afirmam que a morte de Yesu Cristo foi em favor da humanidade, e que seu sangue foi derramado pelos pecados de todos. Mas os textos bíblicos supracitados afirmam que o seu sangue seria DERRAMADO POR MUITOS, e não por todos. E em Lucas diz que seria derramado apenas pelos discípulos.

Yesu Cristo, após ressuscitar, ainda passou 40 dias com os discípulos e nada falou a respeito da Lei ter sido abolida com a sua morte. Em outras ocasiões Yesu Cristo ainda apareceu a Paulo, a Pedro em sonho, e a João na ilha de Patmos, mas nada falou sobre a Lei ter sido abolida nem disse que os rituais do Templo não valiam mais nada. E no próprio Apocalipse cap. 11 Deus mandou João medir os compartimentos do Templo significando que ele seria destruído. Mas mesmo aí não se diz que o Templo seria destruído porque os rituais foram abolidos. E nos evangelhos e no livro de Daniel foi profetizado que o sacrifício contínuo no Templo seria SUSPENSO, e não abolido. Os sacrifícios foram suspensos da mesma forma como aconteceu na destruição do primeiro Templo quando os judeus foram levados cativos para a Babilônia.

“Sim, ele se engrandeceu até o príncipe do exército; e lhe tirou o holocausto contínuo, e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo. E o exército lhe foi entregue, juntamente com o holocausto contínuo, por causa da transgressão; lançou a verdade por terra; e fez o que era do seu agrado, e prosperou. Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão relativamente ao holocausto contínuo e à transgressão assoladora, e à entrega do santuário e do exército, para serem pisados? (Daniel 8:11-13).

“E estarão ao lado dele forças que profanarão o santuário, isto é, a fortaleza, e tirarão o holocausto contínuo, estabelecendo a abominação desoladora” (Daniel 11:31).

“E desde o tempo em que o holocausto contínuo for tirado, e estabelecida a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa dias” (Daniel 12:11).

Bem! Se o holocausto contínuo foi tirado (abolido, anulado) por causa da morte de Jesus Cristo, então não resta mais dúvidas. A abominação desoladora é o Jesus Cristo falso, que a a Igreja Católica transformou em deus, através da falsa doutrina da trindade.

Quando o Terceiro Templo for reconstruído, os rituais de sacrifícios voltarão a ser realizados e isso está profetizado em Ezequiel 40-48 e no livro do profeta Zacarias.

O Terceiro Templo não será reconstruído pelos judeus sionistas que se aliaram à Besta agora nos últimos dias. Só será reconstruído quando Yesu Cristo tomar posse do reino deste mundo, após a Grande Tribulação, quando Deus destruir os governos do mundo (a Besta) que se aliaram ao grande Dragão, a antiga Serpente.

————————
Miquels7

08/05/2018 Posted by | DOUTRINAS E DOGMAS, ESTUDOS BÍBLICOS | , , , | Deixe um comentário

DOBRAR OS JOELHOS PARA ACEITAR A JESUS E FAZER ORAÇÃO EM PÉ – MAIS DUAS HERESIAS INVENTADAS PELOS CRISTÃOS PROTESTANTES

**********
Nem Cristo e nem os apóstolos mandavam as pessoas se ajoelharem para receber oração para serem convertidas. Essas práticas antibíblicas foram inventadas pelos cristãos protestantes. Cornélio, um crente gentio, se ajoelhou diante de Pedro, mas este entendeu que ele queria adorá-lo. Portanto, não existia na igreja primitiva a prática de ordenar as pessoas se ajoelharem para receber oração para depois serem batizadas. Com certeza Cornélio não se ajoelhou para adorar Pedro, mas tão somente se ajoelhou para receber alguma oração. Mas Pedro mandou ele se levantar. Pedro entendia que o ato de alguém se ajoelhar diante de um pastor ou pregador configurava uma atitude de adoração.

Na Bíblia as pessoas se ajoelhavam para orar ou para adorar a Deus, e nunca se ajoelhavam diante dos apóstolos para receber oração. Também não há registro de cristãos primitivos orando de pé. E os cristãos protestantes inventaram mais essa heresia de fazer oração em pé. Devemos nos levantar, ficar de pé para louvar e engrandecer a Deus. Mas a oração deve ser feita de joelhos dobrados no chão. E o próprio Senhor Yesu Cristo proibiu seus discípulos de fazer oração em pé, dizendo: “E quando orardes não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens” (Mateus 6:5).

“E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e pondo-se de joelhos, orava” (Lucas 22:41).

“E pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. Tendo dito isto, adormeceu. E Saulo consentia na sua morte” (Atos 7:60 ).

“Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pôs-se de joelhos e orou; e voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te. Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se” (Atos 9:40).
“Havendo dito isto, pôs-se de joelhos, e orou com todos eles” (Atos 20:36).

“Depois de passarmos ali aqueles dias, saímos e seguimos a nossa viagem, acompanhando-nos todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade; e, postos de joelhos na praia, oramos” (Atos 21:5).

“Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai” (Efésios 3:14).

—————————
Miquels7

07/05/2018 Posted by | FANATISMO RELIGIOSO, HERESIAS | , , , , | Deixe um comentário

O QUE SIGNIFICA MESMO O “MOVIMENTO ANTICRISTO”

**********
Ao completar 200 anos do surgimento de Karl Marx, o idealizador do movimento comunista e socialista contra o capitalismo americano, não poderia deixar de falar algumas verdades para os cristãos protestantes.

Tenho plena convicção que a preocupação dos cristãos ocidentais com a chegada do tal Anticristo, da forma que imaginam, é uma grande furada. Pois, o Anticristo que a Bíblia fala não será propriamente contra a religião cristã – esse falso Cristianismo inventado pela Igreja Católica Romana e seguido pelos crentes protestantes –, mas contra o Cristo, o Messias prometido de Israel, que irá estabelecer um governo mundial e ditatorial na Terra.

Yesu Cristo Versus Satanás 2

O “movimento anticristo” não é a mesma coisa que movimento anticristão ou anticristianismo. O “movimento anticristo” vem desde o tempo dos profetas do Antigo Testamento. Após a queda da dinastia dos macabeus sobre o trono de Judá-Israel, foi estabelecida a falsa dinastia dos herodes, cujo governo era submisso ao imperador de Roma. Os escribas, doutores da Lei e sacerdotes do Judaísmo eram tão submissos ao domínio romano que eles ignoraram as profecias da Torá sobre a vinda do Messias. E qualquer líder popular que surgisse fora da nobreza eles tratavam logo de combater, perseguir ou matar. Até mesmo Yesu Cristo ainda criança de colo, quando Herodes soube que Ele poderia ser o Messias prometido, tratou de encontrá-lo, para matá-lo. E isso é a maior evidência que a cúria sacerdotal judaica não estava esperando a chegada do Messias prometido. Eles estavam impedindo a sua chegada. Ou seja, antes mesmo de Yesu Cristo aparecer já existia o “movimento anticristo”.

E o “movimento anticristo” ainda perdura até os nossos dias. Pois, o objetivo desse movimento não é combater os cristãos e o falso Cristianismo inventado pela Igreja Católica Apostólica Romana, a falsa igreja que se aliou a uma das cabeças da Primeira Besta, o Império Romano, que passou a se chamar Sacro Império Romano.

O objetivo maior do “movimento anticristo” é se opor e combater o prometido Messias de Israel que virá para estabelecer um reino de paz e prosperidade na Terra, porém, com um governo ditatorial, com mão de ferro, sem democracia e com religião única, conforme está profetizado na Torá, as Escrituras do Antigo Testamento, nos evangelhos e no livro de Apocalipse.

Os cristãos ocidentais estão sempre preocupados com o surgimento do tal Anticristo que virá com objetivo de exterminar a religião cristã e fazer acordo com o povo judeu para governar o mundo de forma ditatorial por 7 anos. Mas é aí que eles estão redondamente enganados.

O “movimento anticristo” não visa combater exatamente o Cristianismo, mas o Judaísmo e a esperança dos judeus no estabelecimento do governo mundial do Messias prometido.

Entenda que o Messias prometido não virá a segunda vez da religião cristã ocidental. Yesu Cristo é o Messias prometido de Israel, que veio do Judaísmo e voltará novamente para os judeus. Yesu Cristo não virá para os cristãos ocidentais, praticantes do falso Cristianismo inventado pela ICAR.

Os cristãos ocidentais excluíram os judeus do corpo de Cristo, a Igreja, mas eles vão quebrar a cara. Pois a verdadeira Igreja de Cristo é formada mais por judeus que por cristãos ocidentais. A verdadeira Igreja de Cristo não é formada pelos crentes de hoje. A Igreja é formada principalmente por judeus desde a fundação do mundo, isto é, desde quando o Deus Yavéh escolheu Abraão e sua família para formarem uma grande nação e serem seus servos. Na Igreja também estão incluídos os salvos desde Adão, Eva, Abel, Sete e Noé.

ESSA HISTÓRIA DE “ACEITAR JESUS” DA PREGAÇÃO DOS CRISTÃOS PROTESTANTES É UMA GRANDE HERESIA. E A FORMA COMO O BATISMO NAS ÁGUAS É PRATICADO PELOS FALSOS CRISTÃOS É OUTRO ERRO.

Os apóstolos de Cristo não saíram pelo mundo anunciando o Evangelho e perguntando se as pessoas queriam “aceitar Jesus”. E também não batizavam nas águas depois de muito tempo, com o objetivo de o crente ser membro de uma denominação religiosa e fiel praticante dos dízimos.

Nem Cristo e nem os apóstolos mandavam as pessoas se ajoelharem para receber oração para serem convertidas. Essas práticas antibíblicas foram inventadas pelos cristãos protestantes. Cornélio, um crente gentio, se ajoelhou diante de Pedro, mas este entendeu que ele queria adorá-lo. Portanto, não existia na igreja primitiva a prática de ordenar as pessoas se ajoelharem para receber oração para depois serem batizadas. Com certeza Cornélio não se ajoelhou para adorar Pedro, mas tão somente se ajoelhou para receber alguma oração. Mas Pedro mandou ele se levantar. Pedro entendia que o ato de alguém se ajoelhar diante de um pastor ou pregador configurava uma atitude de adoração.

Na Bíblia as pessoas se ajoelhavam para orar ou para adorar a Deus, e nunca se ajoelhavam diante dos apóstolos para receber oração. Também não há registro de cristãos primitivos orando de pé. E os cristãos protestantes inventaram mais essa heresia de fazer oração em pé. Devemos nos levantar, ficar de pé para louvar e engrandecer a Deus. Mas a oração deve ser feita de joelhos dobrados no chão. E o próprio Senhor Yesu Cristo proibiu seus discípulos de fazer oração em pé, dizendo: “E quando orardes não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens” (Mateus 6:5).

“E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e pondo-se de joelhos, orava” (Lucas 22:41).

“E pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. Tendo dito isto, adormeceu. E Saulo consentia na sua morte” (Atos 7:60 ).

“Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pôs-se de joelhos e orou; e voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te. Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se” (Atos 9:40).

“Havendo dito isto, pôs-se de joelhos, e orou com todos eles” (Atos 20:36).

“Depois de passarmos ali aqueles dias, saímos e seguimos a nossa viagem, acompanhando-nos todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade; e, postos de joelhos na praia, oramos” (Atos 21:5).

“Por esta razão dobro os meus joelhos perante o Pai” (Efésios 3:14).

O que Cristo ordenou aos apóstolos pregar foi as boas-novas do seu reino – o Evangelho – e o arrependimento para a remissão dos pecados, para que as pessoas reconhecessem Yesu Cristo como o Messias enviado para libertar o povo da opressão dos seus governantes e também do pecado. O batismo nas águas praticado pelos apóstolos era o mesmo batismo praticado por João, o batista, e o mesmo praticado por Yesu Cristo e seus discípulos, conforme está escrito no capítulo 4 do Evangelho de João. E o batismo era feito imediatamente, após a pregação, assim que o pecador se arrependesse dos seus pecados e confessasse que Yesu Cristo era o Messias e Senhor. E quando os apóstolos batizavam o novo cristão convertido eles diziam que estavam batizando segundo a ordem de Yesu Cristo, ou no nome de Yesu Cristo. Os apóstolos jamais invocaram o nome de uma suposta trindade para batizar os novos convertidos. A falsa doutrina da trindade e a fórmula batismal de Mateus 28:19 foi inventada pela Igreja Católica. Com certeza, no Evangelho original de Mateus, escrito em aramaico, não existe a tal fórmula batismal em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A ICAR se apoderou da cópia original do Evangelho de Mateus e mandou fazer cópias alterando algumas frases e palavras do Evangelho, e acrescentando outras para apoiar a falsa doutrina da trindade.

O objetivo da pregação apostólica não era falar da pessoa de Yesu Cristo para depois perguntar se alguém queria “aceitar a Jesus” para ser salvo e regenerado em um passe de mágica. O objetivo era anunciar o Evangelho, isto é, anunciar as boas novas do reino e pedir que as pessoas se arrependessem dos seus pecados e cressem em Yesu Cristo como o Messias prometido, para que pudessem entrar no seu reino. E o reino que Cristo prometeu não era nos céus, mas aqui mesmo na Terra, o reino vindo dos céus. Por isso, Yesu Cristo incluiu na Oração do Pai-Nosso a frase “venha o teu reino”. Isto é, que venha o reino de Deus se estabelecer aqui na Terra.

Não é preciso “aceitar Jesus” para ser salvo. A salvação é adquirida única e exclusivamente pelo reconhecimento de Yesu Cristo como Senhor e salvador da humanidade, pelo comportamento e caráter do ser humano, pela prática do amor, da caridade e de boas obras. Foi isso que Yesu Cristo ensinou. A salvação exclusivamente pela fé foi uma heresia inventada pelo apóstolo Paulo. E o próprio apóstolo Tiago contrariou Paulo, afirmando que a salvação é pelas obras, e a fé sem as obras é morta. Não adianta dizer que aceita a Jesus, mas não ama o próximo, não pratica o bem, não ajuda os necessitados. Os escolhidos que serão salvos para reinar com Cristo são todas as pessoas de boa índole, pessoas justas, aperfeiçoadas, pessoas de paz, que praticam boas obras e ajudam os necessitados e reconhecem Yesu Cristo como Senhor e salvador da humanidade. Mesmo após a ressurreição de Cristo, Cornélio, um crente gentio, praticava boas obras, e a Bíblia diz que as suas obras foram contadas diante de Deus para sua salvação e recompensa. Mas Cornélio precisava conhecer Yesu Cristo, não para ser salvo, mas para reconhecer que Ele era o Messias e libertador da humanidade.

ATOS 10 – O Encontro de Cornélio com Pedro

21 E descendo Pedro ao encontro desses homens, disse: Sou eu a quem procurais; qual é a causa por que viestes?
22 Eles responderam: O centurião Cornélio, homem justo e temente a Deus e que tem bom testemunho de toda a nação judaica, foi avisado por um santo anjo para te chamar à sua casa e ouvir as tuas palavras.
23 Pedro, pois, convidando-os a entrar, os hospedou. No dia seguinte levantou-se e partiu com eles, e alguns irmãos, dentre os de Jope, o acompanharam.
24 No outro dia entrou em Cesaréia. E Cornélio os esperava, tendo reunido os seus parentes e amigos mais íntimos.
25 Quando Pedro ia entrar, veio-lhe Cornélio ao encontro e, prostrando-se a seus pés, o adorou.
26 Mas Pedro o ergueu, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.
27 E conversando com ele, entrou e achou muitos reunidos,
28 e disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem devo chamar comum ou imundo;
29 pelo que, sendo chamado, vim sem objeção. Pergunto pois: Por que razão mandastes chamar-me?
30 Então disse Cornélio: Faz agora quatro dias que eu estava orando em minha casa à hora nona, e eis que diante de mim se apresentou um homem com vestiduras resplandecentes,
31 e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus.
32 Envia, pois, a Jope e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro; ele está hospedado em casa de Simão, curtidor, à beira-mar.
33 Portanto mandei logo chamar-te, e bem fizeste em vir. Agora pois estamos todos aqui presentes diante de Deus, para ouvir tudo quanto te foi ordenado pelo Senhor.
34 Então Pedro, tomando a palavra, disse: Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas;
35 mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo.

Assista ao vídeo do professor Fábio Sabino, o qual prova que a salvação não é adquirida através do simples ato de “aceitar Jesus”. O simples ato de aceitar Jesus e se batizar nas águas não regenera ninguém automaticamente. A salvação demanda tempo e prática de boas obras, para o pleno aperfeiçoamento do ser humano. E não adianta dizer que o sangue de Yesu Cristo purifica os nossos pecados, porque Ele não morreu pelos pecados da humanidade. Yesu Cristo não se ofereceu na cruz como um cordeiro, porque nos rituais de sacrifícios pelos pecados nenhum cordeiro morria pendurado na cruz nem era imolado fora da porta do Tabernáculo. A morte de Yesu Cristo na cruz foi simplesmente uma prova de amor pela humanidade que Deus-Pai tinha exigido como condição para Ele assumir todo o poder na Terra e tomar de conta da humanidade e das almas no Hades.

É preciso aceitar Jesus para ser salvo? (Professor Fabio Sabino)

https://www.youtube.com/watch?v=fq6MU0_haF4

A SERPENTE LEVANTADA NO DESERTO

Se existe algo na Torá (Antigo Testamento) tipificando a morte de Yesu Cristo na cruz, com certeza não é o ritual de cordeiros sendo oferecidos em holocaustos como oferta agradável a Deus, mas, sim, a SERPENTE LEVANTADA NUMA CRUZ no deserto simbolizando a neutralização do veneno da morte (o pecado). Como Satanás não teve coragem de morrer na cruz demonstrando seu amor pela humanidade, Yesu Cristo tomou o seu lugar, morrendo na cruz para nos resgatar das mãos do inimigo. Yesu Cristo morreu na cruz tomando o lugar do Dragão, a Antiga Serpente; Satanás era quem devia ter morrido na cruz, porque ele é o pai do pecado e da rebeldia.

A Serpente no deserto

Yesu Cristo não veio para julgar ninguém, mas para salvar a humanidade do poder de Satanás. No ritual de sacrifício pelos pecados do povo eram sacrificados dois BODES; um era imolado no altar fora da tenda, e o outro era levado a um deserto para ser entregue a AZAZEL. E a história sobre esse anjo caído Azazel só existe no livro de Enoque. E AZAZEL é tão somente o Satanás, para quem o bode levava os pecados. Ou seja, Satanás levava sobre si os pecados do povo, isto é, levava sobre si toda a culpa. Porém, tal ritual era muito figurativo. E Yesu Cristo veio cumprir literalmente esse ritual, se sacrificando na cruz em lugar de Satanás, para tomar o seu lugar e governar a Terra. Portanto, Yesu Cristo não morreu como um cordeiro manso na cruz; morreu como animal impuro sobre a cruz (bode ou novilho), se tornando maldição por nossa causa.

“E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (João 3:14-17).

“Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. Isto dizia, significando de que modo havia de morrer” (João 12:31-33).

“Então disse o Senhor a Moisés: Faze uma serpente de bronze, e põe-na sobre uma haste; e será que todo mordido que olhar para ela viverá. Fez, pois, Moisés uma serpente de bronze, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, tendo uma serpente mordido a alguém, quando esse olhava para a serpente de bronze, vivia” (Números 21:8-9).

“E da congregação dos filhos de Israel tomará dois bodes para oferta pelo pecado e um carneiro para holocausto. Depois Arão oferecerá o novilho da oferta pelo pecado, o qual será para ele, e fará expiação por si e pela sua casa. Também tomará os dois bodes, e os porá perante o Senhor, à porta da tenda da revelação. E Arão lançará sortes sobre os dois bodes: uma pelo Senhor, e a outra por Azazel. Então apresentará o bode sobre o qual cair a sorte pelo Senhor, e o oferecerá como oferta pelo pecado; mas o bode sobre que cair a sorte para Azazel será posto vivo perante o Senhor, para fazer expiação com ele a fim de enviá-lo ao deserto para Azazel. Arão, pois, apresentará o novilho da oferta pelo pecado, que é por ele, e fará expiação por si e pela sua casa; e imolará o novilho que é a sua oferta pelo pecado” (Levítico 16:5-11).

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gálatas 3:13).

A morte de Yesu Cristo na cruz não tinha nada a ver com uma suposta ineficácia da Lei, como Paulo afirma. A Lei era e é perfeita. Isso está escrito na Bíblia.

Se você crê que a Lei de Moisés (os mandamentos) de nada serve, então nunca leia os salmos de Davi que falam sobre a Lei do Senhor, principalmente o Salmo primeiro, pois, esse salmo é somente para quem observa a Lei que todo homem justo deve se deleitar, a Lei do Senhor dada a Moisés. Quando você ler nos salmos “a Lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma”, “lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho”, saiba que o salmista está se referindo à Lei de Moisés.

O “MOVIMENTO ANTICRISTO” NÃO VISA COMBATER OS CRISTÃOS E O CRISTIANISMO. O OBJETIVO É COMBATER O MESSIAS, ISTO É, O CRISTO PROMETIDO DOS JUDEUS QUE VIRÁ ESTABELECER UM REINO DITATORIAL AQUI NA TERRA.

O Dragão, a Antiga Serpente, é o maior inimigo de Deus. O seu objetivo é se opor a Deus e tudo o que ele planejou de melhor para os seres humanos bons e justos. Por isso, fez acordo com os governantes da Terra (a Besta) e lhes concedeu o seu poder e autoridade. Os seres humanos maus estão do lado da Serpente. Toda pessoa de má índole, que odeia a santidade, que não se submete a Deus ou que não gosta de obedecer e seguir as regras, está do lado de Satanás. Satanás foi o primeiro ser criado a se inconformar com o que Deus havia estabelecido. Ele é o pai da rebeldia e da discórdia. O que Satanás quer para si e para os humanos maus é a tal liberdade incondicional, é a liberdade de ser e praticar o que quiser. E a única forma de tais desejos serem consumados é através da Democracia. E a Democracia é um sistema de governo que surgiu de uma das sete cabeças da Primeira Besta, a Grécia Antiga.

Duas coisas que satisfazem o desejo de Satanás e seus seguidores são a Democracia e o sistema capitalista. Essas duas coisas não surgiram pela vontade de Deus. E um dos objetivos da pregação de Yesu Cristo foi o combate ao capitalismo, esse sistema opressor, que causa a concentração de riquezas nas mãos de poucos, e torna os ricos mais ricos e os pobres mais pobres e explorados. Por isso Yesu Cristo disse que é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus.

Portanto, é esse sistema de coisas que governa o mundo atual que Satanás e os humanos rebeldes lutam para não perder. E eles irão até as últimas consequências para defender e não perder a Democracia e o Capitalismo, e deixar o Comunismo ou Socialismo dominar. Por essa razão, que um dos objetivos de Satanás e da Besta é demonizar o Comunismo e o Socialismo, incutindo nas pessoas do mundo e nos crentes que esse sistema de governo é do mal, é do Diabo. E na realidade, a verdade é o oposto do que eles apregoam.

O sistema capitalista não combina muito bem com o comunismo e o socialismo. Combina mais com a Democracia. Por isso, Democracia e Capitalismo são as duas maiores características do governo da Besta, profetizado no Apocalipse.

Nos capítulos 17 e 18 de Apocalipse fala-se a respeito da queda da Grande Babilônia, a lendária cidade que reina sobre os governos do mundo. Essa cidade figurativa também é chamada de Meretriz, que veste cor de escarlata e cavalga sobre a Besta (governos humanos). E qualquer teólogo honesto deve admitir que essa Grande Babilônia não se refere somente ao poder religioso corrompido que impera na Terra, mas também a todo o sistema financeiro e político (Capitalismo e Democracia), que promove a liberdade a todos e toda sorte de cultos, e o amor ao dinheiro e a luxúria. Não resta dúvida que o mundo democrático e capitalista atual, com o esporte, a música de rock, o cinema, bancos e bolsa de valores movimentando milhões de dólares – enquanto milhões morrem de fome ou estão na mais extrema pobreza – e fazendo parte da rotina das pessoas, mais o poder religioso corrompido (o Cristianismo, catolicismo e protestantismo), juntos, formam a Grande Babilônia.

E quase todas as igrejas protestantes estão do lado da Besta, porque apoiam a Democracia e defendem o Capitalismo. E o maior país democrático e capitalista da Terra são os Estados Unidos da América, que ao mesmo tempo são aliados de Israel.

Os cristãos protestantes são os maiores apoiadores da Besta, pois qualquer país poderoso da Terra (que está sob o controle do Dragão) que se torna amigo de Israel, eles apoiam em peso. Se a Besta fizer acordo com Israel, os cristãos protestantes prontamente apoiam, pois dizem “é amigo de Israel”. E o verdadeiro Israel de Deus não pode ter amigos, pois, nasceu para ser um povo só, exclusivo de Deus, sob a proteção de Deus. O Israel verdadeiro não precisa da proteção dos EUA.

Pois do cume das penhas o vejo, e dos outeiros o contemplo; eis que (Israel) é um povo que habita só, e entre as nações não será contado” (Número 23:9).

Todas as nações e povos ao redor de Israel são seus inimigos.

Depois de ler o que escrevi, muitas pessoas vão finalmente descobrir porque sou de Esquerda, porque defendo o Socialismo, porque sou petista e Lulista.

SOU ESQUERDISTA PORQUE CRISTO FOI DE ESQUERDA, E TAMBÉM PORQUE ELE FOI O MAIOR SOCIALISTA DA HISTÓRIA. SOU PETISTA E LULISTA NÃO POR CAUSA DE DEMOCRACIA, MAS POR CAUSA DO SOCIALISMO, DAS POLÍTICAS SOCIAIS VOLTADAS PARA OS POBRES E CLASSES MENOS FAVORECIDAS.

Duvido que alguém possa contestar com argumentos sólidos o que acabei de expressar nessas poucas linhas.

Portanto, a melhor frase que pode resumir o que escrevi é “CIENTIFIQUE-SE, CUMPRA-SE E PUBLIQUE-SE E ARREPENDA-SE ENQUANTO É TEMPO”.

———————————————————————————————————–
Miquels7 – Só falando verdades que dói na consciência e na alma.

05/05/2018 Posted by | CONSPIRAÇÃO, EVANGELISMO, GOVERNO DA BESTA, IGREJA E MISSÃO, ISRAEL E AS PROFECIAS, MENSAGENS ESPECIAIS | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

AS REVELAÇÕES DO APOCALIPSE NÃO SÃO VISÕES LITERAIS DO FUTURO, NINGUÉM PODE VISUALIZAR O FUTURO

PODEMOS APENAS PREVER OU PLANEJAR O QUE IRÁ ACONTECER NO FUTURO. MAS, NINGUÉM PODE VISUALIZAR O FUTURO. TALVEZ O PASSADO REMOTO, MAS ATRAVÉS DE ALGUM REGISTRO.

By Miquels7 – 100% Racionalidade Pura

**********
A visão literal do futuro não é possível

Uma regra que deveria ser incluída na Hermenêutica sobre profecias é esta:

REGRA Nº 1) Nem toda profecia é feita para ser cumprida; tem profecias que foram feitas como aviso, para que o povo tema e se arrependa; se não se arrepender, a profecia se cumprirá. Outras profecias foram feitas baseadas em suposições a respeito do que haveria ou aconteceria num futuro distante. E outras profecias foram dadas para se cumprir na data programada, como por exemplo, o evento do nascimento de Yesu Cristo.

Essa regra é bíblica. Podemos comprovar que muitas profecias foram dadas como aviso, e não como algo literal e inevitável que aconteceria num futuro próximo ou distante.

Tendo em vista essa verdade, devemos entender que as profecias do Apocalipse concernentes ao futuro não são revelações de coisas que já aconteceram literalmente na visão futurística de João, e que por isso, não podem ser evitadas ou mudadas. Algumas profecias do Apocalipse foram feitas como aviso sobre o que vai acontecer se a humanidade não se arrepender, e se os religiosos não se arrependerem dos erros que estão cometendo. E outras profecias foram feitas como previsões de catástrofes naturais que irão acontecer na Terra. A guerra nos céus, retratada em Apocalipse 12, já havia acontecido mesmo antes de João ter sido exilado na ilha de Patmos. Yesu Cristo e os anjos descendo sobre as nuvens é apenas uma encenação do que Deus planejou para acontecer. A guerra do Armagedom, a prisão de Satanás, o juízo do grande Trono Branco, nada disso aconteceu. Tudo foi apenas uma encenação futurística do que está previsto acontecer.

E muitas coisas podem não acontecer exatamente como foram previstas no Apocalipse.

VEJA O DISPARATE SOBRE PROFECIAS E PREVISÕES DO FUTURO

Veja bem. Se uma profecia bíblica relativa a um futuro distante for a revelação exata de algo que já aconteceu na visão futurística do profeta, isso significa que ela não poderá ser mudada, porque não se pode mudar o que já aconteceu. E se Deus vê o futuro e nos revela o que acontecerá (o que já aconteceu), logo, pela lógica o que aconteceu não poderá ser mudado nem alterado, pois tal atitude violaria a regra da ética de um ser onisciente. E se por acaso, por causa do temor da profecia a humanidade se arrependesse dos seus maus caminhos, então a profecia seria alterada, o que aconteceria (ou já aconteceu) seria cancelado. Ora! Ora! Ora! O que é isso? Isso seria simplesmente a manipulação do tempo, seria a intromissão de Deus no curso da História. Em outras palavras, Deus estaria mudando o curso da História apenas para atender aos seus interesses. E tal atitude contraria a essência de um ser onisciente e onipresente. Um ser onisciente não poderia ficar alterando nada no decorrer da História, porque tudo o que Ele fez foi planejado milimetricamente; ou seja, Ele já teria detectado o erro antes que o mesmo ocorresse, e teria feito o devido reparo. E se Deus faz uma profecia esperando que alguém se arrependa, logo, isso indica que ele não é onisciente. Pois, se fosse, Ele não daria uma profecia; Ele simplesmente alteraria o tempo e os acontecimentos a seu bel-prazer.

Acredito que Deus e os anjos não previram que os homens conseguiriam dominar a matéria e fazer coisas inimagináveis.

Repare que nas revelações futurísticas do Apocalipse apenas se fala em guerra com espadas e flechas. Não se fala em guerra com armas de fogo nem com aviões nem com bomba dinamite ou atômica. Ou seja, os anjos (os deuses) não previram que a Ciência humana iria avançar de forma incontrolável num futuro próximo.

No capitulo 12 de Daniel apenas foi previsto que a o SABER ou a CIÊNCIA IRIA SE MULTIPLICAR. Mas não foi especificado nada sobre o que os homens criariam ou inventariam. Os anjos (os deuses) imaginavam que a humanidade continuaria com o mesmo nível cultural e não mudaria de forma tão drástica o conhecimento humano. Só que depois da 2ª Guerra Mundial, logo após a criação do Estado de Israel, o conhecimento humano deu um salto gigantesco. E desde 1950 para cá a Ciência não só se multiplicou, mas moldou toda vida e comportamento humano na Terra. Em 1981 a IBM inventou o primeiro computador pessoal. Em 1989 inventaram o CD de músicas e dados lidos através de raio laser. Nos anos 1990 inventaram o telefone celular. E no início do ano 2001 inventaram o cartão de memória e o pendrive. Até 2008 ainda se produziam TVs de tubo de imagem. Desde 2009 para cá a nanotecnologia tem avançado sem limites.

Os anjos não previram a invenção do avião, do computador, do motor a explosão, da bomba atômica, e da cura de diversas doenças. E nem passou pela mente deles que o homem dominaria a matéria ao inventar a NANOTECNOLOGIA. Antes os cientistas só pensavam em explorar para fora da Terra, explorar os limites do Universo. Agora eles estão explorando para dentro da matéria, dominando e controlando as leis da física. Todos os equipamentos e aparelhos eletrônicos e digitais, como celulares, computadores, TVs, etc, estão sendo feitos com a nanotecnologia. Em breve, minúsculos chips feitos com a nanotecnologia serão implantados nos cérebros das pessoas. O Pentágono – Comando Militar, Científico e Bélico ultrassecreto Americano – tem usado a nanotecnologia para criar minúsculos robôs voadores parecidos com moscas para entrarem em território inimigo para filmar ou levar carga explosiva para danificar os equipamentos. Até pequenos robôs já estão sendo usados na medicina para entrar nas veias e artérias do corpo humano para filmar e localizar doenças e tumores; ou até mesmo para realizar cirurgias microscópicas.

E olha que o que aconteceu até agora é somente o começo da aventura humana! Até o ano 2050, se nada de extraordinário acontecer aqui na Terra, o homem terá inventado coisas inimagináveis. Assistam aos filmes “No Mundo de 2020” e “2001: Uma Odisseia no Espaço”. Vocês poderão notar que em relação ao avanço científico, não chegou nem perto o que os produtores desses filmes previram.

Acho que alguém andou ensinando coisas indevidas aos homens. Quem será que foi esse safado?!!!

———————-
Miquels7

 

01/05/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, CIÊNCIA, CIÊNCIA & TECNOLOGIA, ESCATOLOGIA BÍBLICA, REVELAÇÕES APOCALIPTICAS, TEMAS DIFÍCEIS | , , , , | Deixe um comentário

O FILME “DJANGO LIVRE” RETRATA A LUTA ENTRE A ESQUERDA E A DIREITA POLÍTICA, ENTRE OS FRACOS E OS FORTES

**********
O governo que prevalece no mundo é de tendência política de Direita, cujos líderes são, na maioria, da raça branca ariana. E isso ocorreu devido ao domínio da religião cristã propagada pela Igreja Católica Romana, que se aliou ao Império Romano desde o segundo século da Era Cristã, e depois, pelos protestantes, após a reforma de Martilho Lutero no século XV.

O grande Dragão, a antiga Serpente, chamada Diabo e Satanás, se aliou aos governos humanos, dos brancos, arianos, europeus, para juntos lutarem e se oporem ao Deus Todo-Poderoso. E foi com o Sacro Império Romano (Igreja falsa e Estado), com os países conquistadores da Europa e com a maior potência das Américas, os EUA, que Satanás fez acordo, e a eles deu o seu poder e autoridade.

Yesu Cristo advertiu seus escolhidos para que não caminhassem pelo caminho largo, que leva à perdição, o caminho da Direita, que é folgado, fácil de caminhar e que agrada a todos, pois proporciona democracia, a prática de qualquer culto, e facilita o domínio dos fortes contra os mais fracos. E o apóstolo João nos advertiu, dizendo: “Não ameis o mundo nem o que no mundo há; porque o mundo jaz no maligno”. Portanto, o caminho do mundo é o caminho largo, o caminho da Direita. E o verdadeiro crente deve seguir na contra-mão do mundo, seguindo pela Esquerda. A Esquerda é o lugar natural daqueles que se opõem ao mundo e suas concupiscências, e que lutam contra a opressão e domínio dos brancos, dos ricos e dos religiosos, exploradores da fé.

Django Livre 2012

O filme “Django Livre” (2012), passado neste último sábado no Supercine da Globo, é uma dramatização da vida real do sofrimento dos negros como escravos dos americanos do Norte, brancos e ricos. E isso é só uma das faces da mesma moeda.

Vendo esse filme sobre a maldade dos brancos contra os negros a gente chega a sentir repugnância dessa raça de exploradores, pois, mesmo se dizendo cristãos, praticaram as maiores atrocidades contra o ser humano somente por causa da cor da pele e da origem humilde. E nos dias atuais ainda permanece a discriminação, a intolerância e a opressão dos brancos, dos ricos e dos religiosos fundamentalistas contra negros e pobres, contra mendigos e trabalhadores braçais, contra gays e praticantes de outras religiões e cultos. E aqui no Brasil os nordestinos e negros são os mais discriminados e maltratados física e psicologicamente.

Quem começou a escravização dos negros africanos foram os cristãos europeus, coisa que nenhuma outra nação fez em tempos mais remotos. Fizeram isso porque os padres católicos e líderes protestantes diziam que os negros não tinham alma. A escravidão dos negros se deu mais por motivos religiosos. Os padres católicos e líderes protestantes brancos sempre estiveram do lado dos governos opressores incentivando o ódio contra os negros, pobres, ciganos, comunistas, gays e ateus. Diferentemente do pastor negro, norte-americano, Martin Luther King, que sempre lutou pelos direitos dos negros e morreu como mártir pela causa do seu povo.

Negra amarrada ao tronco para ser surradaO carrosco com a Bíblia na mão

Veja na imagem a Bíblia na mão do carrasco que vai surrar a negra amarrada no tronco (Cenas do filme Django Livre, 2012).

A Esquerda representa a força dos negros, dos pobres, das minorias e dos trabalhadores braçais contra a opressão da elite branca de Direita, dos ricos, dos brancos racistas e dos religiosos fundamentalistas que sempre apoiaram os ricos e os exploradores do povo. Sem dúvida, a posição política de Yesu Cristo foi a Esquerda, porque Ele representava a luta e a esperança dos pobres, dos negros e de todos os que são explorados pelos brancos desde os primórdios da humanidade e mais ainda durante a Idade Média. Antes do crescimento da religião cristã no mundo os negros não eram tão visados para serem explorados como escravos pelos brancos. E foram os brancos cristãos que começaram a exploração dos negros africanos e tentaram até escravizar os índios.

Uma coisa deve ficar clara. O caminho largo é o lugar natural por onde segue a raça humana decaída. Os homens têm o livro arbítrio para temer ou rejeitar Deus, e fazer o que bem entender de suas vidas. Porém, o que não podia acontecer é os que se dizem cristãos seguir no mesmo caminho do mundo, o caminho largo, e além de tudo, ficar do lado dos ricos e poderosos, de raça branca, e incentivar o ódio e a discriminação contra os pobres, os negros e as minorias. Yesu Cristo se opôs aos ricos que exploravam os trabalhadores e viravam as costas para os pobres, e bateu de frente contra os poderosos da época que oprimiam o povo e criavam leis injustas. Opôs-se à cúria sacerdotal judaica, que mantinha o povo judeu escravo de pesadas leis absurdas que nem eles mesmos praticavam.

OS DE DIREITA NÃO LUTAM POR JUSTIÇA E IGUALDADE SOCIAL. ELES LUTAM APENAS PARA MANTER SEUS PRIVILÉGIOS E DOMÍNIO SOBRE OS DEMAIS

1) A Esquerda representa o lugar natural dos pobres, dos negros, dos índios e de todos os oprimidos, injustiçados e discriminados. Quando os de Esquerda se manifestam, geralmente é para reivindicar seus direitos, igualdade social, justiça igual para todos, melhores condições de trabalho e salário digno; serviços públicos dignos; e governo que olhe pela causa dos menos favorecidos.

2) E a Direita representa o lugar natural dos ricos, dos de raça branca ariana, dos políticos poderosos, da classe política dos coronéis, do judiciário e dos religiosos fundamentalistas. E quando os da Direita se manifestam, geralmente é para reivindicar mais poder e privilégios, como o caso dos juízes que mesmo tendo casa própria e recebendo altos salários ainda assim querem receber o auxílio-moradia, cujo valor é maior que o salário de um professor. Os políticos quando se manifestam é para reivindicar mais mordomias e aumento de seus salários, que já são altos. E os ricos de cor branca ou da raça ariana não querem perder o serviço escravo das empregadas domésticas que recebem baixos salários e ainda são maltratas. Os empresários não querem pagar mais impostos nem conceder aumento justo para os trabalhadores. E os religiosos não querem perder o controle do gado e a mamata dos dízimos e ofertas, e mantêm sob cabresto os fiéis através de pesada doutrinação fundamentalista.

3) Os negros e pobres que se juntam aos de Direita, ou são alienados, ou são doutrinados por seus líderes religiosos. Geralmente os líderes religiosos fundamentalista associam o regime socialista e comunista com o Diabo, e com isso eles fazem a cabeça dos crentes que não sabem de nada. E na realidade, os governos que controlam o mundo é que estão aliados ao Satanás. Os governos de Esquerda apenas lutam contra o poder da Besta e do Dragão. Os governos de Esquerda não têm intenção de dominar os demais países, enquanto que o objetivo maior dos governos de Direita é dominar e controlar os governos dos países pobres e sem poderio militar e bélico. E quando um governo de Esquerda não quer se submeter ao controle da Besta, ela conspira, impõe embargos econômicos e faz de tudo para prejudicar o país, de tal forma que ele se renda. É o que tem feito os Estados Unidos da América em vários países do mundo. O último governo de Esquerda a se curvar perante o domínio da Besta é o da Coreia do Norte. Depois virão os outros. Os únicos países de Esquerda que a Besta não pode dominar é a China e a Rússia.

Esse meu ponto de vista não é nenhum exagero. É a realidade do mundo em que vivemos.

Que Deus dê força aos fracos, aos discriminados por causa da cor da pele, aos desvalidos, aos pobres e a todos os trabalhares que lutam contra a opressão dos ricos, dos brancos e dos religiosos, exploradores da fé.

—————————
Miquels7

 

29/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

DEUS APROVA O ABORTO EM CASO DE INFIDELIDADE DA MULHER

**********
Deus aprova, sim, o aborto em caso de gravidez, fruto de adultério da mulher infiel ao marido.

Em Números 5:11-31 o próprio Deus orienta os sacerdotes a realizar o aborto com ervas amargas. Se a mulher infiel estivesse escondendo a gravidez ao marido e jurasse falsamente para o sacerdote que não havia cometido adultério, ela teria que tomar o chá de ervas amargas, ou seja, chá abortivo. E se estivesse mesmo grávida, a criança morreria no seu ventre e suas coxas e ventre ficariam inchados. Mas, se ela não estivesse grávida nada lhe aconteceria se tomasse o chá amargo.

Neste caso a gravidez da mulher seria imperceptível ainda no terceiro mês, podendo fazer o aborto. E o marido enciumado poderia fazer a prova da infidelidade da mulher perante o sacerdote.

NÚMEROS 5
11 Disse mais o Senhor a Moisés:
12 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Se a mulher de alguém se desviar pecando contra ele,
13 e algum homem se deitar com ela, sendo isso oculto aos olhos de seu marido e conservado encoberto, se ela se tiver contaminado, e contra ela não houver testemunha, por não ter sido apanhada em flagrante;
14 se o espírito de ciúmes vier sobre ele, e de sua mulher tiver ciúmes, por ela se haver contaminado, ou se sobre ele vier o espírito de ciúmes, e de sua mulher tiver ciúmes, mesmo que ela não se tenha contaminado;
15 o homem trará sua mulher perante o sacerdote, e juntamente trará a sua oferta por ela, a décima parte de uma efa de farinha de cevada, sobre a qual não deitará azeite nem porá incenso; porquanto é oferta de cereais por ciúmes, oferta memorativa, que traz a iniqüidade à memória.
16 O sacerdote fará a mulher chegar, e a porá perante o Senhor.
17 E o sacerdote tomará num vaso de barro água sagrada; também tomará do pó que houver no chão do tabernáculo, e o deitará na água.
18 Então apresentará a mulher perante o Senhor, e descobrirá a cabeça da mulher, e lhe porá na mão a oferta de cereais memorativa, que é a oferta de cereais por ciúmes; e o sacerdote terá na mão a água de amargura, que traz consigo a maldição;
19 e a fará jurar, e dir-lhe-á: Se nenhum homem se deitou contigo, e se não te desviaste para a imundícia, violando o voto conjugal, sejas tu livre desta água de amargura, que traz consigo a maldição;
20 mas se te desviaste, violando o voto conjugal, e te contaminaste, e algum homem que não é teu marido se deitou contigo,-
21 então o sacerdote, fazendo que a mulher tome o juramento de maldição, lhe dirá:-O Senhor te ponha por maldição e praga no meio do teu povo, fazendo-te o Senhor consumir-se a tua coxa e inchar o teu ventre;
22 e esta água que traz consigo a maldição entrará nas tuas entranhas, para te fazer inchar o ventre, e te fazer consumir-se a coxa. Então a mulher dirá: Amém, amém.
23 Então o sacerdote escreverá estas maldições num livro, e na água de amargura as apagará;
24 e fará que a mulher beba a água de amargura, que traz consigo a maldição; e a água que traz consigo a maldição entrará nela para se tornar amarga.
25 E o sacerdote tomará da mão da mulher a oferta de cereais por ciúmes, e moverá a oferta de cereais perante o Senhor, e a trará ao altar;
26 também tomará um punhado da oferta de cereais como memorial da oferta, e o queimará sobre o altar, e depois fará que a mulher beba a água.
27 Quando ele tiver feito que ela beba a água, sucederá que, se ela se tiver contaminado, e tiver pecado contra seu marido, a água, que traz consigo a maldição, entrará nela, tornando-se amarga; inchar-lhe-á o ventre e a coxa se lhe consumirá; e a mulher será por maldição no meio do seu povo.
28 E, se a mulher não se tiver contaminado, mas for inocente, então será livre, e conceberá filhos.
29 Esta é a lei dos ciúmes, no tocante à mulher que, violando o voto conjugal, se desviar e for contaminada;
30 ou no tocante ao homem sobre quem vier o espírito de ciúmes, e se enciumar de sua mulher; ele apresentará a mulher perante o Senhor, e o sacerdote cumprirá para com ela toda esta lei.
31 Esse homem será livre da iniqüidade; a mulher, porém, levará sobre si a sua iniqüidade.

Se você ainda não se deu conta, entenda que esse mandamento se trata da prática de um aborto de um feto, ou seja, aborto de uma gravidez de poucas semanas que a mulher infiel esteja escondendo do marido. Ou a prática de um aborto feito de forma velada.

CONCLUSÃO

Deus aprova sim o aborto em caso de estupro ou infidelidade da mulher.

No entanto, se a mulher e o homem consentem em praticar aborto voluntário sem que a gravidez seja de risco ou que não seja fruto de estupro, isso se constitui em grave pecado diante de Deus.

Agora, veja o que diz Êxodo 21:22-25.

“Se alguns homens brigarem, e um ferir uma mulher grávida, e for causa de que aborte, não resultando, porém, outro dano, este certamente será multado, conforme o que lhe impuser o marido da mulher, e pagará segundo o arbítrio dos juízes; mas se resultar dano, então darás vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe” (Êxodo 21:22-25).

Veja o absurdo neste mandamento da Lei de Moisés. Se o aborto fosse considerado coisa tão repugnante, por certo Deus Yavéh dos hebreus teria adotado penas mais severas para quem o praticasse. Porém, veja que por essa lei, a vida da mulher tem mais valor que a vida do bebê no ventre. Se o homem ferisse a mulher e a criança morresse no seu ventre, tudo bem. Pagaria apenas uma multa. Mas se a mulher ferida morresse também, aí sim, a pena seria maior ao infringente, a pena capital. Ou seja, a vida da mãe é mais importante que a vida do bebê. Se a vida do feto tivesse o mesmo valor que a da mãe, a penalidade seria a mesma.

Será que as vidas de seres humanos inocentes, mesmo sendo filhos de ímpios pecadores, têm muita importância para Deus? Veja o que o salmista fala inspirado pelo Espírito Santo:

“Ah! filha de Babilônia, devastadora; feliz aquele que te retribuir consoante nos fizeste a nós; feliz aquele que pegar em teus pequeninos e der com eles nas pedras” (Salmos 137:8-9).

**********
Outros textos bíblicos que falam sobre aborto:

“Por que não morri ao nascer? por que não expirei ao vir à luz? Por que me receberam os joelhos? e por que os seios, para que eu mamasse? Pois agora eu estaria deitado e quieto; teria dormido e estaria em repouso, com os reis e conselheiros da terra, que reedificavam ruínas para si, ou com os príncipes que tinham ouro, que enchiam as suas casas de prata; ou, como aborto oculto, eu não teria existido, como as crianças que nunca viram a luz” (Jó 3:11-16).

“Então, por que me fizeste sair do ventre? Eu preferia ter morrido antes que pudesse ser visto. Se tão-somente eu jamais tivesse existido, ou fosse levado direto do ventre para a sepultura!” (Jó 10:18-19).

“Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, de modo que os dias da sua vida sejam muitos, porém se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é melhor do que ele” (Eclesiastes 6:3).

“Sumam-se como águas que se escoam; sejam pisados e murcham como a relva macia. Sejam como a lesma que se derrete e se vai; como o aborto de mulher, que nunca viu o sol” (Salmos 58:7-8).

“Maldito o dia em que nasci; não seja bendito o dia em que minha mãe me deu à luz. Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho, alegrando-o com isso grandemente. (…) Por que não me matou na madre? assim minha mãe teria sido a minha sepultura, e teria ficado grávida perpetuamente! Por que saí da madre, para ver trabalho e tristeza, e para que se consumam na vergonha os meus dias?” (Jeremias 20:14-18).

**********
O bispo Hermes Fernandes também fez um comentário sobre a questão do aborto na Bíblia, em Êxodo 21:22. Clique no link, abaixo, para ler.

O que a Bíblia realmente diz sobre o aborto – Por Hermes Fernandes

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-que-a-biblia-realmente-diz-sobre-o-aborto-por-hermes-fernandes-bispo-evangelico-no-rj/

———————-
Miquels7

25/04/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, ESTUDOS BÍBLICOS, TEMAS DIFÍCEIS | , , | Deixe um comentário

UMA CONVERSA SÉRIA COM OS CRENTES QUE ACREDITAM QUE DEUS CRIOU O MUNDO EM 6 DIAS

**********
É inadmissível que em pleno século XXI, com o grande avanço do conhecimento científico, com modernos telescópios que vasculham os céus e observam bilhões de estrelas e centenas de galáxias, os crentes ainda persistem nessa crença boba de que o mundo foi criado por Deus em 6 dias e que a Terra possui pouco mais de 6 mil anos de existência.

A Criação do Mundo

É verdade que a Carta Sobre os Direitos do Homem, das Nações Unidas, e a Constituição Brasileira garantem a liberdade de culto e de crença a qualquer pessoa. Também é certo que o homem possui o livre arbítrio para ser o que quiser e acreditar no que der na telha. Mas isso não dá o direito a ninguém de ser burro por teimosia. Em dado momento as pessoas têm que entender que estão erradas e saber que devem usar de sua racionalidade para compreender a realidade.

Porém, pessoas que se dizem cultas, doutores e teólogos graduados em várias áreas do conhecimento ainda persistem nessa crença boba de que o mundo foi criado em 6 dias de 24 horas, e que o nosso planeta Terra tem pouco mais de 6 mil anos de existência. Quem não possui conhecimento científico ou conhecimento escolar (os pobres de espírito) até podem ter desculpa de acreditar em bobagens e coisas infantis. Mas, pessoas que se julgam cultas acreditar de forma literal em textos com linguagem figurada (ou oculta) escritos na Bíblia, como esse que fala sobre a “cobra falante” que conversou com Eva no paraíso, aí já é ingenuidade e tolice.

Os crentes acreditam que o que existe nos céus acima das nuvens é um mundo espiritual, o mundo dos espíritos, onde Deus e os anjos habitam. E eles vêm repassando essa crença medieval de geração a geração até os nossos dias, como se fosse uma verdade.

Achados arqueológicos, os fósseis enterrados há milhares de anos sob camadas mais profundas da terra, atestam que o planeta Terra existe há milhares de anos. Fósseis de dinossauros, animais gigantes pré-históricos que existiram há milhões de anos, atestam que a Terra não apareceu recentemente. As camadas geológicas duraram milhares ou milhões de anos para que se formassem. Os continentes se formaram devido a um processo gradual de separação (deriva continental) que durou milhões de anos e isso é comprovado por diversos estudos comparativos. A costa leste brasileira, do lado do Atlântico, se afastou da África num processo gradual que durou milhões de anos. A costa da África não se separou da costa brasileira há 6 mil anos atrás.

O diamante, a pedra preciosa mais dura (rígida) que existe no planeta Terra, leva milhões de anos para se formar nos rochedos. Mas os religiosos fanáticos dizem que Deus criou algumas pedras de diamante há 6 mil anos atrás e as espalhou por vários lugares do planeta, para sorte de quem as encontrar.

A Bíblia diz que Deus criou Adão e Eva, e desse casal surgiram todas as raças de seres humanos da Terra: brancos europeus, arianos de olhos azuis, negros africanos, esquimós, índios americanos de pele vermelha, aborígenes australianos e pigmeus africanos. Mas os descendentes de Sem, Cam e Jafé, filhos de Noé, que sobreviveram ao dilúvio não povoaram as Américas, principalmente a América do Sul. E de quais ancestrais os índios americanos descenderam? Como os brancos europeus ou negros africanos atravessaram o Oceano Atlântico vindo para as Américas se os humanos só inventaram as grandes caravelas para navegação nos oceanos no século XV? E como brancos e negros se tornaram peles vermelhas vivendo nas Américas? Por que os negros e brancos que migram da Europa e da África para o Brasil não se tornam índios de peles vermelhas? Por que os índios americanos andavam nus e não sabiam fazer fogo nem fabricar ferramentas com metais fundidos, visto que os descendentes dos filhos de Noé, sendo civilizados, usavam roupas e sabiam fabricar ferramentas? Como um povo civilizado migrou de uma parte do planeta para outra e se tornou selvagem, sem cultura e sem conhecimento dos seus antepassados?

O problema dos religiosos é que querem tomar a Bíblia como um livro científico, o qual eles dizem que contém a verdade absoluta, e desdenham do conhecimento científico. Mas a Bíblia não expressa a verdade do ponto de vista científico. O conhecimento científico que existe na Bíblia sobre o Universo e o planeta Terra é primitivo e até infantil. A Bíblia expressa uma verdade sobre a realidade decaída dos seres humanos e o plano de aperfeiçoamento dos que estão dispostos a se aperfeiçoar, mas ninguém pode tomá-la para nortear o conhecimento científico.

Na Bíblia está comprovada a maneira como os primeiros seres humanos, até meados do século XV, compreendiam o mundo e o planeta Terra. Eles acreditavam que a Terra era o centro do Universo, e que o Sol girava ao redor da Terra. Os escritores da Bíblia não sabiam nada a respeito da composição do Sistema Solar. Quem na verdade sabia alguma coisa sobre a composição do Sistema Solar eram os estudiosos do antigo Egito, os da antiga Suméria e, depois, os da Babilônia. Os escritores bíblicos não sabiam nada sobre os céus, sobre os astros, estrelas, planetas, cometas, asteroides e luas. Há citação das Plêiades (Sete-Estrelo), das constelações de Órion e Ursa Maior na Bíblia, mas isso os profetas hebreus aprenderam com os sábios da Babilônia (Jó 9:9; Amós 5:8).

Constelação de Órion

Os profetas e escritores da Bíblia acreditavam que as estrelas eram pequenos luzeiros suspensos sob a abóbada celeste, que serviam para alumiar durante a noite. Achavam que a queda de meteoritos eram estrelas que caiam do céu. Acreditavam que a abóbada celeste era sustentada por sete colunas e que a mesma era como uma laje sólida, e que acima dela existia um mundo espiritual onde Deus e os anjos habitavam. Também acreditavam que os trovões eram a voz de Deus. E essa crença infantil ainda persiste na mente dos crentes até os dias de hoje.

Podem falar o que quiserem a respeito dessa minha atitude em criticar a crença infantil dos crentes. Mas alguém tem que se levantar e dizer “basta!”. Não é possível que os crentes continuem levando de geração a geração essas crenças infantis, e pautando suas vidas por certas crenças absurdas.

Acreditar que Deus criou o homem aqui na Terra, que criou as plantas e os animais, até que não é uma atitude tão absurda. Mas, acreditar que o mundo ou Universo foi criado em 6 dias e que o nosso planeta Terra possui pouco mais de 6 mil anos, aí já é tolice demais! A crença dos crentes em coisas absurdas é tão ridícula que chegam ao ponto de dizer que Deus poderia ter criado o mundo num piscar de olhos ou num estalar de dedo, mas ele preferiu trabalhar durante seis dias para ensinar ao homem que no sétimo dia ele deve descansar. Aí é pra acabar!!!

Infelizmente o ser humano é teimoso, e morre na sua teimosia. Até os que se julgam cultos também são teimosos. Já os crentes “pobres de espírito” acreditam em fantasias da mente porque os religiosos assim os ensinaram. Eles não têm condições e capacidade de estudar e de investigar por si só as coisas para saber da verdade, e se conformam apenas em ouvir seus mentores espirituais. Preferem obedecer cegamente ao que seus mentores ou líderes religiosos ensinam.

E assim caminha a humanidade!

———————-
Miquels7

16/04/2018 Posted by | FANATISMO RELIGIOSO, MENSAGENS ESPECIAIS, REFLEXÃO | , , , , | Deixe um comentário

DESCOBRI ALGO TERRÍVEL NA BÍBLIA ALÉM DO QUE JÁ SE SABE QUE VAI ACONTECER COM O PLANETA TERRA

**********
INTRODUÇÃO

Descobri algo terrível camuflado na Bíblia que irá acontecer com o planeta Terra.

Este artigo toma por base os relatos da Bíblia, mas não é produzido do ponto de vista religioso.

Não quero que entendam que agora me tornei um ateu. Quero que entendam este artigo como uma peça de ficção. Se há algum sentido real nessa minha linha de interpretação da Bíblia, sei que poderá mudar completamente o modo de pensar dos religiosos.

Se alguém tiver a coragem de ler, entenda que tudo isso que escrevo é apenas uma peça de ficção, com um fundo de realidade.

Imagine que toda a narrativa bíblica seja real, mas que os seus mentores divinos, Deus e os anjos, sejam apenas “atores de ficção” para esconder ou camuflar uma verdade sobre o destino da Terra e dos seres humanos!                                                               

Imagine também que a finalidade da mensagem bíblica, de aperfeiçoar e salvar seres humanos bons e justos, na verdade seja com o intuito de preservar e salvar os seres humanos bons da extinção!

Imagine ainda que a vinda de Yesu Cristo, o Messias, foi com a intenção de alertar a humanidade sobre um terrível cataclismo que varrerá o planeta Terra, e que sua mensagem de salvação (o evangelho) foi com a intenção de aperfeiçoar, preparar e salvar os seres humanos bons da extinção, os chamados “escolhidos”!

É sobre este aspecto da narrativa bíblica que tratarei neste artigo. Não é um assunto investigado a fundo, mas é apenas o começo de uma nova linha de interpretação sobre o fim dos tempos que a Bíblia relata.

Estrela ardente - Absinto

**********
POR QUE CONSIDERO TAL CONHECIMENTO UMA NOVA DESCOBERTA?

Porque a Bíblia é um livro verdadeiro, que traz uma mensagem de esperança para os humanos bons dessa atual humanidade decaída.

Enquanto ateus e céticos desdenham dos relatos da Bíblia, chamando-os de mitos ou lendas, os cientistas também fazem pouco caso, afirmando que tais relatos foram feitos por pessoas de um passado remoto, que não tinham nenhum conhecimento científico, não sabiam que a Terra era um planeta que girava ao redor do Sol, e não conheciam nada sobre o Universo. Para eles a Bíblia é apenas um livro cheio de contos lendários, com poucos dados científicos, históricos e geográficos, produzido por fanáticos religiosos, e não tem muita serventia para a humanidade.

Na verdade, a Bíblia traz de forma velada um conhecimento real que nem os próprios religiosos compreendem. E é sobre este conhecimento oculto da Bíblia que estarei discorrendo agora, de forma inédita no mundo.

POR QUE A BÍBLIA FALA SOBRE ARREBATAMENTO DOS ESCOLHIDOS?

Os religiosos cristãos, principalmente os protestantes do ramo pentecostal, ficam o tempo todo na expectativa de alcançar o tão esperado arrebatamento dos salvos, ou o arrebatamento da Igreja, a Noiva de Cristo, para ir morar no Céu com Deus. Porém, esse evento tão esperado se parece mais com uma peça de ficção para os religiosos, mas para a Ciência pode ser algo real e verdadeiro. E o que eles chamam de “arrebatamento” será simplesmente a tomada de seres humanos escolhidos da Terra por seres alienígenas antes que o planeta sofra o terrível cataclismo já previsto com antecedência. Esse “arrebatamento” ou abdução de seres humanos escolhidos será com a intenção de salvá-los da extinção. Neste caso, só serão salvos os seres humanos considerados bons, os que foram aperfeiçoados, não necessariamente pessoas importantes, como políticos, cientistas e crianças.

Os “escolhidos” serão tomados da Terra e levados em naves espaciais e permanecerão no espaço até que o planeta volte à normalidade. Essa tomada de seres humanos escolhidos deverá acontecer por precaução, porque os seres alienígenas não sabem qual será o tamanho do estrago provocado pelo cataclismo que se abaterá sobre o planeta Terra. Eles não têm certeza se todos os seres vivos serão mortos. No Apocalipse diz que a terça parte dos animais da terra e dos mares será extinta, e dois terços dos humanos serão mortos. Mas, isso pode ser apenas uma estimativa. O estrago pode ser maior.

“O primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva e fogo misturado com sangue, que foram lançados na terra; e foi queimada a terça parte da terra, a terça parte das árvores, e toda a erva verde. O segundo anjo tocou a sua trombeta, e foi lançado no mar como que um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar. E morreu a terça parte das criaturas viventes que havia no mar, e foi destruída a terça parte dos navios. O terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas. O nome da estrela era Absinto; e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas. O quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte do sol, a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhante, e semelhantemente a da noite” (Apoc. 8:7-12).

“A terra está de todo quebrantada, a terra está de todo fendida, a terra está de todo abalada. A terra cambaleia como o ébrio, e balanceia como a rede de dormir; e a sua transgressão se torna pesada sobre ela, e ela cai, e nunca mais se levantará. Naquele dia o Senhor castigará os exércitos do alto nas alturas, e os reis da terra sobre a terra. E serão ajuntados como presos numa cova, e serão encerrados num cárcere; e serão punidos depois de muitos dias. Então a lua se confundirá, e o sol se envergonhará, pois o Senhor dos exércitos reinará no monte Sião e em Jerusalém; e perante os seus anciãos manifestará a sua glória. (Isaías 24:19-23).

“Em toda a terra, diz o Senhor, as duas partes dela serão exterminadas, e expirarão; mas a terceira parte restará nela. E farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: O Senhor é meu Deus” (Zacarias 13:8-9).

Em Mateus e Apocalipse está relatado o momento em que os seres humanos escolhidos serão tomados da Terra pelos alienígenas.

“Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus” (Mateus, 24:28-29).

“Depois disto vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, retendo os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem contra árvore alguma. E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Deus vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiques a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Deus. E ouvi o número dos que foram assinalados com o selo, cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel” (Apoc. 7:1-4).

“E olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o Monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que traziam na fronte escrito o nome dele e o nome de seu Pai. E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão e a voz que ouvi era como de harpistas, que tocavam as suas harpas. E cantavam um cântico novo diante do trono, e diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil, aqueles que foram comprados da terra. Estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis” (Apoc. 14:1-5).

Depois, esses escolhidos que serão tomados da Terra regressarão do espaço para habitar na Terra, que será regida por um governo divino (dos deuses Elohim).

“E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe. E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apoc. 21:1-4).

 

HAVERÁ UMA NOVA ARCA DE NOÉ PARA SALVAR OS ANIMAIS DA EXTINÇÃO?

Se a Bíblia fala que apenas seres humanos serão arrebatados (tomados) da Terra para não sofrerem a extinção, daí surge um pergunta inevitável. E os outros seres vivos não serão tomados da Terra para não sofrerem a extinção?

Acredito que tem um plano dos alienígenas para salvar os animais da extinção. Porém, se foram eles que plantaram a semente dos seres vivos aqui na Terra, tanto de animais como de plantas, então não há necessidade de salvá-los numa nova Arca de Noé. A Terra poderá ser povoada novamente com plantas e animais. Porém, se os animais e plantas são frutos de uma evolução, então eles terão que salvar uma boa parte dos animais. E das plantas deverão salvar apenas as sementes.

xxxxx

[ainda escrevendo sobre os seguintes itens]

A NOVA ARCA DE NOÉ JÁ FOI CONSTRUÍDA POR SERES HUMANOS NA TERRA

xxxxxx

PISTAS SOBRE OS TERRÍVEIS CATACLISMOS QUE A TERRA JÁ SOFREU

I) extinção dos dinossauros

II) extinção da Atlântida, dos mamutes e a Era do Gelo

III) o dilúvio bíblico e arca de noé

A MUDANÇA DOS PÓLOS DA TERRA E A INCLINAÇÃO DO SEU EIXO

I) livro astrônomo Patrick Geryl sobre o fim do mundo em 2012 que não ocorreu, mas ele estava certo em muitas coisas

II) a longevidade dos antediluvianos, por que viviam quase 1000 anos

III) o reino messiânico após o cataclismo os seres humanos voltarão a viver quase 1000 anos

O PLANETA NIBIRU E OS ANUNNAKI

I) Os Elohim (deuses), isto é, o Deus da Bíblia e seus anjos, seriam os Anunnaki, habitantes do planeta Nibiru, ou seriam raça superior de alienígenas vindo de um sistema planetário fora do Sistema Solar?

II) a aproximação do planeta Nibiru seria a causa do cataclismo aqui na Terra e a agitação nos planetas do sistema solar?

III) O sétimo céu que a Bíblia fala e que Paulo diz ter sido levado até lá seria um sétimo planeta do sistema solar e não um lugar além da Via Láctea?

IV) é verdade que os seres humanos surgiram de uma experiência genética de primatas com os anunnaki? A expressão feitos à “imagem e semelhança de Deus” significa que os humanos são seres híbridos, formados da união de primatas com os anunnaki? Ou foram alienígenas de uma raça superior que a raça adâmica aqui na Terra?

V) é verdade que os humanos híbridos foram criados na terra para servirem de escravos para trabalhar nas minas para extrair ouro para os anunnaki?

VI) ou será que a raça adâmica foi uma raça criada por um outro Deus, o Deus da Bíblia, que se arroga ter criado os céus e a terra?

VII) afinal de contas, quem foram os nefilins? Por que eles corromperam a terra e os humanos antes do dilúvio?

VIII) Existe mais de uma raça de alienígenas disputando o controle do planeta Terra?  Os Anunnaki vieram primeiro e depois os Elohim, os deuses da Bíblia, vieram depois para tomar o controle da Terra? Os Anunnaki seriam “satanás e seus anjos” que vieram escravizar os humanos? E os Elohim, alienígenas do bem, vieram para salvar a humanidade do controle dos Annunaki? Os humanos serão salvos da extinção pelos Anunnaki ou pelos Elohim?

É VERDADE QUE SOMENTE OS DEUSES NOS SALVARÃO?

Somente os seres humanos bons e aperfeiçoados serão salvos.

A vinda de Yesu Cristo como último aviso e mensagem para a humanidade para que os humanos se aperfeiçoem, sejam seres humanos bons, para que sejam salvos.

Xxxxxx

POR QUE HÁ PROMESSA DE RESSURREIÇÃO NA BÍBLIA?

Como se dará essa ressurreição dos seres humanos bons? Racionalmente falando, como pode algo do nada ressurgir das cinzas? Do ponto de vista religioso (maluquice) tudo é possível. Porém, do ponto de vista científico um ser humano que morreu só pode ressurgir se ele for clonado. Mas, a clonagem não traz o cérebro com o mesmo cabedal de conhecimento e as lembranças do passado.

Será que os alienígenas recolhem toda a informação genética de cada ser humano bom para que possa cloná-lo no futuro, após o cataclismo?

O BANCO DE DADOS DA IGREJA DOS MÓRMONS COM INFORMAÇÕES SOBRE TODOS OS SERES HUMANOS DA TERRA

Para que servirá o banco de dados contendo informações sobre cada ser humano que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) tem preparado em Houston, no Texas?

(citar a reportagem de Fábio Panúnzio, da Band)

———————————
Miquels7 – 14/04/2018

 

14/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

LULA DIZ QUE MORO TEM UMA MENTE DOENTIA

**********
Em um de seus últimos vídeos antes de ser preso, ao lado de Frei Betto, o ex-presidente Lula se disse tranquilo e falou sobre a subordinação de Sergio Moro à Rede Globo. Disse ainda que juiz Sérgio Moro tem uma mente doentia.


(https://www.youtube.com/watch?v=mLK_SNJO9XU)

**********
Luiz Inácio Lula da Silva é o político mais perseguido do Brasil, desde 1978, quando foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista, quando liderou as maiores greves deste país. Antes de Lula, ninguém tinha coragem de liderar uma greve no governo militar.

Em 1980, junto com amigos, fundou o Partido dos Trabalhadores – PT. Foi preso quando liderava as greves do ABC paulista.

Os principais grupos midiáticos que controlam a informação neste país, como Rede Globo e Jornal O Globo, Rede Bandeirantes, a Revista Veja, do Grupo Abril, Jornal Folha de São Paulo, etc, tentaram destruir a vida e a carreira política de Lula. São milhares de páginas, mentiras e calúnias contra o ex-presidente Lula.

Antes de ser presidente Lula só concorreu uma vez a Deputado Federal por São Paulo, sendo o deputado mais votado do Brasil. Cumpriu seu único mandato de 1986 a 1989. Desde 1990 ele ficou sendo apenas presidente do Partido dos Trabalhadores, esperando a oportunidade para concorrer à presidência da República. Já em 1989 Lula concorreu à presidência da República, mas perdeu porque a Rede Globo o prejudicou no último debate na TV. O candidato da Globo era o Fernando Collor de Melo. A Globo favoreceu o Collor e Lula foi prejudicado. Depois de 1989, Lula ainda se candidatou a presidente em 1994 e 1998 quando perdeu para o FHC, do PSDB, que mergulhou o país numa recessão e dívida externa. Depois, em 2002 finalmente foi eleito presidente do Brasil, período em que o Brasil experimentou o maior crescimento econômico, de 2003 até dezembro e 2014 no governo Dilma. No governo Lula o Brasil saltou da 12ª economia mundial para a 6º maior economia do planeta, e o país passou a ser protagonista no cenário internacional, com Lula prestigiado e homenageado aqui no Brasil e no exterior. Com Lula o Brasil deixou o complexo de vira-lata. Em 2005 o governo Lula rendeu uma bela reportagem no programa Globo Repórter da Globo. Durante o governo de FHC nos anos 1990 havia muita fome e morte de crianças por desnutrição no Norte e Nordeste do Brasil. Lula, através dos programas sociais, erradicou a fome no Brasil e tirou milhões da linha de pobreza e elevou cerca de 40 milhões de brasileiros da classe C para a B (classe média).

Depois que começou a Operação Lava-Jato em janeiro de 2015, a Rede Globo se aliou ao candidato derrotado, Aécio Neves, e lideraram a campanha do golpe para derrubar o governo de Dilma/PT, e junto com Sérgio Moro, mergulharam o Brasil em outra recessão que já desempregou mais de 12 milhões de brasileiros. Em dezembro de 2014, no governo Dilma, o Brasil estava com uma taxa de 4,5% de desemprego. Até aí o Brasil vivia o chamado “pleno emprego”. Só não havia emprego para esses 4,5% porque há déficit de mão-de-obra qualificada e as empresas não conseguem preencher essas vagas.

Diferentemente do deputado demagogo, Jair Bolsonaro, que vive à custa do dinheiro público há quase 30 anos e ainda colocou seus dois filhos na política para mamarem nas tetas do governo, Lula não colocou seus filhos na política. Tinha tudo para eleger seus filhos como deputados, mas não quis. Um dos filhos de Lula tentou ser vereador em São Bernardo do Campo, mas Lula não se empenhou para elegê-lo. Mas ele foi bem votado. Só não foi eleito por causa da legenda e do tal coeficiente partidário.

Os inimigos de Lula não se cansaram até prendê-lo novamente e tirá-lo da liderança política neste país. Mas, o jogo contra o Lula ainda não está encerrado. Lula foi detido, mas pode sair mais forte ainda. E eles farão de tudo para tentar impedi-lo de voltar ao cenário político.

E a campanha de difamação contra Lula continua nas redes sociais, principalmente no Facebook. Muitos repercutem essas difamações e calúnias por desconhecimento da história de Lula, pois só sabem sobre Lula pelo que veem e ouvem na mídia golpista e pelos memes mentirosos que circulam nas redes sociais. Outros repercutem essas notícias caluniosas por pura maldade, porque não simpatizam com o “sapo barbudo” de voz rouca (esses são os pobres de Direita, pobres de alma e de entendimento). E o outro grupo que combate Lula são os religiosos fundamentalistas, canalhas, hipócritas, pois dizem que Lula e PT são comunistas, e por isso estão tentando aprovar casamento gay, aborto e liberação das drogas no país. Só que isso é mentira de religioso canalha, filho do Diabo. Pois, em nenhum país comunista são aprovadas essas coisas que eles alegam que PT quer aprovar. Liberação das drogas, casamento gay e lei a favor do aborto são coisas da Democracia; essas leis só são aprovadas em países democráticos de maioria cristã. A lei da liberação da maconha não foi idealizada inicialmente por nenhum partido de esquerda. O idealizador que criou a PLC da maconha foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. A lei para aprovar o aborto assistido foi idealizado pelo deputado gay do PSOL, Jean Wyllys. O que o PT idealizou através do senador Paulo Paim foi a lei para que as igrejas evangélicas e católica paguem imposto de renda e tributos ao governo. Os maiores antros de lavagem de dinheiro neste país, tanto da corrupção política quanto do tráfico de drogas, são as igrejas evangélicas.

O problema das leis modernas que vão contra os princípios do fundamentalismo judaico-cristão não são os partidos de esquerda e o comunismo. O problema é a Democracia. Ou com PT ou sem PT, enquanto o Brasil for uma Democracia, as leis sobre casamento gay, aborto e liberação das drogas serão aprovadas. Isso é apenas questão de tempo. Mesmo que os crentes lutem para eleger um presidente evangélico, mesmo assim essas leis serão aprovadas, porque isso não depende do presidente; depende da vontade da maioria dos deputados e senadores e da maioria dos ministros do STF. Os Estados Unidos, por exemplo, sempre se preocuparam em eleger um presidente cristão, e também evangélico, como no caso de John Kennedy, mas isso não tem impedido de serem aprovados o casamento gay, a lei da liberação da maconha e do aborto em vários Estados Americanos. A mesma coisa irá acontecer aqui no Brasil nos próximos anos enquanto o Brasil for uma democracia. Só não irá acontecer se ocorrer um novo golpe de Estado e o Brasil mergulhar numa nova Ditadura Militar. Sobre a fantasiosa ameaça de o Brasil se tornar um país comunista, caso um partido de esquerda eleja um presidente, isso nem se cogita, porque não há nenhuma chance. A chance que há é de o Brasil mergulhar numa ditadura religiosa cristã, caso consigam eleger um presidente evangélico conservador e fundamentalista religioso, e consigam eleger deputados evangélicos para formar a maioria das bancadas do Senado e da Câmara dos Deputados. Mas isso é um pouco difícil. Porém, a chance real que há é de o Brasil sofrer um golpe de Estado, e mergulhar numa nova Ditadura Militar.

Os políticos do PT e de outros partidos de Esquerda não são santinhos, mas são melhores e mais confiáveis que os de Direita. Os políticos de Esquerda são nacionalistas e não se submetem facilmente aos ditames dos EUA, não são entreguistas nem neoliberais; a sua principal bandeira é o socialismo e políticas públicas voltadas para os pobres e os trabalhadores. Já os políticos de Direita são submissos aos EUA, têm complexo de vira-lata, são entreguistas e vendem o patrimônio nacional a preço de banana para grupos estrangeiros e por baixo dos panos recebem propina; são neoliberais e favorecem os ricos e viram as costas para os pobres; não constroem universidades e nem criam políticas públicas para incluir as minorias e facilitar o acesso de jovens pobres a uma faculdade; no governo de político de Direita há baixo crescimento econômico e pouca arrecadação de receitas, e para controlar os gastos eles privatizam tudo, adotam medidas de austeridade, não aumentam o salário mínimo acima da inflação, e fazem uma terrível campanha de arrocho salarial com as empresas, retirando os direitos conquistados dos trabalhadores, aumentando a jornada de trabalho e diminuindo os salários. E o atual governo de Michel Temer é um exemplo de governo neoliberal e entreguista, de arrocho salarial e retirada de direito dos trabalhadores, e sem políticas públicas para os pobres e os estudantes de baixa renda.

Assim como demorou para os americanos reconhecerem a bravura e a luta do pastor americano Martin Luther King, que morreu como mártir lutando pelos direitos dos negros, da mesma forma, somente a próxima geração de brasileiros reconhecerá os feitos do grande nordestino chamado Luís Inácio Lula da Silva, que dedicou toda a sua vida a favor dos trabalhadores e dos pobres deste país. O seu nome já está grafado na História do Brasil em placa de mármore, que jamais poderá ser apagado. Os seus algozes é que sempre serão lembrados como algozes e infelizes. A História se encarregará de reconhecer os feitos do melhor presidente que o Brasil já teve.

E tenho dito.

——————–
Miquels7

08/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Comentários desativados em LULA DIZ QUE MORO TEM UMA MENTE DOENTIA

SESSÃO APRENDENDO COM MIQUELS7 – A PRIMEIRA E A SEGUNDA BESTA, E A ÁRVORE DA VIDA

**********
Na Bíblia, nada escapa a um olhar cirúrgico e profundo de Miquels7. Enquanto os crentes neófitos e fanáticos leem e interpretam a Bíblia de forma superficial e fantasiosa, Miquels7 enxerga coisas profundas que um ser humano natural não vê.

Parece que desta vez me superei na gabolice! Mas, eu não sou o pior de todos. Tem gente mais arrogante do que eu. Temos que pelo menos apreciar as opiniões diferentes. Neste mundo existem tantas coisas bizarras! E Miquels7, arrogando-se possuir um olhar cirúrgico ou ter um cérebro fora do comum, faz parte desse mundo de coisas bizarras. Porém, pode ser um privilégio para poucos ler as coisas que escrevo e ensino. Pois, não se encontra por aí ninguém que ensine a Bíblia como Miquels7.

**********
1) A PRIMEIRA E A SEGUNDA BESTA

A maioria dos teólogos e intérpretes do Apocalipse admite que as duas Bestas retratadas no capítulo 13 são revelações novas e inéditas, e não têm nada a ver com profecias do Antigo Testamento. Mas, tem, sim.

João escreveu o Apocalipse no final do primeiro século da Era Cristã, quando o Império Romano estava no auge de seu domínio na Terra.

A primeira e a segunda Besta de Apocalipse têm a ver, sim, com profecias do Antigo Testamento. A revelação sobre a primeira e a segunda Besta é uma repetição da Besta relatada no livro de Daniel, só que no Apocalipse foi dado mais detalhes sobre o Pequeno Chifre, que é a Segunda Besta. E também no Apocalipse se diz que a Primeira Besta tem 7 cabeças. E no livro de Daniel essas 7 cabeças estão dividas assim: O Leopardo, que representa o Império Grego, tem 4 cabeças. Somando-se essas 4 cabeças com as cabeças do Leão, do Urso e do Quarto Animal, temos 7 cabeças. Observe na figura, abaixo, e conte as cabeças. Veja os relatos e compare os personagens e as características.

DANIEL 2 – A Estátua do Sonho de Nabucodonozor representa a Primeira Besta, isto é, os primeiros impérios ou os primeiros governos humanos.

31 Tu, ó rei, na visão olhaste e eis uma grande estátua. Esta estátua, imensa e de excelente esplendor, estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível.
32 A cabeça dessa estátua era de ouro fino; o peito e os braços de prata; o ventre e as coxas de bronze;
33 as pernas de ferro; e os pés em parte de ferro e em parte de barro.
34 Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mãos, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou.
35 Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se podia achar nenhum vestígio deles; a pedra, porém, que feriu a estátua se tornou uma grande montanha, e encheu toda a terra.
36 Este é o sonho; agora diremos ao rei a sua interpretação.
37 Tu, ó rei, és rei de reis, a quem o Deus do céu tem dado o reino, o poder, a força e a glória;
38 e em cuja mão ele entregou os filhos dos homens, onde quer que habitem, os animais do campo e as aves do céu, e te fez reinar sobre todos eles; tu és a cabeça de ouro [IMPÉRIO BABILÔNICO – LEÃO].
39 Depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu [IMPÉRIO MEDO-PERSA]; e um terceiro reino, de bronze [IMPÉRIO GREGO], o qual terá domínio sobre toda a terra.
40 E haverá um quarto reino, forte como ferro [IMPÉRIO ROMANO], porquanto o ferro esmiúça e quebra tudo; como o ferro quebra todas as coisas, assim ele quebrantará e esmiuçará.
41 Quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido; contudo haverá nele alguma coisa da firmeza do ferro, pois que viste o ferro misturado com barro de lodo.
42 E como os dedos dos pés eram em parte de ferro e em parte de barro, assim por uma parte o reino será forte, e por outra será frágil.

Os quatro animais simbólicos

DANIEL 7 – Os quatro animais simbólicos representam os mesmos impérios retratados na Estátua do sonho de Nabucodonozor.

2 Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando, numa visão noturna, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o Mar Grande [Mar Mediterrâneo].
3 E quatro grandes animais [A PRIMEIRA BESTA], diferentes uns dos outros, subiam do mar.
4 O primeiro era como LEÃO [Império Babilônico que começa desde a Torre de Babel], e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em dois pés como um homem; e foi-lhe dado um coração de homem.
5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um URSO [Império Medo-Persa], o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne.
6 Depois disto, continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um LEOPARDO [Império Grego, de Alexandre, o Grande], e tinha nas costas quatro asas de ave; tinha também este animal quatro cabeças; e foi-lhe dado domínio.
7 Depois disto, eu continuava olhando, em visões noturnas, e eis aqui o QUARTO ANIMAL [Império Romano], terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha grandes dentes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e TINHA DEZ CHIFRES.
8 Eu considerava os chifres, e eis que entre eles subiu outro chifre pequeno [PEQUENO CHIFRE], diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas.

APOCALIPSE 12 – O Dragão, a Primeira Besta, que surge das águas do Mar Mediterrâneo.

18 E o Dragão [Satanás] parou sobre a areia do mar [Mar Grande, Mar Mediterrâneo].

APOCALIPSE 13 – O Dragão dá o seu poder à Besta, que são os grandes impérios na Terra. E mais detalhes sobre o Pequeno Chifre, que é a Segunda Besta (EUA/ONU).

1 Então vi subir do mar [Mar Grande/Mar Mediterrâneo] uma Besta [PRIMEIRA BESTA] que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.
2 E a Besta que vi era semelhante ao LEOPARDO [Império Grego], e os seus pés como os de URSO [Império Medo-Persa], e a sua boca como a de LEÃO [Império Babilônico]; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.
3 Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte [QUARTO ANIMAL – Império Romano], mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a terra se maravilhou, seguindo a Besta,
4 e adoraram o Dragão, porque deu à Besta a sua autoridade; e adoraram a Besta, dizendo: Quem é semelhante à Besta? Quem poderá batalhar contra ela?
5 Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias; e deu-se-lhe autoridade para atuar por quarenta e dois meses.
6 E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu.
7 Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação.
8 E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.
9 Se alguém tem ouvidos, ouça.
10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.
11 E vi subir da terra outra Besta [SEGUNDA BESTA], e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão.
12 Também exercia toda a autoridade da primeira Besta na sua presença; e fazia que a Terra e os que nela habitavam adorassem a primeira Besta, cuja ferida mortal fora curada.
13 E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à Terra, à vista dos homens;
14 e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da Besta, enganava os que habitavam sobre a Terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à Besta que recebera a ferida da espada e vivia.
15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da Besta, para que a imagem da Besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da Besta.
16 E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte,
17 para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da Besta, ou o número do seu nome.
18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da Besta; porque é o número de homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.

Em Apocalipse 13:10 termina o relato sobre a Primeira Besta, onde João conclama os cristãos à perseverança, porque muitos seriam mortos e outros seriam levados cativos durante a invasão de Jerusalém que aconteceria no ano 70 d.C. João não recebeu as visões do Apocalipse somente após o ano 90 d.C. Ele recebeu as primeiras revelações antes mesmo do ano 70, antes da destruição do Templo e da cidade de Jerusalém. O templo que Deus ordena João medir, descrito no capítulo 11, é o Segundo Templo construído por Herodes. Não é o Terceiro Templo que ainda está por ser construído. A revelação do capítulo 11 ele a recebeu antes do ano 70. Somente após a visão na ilha de Patmos foi que Yesu Cristo ordenou que ele escrevesse num livro AS COISAS QUE TINHA VISTO ANTES, as que ele estava presenciando naquele momento e as que depois dessas iriam ser reveladas, e as enviasse a 7 congregações de cristãos da Ásia Menor.

“Escreve, pois, as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de suceder” (Apoc. 1:19).

Em Daniel 7 está bem claro que os 10 chifres pertenciam ao Quarto Animal, que é o Império Romano. Esses 10 chifres equivalem aos 10 dedos da estátua do sonho de Nabucodonozor. Porém, na profecia de Apocalipse não está especificado a quem pertence os 10 chifres. Mas é evidente que esses 10 chifres estão relacionados ao Império Romano.

Uma das 7 cabeças que fora ferida de morte sem dúvida é o Império Romano, o Quarto Animal, que se esfacelou no ano 476 d.C, mas que ressurgiu novamente ou através do Papado ou através das 10 maiores nações europeias, que são representadas pelos 10 dedos da estátua do sonho de Nabucodonozor ou pelos 10 chifres do Quarto Animal.

Repare que em Daniel 7 o CHIFRE PEQUENO tinha uma boca que falava grandes coisas. E em Apocalipse 13 é a Primeira Besta que profere arrogâncias e blasfêmias contra Deus e faz guerra aos santos e prevalece. Porém, em Daniel 7:21 se diz que é o Pequeno Chifre que faz guerra aos santos e os vence.

“Enquanto eu olhava, eis que o mesmo chifre fazia guerra contra os santos, e prevalecia contra eles” (Daniel 7:21).

“Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação” (Apoc. 13:7).

Portanto, acredito que o Pequeno Chifre é a Segunda Besta. Este Pequeno Chifre se tornou grande e ramificou o seu poder sobre os quatro cantos da Terra, e o seu domínio e autoridade se estendeu sobre toda tribo, povos, línguas e nações.  A descrição da Segunda Besta (Pequeno Chifre) vai do verso 11 ao 18.

Veja bem. Em Daniel 7 o Pequeno Chifre tinha uma boca que falava grandes coisas, isto é, proferia arrogâncias e blasfêmias contra Deus. E em Apocalipse 13:15 diz que foi feita uma imagem da Primeira Besta e dado fôlego à imagem para que falasse. Aí está o pequeno chifre ou a imagem que fala, significando que se trata dos mesmos personagens.

Muito se tem especulado sobre a identidade desse Pequeno Chifre. Os Adventistas do Sétimo Dia há séculos ensinam que o Pequeno Chifre é o rei do norte, representado pelo poder Papal. Eu particularmente acho que esse Pequeno Chifre representa o governo humano que controla o mundo nos últimos dias. E qual é o governo ou império que atualmente governa e tem poder sobre a maioria das nações? Sem dúvida, sãos os Estados Unidos da América. Em Daniel 7:11 diz que esse Pequeno Chifre será morto e entregue para ser destruído. E no Apocalipse, quem é morto e entregue para ser destruído? A Segunda Besta, também chamada de Falso Profeta, que é lançada viva no lago de fogo.

“Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo destruído; pois ele foi entregue para ser queimado pelo fogo” (Daniel 7:11).

“E a Besta foi presa [a Besta que tinha sido ferida de morte e que ressurge do abismo – o Império Romano restaurado], e com ela o Falso Profeta [a Segunda Besta – o Oitavo Rei] que fizera diante dela os sinais com que enganou os que receberam o sinal da Besta e os que adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre” (Apoc. 19:20).

O Oitavo Rei deriva do Quarto Animal que havia sido morto, uma das 7 cabeças ferida de morte da Besta, que irá surgir concomitante com o governo dos 10 chifres ou 10 dedos, e depois irá ressurgir do abismo, após os mil anos. Em Apocalipse 17:11 se diz que o Oitavo Rei pertence ao grupo dos sete reis ou sete montes, que são os governos humanos desde a Torre de Babel. Ou seja, o Oitavo Rei é a continuação de um dos sete reis ou uma das 7 cabeças da Primeira Besta. Apesar de serem 7 cabeças, mas são apenas 4 impérios. Vejamos os reis ou sete montes: Babilônia-Império (1ª cabeça), Média-Pérsia-Império (2ª cabeça), Grécia-Império (mas com 4 cabeças-4 reis), Roma-Império (7ª cabeça). Observe a figura dos quatros animais simbólicos e conte os números de cabeças. O Leopardo, que é a Grécia, tem 4 cabeças. Portanto, o Pequeno Chifre é o Oitavo Rei, que nada mais é que a continuação do Quarto Animal que foi ferido de morte, a sétima cabeça. Devemos observar que a Primeira Besta ainda coexistirá ao lado da Segunda Besta até o final dos tempos, e ambos serão presos e lançados no lago de fogo. A expressão “lançados no lago de fogo” é figurativa, não é literal. Se não compreendermos dessa maneira que explico, então, temos que admitir que existem ou existirão DUAS BESTAS governando a Terra até o final dos tempos. Pois, Apocalipse 13 deixa claro que existem DUAS BESTAS, e em Apocalipse 19 essas Duas Bestas são presas e lançadas no lago de fogo. O problema é que os teólogos tradicionais não percebem esse detalhe, e não sabem explicar. Para eles existirá apenas uma Besta cujo o número é 666.

“Aqui está a mente que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada; são também sete reis: cinco já caíram; um existe [Oitavo Rei]; e o outro ainda não é vindo [7ª Império-Império do Messias]; e quando vier, deve permanecer pouco tempo. A Besta que era e já não é, é também o Oitavo Rei, e é dos sete, e vai-se para a perdição” (Apoc. 17:9-11).

É dificílimo compreender esses 7 reis descritos em Apocalipse 17. Porém, devemos entender que o anjo revela essas coisas a João no período em que a Grande Babilônia está sendo destruída. E a Meretriz só é destruída no final dos tempos, ou seja, no tempo do Oitavo Rei. Talvez seja por esse motivo que João diz “um existe”, se referindo ao Oitavo Rei.

Já escrevi em um post publicado no meu blog em anos anteriores que o número 7 está relacionado a Deus e ao governo divino. Isso significa que o 7º Império na Terra não pode ser um império governado por homens pecadores. Portanto, o 7º Império na Terra será o reino do Messias, que durará mil anos. O 7º império será um governo divino na Terra, regido pelo Filho do Homem.

E quando o Oitavo Rei surge? Ele começa a surgir concomitante com o governo dos 10 chifres ou dos 10 dedos dos pés de ferro e barro da Estátua de Nabucodonozor. Só que o Oitavo Rei é interrompido (lançado no lago de fogo), e Satanás, que o liderava, é preso por mil anos no poço do abismo. Após a prisão de Satanás, o 7º Império (reino do Messias) governa a Terra. Mas, após os mil anos, o Dragão, isto é, a Besta/Satanás é solto e sobe do abismo para continuar o governo do Oitavo Rei. É na segunda parte do governo do Oitavo Rei que se trava a batalha final do Armagedom.

“Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão [a Besta sobe do abismo], e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha” (Apoc. 20:7-8).

Alguns eruditos afirmam que a Guerra do Armagedom descrita em Ezequiel 38-39 só ocorrerá após os mil anos do reino do Messias. Pois, é nesse tempo que Satanás reunirá as nações, Gogue e Magogue, para lutar contra o Cristo e os judeus. Porém, serão derrotados e destruídos para sempre. No entanto, acho que a Guerra do Armagedom terá duas fases. A primeira é a que está descrita em Ezequiel 38-39, que acontecerá no final da Grande Tribulação, antes da instalação do reino milenar; e a segunda acontecerá após os mil anos, quando Satanás for solto de sua prisão no poço do abismo para organizar as nações rebeldes para a última tentativa de derrotar os judeus e seu Messias. Essa será a mãe de todas as guerras. A Terra irá pegar fogo literalmente, para que seja purificada.

Para que você entenda, vou relacionar os 7 impérios em ordem cronológica: Babilônia (1º), Média-Pérsia (2º), Grécia (3º), Roma (4º), governo dos 10 Chifres ou 10 dedos da estátua (5º), o Oitavo Rei (6º) e o Governo do Messias (7º). Parece que agora tudo se encaixou direitinho.

Veja agora a profecia sobre a invasão de Jerusalém no ano 70 d.C e o que aconteceria depois. Inclusive fala sobre o Pequeno Chifre, mas isso estava determinado para o tempo do fim, isto é, para acontecer somente nos últimos dias.

DANIEL 11

31 E estarão ao lado dele forças que profanarão o santuário, isto é, a fortaleza [ou Templo], e tirarão o holocausto contínuo, estabelecendo a abominação desoladora [Domo da Rocha].
32 Ainda aos violadores do pacto [da Lei] ele perverterá com lisonjas; mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte, e fará proezas.
33 Os entendidos entre o povo ensinarão a muitos; todavia por muitos dias cairão pela espada e pelo fogo, pelo cativeiro e pelo despojo.
34 Mas, caindo eles, serão ajudados com pequeno socorro [a Mulher levada para o deserto, de Apocalipse 12, e protegida por 1260 anos – de 691 a 1948]; muitos, porém, se ajuntarão a eles com lisonjas [o pacto dos Sionistas com a Besta/EUA].
35 Alguns dos entendidos cairão para serem acrisolados, purificados e embranquecidos, até o fim do tempo; pois isso ainda será para o tempo determinado.
36 e o REI [Império Romano com o poder PAPAL] fará conforme lhe aprouver; exaltar-se-á, e se engrandecerá sobre todo deus, e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas; e será próspero, até que se cumpra a indignação: pois aquilo que está determinado será feito.
37 E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem ao amado das mulheres, nem a qualquer outro deus; pois sobre tudo se engrandecerá. [Constantino não teve respeito aos deuses de seu pai e entronizou o Jesus Cristo falso como deus dos cristãos. O amado das mulheres era o deus Tamuz, filho de Semíramis com Ninrode, representada na imagem da Virgem Maria, a quem elas sacrificavam os seus filhos].
38 Mas em seu lugar honrará ao deus das fortalezas [o deus que os judeus maçons adoravam, a imagem do ciúme, num compartimento secreto do Templo feito por Salomão, conforme descrito em Ezequiel 8]; e a um deus a quem seus pais não conheceram, ele o honrará com ouro e com prata, com pedras preciosas e com coisas agradáveis [esse deus que os pais de Constantino não conhecia era o Jesus falso, que foi colocado para adoração em lugar de Mitra, o deus Sol Invicto].
39 E haver-se-á com os castelos fortes com o auxílio dum deus estranho [Jesus falso]; aos que o reconhecerem, multiplicará a glória; e os fará reinar sobre muitos, e lhes repartirá a terra por preço.
40 Ora, no fim do tempo, o rei do sul lutará com ele [Egito? Ou EUA?]; e o rei do norte [Turquia e exército dos muçulmanos] virá como turbilhão contra ele, com carros e cavaleiros, e com muitos navios; e entrará nos países, e os inundará, e passará para adiante [a mesma profecia de Ezequiel 38-39, a invasão de Jerusalém por Gogue e Magogue].
41 Entrará na terra gloriosa [Israel], e dezenas de milhares cairão; mas da sua mão escaparão estes: Edom e Moabe, e as primícias dos filhos de Amom. [Edom e Moabe pode estar se referindo aos libaneses e jordanianos, enquanto que Amom pode ser os palestinos].
42 E estenderá a sua mão contra os países; e a terra do Egito não escapará.
43 Apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata, e de todas as coisas preciosas do Egito; os líbios e os etíopes o seguirão.
44 Mas os rumores do Oriente [China] e do Norte o espantarão [América do Norte?]; e ele sairá com grande furor, para destruir e extirpar a muitos.
45 E armará as tendas do seu palácio entre o Mar Grande [Mar Mediterrâneo] e o glorioso Monte Santo [Jerusalém]; contudo virá ao seu fim, e não haverá quem o socorra.

**********
UMA EXPLICAÇÃO SOBRE O “CORDEIRO QUE FOI MORTO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO”.

Um dos maiores equívocos cometidos pelos teólogos tradicionais é o ensino furado que diz que Yesu Cristo, o Cordeiro, foi morto desde a fundação do mundo. Ora, a parte “b” do versículo 8 foi mal traduzido ou mal compreendido pelos tradutores, porque não é o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo, mas, sim, os nomes dos ímpios que não estão escritos no livro do Cordeiro desde a fundação do mundo. Esse versículo é difícil de traduzir. Se retirarmos a expressão “que foi morto”, tudo se explica. Veja.

“E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Mal traduzido).

“E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro desde a fundação do mundo” (Corrigido).

“E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a Terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro (que foi morto), desde a fundação do mundo” (Corrigido).

O Cordeiro, Yesu Cristo, foi morto, mas não desde a fundação do mundo. Fico “p” da vida com esses teólogos tradicionais que passam a vida toda lendo e relendo a Bíblia e não entendem quase nada. Espiritualizam tudo e inventam um monte de heresias.

Se você ainda não se deu por convencido, existe outra passagem no mesmo livro de Apocalipse onde se diz que são os nomes dos ímpios que não estão escritos no livro da vida desde a fundação do mundo. Neste caso o texto foi bem traduzido. Veja.

“A Besta que viste era e já não é; todavia está para subir do abismo, e vai-se para a perdição; e os que habitam sobre a terra e cujos nomes não estão escritos no livro da vida desde a fundação do mundo se admirarão, quando virem a besta que era e já não é, e que tornará a vir” (Apoc. 17:8).

Traduzindo de forma errada, esse texto ficaria assim:

“A Besta que viste era e já não é; todavia está para subir do abismo, e vai-se para a perdição; e os que habitam sobre a terra e cujos nomes não estão escritos no livro da vida DO CORDEIRO QUE FOI MORTO desde a fundação do mundo se admirarão, quando virem a besta que era e já não é, e que tornará a vir” (Apoc. 17:8).

**********
OS ADVENTISTAS NÃO ESTÃO ERRADOS EM TUDO AO AFIRMAR QUE O PEQUENO CHIFRE É O PODER PAPAL, HERDADO DA ROMA PAGÃ

O Pequeno Chifre é a Segunda Besta, que também é chamada de Falso Profeta.

Assim como podemos admitir que o Pequeno Chifre é um governo humano que exerce grande poder na Terra, que controla e domina sobre a maioria dos povos e nações do planeta, também podemos admitir que esse Pequeno Chifre representa um poder religioso. E qual é o poder religioso que domina sobre 1,3 bilhão de seres humanos? O Vaticano, ou o poder Papal. O Papa também exerce influência sobre todos os governantes de países de maioria cristã.

Agora, vejam isso. O Vaticano é o local onde o Papa estabeleceu o seu trono ou governo. E está localizado na cidade de Roma, Itália. As características do poder Papal foram herdadas dos imperadores da Roma pagã. Papa significa PAI. E Yesu Cristo advertiu que a ninguém devíamos chamar de pai, exceto a Deus. A palavra VATICANO significa “aquele que vaticina”, isto é, aquele que profetiza. E a Segunda Besta é chamada de Falso Profeta. Portanto, o Vaticano tem muitas características com a Segunda Besta.

O Papa se arroga representante de Deus na Terra, e ainda ostenta o nome de vigário do Filho de Deus. Até aí, tudo bem.

O problema é que o Papa e a Igreja Católica fizeram com a Lei Judaica, com o cristianismo e as doutrinas de Cristo exatamente como foi profetizado.

No livro de Daniel está vaticinado que muitos judeus e cristãos se aliariam aos violadores do PACTO. Diz ainda que o Pequeno Chifre cuidaria em mudar a Lei e os tempos, e blasfemaria de Deus e dos que estão nos céus. Muitos eruditos afirmam que o Papa jamais blasfemaria ou insultaria Deus. Porém, o Papa e a Igreja Católica Apostólica Romana fizeram exatamente o que está profetizado no livro de Daniel. Vejamos.

1) A Igreja Católica Apostólica Romana – ICAR violou o PACTO, isto é, a Lei de Moisés, ao abolir a guarda do Santo Sábado e estabelecer a guarda do Domingo. E Domingo é o dia dedicado ao deus Mitra, o deus Sol Invicto romano. E inclusive estabeleceu o dia 25 de dezembro para homenagear o nascimento do Jesus falso, que na verdade é Mitra, o deus Sol Invicto.

2) A ICAR tratou de mudar a Lei e os tempos. O Papa Gregório XIII ordenou a criação de um novo calendário, iniciando a contagem no suposto ano do nascimento do falso Jesus, o Ano Domini. Alterou a data da comemoração da Páscoa Judaica, e a substituiu pela Páscoa Cristã.

3) A ICAR inventou o dogma da santíssima trindade, e elevou o ungido de Deus à categoria de Deus. Ou seja, a ICAR insultou e blasfemou de Deus ao colocar o falso Jesus em pé de igualdade com o Eterno.

4) A ICAR inventou o dogma da imaculada conceição de Maria, e a deificou, elevando-a à categoria de intercessora e salvadora dos pecadores, em pé de igualdade com o falso Jesus.

5) A ICAR construiu templos ou catedrais semelhantes às catedrais dos deuses gregos e romanos. Só havia um único Templo construído em todo o Israel. E Deus não autorizou a construção de nenhum outro. E o único Templo que havia foi destruído pelo exército romano no ano 70 d.C, cessando temporariamente o sacrifício contínuo e os sacrifícios pelos pecados do povo. A ICAR e as igrejas protestantes passaram a construir templos e catedrais iguais aos dos deuses pagãos dos gregos e romanos. E isso é mais uma evidência de que essas denominações religiosas que constroem templos são falsas e fazem parte do poder religioso corrompido.

E as igrejas protestantes, filhas rebeldes da ICAR, também adotaram algumas de suas falsas doutrinas. A maioria das igrejas protestantes, principalmente as pentecostais e neopentecostais, também fazem parte da Grande Babilônia, o poder religioso corrompido.

**********
2) A ÁRVORE DA VIDA

O professor Fábio Sabino, versado nas línguas grega e hebraica, apelou até para a literatura apócrifa para tentar explicar do que se trata a tal Árvore da Vida relatada no livro de Gênesis e citada no livro de Apocalipse, se ela é literal ou figurada. Assista ao vídeo e depois continue lendo minhas explanações.


(youtube=https://www.youtube.com/watch?v=Aoaw71c2Uq8)

Apesar do esforço, o professor Sabino não chegou a lugar nenhum na explicação sobre a Árvore da Vida.

Árvore da vida

Essa Árvore da Vida, colocada no centro do Jardim Santo que Deus plantou no Oriente do Éden para Adão e Eva habitar, sem dúvidas, pode ter sido uma árvore real, natural, cujos os frutos tinham poderes mágicos, que faziam com que seus corpos sempre permanecessem jovens e saudáveis. Se não, vejamos.

Quando Adão e Eva “pecaram” por terem se alimentado do fruto proibido, Deus os expulsa do Paraíso e ordena aos anjos bloquear a entrada para que eles não mais pudessem retornar lá para se alimentarem do fruto da Árvore da Vida e viver eternamente. Ou seja, Adão e Eva não morreram pelo simples fato de terem “pecado”. Eles morreram porque Deus lhes tirou o direito de se alimentarem da tal Árvore da Vida, que lhes concedia a eterna juventude.

“Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente. O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado. E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gênesis 3:22-24).

E para confirmar essa minha tese de que a Árvore da Vida era uma espécie de planta com poderes mágicos, vou citar mais três referências bíblicas.

João, autor do livro de Apocalipse, reinterpretou as profecias de Isaías e Ezequiel sobre o futuro reino de Deus aqui na Terra de forma fantasiosa e enigmática. Quando os religiosos interpretam os capítulos 21 e 22 de Apocalipse, eles imaginam que João está falando de coisas “espirituais” ou de um mundo espiritual. Enquanto que ele está apenas reinterpretando de forma apaixonante as profecias do Antigo Testamento sobre o futuro reino messiânico aqui na Terra, o reino eterno de paz e prosperidade prometido aos judeus, que será regido por um príncipe, o rei Davi, que na verdade é Yesu Cristo.

Vejamos primeiramente o que se diz no Apocalipse sobre o reino messiânico aqui na Terra, que os cristãos pensam se tratar do céu fictício, e o relato da bendita Árvore da Vida.

APOCALIPSE 2:7

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da Árvore da Vida, que está no paraíso de Deus”.

APOCALIPSE 22

1 E mostrou-me o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.
2 No meio da sua praça, e de ambos os lados do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a cura das nações.
3 Ali não haverá jamais maldição. Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão,
4 e verão a sua face; e nas suas frontes estará o seu nome.
5 E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os alumiará; e reinarão pelos séculos dos séculos.

O “paraíso de Deus”, referido em Apocalipse 2:7 não é no céu ou num mundo espiritual; é aqui mesmo na Terra. Mas isso só se dará quando o reino do Messias for estabelecido.

Isso que João escreveu em Apocalipse 22 não se trata da descrição do céu ou de um mundo espiritual. Trata-se tão somente de um reino físico, material, aqui mesmo na Terra. Porém, ele descreve os fatos e narra de forma tão apaixonante e enigmática que os crentes imaginam fantasias da mente.

Repare que o texto diz que “as folhas da Árvore da Vida são para a cura das nações”. Ora! Que cura de nações?! Por acaso as nações viverão doentes para que sejam curadas comendo as folhas das árvore?! Isso evidencia que a Árvore da Vida ou as árvores da vida não passam de plantas vivas, com poderes mágicos, que tanto rejuvenescem quanto curam todo tipo de doenças. E com certeza esse tipo de planta não é nativa da Terra. É de outro planeta.

**********
SOBRE O MANÁ ESCONDIDO

Outra pista que indica que essa Árvore da Vida é uma fonte da juventude que somente os deuses (Elohim) conhecem, foi referida de forma implícita em Apocalipse 2:17.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”(Apoc. 2:17).

A expressão “maná escondido” pode significar “maná secreto” ou “fonte da vida eterna secreta”, o elixir da vida, que somente Deus e Yesu Cristo conhecem. Talvez nem os anjos conhecem a origem dessa fonte da vida eterna. Mas, existe dúvida que me inquieta.

Mas, existe uma dúvida terrível que me deixa inquieto. Os teólogos cristãos e protestantes são unânimes em dizer que SÓ EXISTE UM SER IMORTAL, o Deus Yavéh, Todo-Poderoso, porque foi Paulo quem disse, inspirado pelo Espírito Santo, significando que todos os demais seres celestiais (anjos, querubins e arcanjos) e criaturas terrestres são MORTAIS.

“Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém” (I Tim. 1:17).

“Aquele [Deus-Pai] que possui, ele só, a imortalidade, e habita em luz inacessível; a quem nenhum dos homens tem visto nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém” (I Tim. 6:16).

Os teólogos tradicionais dizem que o “espírito” de cada ser humano não morre, é imortal. Por isso os pecadores condenados irão sofrer eternamente no lago de fogo. Ora, se eles dizem que o espírito humano não morre após a morte, então existe uma contradição quando Paulo diz que somente Deus-Pai é imortal. Se os espíritos dos seres humanos subsistem eternamente, então eles são imortais. E por que Paulo diz que somente Deus é imortal?

Agora vejamos o absurdo. Satanás e seus anjos foram expulsos do céu ou das regiões celestiais superiores. No entanto, Satanás e seus anjos continuam existindo eternamente, e tudo indica que são imortais. Se os teólogos afirmam que só há um ser imortal e que os demais precisam de algo para viver eternamente, de onde Satanás e seus anjos tiram a força para que vivam eternamente? De que fonte eles se alimentam para viver eternamente?

Só existe uma explicação: Satanás e seus anjos também conhecem a fonte da vida eterna, o maná escondido. Eles sabem onde encontrar a fonte da vida eterna. E se eles sabem, eles podem repassar esse conhecimento aos humanos ou pelos menos dizer onde se contra a fonte da vida eterna.

E para concluir, quero salientar que, se somente Deus-Pai é imortal e as demais criaturas celestiais e terrenas são mortais, os teólogos estão errados ao afirmar que o espírito de cada ser humano é imortal. Veja bem. Se Deus criou o espírito de cada criatura, como ele sendo Deus Todo-Poderoso não pode destruir ou desfazer aquilo que fez? Por isso que existem perguntas pertinentes: O que é impossível para Deus? R = Curar amputados ou manetas; fazer algo tão grande e pesado que ele não possa carregar; destruir o espírito de cada ser humano; desfazer o mundo que criou e os males que trouxe por ter criado o mundo. 

Eu, particularmente, creio que o espírito de todas as criaturas tanto celestiais como terrestres são passíveis de destruição ou aniquilamento. O lago de fogo (o Sol), por exemplo, é um local onde nada pode subsistir, tudo se desintegra, seja corpo ou espírito.

**********
Agora vejamos esse mesmo fato narrado nos livros de Isaías e Ezequiel. Vocês poderão notar que tal fato não tem nada de espiritual. Tudo é material e terreno.

EZEQUIEL 47

1 Depois disso me fez voltar à entrada do templo; e eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo, para o oriente; pois a frente do templo dava para o oriente; e as águas desciam pelo lado meridional do templo ao sul do altar.
(…)
6 E me perguntou: Viste, filho do homem? Então me levou, e me fez voltar à margem do rio.
7 Tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia árvores em grande número, de uma e de outra banda.
8 Então me disse: Estas águas saem para a região oriental e, descendo pela Arabá, entrarão no Mar Morto, e ao entrarem nas águas salgadas, estas se tornarão saudáveis.
9 E por onde quer que entrar o rio viverá todo ser vivente que vive em enxames, e haverá muitíssimo peixe; porque lá chegarão estas águas, para que as águas do mar se tornem doces, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio.
10 Os pescadores estarão junto dele; desde En-Gedi até En-Eglaim, haverá lugar para estender as redes; o seu peixe será, segundo a sua espécie, como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva.
11 Mas os seus charcos e os seus pântanos não sararão; serão deixados para sal.
12 E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio.

Conseguiram notar alguma coisa similar repetida no livro de Apocalipse por João? Vamos comparar?

“E mostrou-me o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro” (Apocalipse).

“Porque as suas águas saem do santuário” (Ezequiel).

“Depois disso me fez voltar à entrada do templo; e eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo, para o oriente; pois a frente do templo dava para o oriente; e as águas desciam pelo lado meridional do templo ao sul do altar” (Ezequiel).

“No meio da sua praça, e de ambos os lados do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a cura das nações” (Apocalipse).

“E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio” (Ezequiel).

Notaram que em Ezequiel 47:12 se diz que as folhas das árvores que crescem às margens do rio que sai do trono de Deus (Santuário) servirá de remédio? E não é mesma coisa que se diz em Apocalipse 22:2? Sim.

E por que os crentes inventam fantasias, achando que o que se fala no Apocalipse são coisas espirituais? Maluquice, só isso!

Vejam agora o que diz o profeta Isaías.

ISAÍAS 60

3 E nações caminharão para a tua luz, e reis para o resplendor da tua aurora.
(…)
11 As tuas portas estarão abertas de contínuo; nem de dia nem de noite se fecharão; para que te sejam trazidas as riquezas das nações, e conduzidos com elas os seus reis.
(…)
19 Não te servirá mais o sol para luz do dia, nem com o seu resplendor a lua te alumiará; mas o Senhor será a tua luz perpétua, e o teu Deus a tua glória.

Lembram agora onde é que foram repetidas essas mesmas profecias? No livro de Apocalipse. Vejam.

APOCALIPSE 21

24 As nações andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória.
25 As suas portas não se fecharão de dia, e noite ali não haverá;
26 e a ela trarão a glória e a honra das nações.
23 A cidade não necessita nem do sol, nem da lua, para que nela resplandeçam, porém a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.

**********
3) OS SERES “ESPIRITUAIS” POSSUEM SEXO, SIM

Já ouvi cada besteira desses crentes discutindo se os anjos possuem sexo. E todos são unânimes em afirmar que os anjos e todos os seres “espirituais” são assexuados, não possuem sexo. Porque o céu é um lugar santo, de glória, e ninguém poderá ver o sexo oposto, se não vai sentir desejo carnal. E crente que se preze se considera santo e não pode sentir desejos carnais, desejos pecaminosos, muito menos desejo sexual. Para um ser espiritual, o ato sexual é um horror e foi inventado por Satanás.

E para confirmar que os anjos não possuem sexo, eles pegam o seguinte texto proferido por Yesu Cristo. Usam apenas essa referência bíblica para sustentar um ensino bobo, e fica por isso mesmo. Não se discute mais nada.

“Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus; pois na ressurreição nem se casam nem se dão em casamento; mas serão como os anjos no céu” (Mateus 22:29-30).

“Porquanto, ao ressuscitarem dos mortos, nem se casam, nem se dão em casamento; pelo contrário, são como os anjos nos céus” (Marcos 12:25).

Já escrevi um texto provando que na própria Bíblia há uma prova de que os anjos possuem sexo. Adivinha qual é!

Ora, a história de Adão e Eva vivendo no Paraíso é a prova de que os anjos podem ser sexuados.

Na escola dominical as professoras ensinam as crianças dizendo que Adão e Eva eram santos, viviam no paraíso, mas não podiam pecar. Eles andavam nus, mas não podiam pecar e também não tinham filhos. Só vieram a ter filhos depois que pecaram e foram expulsos do paraíso.

E a única coisa que ninguém ensina nas igrejas e nem nas escolas dominicais é que Adão e Eva eram seres de sexos opostos, ou seja, eram macho e fêmea. Adão via a perereca de Eva e esta via o seu bilau. Mas há quem diga que eles não viam não, porque eles só enxergavam com os olhos espirituais. E Eva não podia ver o bilau de Adão com os olhos espirituais. Valha-me Deus! Cada maluquice desses crentes puritanos!

Mas, veja bem. Dizem que o Paraíso de Adão e Eva era uma extensão do céu aqui na Terra. E da mesma forma que os anjos vivem lá no céu, Adão e Eva viviam no paraíso, em completa santidade. Ou seja, para os puritanos, Adão e Eva vivendo no Paraíso, mesmo sendo de sexos opostos, não sentiam desejo sexual um pelo outro. E assim viviam em santidade, sem praticar sexo. E para evitar que os anjos pecassem, sentido desejo pelo sexo oposto, Deus os criou assexuados, sem sexo. Ou então, criou apenas anjos do sexo masculino.

Porém, tudo isso é maluquice de fanáticos religiosos.

Adão e Eva na visão dos crentes puritanos  Adão e Eva reais

Adão e Eva na visão dos puritanos e na vida real

Adão e Eva eram seres humanos carnais, mesmo vivendo no paraíso, e sentiam desejo sexual um pelo outro e mantinham relação sexual. Quando Deus os criou disse “multiplicai-vos e enchei a Terra”. Talvez Adão e Eva tenham tido filhos santos vivendo no paraíso, e depois que “pecaram”, Deus os tomou para si.

Crescei e multiplicai-vos

Os anjos possuem sexo, sim. Pois, em todos os relatos na Bíblia sobre anjos, eles sempre aparecem trajando-se de roupa. Mesmo nas visões ditas “espirituais” dos profetas, os anjos sempre aparecem vestidos de roupa talar, que vai do pescoço até a planta dos pés.

Ora, se os anjos são seres espirituais, assexuados, por que raios eles precisam andar vestidos? O que eles teriam para esconder, visto que não possuem sexo?

Até mesmo as almas dos humanos que morreram durante a perseguição do Império Romano aparecem no céu trajando-se com compridas vestes brancas. Veja isso em Apocalipse 6. Onde já se viu uma alma trajar vestes brancas e compridas?! Só se for para se parecer com um fantasma!

No livro de Apocalipse Deus recomenda que os crentes ainda em vida adquiram vestes espirituais para que não sejam vistas a sua nudez. Ora! Ora! Ver a nudez de uma alma?! Pode isso, Arnaldo?

“Aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas” (Apocalipse 3:18).

Portanto, crentes e teólogos fanáticos que me leem, aprendam essas coisas com Miquels7 e parem de ensinar mentiras nas escolas dominicais.

—————–
Miquels7

07/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

SESSÃO APRENDENDO COM MIQUELS7 – O CRENTE E SUAS IGNORÂNCIAS

1) O CRENTE E AS SUAS IGNORÂNCIAS

A maioria dos crentes só enxerga até a ponta do nariz. Eles têm a mente limitada, e são proibidos de pensar além daquilo que foram doutrinados por seus líderes religiosos. Ou seja, a religiosidade e a doutrinação faz a capacidade de raciocínio do ser humano se tornar limitada. E eles se contentam, porque dizem que Yesu Cristo falou que “felizes os pobres de espírito”.

Um dia desses ouvi uns crentes fanáticos comentando sobre como será a vida no céu. Um dizia que ninguém se lembrará das coisas passadas quando estiver lá no céu. E o entendimento geral é sempre dessa forma.

Se por hipótese os crentes fossem mesmo morar no céu, e tendo essa premissa de que ninguém se lembrará das coisas passadas, nem da vida sofrida que levou aqui na Terra, isso significa que eles não lembrarão quem é Yesu Cristo e nem o que ele representa. Vão chegar no céu e ficarão perdidos, sem saber o que é aquele lugar e quem é quem. Mas, todo crente diz que quando chegar no céu vai ver os patriarcas e os apóstolos, vai abraçar Yesu, vai ver as marcas dos cravos em suas mãos, e vai chorar copiosamente sobre os seus ombros.

O problema do crente é que ele lê certos textos da Bíblia e não tem capacidade alguma de entender, aí ele tira conclusões fantasiosas. E geralmente eles concordam entre si quando um fala certa baboseira. Enquanto que, se um burro fala, o outro deveria abaixar as orelhas.

Eles pegam, por exemplo, os seguintes trechos da Bíblia para justificar que ninguém se lembrará da vida que passou aqui na Terra.

“Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas” (Isaías 43:18).

“Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão” (Isaías 65:17).

“Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apoc. 21:4).

“Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Cor. 5:17).

A frase “não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão”, de Isaías 65:17, não significa que no reino do Messias aqui mesmo na Terra ninguém terá lembranças da vida passada. Tal expressão não deve ser entendida de forma literal. Essa expressão bíblica significa que será proibido recordar coisas passadas ou realizar eventos em homenagens a fatos e personalidades do passado. Por exemplo, Israel sempre relembra, através da festa da Páscoa, o sofrimento por que passou no Egito. E nós, brasileiros, costumamos festejar datas comemorativas e homenagear os feitos dos heróis da Pátria. Isso é recordar, é lembrar. Porém, no reino eterno do Messias, lembranças e homenagens sobre fatos e vultos do passado serão proibidas. Mas, isso não significa que ninguém poderá se lembrar do passado. E com o passar do tempo, as coisas passadas ficarão no mar do esquecimento. O passado da humanidade e da história do Brasil só não cai no mar do esquecimento porque sempre ficamos relembrando essas coisas.

No livro de Apocalipse há uma passagem que tira qualquer dúvida se os salvos no céu irão ou não se lembrar das coisas passadas aqui na Terra.

“Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram. E clamaram com grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um deles compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda por um pouco de tempo, até que se completasse o número de seus conservos, que haviam de serem mortos, como também eles o foram” (Apoc. 6:8-11).

Os teólogos consideram que essas almas, que se encontram debaixo do altar, estão no tabernáculo celestial. Ou seja, estão no céu. E se elas pedem vingança pela morte cruel que tiveram dos que habitam sobre a Terra, isso significa que elas têm consciência plena do que passaram enquanto estavam vivas.

Quando Yesu Cristo disse “bem-aventurado os pobres de espíritos, porque deles é o reino dos céus”, estava se referindo às pessoas humildes, que tem pouco saber ou nenhum saber ou cultura. Mas o problema não era o pobre vivendo em sua “ignorância”. Para Yesu Cristo, o problema eram os religiosos que escravizavam essas pessoas humildes incutindo doutrinação pesada, o tal fundamentalismo religioso, proibindo até de elas pensarem. Yesu disse que os sacerdotes e doutores da Lei deixavam de propósito o povo permanecer na ignorância, para que eles não tivessem conhecimento sobre seus direitos e sobre o reino de Deus.

“Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar” (Mateus 23:13).

“Ele, porém, respondeu: Ai de vós também, doutores da lei! porque carregais os homens com fardos difíceis de suportar, e vós mesmos nem ainda com um dos vossos dedos tocais nesses fardos. (…) Ai de vós, doutores da lei! porque tirastes a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes aos que entravam” (Lucas 11:46 e 52).

Esta passagem, acima, deixa bem claro que os doutores da Lei e os fariseus impediam o povo de obter cultura e conhecimento.

Em Israel não existiam escolas públicas. O povo era deixado de propósito na ignorância. Algumas sinagogas funcionavam como escolas durante a semana e especialmente no Sábado, mas o que se ensinava não era sobre a língua hebraica ou aramaica, nem sobre cultura, matemática ou ciência. Ensinavam-se apenas os rudimentos da fé judaica e coisas relativas sobre as festas de Israel.

Os profetas Oséias e Isaías disseram que o povo de Israel estava perecendo por falta de conhecimento. E esse “conhecimento” que o profeta se referia não era somente o religioso; também era falta de conhecimento natural sobre a realidade do mundo e da vida. Conhecimento religioso o povo de Israel tinha até demais.

Yesu Cristo veio ensinar o povo a se revoltar contra os doutores da Lei e os fariseus. Ele falava a esses fariseus e doutores da Lei através de parábolas, para que ouvindo, não entendessem. Mas aos seus discípulos Yesu Cristo não ensinava por parábolas. Ele, nos seus discursos, procurava abrir a mente do povo para que compreendessem que estavam sendo enganados, explorados, oprimidos e escravizados pelo fundamentalismo religioso.

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Oséias 4:6).

“Portanto o meu povo é levado cativo, por falta de entendimento; e os seus nobres estão morrendo de fome, e a sua multidão está seca de sede” (Isaías 5:13).

O povo humilde – os pobres de espírito – só se livrará dos religiosos fundamentalistas quando passar a buscar o conhecimento de verdade; quando passarem a estudar a Bíblia de forma independente, e também ler outras literaturas além das recomendadas pelos seus líderes. Pois, a literatura recomendada é sempre tendenciosa e carregada de ensino herético e radicalismo religioso, e faz o crente ficar com a mente limitada.

Paulo disse aos coríntios que “a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus”. Aí os crentes que receberam doutrinação pesada se fiam nessa frase proferida por Paulo, achando que é assim eles devem permanecer, sempre ignorantes.

“Ninguém se engane a si mesmo; se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para se tornar sábio. Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia” (I Cor. 3:18-19).

Mais na frente Paulo diz aos coríntios que Deus pôs mestres (pessoa de notável conhecimento) nas igrejas. Ora, se dependesse somente da formação obtida dentro do judaísmo, os mestres não seriam diferentes dos fariseus e doutores da Lei. Paulo era homem sábio e instruído na sabedoria do mundo. Se não fosse, Deus não o teria escolhido para apóstolos dos gentios. Por que os outros apóstolos não tiveram fama igual à de Paulo? Porque eles eram semialfabetizados, mal sabiam ler e escrever.

“E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas” (I Cor. 12:28).

Paulo, apesar de ter muito conhecimento do mundo, ele queria que o povo permanecesse ignorante através de sua doutrinação. Diferentemente de Yesu Cristo, que abriu o entendimento de seu povo.

Para continuar aprendendo, leia os posts que publico no meu blog.

———————–
Miquels7

 

 

 

07/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

A CRATERA QUE ESTÁ DIVIDINDO A ÁFRICA FOI PROFETIZADA NA BÍBLIA?

**********
Muitas coisas estranhas têm acontecido na Terra nesses últimos tempos. E de acordo com as profecias bíblicas, nos últimos dias haveria sinais no Sol e na Lua, e na Terra haveria terremotos e agitação dos grandes mares.

E ultimamente, mas precisamente a partir do ano de 2009, uma cratera que está se abrindo no continente africano têm despertado preocupação entre os geólogos. Mas, os religiosos também não deixam de ficar preocupados. Pois, tal fenômeno pode se tratar de um sinal do fim dos tempos.

**********
Cratera Avança no Quênia e Sinaliza Divisão do Continente Africano

Cratera avança no Quênia

(https://www.youtube.com/watch?v=919ZnbVmpAk)

Quando li a notícia sobre a cratera que está se abrindo no continente africano, mais precisamente entre o Quênia e a Somália, comentei no Facebook, dizendo que tal fenômeno não está profetizado na Bíblia. Porém, analisando a profecia do profeta Zacarias, pude constatar que essa cratera pode estar relacionada, sim, à profecia bíblica. Se não, vejamos.

“Naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o ocidente e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a outra metade dele para o sul. E fugireis pelo vale dos meus montes, pois o vale dos montes chegará até Azel; e fugireis assim como fugistes de diante do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então virá o Senhor meu Deus, e todos os santos com ele. Acontecerá naquele dia, que não haverá calor, nem frio, nem geada; porém será um dia conhecido do Senhor; nem dia nem noite será; mas até na parte da tarde haverá luz. Naquele dia também acontecerá que correrão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isso” (Zacarias 14:4-8).

O Quênia, onde está mais evidente a cratera, é um país situado no mesmo meridiano que corta a África e a Ásia Menor, e que passa sobre a cidade de Jerusalém.

Essa cratera que está se abrindo não dividirá a África em duas partes iguais. Apenas uma porção da África se separará do resto do continente. Veja o Mapa Mundi, abaixo. A divisão fica do lado leste, abrangendo os seguintes países: Somália, metade da Etiópia, Quênia, Tanzânia e parte de Moçambique.

Mapa África e Ásia Menor (1) Editado

A cratera começa no Golfo de Áden, na foz do Mar Vermelho (Read Sea) e vem descendo o continente africano.

Repare no mapa, abaixo, que a cratera se abre no mesmo meridiano que passa sobre a cidade de Jerusalém. Observe que o Mar Vermelho demarca a divisão entre duas placas tectônicas, e essa divisão abre um braço que se estende sobre a África exatamente sobre os países onde está se abrindo a cratera.

Mapa África e Ásia Menor (2) Editado

A profecia de Zacarias diz que “o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, do oriente para o ocidente [em sentido meridional, isto é, para o sul] e haverá um vale muito grande; e metade do monte se removerá para o norte, e a outra metade dele para o sul”.

Talvez essa cratera que vai surgir em Jerusalém não se dê exatamente quando o Messias chegar. Ela pode surgir agora, nos últimos dias, a partir dessa cratera que está se abrindo na África. Ou então ela poderá surgir artificialmente, através de um grande terremoto provocado por explosão de uma bomba atômica, que fará com que as placas tectônicas se afastem rapidamente. Em Apocalipse diz que haverá um grande terremoto em Jerusalém no final dos tempos.

“E vi quando abriu o sexto selo, e houve um grande terremoto; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua toda tornou-se como sangue” (Apoc. 6:12).

“E naquela hora houve um grande terremoto, e caiu a décima parte da cidade, e no terremoto foram mortos sete mil homens; e os demais ficaram atemorizados, e deram glória ao Deus do céu” (Apoc. 11:13)

Sem dúvidas, esse acontecimento é mais um sinal dos últimos tempos.

**********
CONFIRA OS LIMITES DAS PLACAS TECTÔNICAS NO MAPA

Limites das placas tectônicas:

Limites das placas tectônicas 2

Agora veja com mais detalhes o braço da fenda que se estende sobre o continente africano:

Esquema del Gran Valle del Rift:

Esquema del Gran Valle del Rift

**********
Veja notícia mais recente sobre o avanço dessa enorme cratera na África.

Cratera avança no Quênia e sinaliza divisão do continente africano em dois:

https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/cratera-avanca-no-quenia-sinaliza-divisao-do-continente-africano-em-dois-22547864
.
**********
Neste vídeo, abaixo, há mais informações sobre a cratera que está cortando o continente africano.
.
ALERTA GLOBAL – África começa a se dividir em dois Continentes:
.
(https://www.youtube.com/watch?v=hyznNpYcYKo)

———————–
Miquels7

05/04/2018 Posted by | MENSAGENS ESPECIAIS | Deixe um comentário

UM DOS ERROS MAIS GRAVES DO ENSINO DE PAULO É A CRENÇA DE QUE HUMANOS IRÃO VIVER NO CÉU

***********
Nosso Senhor Yesu Cristo não prometeu levar nenhum ser humano para morar nos céus. Como já estou cansado de repetir, “céu” não é um lugar delimitado, definido, nem um lugar paradisíaco onde Deus e os anjos habitam. “Céu” é tão somente a designação do espaço sideral acima das nuvens.

Tomé toca as marcas de Cristo

Céu como lugar paradisíaco ou como uma cidade celestial toda adornada de pedras preciosas, com mansões onde os salvos irão habitar se tornou uma crença fantasiosa na mente dos crentes por causa de interpretação errônea do livro de Apocalipse de João. E também por causa de interpretação fantasiosa do que Yesu Cristo falou em João 14.

O ensino de Paulo de que existe uma pátria nos céus, ou que existe uma Jerusalém celestial é pura fantasia de fanáticos religiosos. Em todo o Antigo Testamento não existe uma só menção ou promessas afirmando que humanos justos irão habitar nos céus. Essa confusão toda começou com os escritos do apóstolo Paulo em suas epístolas no Novo Testamento. A promessa que o povo hebreu e os patriarcas receberam de Deus era que os justos iriam ressuscitar no último dia, não para habitar no céu, mas para habitar neste velho planeta Terra. Marta, irmã de Lázaro, confirmou a promessa que os judeus tinham a respeito da vida após a morte. Ela disse: “Eu sei que ele há de ressuscitar no último dia”. E Yesu Cristo confirmou o que ela disse. O salmista também disse que os mansos e os justos herdarão a Terra. E Yesu Cristo também confirmou, dizendo que os pobres e os mansos herdarão a Terra. Nunca se diz na Bíblia que os justos herdarão o céu.

“Disse-lhe Marta: Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia” (João 11:24).

“Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz. (…) Pois aqueles que são abençoados pelo Senhor herdarão a terra, mas aqueles que são por ele amaldiçoados serão exterminados” (Salmos 37:11 e 22).

“Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre” (Salmos 37:29).

“E todos os do teu povo serão justos; para sempre herdarão a terra; serão renovos por mim plantados, obra das minhas mãos, para que eu seja glorificado” (Isaías 60:21).

“E produzirei descendência a Jacó, e a Judá um herdeiro dos meus montes; e os meus escolhidos herdarão a terra e os meus servos nela habitarão” (Isaías 65:9).

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a Terra” (Mateus 5:5). [Yesu Cristo que falou herdar a Terra; ele não prometeu herdar o céu].

Toda essa confusão também adveio devido ao fato dos religiosos conceberem o “céu” como um lugar espiritual. Os seres humanos primitivos imaginavam que os seres espirituais habitavam no “céu”, lugar que ficava acima da abóbada celeste. Ora, tudo que existe acima das nuvens e acima das estrelas são coisas físicas, e estão contidas dentro deste Universo físico. Não existe essa ilusão de mundo espiritual ou mundos paralelos, não físicos. E a palavra “espiritual” é um termo arcaico, antigo, usado na Bíblia para designar os seres vivos que não podiam ser vistos a olho nu. Por exemplo, Paulo considerava espiritual os anjos e até os vírus e micróbios, que não podem ser vistos a olho nu.

“Porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele” (Colossenses 1:16).

Não existem seres espirituais conforme a concepção religiosa. O que eles chamam de “espiritual” nada mais é do que coisas físicas que não podem ser vistas a olho nu. Yesu Cristo e os anjos são seres físicos, possuem corpos, embora possam se camuflar para que não sejam reconhecidos pelos humanos.

Yesu Cristo se tornou um ser híbrido, isto é, metade homem, metade ser celestial. Ou seja, Yesu Cristo era um ser de uma raça diferente, mais evoluída, que se humanizou a fim de que se tornasse o novo regente da Terra e Senhor dos senhores. Yesu Cristo subiu aos céus em corpo físico, de carne e osso. E da mesma forma que ele subiu aos céus Ele irá regressar com seus anjos.

“Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (Atos 1:11).

E onde se localiza a morada de Deus, de Yesu e dos anjos? Por que os seres humanos não podem habitar junto com Deus e os anjos?

Deus, Yesu Cristo e todas as classes angelicais são seres super aperfeiçoados. Eles habitam neste mesmo mundo físico em algum sistema planetário muito longe da Terra e do Sistema Solar. Há quem diga que eles habitam num sistema planetário próximo da estrela Sírius, na Constelação de Cão Maior. E nós, humanos, somos seres decaídos e não aperfeiçoados.

O falso ensino religioso diz que após o pecador aceitar Yesu Cristo e ser batizado nas águas ele recebe automaticamente a regeneração da alma, do espírito, da mente e do caráter. Mas na realidade não é bem assim que acontece a regeneração. A regeneração e o aperfeiçoamento do caráter do ser humano não acontece num piscar de olhos, quando a pessoa se converte ou aceita a Yesu Cristo. O aperfeiçoamento do ser humano demanda tempo e a prática de boas obras. São a prática de boas obras, o amor e dedicação aos pobres e necessitados que molda o caráter do ser humano e faz com que se torne um ser aperfeiçoado. O desejo por justiça e igualdade social para todos também molda e aperfeiçoa o caráter do ser humano. Mas o amor, o amor ágape, é o principal ingrediente do aperfeiçoamento. Não é qualquer pecador que aceita Yesu Cristo na hora da morte que vai morar no céu. O próprio Satanás, sendo um ser santo, chamado de querubim ungido, se rebelou contra o seu criador! Imagina o que não fariam no céu esses crentes mal-acabados que aceitam Yesu Cristo!

Este velho planeta é e sempre será o habitat natural dos seres humanos.

Os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó, Moisés, o rei Davi e os profetas tiveram a promessa de Deus de um dia reviver (regenerar ou ressuscitar) para habitar neste velho planeta Terra, e não para ir morar no céu.

“Mas que os mortos hão de ressurgir, o próprio Moisés o mostrou, na passagem a respeito da sarça, quando chama ao Senhor; Deus de Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó. Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele todos vivem” (Lucas 20:37-38).

“Em verdade vos digo a vós que me seguistes, que na regeneração [ou na ressurreição], quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, sentar-vos-eis também vós sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel” (Mateus 19:28).

Abraão, Isaque e Jacó irão ressuscitar de carne e osso para governar as nações com Cristo no seu reino eterno aqui mesmo na Terra. A expressão “reino de Deus” e “reino dos céus” significa tão somente o reino que veio dos céus para se estabelecer aqui na Terra. Por favor, creia-me. Se você não consegue entender o que estou explicando, então volte para escola, faça um curso do Ensino Médio e depois faça uma faculdade de Letras para que você possa entender o que significa a expressão “reino dos céus”. Os líderes religiosos fanáticos se gabam de ter o Espírito Santo para ensinar e explicar a Bíblia. Porém, o que eles entendem de Bíblia não serve nem para eles, quanto mais para ensinar os outros. Não falo isso por arrogância. Falo porque estou cansado de ver mentiras sendo repetidas há séculos e ninguém do próprio meio religioso toma providência para desmentir essas heresias. E nós que criticamos essas heresias somos tachados de desviados e hereges. Então, chega! Ou com simplicidade ou com arrogância vão ter que ouvir, e vão ter que me engolir.

“Também vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus” (Mateus 8:11).

Esse “reino dos céus” não se localiza no céu; se localiza aqui mesmo na Terra. Abraão, Isaque, Jacó e todos os justos irão ressuscitar no último dia para voltar à forma humana. É para isso que servirá a ressurreição: para a pessoa reencarnar ou voltar à forma física, de carne e osso. Não existe esse negócio de ressuscitar para receber um corpo espiritual incorruptível. A maior baboseira dos crentes é acreditar que quando um justo morre ele vai direto para o céu se encontrar com Deus e receber a recompensa e a coroa de glória, e depois, ele terá que retornar para a sepultura para ressuscitar, para novamente ir para o céu. Quanta insensatez desses religiosos malucos!

Paulo disse que carne e sangue não herdarão o reino de Deus.

“Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção” (I Coríntios 15:50).

Esse ensino de Paulo de que carne e sangue não herdarão o reino de Deus é equivocado. Ele falou essa barbaridade porque imaginava que os crentes iriam habitar num mundo espiritual. Os humanos aperfeiçoados que tiverem o privilégio de serem arrebatados, eles irão subir em naves espaciais aos céus, ficarão numa região do espaço próximo da Terra, mas depois regressarão para habitar neste planeta Terra que será restaurado.

Existe uma corrente interpretativa da Bíblia que diz que Yesu Cristo não veio em carne e sangue. Porém, João adverte que quem diz que Yesu Cristo não veio em carne e sangue, esse é um anticristo. Todos os que vão ressuscitar, irão ressuscitar em carne e sangue. E ninguém vai receber corpo espiritual, porque isso é besteirol religioso. Se os crentes creem que quando um justo morre, ele vai direto para o céu, logo, imagina-se que ele recebe um corpo espiritual. Se não tiver corpo espiritual, como ele irá se comunicar com Deus, com Yesu e com os anjos no céu? Na verdade, os mortos irão ressuscitar e receber um corpo físico novinho – mas trazendo as mesmas características físicas -, porém, livre de doenças e de toda contaminação deste planeta corrompido. Esses humanos justos que irão ressuscitar se alimentarão do elixir da vida, do maná escondido, ou do fruto da árvore da vida para que não morram e vivam eternamente, assim como Adão e Eva se alimentavam do fruto da árvore da vida para que vivessem eternamente. Adão e Eva só morreram porque Deus lhes tirou o direito de se alimentar da árvore da vida.

“Porque já muitos enganadores saíram pelo mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Tal é o enganador e o anticristo” (II João 1:7).

Quando Yesu Cristo retornar, ele virá em carne e sangue. Yesu Cristo subiu aos céus em carne e sangue. Yesu Cristo, após ressuscitar, ainda passou 40 dias com seus discípulos e provou que ele era de carne, osso e sangue. Inclusive comeu peixes com seus discípulos na beira da praia. Se Yesu Cristo tinha um corpo espiritual após a ressurreição, como ele poderia comer peixe com seus discípulos? Como ele poderia ter jantado com uns discípulos quando ia de caminho pela estrada de Emaús? Até mandou Tomé tocar o seu lado e suas mãos para constatar as marcas da crucificação. Se Yesu Cristo tivesse ressuscitado num corpo espiritual, ele não traria nenhuma marca no seu corpo. Quando Yesu Cristo disse “se o teu olho te faz tropeçar, arranca-o; pois é melhor entrares na vida (no reino dos céus) com um olho, do que com os dois ires para o inferno”, ele não estava falando de forma figurada; falou de forma literal. O justo que morre cego ou aleijado irá ressuscitar cego e aleijado. Se não for assim, então Yesu Cristo não morreu de verdade; apenas desmaiou e depois que o colocaram no sepulcro ele recobrou os sentidos. Se consideramos que Yesu Cristo morreu de verdade, e ressuscitou, então, devemos considerar que o seu corpo não mudou de aparência, e ele ressuscitou trazendo as marcas dos açoites, dos cravos e da lança que o feriu. Se Yesu Cristo tivesse perdido uma perna ou uma das mãos, ele teria ressuscitado da mesma forma, maneta ou com a perna amputada. Se você não crer no que eu digo, então você também é um Tomé. Só tocando em Yesu Cristo para crer que ele ressuscitou de carne e osso e sangue. E Yesu Cristo subiu aos céus com o mesmo corpo físico que trazia as marcas da crucificação. E segundo a teologia de Paulo, Yesu Cristo não herdou o reino de Deus, porque subiu aos céus em corpo físico, de carne e sangue.

——————
Miquels7

03/04/2018 Posted by | ESTUDOS BÍBLICOS, FANATISMO RELIGIOSO, TEOLOGIA | , , , , , , | Deixe um comentário

ISRAEL TEM O DIREITO DE SE DEFENDER E NÃO TER AS SUAS TERRAS INVADIDAS

**********
SOBRE O CONFRONTO ENTRE SOLDADOS ISRAELENSES E PALESTINOS EM GAZA

Israel ataca marcha pacífica palestina em Gaza

O espaço territorial ocupado por Israel é muito pequeno. Tem países como EUA, Rússia, China e Brasil, com imenso área territorial, que bastaria conceder um pedaço do tamanho do Estado de Sergipe que daria para abrigar milhões de palestinos. Mas eles, os palestinos e o resto do mundo, querem encrencar com Israel por causa daquele mísero pedaço de terra.

Israeli forces physically prevent medics from treating injured Palestinian activist:
*


https://www.youtube.com/watch?v=v0MMCd16PCM

Israel tem o direito de se defender. Seus inimigos NÃO SÃO muitos, são TODOS. O povo judeu foi o que mais sofreu massacres na história.

Os antissemitas costuma acusar dos hebreus de terem massacrado o povo cananeu para se apossar de suas terras. Porém, eles massacraram os cananeus não por vontade própria, mas por ORDEM do seu Deus Jeová. Eles mesmos quiseram desistir de tomar posse da terra prometida quando Josué mandou uns espias ver como eram e como viviam os habitantes de Canaã. Mas Jeová disse que iria à frente com eles, e seus inimigos seriam exterminados. E os cananeus não eram inimigos dos hebreus. Os hebreus é que se tornaram inimigos dos cananeus. Mesmo, assim, o povo judeu sofreu as maiores atrocidades da história, desde o cativeiro no Egito (400 anos), e depois, o sofrimento no deserto por 40 anos, e depois o cativeiro babilônico (70 anos), a perseguição no tempo dos Macabeus no século II a.C, que culminou com a primeira diáspora, e depois o massacre sofrido no ano 70 d.C, com a invasão de Jerusalém e destruição do Templo pelo exército romano, e depois a segunda diáspora no século II d.C, quando os judeus se espalharam de vez entre as nações, depois a perseguição por parte dos muçulmanos durante toda a história, e finalmente o último massacre que sofreram, o holocausto, pelo governo nazista de Adolf Hitler em 1940-45.

O povo de Israel nunca subjugou nenhum povo severamente. No tempo do rei Davi e de outros reis de Israel alguns povos viveram sob o domínio dos judeus, mas isso foi por pouco tempo, e nada se compara ao que eles sofreram nas mãos dos inimigos. O certo é que o povo judeu sobreviveu a inúmeras atrocidades. E Israel não está subjugando os palestinos. Israel apenas se defende e protege seu território para não ser invadido. Se Israel afrouxar, seus inimigos avançarão sem piedade, pois os palestinos se proliferam como gafanhotos, e consomem tudo.

O povo judeu conquistou o seu lugar na Terra, porém, está cercado de ninhos de serpentes. Se os inimigos de Israel querem exterminá-lo de lá, que contem com ajuda de seus deuses. Mas o Deus de Israel sem dúvidas é mais poderoso. Só lembrando, a profecia diz que “quem amaldiçoar Israel será amaldiçoado”. Por isso, o aviso está dado. Não OUSE amaldiçoar o povo judeu.

Se querem achar um culpado para o massacre dos cananeus, culpem o Deus da Bíblia, mas não culpem os judeus. Aliás, o povo judeu era refém do seu próprio Deus, pois, quando não queriam acatar suas ordens Ele ameaçava matar a todos ou entregá-los nas mãos dos inimigos. A única alternativa era obedecer. Os israelitas se recusaram a massacrar mulheres e crianças cananeias, mas o Deus Jeová puniu seu próprio povo por não cumprir suas ordens.

Já não basta o que o povo judeu sofreu durante milênios de história? Esse povo heroico sobreviveu milagrosamente a todo tipo de atrocidades e, apesar do preconceito, sempre exerceram influência no mundo. Por que continuam querendo destruir o povo judeu? Se os judeus perderem seu território, onde se refugiarão? Eles não podem dividir o leito com seus inimigos.

Leia notícias sobre este conflito:

Gaza: 16 palestinos são mortos em confronto com Exército israelense
*

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2018/03/30/interna_internacional,948001/gaza-16-palestinos-sao-mortos-em-confronto-com-exercito-israelense.shtml 

Israel ataca marcha pacífica palestina, mata ao menos 16 e fere mais de mil em Gaza
*

http://operamundi.uol.com.br/dialogosdosul/israel-ataca-marcha-pacifica-palestina-mata-ao-menos-12-e-fere-mais-de-mil-em-gaza/30032018/

———————
Miquels7

01/04/2018 Posted by | ISRAEL E AS PROFECIAS, ISRAEL E PALESTINA, POLITICA INTERNACIONAL | , , , , , , , , | Deixe um comentário

UMA DAS MAIORES HERESIAS QUE CARACTERIZA AS IGREJAS PENTECOSTAIS É O TAL DOM DE LÍNGUAS ESTRANHAS

**********
As línguas que os primeiros discípulos e apóstolos falaram na ocasião do derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes eram línguas estrangeiras, isto é, IDIOMAS falados por povos de diversas nações que se encontravam em Jerusalém naquela época. Não eram línguas estranhas. E a expressão “línguas estranhas” nem ao menos existe na Bíblia, mas os crentes pentecostais inventaram essa heresia. Inventaram também que as tais línguas estranhas são línguas de anjos. Outro absurdo.

Línguas estranhas

Já escrevi um extenso texto que publiquei no meu blog explicando que O DOM DE INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS ESTRANHAS NUNCA EXISTIU NA HISTÓRIA DA IGREJA CRISTÃ E PROTESTANTE. E por que não existe o dom de interpretação de línguas? Simplesmente porque isso que eles chamam de línguas estranhas não tem nada a ver com o Espírito Santo. Tal heresia foi semeada por Satanás no meio das igrejas (congregações de cristãos) ainda no primeiro século.

https://miquels777.wordpress.com/2011/01/04/o-dom-de-interpretacao-de-linguas-estranhas-nunca-existiu-na-historia-da-igreja-crista/

Todas as evidências indicam que as línguas faladas no dia de Pentecostes eram idiomas falados por outros povos. E esse dom de falar em outros idiomas da Terra foi dado para que os discípulos evangelizassem outros povos mesmo sem terem sentado numa escola para aprender um novo idioma, porque Deus sabia que eles seriam espalhados e perseguidos pelos líderes do Judaísmo e pelo Império Romano. Por exemplo, Felipe ia de caminho de Jerusalém para Gaza orientado pelo Espírito Santo para que se encontrasse com um etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, para o evangelizar. Acredito que esse eunuco não sabia ler o hebraico ou aramaico, mas ele estava com um exemplar do livro do profeta Isaías nas mãos. Talvez fosse uma cópia da tradução grega do Antigo Testamento, chamada de Septuaginta. Essa tradução da Bíblia hebraica para o grego foi feita por 70 sábios escribas judeus no século dois antes de Cristo. Nesse tempo ainda não existiam os escritos do Novo Testamento. Felipe pergunta ao eunuco etíope se ele entendia alguma coisa. Talvez ele nem entendesse o idioma, quanto mais o significado da profecia. Será que Felipe sabia o idioma etíope do Eunuco, ou o eunuco sabia falar aramaico? Ou será que o eunuco levava um intérprete? Talvez nenhuma nem outra coisa. Felipe estava tomado pela força do Espírito Santo e tenha falado no próprio idioma do eunuco para evangelizá-lo. Se não foi esse o caso, então o eunuco sabia falar aramaico ou grego ou tinha um intérprete.

Quem iniciou essa heresia de línguas estranhas foi a igreja (congregação) de Corinto. Foi nessa igreja que Paulo mais teve dor de cabeça por causa de heresias e diversos tipos de pecados praticados pelos crentes. Para Paulo não desestimular os dons espirituais e o dom de língua, disse aos coríntios que quem fala em línguas, fala em mistérios diretamente com Deus, e ninguém entende. Mesmo assim Paulo ensinou o tal dom de interpretação de línguas. E esse dom nunca existiu nas igrejas protestantes e pentecostais em todas as épocas. As tais línguas estranhas que os crentes falam ninguém sabe discernir nem interpretar, nem mesmo aquele que se acha mais cheio do Espírito, porque isso não vem da parte de Deus, é coisa carnal humana incutida por Satanás nas igrejas. O que Paulo disse em I Cor. 14:2 é uma grande heresia. Pois o dom de línguas foi dado não para falar em mistérios com Deus, mas foi com o propósito de evangelizar. Vejam que na Bíblia não está escrita a frase “LÍNGUAS ESTRANHAS” nem LÍNGUA DESCONHECIDA. Mas os crentes pentecostais inventaram essa heresia.

“Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios”.

No Youtube tem vários vídeos de crentes fazendo supostas interpretações de línguas estranhas, mas são apenas sugestões de que estão interpretando. Tudo não passa de enganação. Se fôssemos pegar frase por frase que eles falam, iríamos notar que a mesmas frases estranhas que eles repetem são interpretadas de forma diferente. Eles não falam mais do que 10 frases em línguas estranhas; as frases são sempre repetidas.

Existem crentes de mente fraca que facilmente se iludem com essa heresia do falar em línguas estranhas. Aí eles glorificam de forma mecânica por muito tempo, dizendo GLÓRIA, GLÓRIA e ALELUIA, até perder a dicção da voz, e começam a falar coisas sem noção, e chamam a isso de línguas estranhas. Com o tempo eles vão pegando a manha, depois decoram as frases sem nexo, e com isso fica mais fácil para eles falarem no momento que mentido fingem estarem emocionados ou cheios do espírito.

Tem crente que nunca consegue ser “batizado com o Espírito Santo”, porque o que caracteriza esse batismo é o ato de falar em línguas estranhas. E como eles não conseguem falar e têm vergonha ou medo de imitar os outros que falam, eles permanecem “vazios” do espírito e são tachados de crentes frios ou duros de coração, que não quebrantam o espírito para receber a “bença”.

Conheci um irmão, que hoje é pastor (mas não vou revelar o nome), que era duro para receber o espírito, e em todas as festas quando havia a sessão de oração para receber o batismo com o Espírito Santo ele estava lá. Num certo congresso de jovens que houve na igreja local, vieram pregadores de Manaus e de outros municípios, cada um mostrando ser cheio do espírito e falando facilmente em línguas estranhas. Numa oração de domingo, para receber o batismo com o Espírito Santo, esse pastor (que na época ainda não era pastor) se ajoelhou na frente do púlpito e disse que só iria se levantar de lá depois que fosse batizado. Ele ficou lá orando, ajoelhado. Parece-me que estava em jejum, não havia tomado o café da manhã. Depois de tanto glorificar, ficou tonto, perdeu a dicção da voz, e começou a delirar glorificando e falando coisas sem nexo. Aí os pastores concluíram que ele estava falando em línguas estranhas e havia sido batizado. Pronto. Desde esse tempo ele decorou algumas frases estranhas, e até hoje quando finge que está emocionado ele emite essas mesmas frases estranhas, de forma mecânica.

Todos os que falam em línguas estranhas, falam frases mecanizadas, decoradas, as mesmas frases. Mas tem uns que inovam e falam coisas mais mirabolantes. Mas o normal é falar as mesmas frases decoradas.

Eu mesmo tentei receber o tal batismo com o Espírito Santo, mas não consegui. O que aconteceu comigo foi mais ou menos parecido com o que aconteceu ao citado pastor, acima. Mas, graças a Deus, saí dessa grande babilônia religiosa.

Num certo congresso de jovens, em meados de 1987, o pastor da igreja convidou alguns pregadores daqui de Manaus. E no meio deles foi um que estava “disciplinado” por algum pecado grave que cometeu, mas o pastor não sabia e nem foi avisado. O cara falava em línguas estranhas até andando na rua. Durante a pregação ele falava mais em línguas estranhas do que no português. Numa tarde ele colocou os jovens para orar para serem batizados. Aí ele ensinava como deviam fazer para receber o batismo e falar em línguas estranhas. Ele dia: “Diga glória, glória, glória”. Ou seja, era para a pessoa ficar sempre repetindo a palavra “glória” até o queixo cair e a pessoa começar a falar sem dicção coisas sem nexo. As mulheres eram mais fáceis de serem iludidas. Muitos foram “batizados” com essa heresia. No outro dia o pastor local recebeu um telefonema de Manaus informando que o tal pastor das línguas estranhas estava afastado da igreja por pecado, e que não devia ser recebido nas igrejas. Aí o pastor local reconheceu o erro e no culto à noite se ajoelhou no púlpito pedindo perdão da Igreja.

E é sempre assim. Não basta o pastor ou pregador estar afastado ou disciplinado da igreja para reconhecer que o dom de línguas estranhas ensinado nessas igrejas pentecostais é pura heresia de Satanás.

PRESTE ATENÇÃO NESSA VERDADE

Paulo ensinou aos crentes de Corinto (I Coríntios 14) que procurassem desenvolver os melhores dons e principalmente o de profetizar (ou o dom de pregar), e não o de falar em línguas. Mas o dom de línguas que devia ser o menos desenvolvido é o que mais se ensina nas igrejas pentecostais. Os dons de cura, de pregação, os dons de ensino, são os menos desenvolvidos.

O dom de falar em línguas não é útil para o crente e nem para os que necessitam ouvir o evangelho se não houver quem as interprete. Nunca houve quem as interpretasse. Todo  crente que diz falar em língua estranha nunca ora para que possa interpretá-la. Milhares, durante um culto, podem falar na dita língua estranha, mas não aparece uma triste alma para interpretar o que alguém falou.

“Por isso, o que fala em língua, ore para que a possa interpretar. Porque se eu orar em língua, o meu espírito ora, sim, mas o meu entendimento fica infrutífero” (I Cor. 14:13-14).

E no versículo 27 deste mesmo capítulo Paulo proíbe que mais de três irmãos falem AO MESMO TEMPO em línguas na Igreja. E se três falarem em línguas, tem que haver pelo menos um intérprete. Porém, o que se vê nas igrejas pentecostais é um absurdo, não existe ordem, e dez ou trinta falam nas ditas línguas estranhas ao mesmo tempo, mas não existe um intérprete sequer. Se os pastores pentecostais dizem que os crentes falam em línguas estranhas conforme o Espírito Santo opera, então, o que Paulo ensinou não serve para nada. Pois, Paulo ensinou que dois ou três irmãos, no máximo, falem em línguas, cada um por sua vez, e que haja intérprete. E se não houver intérprete, que fiquem calados na igreja.

Por causas dessas e de outras heresias, afastei-me do sistema religioso pentecostal.

“Se alguém falar em língua, faça-se isso por dois, ou quando muito, três, e cada um por sua vez, e haja um que interprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus” (I Cor. 14:27-28).

Para complementar, assistam a este vídeo do professor Fábio Sabino:

Afinal, idiomas ou línguas estranhas?

(https://www.youtube.com/watch?v=POCf-G9Zxxw)

————————————-
Miquels7 – 28/03/2018

28/03/2018 Posted by | CRISTIANISMO EM CRISE, FANATISMO RELIGIOSO | , , | Deixe um comentário

MINHA MAIOR PREOCUPAÇÃO – DEIXAR UM LEGADO EDUCATIVO PARA A POSTERIDADE

**********
A maioria das pessoas só vive para comer, beber e fazer filhos, e não deixam um legado para a posteridade, não servem de referência para nada.

Jesus Cristo anunciando o Reino

As coisas que escrevo não servem para esses crentes velhos que já estão com a mente cauterizada pela lavagem cerebral e fanatismo religioso. Eles mesmos sabendo que estão errados, nunca dão o braço a torcer, e morrem na própria ignorância. Teimar com essa gente é recalcitrar contra os aguilhões.

O que escrevo e ensino é direcionado para os jovens de mente aberta, gente que quer ser inteligente e esclarecida, que procura saber a verdade das coisas para não ser iludida por religiosos fanáticos.

Minha maior preocupação é deixar um legado para a posteridade, para que esses jovens que hoje leem o que escrevo não sejam iludidos e enganados pelos religiosos e por heresias inventadas por causa de interpretação errônea da Bíblia.

Os crentes se iludem com esse negócio de viver no céu. Que céu! Quem disse que “céu” é um lugar específico, localizado, um lugar paradisíaco?!

Céu, como um lugar de habitação de seres espirituais, não passa de ilusão inventada por fanáticos religiosos que fazem interpretação errônea da Bíblia! Quando Yesu Cristo retornar dos céus com seus anjos ele virá em corpo físico, de carne e osso, e seus anjos também virão em corpos físicos.

O “reino dos céus” que a Bíblia fala, não é um reino no céu. Chamem os maiores linguistas, os maiores PhDs em Língua Portuguesa e peçam que expliquem para vocês o que significa a expressão “reino dos céus”. Reino dos céus significa tão somente um “reino que veio do céu” para se instalar aqui na Terra. O reino de Cristo que o Pai lhe concedeu não está nos céus; o seu reino vem do céu para ser instalado aqui na Terra. Nos céus não existem nações onde Cristo possa reinar. Mas os crentes verdadeiros já vivenciam o reino de Cristo, porque ele está dentro de cada um dos justos, das pessoas pacíficas, daqueles que praticam a caridade e a partilha, que lutam pela igualdade social e justiça para todos. Aí o crente neófito, e até mesmo os que se dizem formados em teologia, não sabem fazer interpretação de texto, e se iludem com a expressão “reino dos céus”, achando que esse tal reino é no Céu ou é o próprio céu. Os tradutores da Bíblia sabiam o que estavam escrevendo ao traduzir os textos sagrados, mas eles morreram e não tem como perguntar a eles o que significa a expressão “reino dos céus”. Só resta perguntar aos que sabem verdadeiramente interpretar vocábulos e figuras de linguagem. Aprendi o suficiente sobre Língua Portuguesa para estudar e interpretar corretamente os textos sagrados. Por isso me atrevo a ensinar as verdades das Sagradas Escrituras.

“Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós” (Mateus 17:20-21).

O reino de Deus já está sendo vivenciado na vida e nos corações dos verdadeiros cristãos, daqueles que buscam a paz – e não os que buscam adquirir armas de fogo -; daqueles que lutam por justiça social e distribuição de renda; daqueles que amam o próximo, fazem caridade e acolhem os estrangeiros que vêm se refugiar no nosso país; daqueles que ajudam com mantimentos e alimentos os pobres e necessitados – e não esses que ficam só orando, pedindo para Deus visitar as casas dos pobres, os hospitais, asilos e presídios. Os falsos cristãos oram pedindo para Deus fazer aquilo que Ele ordenou que o crente fizesse.

Nenhum ser humano vai viver no céu. Céu não é um lugar específico. Céu é apenas um nome genérico para designar o espaço sideral acima das nuvens.

Os espíritos dos mortos justos estão aguardando o dia da ressurreição do último dia em algum lugar nesse Universo. A ressurreição existirá para que os santos e justos possam retornar à forma humana novamente, para habitarem neste mesmo planeta Terra.

Por favor, concorde comigo que isso é uma grande ilusão de crente fanático: “Acreditar que quando um crente morre ele vai direto para o “céu” prestar contas com Deus, conhecer Jesus e os patriarcas e cantar com os anjos, e depois esse mesmo crente que morreu terá que voltar para a Terra para ressuscitar e receber um corpo espiritual para voltar de novo para o céu”. Concorda que isso é uma grande maluquice desses crentes fanáticos?

A ressurreição vai acontecer para que os que morreram voltem a forma humana, de carne e osso, para viver novamente neste mundo, e não para voltar de novo ao céu.

Minha preocupação é ensinar o caminho certo para esses crentes que vivem iludidos com fantasias incutidas por fanáticos religiosos.

Se eu partir mais cedo que vocês, e depois de alguns anos constatarem que eu estava com a razão, vão sentir falta das minhas palavras. Podem crer. Geralmente as pessoas ignoram o que escrevo no meu blog, porque elas querem que eu escreva aquilo que elas querem ouvir. Mas um dia elas se lembrarão de mim e vão voltar no meu blog para aprender o que deviam ter aprendido há muito tempo.

**********
O REINO DOS CÉUS NÃO É NO CÉU. O REINO DOS CÉUS SERÁ ESTABELECIDO AQUI MESMO NA TERRA. POR ISSO YESU CRISTO ENSINOU NA ORAÇÃO DO PAI-NOSSO: “VENHA O TEU REINO”.

“Também vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e reclinar-se-ão à mesa de Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus” (Mateus 8:11).

Esse “reino dos céus” que Yesu Cristo se refere em Mateus 8:11 não está localizado nos céus, e nem é o próprio “céu”. Reino dos céus quer dizer o reino de Cristo que virá dos céus para ser implantado aqui na Terra durante mil anos. E depois da purificação do planeta Terra, este mesmo reino será estabelecido eternamente.

Os crentes se iludem com essa história de ir morar no “céu”. E céu não é um lugar específico, paradisíaco. Céu é um nome genético usado na Bíblia para designar o espaço sideral acima das nuvens. Deus, Yesu Cristo e os anjos são seres superaperfeiçoados e santos. Mas eles não são seres espirituais; são seres físicos, possuem corpos, embora possam se camuflar para que não possam ser vistos a olho nu.

Os crentes imaginam que quando um cristão salvo morre, ele vai direto para o céu se encontrar com Deus, abraçar Yesu Cristo e ver Abraão, Isaque e Jacó. Dizem também que os crentes arrebatados não voltarão mais para habitar nesse velho planeta no reino milenar do Messias, e ficarão para sempre cantando com os anjos no céu, ou se embalando numa rede na mansão que Cristo foi preparar para cada um deles. E quem ficará habitando neste velho planeta durante o milênio serão os judeus e povos de outros países que escaparem da morte na Grande Tribulação. A Igreja triunfante estará reinando com Cristo no céu, e os judeus estarão comandando as nações aqui na Terra. É mais ou menos assim a loucura ensinada por esses crentes protestantes.

Porém, o próprio Senhor Yesu Cristo garantiu que Abraão, Isaque e Jacó estarão governando as nações no seu reino aqui na Terra, após a Grande Tribulação. Então, como esses crentes malucos pensam que vão estar ao lado de Abraão, Isaque e Jacó nos céus?

Na ceia da última Páscoa que Yesu Cristo celebrou com seus discípulos, ele se despediu e disse que não mais beberia do fruto da videira até aquele dia em que de novo o bebesse no reino de seu Pai juntamente com os seus discípulos. O problema é que, quando os crentes leem esta declaração de Yesu, eles imaginam que Cristo está se referindo a um reino no céu. Enquanto que ele está se referindo ao reino que seu Pai lhe concedeu aqui mesmo na Terra. Em Apocalipse 21 se diz que Deus estenderá o seu tabernáculo sobre os homens aqui na Terra e com eles habitará. Ou seja, não são os crentes que irão habitar nos céus; é Deus que virá habitar junto com os seres humanos aperfeiçoados aqui na Terra. Yesu Cristo não prometeu levar nenhum dos escolhidos seus para os céus; antes, prometeu levá-los para habitar junto com ele no seu reino, mas aqui mesmo na Terra. É isso que ele quis dizer em João 14: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; vou preparar-vos lugar; viverei outra vez e vos levarei para mim mesmo para que onde eu esteja, estejais vós também”. Nessa passagem de João 14 Yesu Cristo está falando do reino que seu Pai lhe concedeu. Essa passagem da Bíblia causa confusão porque a mensagem foi mal interpretada pelos que a ouviram, ou então, o autor do Evangelho de João não coletou informações corretas sobre o que Yesu Cristo disse em João 14. Tenho plena certeza que o autor do Evangelho de João não foi o discípulo de nome João, irmão de Tiago, filhos de Zebedeu. Tudo indica que a narrativa foi feita por uma pessoa que não presenciou os fatos. Se fosse João o autor, logo, ele teria sido mais preciso na narrativa, porque havia sido testemunha ocular dos fatos. A frase “na casa de meu Pai há muitas moradas” quer dizer “no reino que meu Pai me concedeu haverá muitas moradas”. Em Apocalipse 14 os 144 mil aparecem junto ao Cordeiro no Monte Sião. Ora, esse Monte Sião não se localiza nos céus. Monte Sião é o nome da velha cidade de Jerusalém em Israel. É lá que Cristo estará reinando com os 144 mil, e todos aqueles que ressuscitarem na primeira ressurreição. Abraão, Isaque e Jacó irão ressuscitar de carne e osso, para habitar novamente neste planeta Terra e governar as nações juntamente com Cristo.

“Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba de novo, no reino de meu Pai” (Mateus 26:29).

Preste atenção: O reino é de Deus, o Pai, mas seu regente é Cristo. E este reino será estabelecido aqui na Terra, e não nos céus.

“Ao que lhe disse Jesus: Em verdade vos digo a vós que me seguistes, que na regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, sentar-vos-eis também vós sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel” (Mateus 19:28).

“Mas vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas provações; e assim como meu Pai me conferiu domínio, eu vo-lo confiro a vós; para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos senteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel” (Mateus 22:28-30).

Por tudo que é mais sagrado, vocês, pastores e teólogos protestantes: Parem de ensinar heresias; ensinem a verdade como eu faço. Nesta passagem de Mateus 22 Yesu Cristo deixa claro que o seu reino é aqui na Terra e não nos céus. Os salvos vão cear com Cristo no seu reino aqui na Terra e não nos céus.

“E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apoc. 21:3-4).

*****

25/03/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, ESCATOLOGIA BÍBLICA, ESTUDOS BÍBLICOS, FANATISMO RELIGIOSO, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, TEOLOGIA | , , , , , , | Deixe um comentário