MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS

Blog com mensagens e artigos diferentes sobre Deus e a Bíblia

NÃO ENTRE NO ZOHAR, NÃO ENTRE NA CABALÁ – KABBALAH É 666

**********
Tenho visto muitas pessoas na internet interessadas em estudar a Cabalá para conhecer os mistérios do conhecimento esotérico. Mas não se dão conta de que tais conhecimentos pertencem à esfera do ocultismo velado. Outros manifestam desejo de entrar para a sociedade secreta Maçonaria achando que se trata de uma agremiação de homens da elite social, solidários uns com os outros irmãos da Loja, sábios e influentes na sociedade, e detentores de um vasto conhecimento sobre esoterismo, simbologia e culturas antigas. E observo que essas pessoas estão querendo entrar num caminho desconhecido e obscuro, e não sabem que caminham na beira de um precipício, onde podem cair e nunca mais sair de lá.

Cerca de 99% dos maçons não são e nunca exerceram a profissão de pedreiro ou de arquiteto. Então, por que eles usam os símbolos de pedreiro e arquiteto? Na antiguidade realmente existiu sociedades secretas de pedreiros e construtores, mas eles realmente exerciam a profissão. E essas sociedades dos pedreiros (maçom, mason) vêm desde os construtores das grandes pirâmides no Egito e, depois, no reino de Israel durante a construção do grande Templo de Salomão. Porém, esses maçons de hoje nada têm a ver com o ofício de pedreiro e arquiteto. Sendo assim, qual o objetivo dessa sociedade secreta? O que eles carregam escondido?

“O conhecimento superficial da Bíblia transmitido pelas escolas teológicas cristãs é um grande perigo. Mas, perigo maior é o conhecimento oculto transmitido pelos mestres cabalistas. É preciso ter um conhecimento intermediário entre esses dois ramos do conhecimento. Doutra forma, todos continuarão sendo enganados. Ou então, é necessário que alguém de fora do sistema conscientize as pessoas que estão presas na Matrix” (Miquels7).

**********
A Kabbalah Revelada - Filosofia oculta e ciencia - Knorr Von Rosenroth

Há uma série de vídeos no YouTube, publicado no canal do site Kabbalah.info/pt, intitulado “Entre no Zohar”, tratando de uma série de lições sobre o livro cabalista Zohar (Sefer ha’ Zohar, o Livro do Esplendor), o maior arquivo do mundo em Cabalá. O apresentador, que também é o professor, faz uma propaganda extensiva sobre o Zohar, falando sobre a história desse livro, as polêmicas levantadas e incentivando os ouvintes e interessados no curso a entrar no mundo da Cabalá em busca de conhecimentos inimagináveis. Eis, abaixo, o vídeo e a transcrição do áudio. Corrigi a transcrição do áudio, mas não ficou 100% igual. Se preferir, assista ao vídeo.


https://www.youtube.com/watch?v=gSd3l3wyUNk

Olá a todos! Bem-vindos ao vídeo-curso virtual “Entre no Zohar”.

Eu sou Wellman, serei o professor no decorrer do curso.

Este não é um curso vulgar sobre um livro vulgar. Se aqui estão é porque sentem, pensam, desejam que haja algo mais na vida, e estão no lugar certo.

Se estão a começar a sentir alienação entre vocês e outras pessoas, e no meio ambiente dentro da vossa família e o que vos costumava satisfazer, perfeito! Se estão assustados por ninguém fazer ideia em como lidar com as cheias, os furacões, os derrames de petróleo, as guerras, o ódio e assim por diante… É por isso que estamos aqui!

Há um livro, é chamado ‘O Livro do Esplendor’, isso em português, e em hebraico é chamado Sefer ha’ Zohar, tem 2000 anos de idade e, escutem isto, foi escrito especificamente para este tempo, para a primeira geração que um dia acordaria com um suor frio e se apercebesse que o mundo inteiro está conectado. Somos um todo que vive e respira. Belisque-se! Estais vivo! Conseguiu! És um membro premiado da primeira geração, você conseguiu! Está na hora de abrir este livro e brilhar algum do seu esplendor sobre o sistema que nos conecta e como ele funciona. Não precisaremos de lápis ou blocos de notas, só uma mente aberta para os que são suficientemente sortudos em ter um. Por favor, abram o vosso coração.

Que é o Livro do Zohar?  Por que nos é importante agora e como ele irá nos ajudar?

Vamos direto ao assunto, aqui está o que sabemos. Durante séculos o Zohar tem sido considerado ser o mais importante e poderoso livro do misticismo ocidental, dito conter todos os segredos do Universo, todos os reinos celestiais, cartografando o mundo em anjos e demônios e seres celestes, preenchido de parábolas fantásticas, referências bizarras e estranhas histórias extraídas da Torá, a Bíblia, a qual ele comenta, apontando para um código oculto que se adequadamente compreendido desbloqueia os segredos da própria vida.

Sim, uma obra certamente muito misteriosa. Porque é misteriosa, ela levantou suspeitas e alguns têm medo que o seu conteúdo e propósito sejam muito mais nefastos. É a primeira conspiração ocultista do mundo, uma Cabalá obscura. Instruções escondidas em como controlar o mundo, uma fonte de poder, as sociedades secretas, os maçons, os judeus, o vaticano, que manipulam estruturas políticas, econômicas e sociais, seduzindo as massas com fantasias bíblicas infantis em prol de nos escravizarem para que possam manter os seus estilos de vida da realeza e que isso nos previna de alcançar o sentido e propósito da vida.

Então, para alguns é uma força mística sagrada além do entendimento a ser respeitada e reverenciada, e para outros é um poder não assim tão compreendido para ser usado por alguns para as suas mais obscuras metas. Ambos estão certos. Ambos não compreendem, e é assim que o nosso cérebro o vê, porque nós não compreendemos nada sobre como a nossa natureza funciona e as pessoas também. Sabemos um pouco sobre as leis da física quântica, astrofísica, biologia, geologia, mas no que diz respeito ao nosso lugar no sistema, os nossos desejos, as nossas emoções, as nossas conexões, como funcionam com ele, quero dizer, olhem para as vossas vidas! Olhem para o mundo! Não me parece, mas ambos estão certos sobre acreditarem nele conter algo grande, sobre o propósito e sentido das nossas vidas e que está escondido de nós.

Então vamos só colocar todas as nossas suposições e medos em espera e vamos começar daí.

Ok, então por que histórias bíblicas? E por que são esses escritos a influência cultural mais impregnada dos últimos 3.500 anos? A fonte das principais religiões ocidentais, vocês sabem, cada uma pensa que as outras duas estão erradas. Por que é que a maioria das leis e códigos morais do mundo estão construídos à volta deles? Como é que os seguir não fez um mundo que funcione? Quero dizer, se realmente não faz sentido para nós e não está alinhado com a nossa ciência moderna e não funciona da maneira que é suposto, então, por que é que captura a nossa imaginação? Com tamanha profunda posse sobre estas sensações de direito e reverência e mistério? Por que é que pensamos que trata da verdade? Porque trata, mas nós não. Significa que, embora precioso e seja transcendente, está escondido de nós pelo presente estado da nossa própria natureza, que por falar nisso, também nos está escondido.

Olhem para isso, referências bíblicas estão tão entrelaçadas no tecido do nosso mundo que, não dependendo se vocês acreditam nisso, não dependendo de se vocês acreditam em Deus ou não, mas porque esses escritos realmente revestem certa lei geral da realidade que interage com os nossos pensamentos e desejos de uma certa maneira especial. E esta interação tem construído e operado o nível humano da existência. Sim, é por isso que a vemos em todo o lugar, ela parece estar fora de nós, mas não está.

O Zohar é uma verdadeira maravilha, e é talvez a maior obra cabalística. Quero dizer, ele tem dados exatos sobre cosmologia física e antevisões histórias que precedem acontecimentos e descobertas por milhares de anos. Mas o seu gênio intemporal é que ele não é uma obra de arte, não de ciência, mas de propósito. E a nossa incapacidade de o ver pelo que ele é seja talvez pela nossa ideia vaga de que um livro, que simplesmente não se aplica aqui.

Há uma enorme, e no que nos diz respeito, força totalmente imperceptível que torna os livros cabalísticos não livros de todos iguais, e o Zohar é a própria estrutura da natureza. Um sistema de leis que fluem abaixo numa cadeia de causa e efeito de uma simples e singular lei na natureza em prol de direcionar este mundo.

Para os cabalistas, as pessoas que escreveram o Zohar e a Biblía, a qual ele comenta, o termo ‘livro’ refere-se à habilidade de aceder ao mecanismo de propósito de ser. Um método de nos transformarmos a nós mesmos, de fazer a nossa natureza entrar em equilíbrio com a natureza subjacente da existência.

Para penetrar nisso, para começar a nos envolver nisso, como se dobrássemos para trás as capas do livro e virássemos o mundo de dentro para fora, e vocês e eu e o cosmos e a força que o conecta a tudo são as palavras do livro sem capas e, não há nada do lado de fora da história. Agora mesmo, quer gostemos quer não, estamos a ser empurrados por forças evolucionárias a entrar num mundo interconectado e interdependente. Este é um nível inteiramente novo de existência onde temos de alcançar uma conexão consciente com as leis subjacentes da natureza.

O Zohar é o exato oposto da nossa intenção dominante e porque nós queremos o que queremos. Isto é o que os cabalistas identificam como ‘corporalidade’ o nosso mundo, o desejo de querer para mim mesmo mais muito mais do que eu quero para qualquer outra pessoa. O que chamamos de ‘egoísmo’.

Mas o por que dos livros espirituais ou sagrados o próprio pensamento a partir do qual eles foram construídos é a qualidade inversa, a vontade de doar incondicionalmente, sem uma migalha de consideração própria. Verdadeiro amor, doação pura. Nós precisamos dessa resposta agora e ele dá a nós do ponto de vista do que vamos ser em vez do que nós fomos. Numa linguagem que parece enigmática e antiga, mas na realidade, é a expressão de um futuro que não conseguimos percepcionar, porque neste momento por agora, não somos nada como ela. O que ele tem para nos dar é dirigido a todos, mas não podem simplesmente saltar e lê-lo. A sua linguagem não vem da mente e não é feita para a mente; é feita para ser realizada por um grande desejo e um coração ardente. Tal como o coração de uma criança quando inicialmente descobre este mundo suga tudo, sente forças opostas que a compelem a crescer. Ela sente o quente, ela sente o frio. Ela sente a luz, ela sente o escuro. Prazer e dor, um desejo implacável de tentar novamente. Ela brinca e ela imita até alcançar esse equilíbrio. Não no seu intelecto. Quer dizer, que mente usa um bebê quando aprende a caminhar? Considerando que somos interiormente opostos a ele não sabemos como funciona ou como o viver precisamos de um método de como crescer neste belo, mas aparentemente impossível, futuro de perfeição com que o Zohar nos coloca em contato.

Sim! Zohar, 1) o completo sistema unificado de conexões governado por uma lei singular toda abrangente que é oposta à minha natureza; 2) nada é excluído do sistema ou exterior a ele; 3) a estória é vida sem fim; 4) exigir ser mudado pela intenção por trás de tudo no sistema; 5) um meio de se tornar internamente idêntico à lei singular governante do amor; 6) a criação de um verdadeiro mundo que funciona por dentro e por fora.

Simples, certo? Com o espirito de grande aventura, tudo vai levar um pouco de preparação e experimentar algumas novas percepções, desaprender algumas velhas ideias e verem por vocês mesmos, e pouco a pouco, o que é de fato, e isso vai lhes apontar para a atitude certa. E assim que tenham isso, podem entrar no Zohar.

Neste outro vídeo, abaixo, do qual transcrevo a descrição, o orador faz uma série de considerações sobre o livro Zohar. O texto da descrição do vídeo é diferente das palavras do orador. Se preferir, assista ao vídeo, que está legendado.

https://www.youtube.com/watch?v=1NHL1C6vDcA

Kabbalah – O segredo mais bem guardado (Introdução)

Kabbalah é uma sabedoria antiga que revela como o Universo e a vida funcionam. No sentido literal, a palavra Kabbalah significa “receber”. É a ciência sobre como alcançar a plenitude em nossas vidas. 

Quando mencionamos plenitude, não nos referimos a ser feliz ou usufruir um sentimento de bem estar de forma temporária, porque todos nós já experimentamos flashes de felicidade. Quando falamos sobre nos conectar com a energia de plenitude, queremos dizer sustentar essa conexão de forma duradoura e ininterrupta. 

A Kabbalah é ao mesmo tempo um antigo e inteiramente novo paradigma de vida. Ela ensina que todos os ramos das nossas vidas – saúde, relacionamentos, negócios – emanam do mesmo tronco e da mesma raiz. É a tecnologia de como o Universo funciona no seu nível essencial. É toda uma nova maneira de olhar para o mundo, que poderá conectá-lo com a espécie de plenitude que você possa estar buscando. 

Uma das coisas mais agradáveis sobre estudar Kabbalah é que isso não requer que você abandone a sua fé ou caminho religioso atual. A Kabbalah vai apenas aprofundar a sua compreensão do Universo e fornecer-lhe mais informações e ferramentas para entender porque algumas coisas acontecem com você e quão melhor você pode conectar-se com a Luz do Criador e receber a plenitude que você busca. 

Aonde queremos chegar? 

Todos nós desejamos nos entender melhor, viver vidas mais plenas, passar por experiências enriquecedoras a respeito de quem somos e sobre o porquê de estarmos aqui. Todos nós desejamos ser felizes e, na verdade, todos nós queremos as mesmas coisas na vida: 

– desejamos amar e ser amados
– desejamos ter os melhores relacionamentos
– desejamos usufruir recursos financeiros e nos sentir seguros
– desejamos saúde abundante
– desejamos que nossos filhos sejam felizes e estejam a salvo…
…e todos nós temos questões – e quantas questões… 

No fundo, todos nós desejamos compreender o significado de nossas vidas. 

Quando criança, você deve ter-se perguntado: “Por que eu nasci? Qual é o propósito da minha vida?”. Então nós crescemos e nos tornamos ocupados. Precisamos pagar o aluguel, construir uma vida, construir uma carreira, fazer compras no mercado. Às vezes, em meio à exaustão, nos tornamos escravos da rotina, com uma existência robótica e paramos de formular as profundas questões que nos fascinavam quando éramos crianças. 

Mas tem que ser assim? Não teria sido muito melhor se tivéssemos continuado a crescer e a nos desenvolver, a nos maravilhar e a definir o nosso propósito na vida? Conectar-nos com o nosso verdadeiro potencial? 

Todos nós nos resignamos de certa forma com os altos e baixos da vida. Um dia,  nos sentimos ótimos sobre nós mesmos; no dia seguinte, estamos um tanto ou quanto deprimidos. Um dia, estamos felizes com o(a) nosso companheiro(a) de vida; no dia seguinte, rompemos com essa pessoa. Num dia, há dinheiro em nossa conta; no outro,  ele desaparece. Existe um jeito de alcançarmos o que desejamos em nossas vidas? 

Sim, existe um jeito. E não só isso, mas você sempre tem a oportunidade de alterar o seu destino e de atingir o seu verdadeiro potencial. Qualquer um pode fazê-lo — ninguém é muito jovem, muito velho ou muito estagnado na sua forma de ser. Todos nós temos a habilidade de encontrar significado e de alcançar a plenitude muito além dos nossos mais ousados sonhos ou fantasias. Você não precisa viver como um robô ou uma vítima, ou sentir-se confuso com uma vida que parece sem propósito ou cheia de altos e baixos aleatórios. Você é ilimitado; você pode voar alto. 

Como? Um caminho é a sabedoria da Kabbalah.

**********
Alguns cabalistas mentem, dizendo que a verdadeira Kabbalah não tem nada a ver com ocultismo, com numerologia secreta ou com estudo das cartas do Tarô egípcio. Mas tem tudo a ver, sim.

Na realidade, o estudo da Kabbalah não é toda essa maravilha de conhecimento divino e vida feliz que eles prometem.

Não é através do conhecimento cabalístico que Deus quer que o ser humano se aperfeiçoe. O aperfeiçoamento humano começa pela obediência e temor a Deus, pela prática do amor e da caridade. São essas coisas que moldam o caráter do homem. A tentativa de obter o aperfeiçoamento através de energias cósmicas, conceitos filosóficos e ações abstratas é apenas uma ilusão humana na tentativa de encontrar o elixir da vida, o fruto da vida eterna. A busca do conhecimento e da perfeição através da Cabalá é o caminho natural do homem sem o Deus verdadeiro. São as nossas ações boas que vão moldando o nosso caráter. O desejo de paz, de união, de partilha e de justiça é o que molda o nosso caráter. Obter todo o conhecimento e sabedoria do mundo, mas viver uma vida egoística e sem participar da tristeza e da felicidade do seu semelhante não representa nada, não dignifica em nada o ser humano.

**********
EXISTE UMA CONSPIRAÇÃO QUE VEM SENDO CONDUZIDA DESDE OS PRIMÓRDIOS DA HUMANIDADE PARA QUE SATANÁS (LÚCIFER) CONTINUE CONTROLANDO O MUNDO COM A AJUDA DOS INICIADOS DAS ESCOLAS DE MISTÉRIOS, QUE TAMBÉM EXERCEM INFLUÊNCIAS SOBRE OS GOVERNOS HUMANOS.

O número 6 é o número do homem e o número da Terra. Segundo o livro de Gênesis, foi no sexto dia que Deus criou o homem. No sistema numérico cabalístico babilônico a letra ‘A’ tem valor 6. Por isso que na numerologia secreta dos cabalistas o alfabeto indo-arábico se inicia com o número seis (6).

Quando João propõe o desafio no livro de Apocalpise (13) para que os entendidos decifrassem quem é a Besta, cujo número é 666, ele estava se referindo ao conhecimento esotérico ocultista e a conspiração conduzida pelos iniciados, generais de Satanás, desde os primórdios da humanidade.

A Besta, cujo número é 666, é um complexo sistema formado por iniciados das escolas de mistérios que influenciam diretamente nos governos humanos, com a finalidade de controlar o poder aqui na Terra sob os auspícios de Satanás, o Grande Dragão, a antiga Serpente.

Os estudiosos dizem que “Kabbalah (também Cabala ou Qabbala) é um sistema religioso-filosófico ocultista difundido por judeus esotéricos”. Veja bem: diz que é um “sistema”. Logo, presume-se que é um sistema de controle do mundo e das mentes, a começar pelos que se aventuram no obscuro mundo da Kabbalah-666.

O ninho da Serpente são as Escolas de Magia e Mistérios (Rosa-Cruz, Maçonaria, etc). Nelas é conduzido o plano de Satã para controle das massas e controle do poder aqui na Terra.

A Cabalá e as Escolas de Magia e Mistérios formam o Sistema de Satanás em parceria com os Homens de Preto, o Sistema 666, que controla o mundo.

**********
O QUE É E O QUE NÃO É A CABALÁ?

Os cabalistas dão vários conceitos para Cabalá. E tem um site especializado no assunto Kabbalah, onde se diz que “a Cabalá não é religião, misticismo, magia, água benta, fitas vermelhas, amuletos e um bocado de outras coisas que foram associadas popularmente com ela”.

http://www.kabbalah.info/pt/what-is-kabbalah/myths-about-kabbalah/o-que-a-cabal%C3%A1-n%C3%A3o-%C3%A9

Outros não sentem nenhum rubor em ludibriar os incautos e afirmam que “A Kabbalah não é uma religião. A Kabbalah não é uma filosofia ou uma doutrina. A Kabbalah é um modo de vida; é uma respiração, um caminho vivo e vibrante para a perfeição do ser humano e a transformação do mundo. Perfeição pode entender-se como a felicidade completa, livre de preocupações, medo, ansiedade, raiva e todas as outras emoções negativas que se colocam entre nós e a plenitude. A Kabbalah não é restrita a nenhum sistema de crenças específico ou de fé. É universal. Da mesma forma que a lei universal da gravidade mantém os muçulmanos, judeus, cristãos e ateus firmes na Terra, o caminho universal da Kabbalah eleva muçulmanos, budistas, cristãos e todas as pessoas para níveis mais elevados de plenitude, sabedoria e felicidade autêntica. A Kabbalah ensina-nos que podemos alcançar o controle sobre o mundo físico, incluindo as nossas próprias vidas, no nível mais fundamental da realidade. E a alcançar e a ampliar o poder da mente sobre a matéria e a desenvolver a capacidade de criar plenitude, alegria e felicidade, controlando tudo no nível mais básico da existência”.

Outra fonte diz que A Cabalá tem sido encoberta por confusão, lendas, mitos, e desentendimento, porque a Cabalá autêntica foi mantida em segredo por milhares de anos, até hoje. Embora tenha origens na antiguidade, desde o tempo da antiga Babilônia, a sabedoria da Cabalá permaneceu virtualmente desconhecida da humanidade desde que apareceu, há mais de quatro mil anos atrás. Até este momento, apenas alguns poucos sabiam o que a Cabalá realmente é. Por milhares de anos, a humanidade foi apresentada a uma imensa variedade de coisas sob o nome de ‘Cabalá’: magia, misticismo e até milagres – tudo, exceto o verdadeiro método da Cabalá. Por mais de quatro mil anos, o entendimento comum da Cabalá tem sido confundido com conceitos e interpretações errôneas. A sabedoria da Cabalá necessita, portanto, ser esclarecida. O cabalista Yehuda Ashlag (Baal Ha Sulam) oferece a seguinte definição em seu artigo A Essência da Sabedoria da Cabalá: “Esta sabedoria é nada mais nada menos que uma sequência de raízes penduradas pela causa e efeito, em regras fixas e determinadas, entrelaçadas em um único e objetivo maior, descrito como ‘a revelação de Sua Bondade para Suas criaturas neste mundo’”. De forma simplificada, existe uma força superior, ou o ‘Criador’, que a tudo inclui e que governa na realidade. Todas as forças do mundo advêm desta força abrangente. Algumas dessas forças são familiares, como a gravidade ou a eletricidade, enquanto outras agem sobre nós, mas permanecem ocultas. A Cabalá tem o mapa ou o conhecimento de como essas forças ocultas são estruturadas e as leis pelas quais elas nos influenciam. A Cabalá nos ensina como desenvolver nossa habilidade para sentir essas forças, e finalmente, descobrir o seu único propósito: trazer-nos a revelação do Criador, enquanto vivemos neste mundo”.

Apesar de todos esses conceitos que os esotéricos dão sobre Cabalá, não há dúvidas de que todo o seu estudo envolve magia, numerologia, astrologia e várias formas de ocultismo.

O QUE SIGNIFICA CABALÁ, KABBALAH E CAIBALION?

Existem vários conceitos mentirosos espalhados em livros e na internet sobre a origem da palavra Cabalá. Um deles diz o seguinte:

“O termo Caibalion se refere a uma palavra hebraica que significa ‘tradição ou preceito manifestado por um ente de cima’, e compartilha a mesma raiz da palavra Qabala. A etimologia da palavra Kabbalah ou Cabalá é formada do prefixo “kab”, que em língua semítica significa ‘carcaça de um corpo’, e do sufixo ‘Ala’, que significa ‘Deus’ (A Maçonaria e o Livro Sagrado, pág.93). O significado real desta palavra é a “carcaça do conhecimento divino”. Mas, segundo Knorr Von Rosenroth, ‘A Kabbalah deve ser definida como uma doutrina esotérica judia. Em hebreu, é chamada QBLH, Qabalah, que é uma derivação da raiz QBL, Qibel, que significa ‘receber’. A denominação desse conceito vem do costume de transmitirem-se os conhecimentos esotéricos oralmente. (…) Adotei a forma ‘Qabalah’, que é mais condizente com a escritura hebraica da palavra”.

O conhecimento oculto sempre fascinou os homens desde os tempos antigos, fossem eles líderes religiosos, governantes, filósofos e cientistas renomados. Tanto era o fascínio pelo desconhecido, que chegou a cegar o homem considerado o mais sábio de todos, o rei Salomão, rei de Israel.

“Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e heteias, das nações de que o Senhor dissera aos filhos de Israel: Não ireis para elas, nem elas virão para vós; doutra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão, levado pelo amor” (I Reis 11:1-2).

Segundo alguns estudiosos do esoterismo, os livros sobre Cabalá e a organização desse sistema filosófico-científico surgiram em meados do século XII, no tempo das Cruzadas, quando um grupo de soldados guerreiros – protetores das ruínas do Templo de Salomão, denominado Cavaleiros Templários -, descobriram segredos do ocultismo nas ruínas do palácio de Salomão. Foram denominados ‘Templários’ porque guardavam os segredos do Grande Templo e dos achados nas ruínas do palácio de Salomão.

A REAL ORIGEM DA PALAVRA CABALÁ OU KABBALAH, CUJO SIGNIFICADO É 666

Assim como os cabalistas esotéricos do Judaísmo oculto forjaram o nome YHWH, o nome do Deus Eterno, designando-o de Tetragrama (Tetragrammaton), nome impronunciável, acrescentando as vogais da palavra ADONAI entre as consoantes para formar o nome pronunciável de Yavéh, (YAHOWAH=YEHOVAH), os cabalistas do ocultismo moderno também forjaram outro tetragrama conhecido como QBLH ou KBLH, desta vez inserindo a letra A (que tem valor 6 na numerologia babilônica) entre as consoantes, ficando QABALAH, QABBALAH. Mas, para que a palavra Cabalá expressasse exatamente o maior mistério do ocultismo e carregasse o segredo do sistema satânico que governa o mundo (o sistema 666), eles rescreveram a palavra, ficando sua forma final KABBALAH, que traz de forma velada o valor 666.

Na numerologia secreta a letra A vale 6. Muitas vezes vemos a palavra Kabalá escrita com as consoantes KBL maiúsculas e o A minúsculo: KaBaLa.

Se o A vale 6, então, temos K6B6L6, com o 666 inserido na palavra.

Para que a palavra Kabaláh na língua inglesa carregasse de forma velada o número da Besta-666, eles formaram uma nova grafia, ficando “Kabbalah” a forma final. As consoantes que carregam o valor normal são multiplicadas pelo A que secretamente vale 6. Somando-se as três sílabas da palavra Kabbalah, temos o valor 666.

A B C D E F G H I J K L
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
6 12 18 24 30 36 42 48 54 60 66 72

A=6, K=11, B=2, L=12 e H=8

Kabbalah = (11×6)+(2x2x6)+(12x6x8) = 66+24+576 = 666

Esse mesmo artifício os cabalistas do esoterismo ocultista empregaram para forjar os nomes JESUS, MESSIAH E LÚCIFER. Só que desta vez eles inverteram o 6. Eles numeraram o alfabeto indo-arábico iniciando a primeira letra com o valor 9.

O número 9 é o preferido dos ocultistas. Repare que os valores de algumas letras mudam, como se os números tivessem se invertido nas duas tabelas (J-60 e J-90).

A B C D E F G H I J K L M
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
9 18 27 36 45 54 63 72 81 90 99 108 117
N O P Q R S T U V W X Y Z
14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26
126 135 144 153 162 171 180 189 198 207 216 225 234

Repare que alguns desses números aparecem na Bíblia citados por Jesus: 99, 144, 153, etc.

J + E + S  + U + S
90 + 45 + 171 + 189 + 171 = 666

L + U + C + I + F + E + R
108 + 189 + 27 + 81 + 54 + 45 + 162 = 666

M + E + S + S + I + A + H
117 + 45 + 171 + 171 + 81 + 9 + 72 = 666

Portanto, essa descoberta é a prova cabal de que os nomes KABBALAH, JESUS, MESSIAH e LÚCIFER foram arquitetados pelos magos do esoterismo cabalístico nos porões das Escolas de Magia e Mistério. E o Papa e os cardeais da Igreja Católica Apostólica Romana também estão por trás disso, não somente os judeus cabalistas e os maçons.

Se 666 é o número do Diabo, na verdade, o Diabo é o próprio homem, especificamente os magos ou iniciados das Escolas de Magia e Mistério.

**********
COM O QUE A CABALÁ TRABALHA?

A Cabala trabalha com toda sorte de conhecimento oculto, principalmente com a magia dos números e o valor numérico das palavras. Inclui até o estudo e significado oculto das cartas do Tarô egípcio. Os adeptos costumam usar amuletos cabalísticos como o pentagrama e a estrela de seis pontas (Estrela de Davi), entre outros símbolos.

A Gematria ou Numerologia Esotérica trabalha diretamente com as letras dos alfabetos hebraico e indo-arábico, onde para cada letra são atribuídos valores normais e valores secretos. A Cabalá trabalha diretamente com os valores numéricos das palavras e significados oculto dos números.

A mudança de nomes é uma pratica cabalística, pois, segundo eles dizem, os nomes podem trazer sorte ou azar. Eles tomam exemplos da Bíblia onde o Deus Eterno modificou os nomes de Abrão e Sarai, sua esposa. Abrão passou a se chamar Abraão e Sarai passou a ser Sara. Deus também mudou o nome de Jacó para Israel.

A FINALIDADE DO ESTUDO DA CABALÁ HERMÉTICA

A Cabalá hermética tem como propósito central conhecer ou ler a mente divina procurando tornar o homem um com Deus, isto é, o homem fazendo parte da divindade. A Cabalá procura ainda a restauração do homem e sua integração à divindade pela reencarnação.

AS SUCESSIVAS REENCARNAÇÕES VISANDO O APERFEIÇOAMENTO

O estudo esotérico da Kabbalah (ocultismo) ensina o aperfeiçoamento humano através de sucessivas reencarnações. É disso que se trata o estudo das Sephiroth ou Séfiras ou 10 (ou 11) emanações da Árvore da Vida, figura objeto da Cabalá. As Sephiroth (emanações numéricas) são em número de 11 em referências aos 9 planetas do Sistema Solar, incluindo-se o Sol e a Lua. As dez Sephiroth, em sua totalidade, representam o Homem Celestial ou o Ser Primordial. Ou seja, o verdadeiro objetivo do estudo da Cabalá esotérica é a busca do conhecimento oculto a fim de se obter o aperfeiçoamento pleno e a imortalidade. Em outras palavras, é o caminho ensinado por Satanás para o homem alcançar o poder e a imortalidade da alma.

Árvore da Vida - Caminhos, Tarô, Letras

Figura: Árvore da Vida – Caminhos, Tarô, Letras

O objetivo final do homem ao adentrar em todos os segredos das Séfiras da Árvore da Vida cabalística é tornar-se um ser aperfeiçoado, ou seja, tornar-se um ser divino, isto é, um semi-deus. Quando o homem alcança o ápice do conhecimento oculto se diz que ele agora é um ser divino, um semi-deus, conforme orientação do seu mestre e mentor maior, Satanás.

E na realidade, o fim de todos os iniciados que galgam os mais altos graus no estudo da Kabbalah é a morte. Todos eles são igualmente mortais. Todos um dia morrerão, e de nada valerá todo o esforço que fazem para obter o conhecimento divino em busca da tal imortalidade. Apesar de todo o conhecimento esotérico que os maçons e os magos cabalistas adquirem estudando os ensinamentos da Kabbalah, eles não são melhores do que os símplices que não se envolvem com ocultismo, mas prezam pela paz, fazem o bem ao próximo e lutam pela justiça igual para todos. Os cabalistas, por mais que atinjam o ápice do conhecimento esotérico, não vivem mais que os simples mortais que gozam de boa saúde.

Na verdade, todo o ensino oculto da Cabalá é apenas engano de Satanás, porque não resulta em nada. Tudo é ilusão. Funciona apenas como um entretenimento para os iniciados que pensam que alcançarão a perfeição e a imortalidade da alma. E bem sabemos que os verdadeiros mentores do ensino cabalístico escondem os reais segredos do ocultismo. Tudo isso serve para levar em frente o plano de domínio de Satanás sobre as mentes das pessoas envolvidas no ocultismo, e também para controlar os governos humanos. Por isso os líderes governamentais ficam fascinados pelo ocultismo. O ditador nazista, Adolf Hitler era fascinado pelo ocultismo. E não é diferente os presidentes americanos. Quase todos eles pertencem ou pertenceram à Maçonaria. Aqui no Brasil a maioria dos nossos governantes, juízes e parlamentares são maçons, a começar pelo presidente Michel Temer.

O livro de Enoque diz que os anjos rebeldes (decaídos) ensinaram aos homens coisas proibidas por Deus. Satanás, o querubim caído, seduziu Adão e Eva repassando o conhecimento proibido, fazendo com que se tornassem civilizados.

O conhecimento proibido é bom para quem é aperfeiçoado. Mas, o conhecimento nas mãos de seres não aperfeiçoados pode causar sua própria destruição.

O homem primitivo não poderia se tornar civilizado, nem obter conhecimento sobre o oculto, sobre a física e a astronomia. O ideal de Deus ao colocar a Raça Adâmica na Terra era para que eles cuidassem do belo jardim que havia criado e não se tornassem civilizados. Adão e Eva viviam nus e não se envergonhavam porque Deus os criou como nativos, como indígenas, povos não civilizados, que não sentem vergonha de ardar nu. O pecado de Adão e Eva foi o ato de receberem o conhecimento proibido e deixarem a condição de nativos, passando a civilizados. A partir do dia que Adão e Eva viram que estavam nus e se envergonharam, foi a transição do estágio entre nativo e civilizado. Eva foi seduzida por Azazel e levada até o reino dos Atlantes, uma raça primitiva de humanos remanescentes que habitava no meio do Grande Jardim chamado Éden (nome antigo do planeta Terra). Lá ela viu os atlantes trajando vestimentas e utilizando toda sorte de ferramentas e armamentos. Depois ela retornou ao Jardim Santo que ficava ao oriente do Éden e contou o que viu a Adão.

Segundo Eliphas Levi, o grande filósofo e cabalista do século XIX, “os cabalistas têm verdadeiro horror a tudo aquilo que pareça idolatria; eles, de qualquer maneira, atribuem a Deus a forma humana, que é puramente uma figura hieroglífica. Eles consideram Deus como a inteligência, a vida e o amor único e infinito. Ele não é, para eles, o conjunto ou a coleção de diversos seres e elementos nem uma abstração da existência, nem um ser definível filosoficamente. Ele é tudo e está em tudo, mas distingue-se de tudo e é maior que tudo. Seu verdadeiro nome é inefável; e, em todo caso, seu nome só expressa o ideal humano de Sua Divindade” (História da Magia, Livro I, Cap.7).

PARA QUE SERVEM AS ESCOLAS DE MAGIA E MISTÉRIO OU SOCIEDADES SECRETAS, TAIS COMO MAÇONARIA E ROSA CRUZ?

A principal função é levar o conhecimento oculto via oral pelos iniciados. Os iniciados de alto grau, acima do grau 33, são os verdadeiros detentores do segredo dos segredos. Eles são os generais de Satã, os pedreiros, que levam em frente o plano de domínio da Terra. Satanás é o grande arquiteto. Os maçons da elite são apenas os pedreiros da grande Obra. Os maçons da Loja Azul formam a base da pirâmide maçônica que tem o Olho Que Tudo Vê, e formam uma agremiação de homens camaradas que funciona apenas como fachada param camuflar os reais propósitos da Maçonaria. Pensam que sabem alguma coisa, mas não sabem de nada. E os que galgam até o grau 33 são os aspirantes a generais de Satã. O segredo dos segredos que eles pensam que lhes será revelado, na verdade é a missão de carregar a cruz do ocultismo, isto é, levar o conhecimento oculto via oral e trabalhar para manter vivo o plano de Satanás. Mas esse segredo só é transmitido aos que entram para o grupo seleto, a elite da Maçonaria. Depois que o candidato entra para elite, ele não pode retroceder. Porque “retroceder significa a morte”.

QUEM ERA THOTH E HERMES TRIMEGISTO?

Thoth era o Enoque bíblico. O nome “Enoch” significa “iniciado”. Enoque entregou os seus livros de ciência e mistérios ocultos aos cuidados de seu filho, Matusalém. Mas, após o Dilúvio bíblico, os ocultistas egípcios se apoderaram dos escritos de Enoque, principalmente o Livro de Enoque. Os sacerdotes egípcios guardavam o Livro de Toth em segredo, mas o faraó sabia que eles praticavam alta magia. Segundo alguns autores, Ramsés II ordenou que fosse destruído e queimado o Livro de Toth, porque era muito perigoso e podia atrair pragas e destruição para o seu reino.

Mas os magos do Egito fizeram ressurgir das trevas o temível Livro de Toth. E para não despertar a ira do rei, os magos egípcios tiveram a ideia de reescrever o Livro de Toth através de lendas e símbolos, de tal forma que o conteúdo do livro ficasse resguardado sem despertar a desconfiança das pessoas que o lessem, sendo apenas decifrados os significados dos seus símbolos e lendas através do conhecimento transmitido por via oral através dos iniciados das escolas de mistérios e magia. Daí que surgiu a frase “Hermes Trimegisto”, que significa “Hermes ou Toth três vezes mais poderoso”, porque ninguém jamais poderia destruir o conhecimento oculto.

O mago (bruxo) grego Homero também codificou o conhecimento oculto e a história dos deuses caídos nas suas obras Ilíada e Odisseia. Quando alguém lê ou assiste filmes sobre as estórias de Homero sobre os deuses do Olimpo, imagina que tudo aquilo são contos inofensivos, mas na verdade, estão recheados de conhecimento oculto, que somente os iniciados sabem o significado.

Todos os astros do Sistema Solar foram batizados com nomes dos deuses caídos, para perpetuar a memória deles.

**********
Querem saber como e por que o rei Salomão se desviou dos caminhos do Deus Eterno?

Então leiam o livro ocultista ‘A Chave de Salomão’. O livro inicia relatando uma carta do rei Salomão para o seu filho Roboão, entregando todos os livros com segredos do ocultismo. Mais na frente há um relato de como ele ficou enfeitiçado por uma jovem por quem se apaixonou, e por causa dessa jovem ele foi capaz de oferecer sacrifícios a um deus das trevas. O livro relata como ele contou com a ajuda de seres das trevas para ajudar na construção do Templo.

“Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e heteias, das nações de que o Senhor dissera aos filhos de Israel: Não ireis para elas, nem elas virão para vós; doutra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão, levado pelo amor” (I Reis 11:1-2).

No dia em que Salomão colocou a Arca da Aliança numa sala especial dentro do Templo ele fez uma declaração um tanto esquisita sobre Deus. Ele disse: “O Senhor disse que habitaria na escuridão. Certamente te edifiquei uma casa para morada, assento para a tua eterna habitação” (I Reis 8:12-13). Outra versão diz assim: “O Senhor disse que habitaria numa nuvem escura”. Ou então, “O Senhor me disse que habita nas trevas”.

“Então disse Salomão: O Senhor disse que habitaria nas trevas” (II Crônicas 6:1).

Salomão disse ao povo que o Deus Yavéh não mais habitaria nas trevas, porque agora lhe fizera uma casa para sua eterna habitação.

Os ocultistas citam o livro Atos de Salomão, que não faz parte da Bíblia, mas que é citado nela, e acham que nele continham informações sobre o envolvimento de Salomão como o ocultismo.

“Quanto ao restante dos atos de Salomão, e a tudo o que ele fez, e à sua sabedoria, porventura não está escrito no livro dos atos de Salomão?” (I Reis 11:41).

Baixem o livro do meu acervo clicando no link. A senha é “magia”.

LIVRO A CHAVE DE SALOMÃO

**********
O QUE DIZEM OS CABALISTAS SOBRE O ZOHAR, O LIVRO DO ESPLENDOR?

O texto, a seguir, foi extraído do site kabbalah.info/pt.

http://www.kabbalah.info/pt/o-zohar/5-coisas-que-voc%C3%AA-deve-saber-sobre-o-zohar

1) O que é o Zohar?

Zohar - O Livro do Esplendor (blog)

O Zohar é uma coleção de comentários sobre a Torah, com o propósito de guiar aquelas pessoas que já alcançaram níveis espirituais elevados desde a raiz (ou origem) de suas respectivas almas.

O Zohar compreende todos os estados espirituais que experimentam as pessoas à medida que suas respectivas almas evoluem. No final do processo, as almas alcançam aquilo que os Cabalistas chamam de “o final da correção”, o mais alto nível espiritual.

Para aqueles que não alcançaram nenhum nível espiritual, o Zohar pode parecer apenas uma compilação de alegorias e lendas que podem ser interpretadas e percebidas distintamente por cada individuo. Mas para aqueles que já alcançaram níveis espirituais, ou seja Cabalistas, o Zohar é um guia prático para levar a cabo as ações internas com o propósito de descobrir estados de percepção e de sensação mais profundos e elevados.

2) Para quem é o Zohar?

Quando perguntaram ao Rav Kook- o grande Cabalista do século 20 e o mais importante Rabino de Israel – quem poderia estudar Cabala, sua resposta foi inequívoca: “Qualquer um que queira”. Nos últimos cem anos, todos os Cabalistas, sem exceção, e em muitas ocasiões, deixaram claro que hoje a Cabala está disponível para todos. Disseram também que ela é a ferramenta necessária para resolver a crise global que previam viria a acontecer e que hoje estamos enfrentando.

De acordo com todos os Cabalistas, os dias em que a Cabala era um segredo acabaram. A sabedoria da Cabala manteve-se oculta no passado porque os Cabalistas temiam que ela fosse mal aplicada e mal entendida. E realmente o pouco que escapou gerou muitos mal-entendidos. Porque os Cabalistas dizem que a nossa geração está pronta para entender o real significado da Cabala, e para acabar com os mal-entendidos, esta ciência está agora sendo revelada para todos que desejam aprender.

De acordo com todos os Cabalistas, os dias em que a Cabala era um segredo acabaram. A sabedoria da Cabala manteve-se oculta no passado porque os Cabalistas temiam que ela fosse mal aplicada e mal entendida. E realmente o pouco que escapou gerou muitos mal-entendidos. Porque os Cabalistas dizem que a nossa geração está pronta para entender o real significado da Cabala, e para acabar com os mal-entendidos, esta ciência está agora sendo revelada para todos que desejam aprender.

3) Quem escreveu o Zohar e quando?

De acordo com todos os Cabalistas e de acordo com o início do livro, o Zohar foi escrito pelo Rabino Shimón Bar Yochai(Rashbi), que viveu nos séculos II e III da nossa era. Existem algumas opiniões nos círculos acadêmicos que afirmam que o Zohar foi escrito no século XI pelo cabalista Rabino Moises de Léon. Esta opinião foi negada pelo próprio Rabino Moises de Léon, que afirmou que o livro foi escrito pelo Rashbi.

Para o enfoque Cabalístico, é muito mais importante o que é o Zohar do que quem o escreveu. O propósito do Zohar é ser um guia para as pessoas alcançarem a origem das suas almas.

Este caminho até a origem da alma de cada um consiste em 125 etapas. Rabino Yehuda Ashlag escreve que um Cabalista que passa por todas estas etapas e que compartilhe a mesma percepção espiritual que o autor do livro, vê claramente que o autor não poderia ser outro a não ser o Rashbi. 

4) Por que o estudo do Zohar esteve oculto por tanto tempo?

O Zohar foi mantido oculto por 900 anos, entre o século II e o século XI da nossa era, devido a que os que possuíam sua sabedoria compreendiam que naqueles tempos as pessoas não a necessitavam e por isso interpretariam incorretamente o seu conteúdo. No século XVI apareceu um Cabalista que explicou os fundamentos da Cabala. Este cabalista foi o Santo Ari, o Rabino Isaac Luria (1534 – 1572). O Ari afirmava que deste momento em diante a sabedoria da Cabala estava preparada para ser revelada para todo o mundo.

Os comentários sobre os trabalhos de Ari e do Zohar apareceram apenas no século XX, no século onde se vê mais nitidamente a explosão da história dos desejos humanos. Durante este período apareceu uma alma única, a do Rabino Yehuda Ashlag (Baal HaSulam). Baal HaSulam, Cabalista do século XX, escreveu comentários sobre o Zohar e os trabalhos do Ari.

Isto não significa que não houve grandes Cabalistas antes dele, simplesmente os trabalhos deles não são facilmente compreendidos pelos estudantes contemporâneos. A popularidade atual e a grande demanda pela Cabala confirmam o desejo da nossa geração em absorver sua mensagem universal e compreender os textos autênticos que falam sobre a raiz de nossas vidas e como alcançá-la.

**********
CONCLUSÃO

O ensino cabalístico está se proliferando no mundo de tal forma que existe até Cabalá para crianças. Um absurdo.

Cabala para crianças1

http://www.kabbalah.info/brazilkab/bibliotecaFrameset.htm

Ou seja, o conhecimento oculto saiu do submundo das trevas e está à mostra para quem se interessar. E a Kabbalah faz parte do Sistema 666. Quem entra nesse sistema está aceitando o sinal e a marca da Besta.

A Kabbalah é o Palavra de Satanás oculta para os homens sem Deus (humanidade decaída) que vivem nas trevas e odeiam a luz.

Mas, a Bíblia é a Palavra de Deus revelada àqueles que andam na luz, que querem se aperfeiçoar para um dia habitar no reino de Deus que está preparado para aqueles que o amam. O reino de Deus será estabelecido aqui mesmo na Terra.

————————————————————-
Produzido por Miquels7
Manaus, 14 de fevereiro de 2018.

Anúncios

14/02/2018 Posted by | CASOS POLEMICOS, CONSPIRAÇÃO, MISTÉRIOS DA BÍBLIA, Ocultismo, SOCIEDADES SECRETAS | , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O MISTICISMO DOS EVANGÉLICOS E DOS BRUXOS ESOTÉRICOS É A MESMA COISA

*******
De vez em quando ouço um crente fanático dizer pra mim, na sua ignorância, que só vou acreditar em Deus (como 99,99% dos crentes acredita) quando eu tiver um verdadeiro “encontro com Deus”, ou quando tiver uma “experiência real com Cristo”. Aí eu sinto pena dessa pessoa ignorante, que não sabe quase nada de Bíblia, de religiões e de heresias criadas por essas denominações pentecostais. Simplesmente a pessoa se tornou convertida, recebeu lavagem cerebral e depois se tornou fanática, defensora tanto da denominação quanto das suas doutrinas errôneas. Depois vem o crente neófito e fanático achar que descobriu a verdade, e que está cheio da razão, enquanto eu, que tendo mais de trinta anos de experiências como crente e conhecendo as artimanhas dessas igrejas para fazer a cabeça de pessoas ingênuas, não sei de nada, sou um desviado, e nunca tive um verdadeiro encontro com Deus. Quanta pretensão desses crentes fanáticos!

Já tive muitas dessas experiências místicas que os crentes fanáticos dizem ter experimentado, mas nunca me entreguei de corpo e alma ao misticismo, porque faço bastante uso da minha racionalidade. E sei que todas essas experiências místicas não passam de fantasias da mente humana. Todo ser humano pode viver bem e feliz, de forma normal, sem experimentar essas coisas malucas.
*******
Misticismo - Parapsicologia e Fisica Quantica

As igrejas ou denominações cristãs que têm por aí, são verdadeiras arapucas. São armadilhas para enganar e iludir a fé das pessoas ingênuas. Qualquer um maluco que crie uma denominação ou igreja de fundo de quintal consegue fiéis, rapidinho. Alguns crentes têm sorte de não ter pegado as piores. Mas é difícil as pessoas não escaparem dessas arapucas. Por exemplo, os adventistas do sétimo dia estão aí pregando suas heresias, e suas igrejas estão cheias. Tem as Testemunhas de Jeová e os Mórmons que fazem visita de casa em casa propagando suas heresias. E os assembleianos pentecostais estão nos templos, nos terminais e nas esquinas das ruas também pregando um evangelho deturpado, cheio de heresias.

Tem denominações religiosas que se tornaram verdadeiras pragas. Uma delas são as Testemunhas de Jeová. Inclusive, soube recentemente, que o governo da Rússia resolveu banir do país a seita dos russelitas. E aqui no Brasil há um grupo de ex-Testemunhas de Jeová empenhado em acabar com essa seita. Porém, é muito difícil acabar com todas elas. As piores seitas são aquelas que exploram seus fiéis com cobrança de dízimos e ofertas. E os piores pastores ou lobos devoradores são aqueles que praticam o curandeirismo e o charlatanismo, iludindo as pessoas, pedindo doação de dinheiro em troca de promessas de cura e de prosperidade material.

A doutrina das assembleias de Deus diz que “seitas” são todas aquelas denominações que propagam ensinamentos e doutrinas anti-bíblicas. Porém, na verdade, todas essas igrejas são seitas. Se são heréticas ou verdadeiras, isso é difícil diferenciar. O certo é que todas são seitas. A única igreja que se pode dizer que não é “seita” é a Igreja Católica Romana. A ICAR é considerada a igreja-mãe, o maior sustentáculo do Cristianismo. Se a ICAR cair, todas as demais denominações protestantes ficarão desmoralizadas, e não se sustentarão. Se a ICAR é a Grande Babilônia do Apocalipse (a Grande Meretriz ou Prostituta), então, todas as denominações cristãs protestantes também são meretrizes, filhas da Grande Prostituta, pois, todas derivam dela e seguem a mesma religião, adoram o mesmo Deus, adotam algumas doutrinas semelhantes e baseiam sua fé no mesmo livro, a Bíblia.

Durante mais de trinta anos de experiência como crente vi alguns crentes que aparentavam ser cheios do Espírito Santo. Diziam ter sido batizado com o Espírito Santo, e ter tido um encontro com Deus, mas depois se tornaram terríveis pecadores, até pior do que aqueles a quem condenavam.

Há crentes fervorosos na igreja, que tem até o dom da palavra e cantam, mas tudo não passa de aparências. Depois que chegam em casa, transformam-se…. O marido maltrata a esposa, e a esposa, o marido. Outros assistem até vídeos de pornografia no quarto, ou veem fotos pornográficas na internet. Tem crentes fervorosos, que se dizem cheios do Espírito Santo, mas o coração está cheio de lascívia. Desejam até a mulher do próximo.

E há, também, até crentes fervorosos com tendência suicida. E sobre isso, existem muitos casos de crentes e pastores que cometeram suicídio.

Já vi crentes ou pastores pregando na igreja sobre a necessidade de ser cheio do Espírito, ter um verdadeiro encontro com Deus para viver em santidade e enfrentar as investidas de Satanás. Embora muitos digam que já tiveram todas essas experiências, porém, são pessoas desonestas, compram fiado e não pagam; compram nas grandes lojas e depois dão calote. É difícil achar um crente que não esteja com a vida toda enrolada, com dívidas.

Ainda não vi nenhuma vantagem desses crentes ditos cheios do Espírito Santo em relação a mim. Uns dizem que são cheios do espírito, e são ricos ou são empregados; outros dizem que são cheios do espírito, mas continuam pobres ou estão desempregados; e eu, que segundo eles não sou como eles, continuo do mesmo jeito sendo abençoado por Deus. Tenho emprego, tenho uma família, meus filhos são todos saudáveis e bem criados.

Não sei qual a vantagem de alguém dizer ter tido uma encontro com Deus ou uma experiência sobrenatural, se tudo isso não passa de misticismo. Acho que todos têm direito de experimentar o que quiser. Há muitas pessoas que desejam experimentar os efeitos da maconha sobre a mente. E isso não é nada bom, pois, tornam-se débeis mentais. E há os crentes que desejam experimentar os efeitos do misticismo sobre suas mentes. E isso também não é nada bom, pois, tornam-se loucos.

*******
ENCONTRO COM DEUS OU EXPERIÊNCIA COM CRISTO É PURO MISTICISMO

Os teólogos cristãos costumam ensinar que misticismo é coisa de bruxos e de esotéricos, de pessoas que cultuam a natureza, cultuam os espíritos malignos, ou adoram o próprio Diabo. No entanto, a crença dos cristãos e dos evangélicos em geral é totalmente baseada em misticismo. Todas as experiências com o sobrenatural que os crentes dizem ter tido nas reuniões secretas ou nos cultos, não passam de misticismo.

Adoração e Misticismo

Adoração e misticismo é a mesma coisa. Se você ora, você está praticando uma ação mística. Se você glorifica a Deus na igreja até ficar histérico, isso não passa de uma experiência mística com o sobrenatural. E o sobrenatural ninguém sabe exatamente o que é.

No culto de santa ceia alguns pastores fazem referência à Igreja como o “corpo místico” de Cristo. Porém, ninguém sabe discernir o significado de “místico”, e o pastor nem se preocupa em ensinar sobre misticismo nos cultos de doutrina. Toda essa crença de que a Igreja é o “corpo místico” de Cristo derivou-se da Igreja Católica Romana.

Segundo a Wikipédia, “Corpus Mysticum, Corpo Místico de Cristo ou mais genericamente Corpo de Cristo é o nome dado à Igreja universal fundada por Jesus Cristo. Este nome apareceu na Bíblia, sendo utilizado por São Paulo em I Coríntios 12:12-14, em que Paulo descreve a Igreja como o corpo de Jesus Cristo, sendo o próprio Cristo a Cabeça”.

Vejamos, agora, os significados de “místico” e “misticismo”.

Segundo o Aurélio:

Místico
[Do gr. mystikós, pelo lat. mysticu]

Adj.

  1. Misterioso e espiritualmente alegórico ou figurado;
  2. Referente à vida espiritual e contemplativa;
  3. Devoto, religioso, contemplativo, piedoso;
  4. Que lembra a vida ou ambiente místico.

S.m.

  1. Aquele que, mediante a contemplação espiritual, procura atingir o estado extático de união direta com a divindade.

Misticismo
S.m.

  1. Crença ou doutrina religiosa dos místicos;
  2. Mística;
  3. O elemento místico de qualquer doutrina;
  4. Tendências a considerar a ação de supostas forças espirituais ocultas na natureza que se manifesta por vias outras, que não as da experiência comum ou as da razão.
  5. Disposição para crer no sobrenatural.

De acordo com as definições do dicionário, podemos ver que “místico” e “misticismo” está relacionado ao sobrenatural, ou ao transcendental. E isso significa que os crentes praticam o misticismo ao dizer que tiveram uma experiência ou um encontro sobrenatural com Deus.

Porém, todas essas experiências místicas não passam de imaginação da mente humana. Na verdade, ninguém tem um contato real com Deus ou com Cristo, mas, imagina-se que há esse contato com a divindade, visto que os místicos do Candomblé, da Umbanda, do Espiritismo e dos bruxos esotéricos também têm esse contato com as entidades.

CONCLUSÃO

Enquanto os crentes acusam os bruxos esotéricos de praticarem o misticismo, eles mesmos praticam, sem saber. E não adianta querer diferenciar entre misticismo satânico e misticismo santo, pois, tudo não passa de experiências da mente humana. Cada um desenvolve o misticismo e acha que é bom. Os drogados também desenvolvem um misticismo peculiar, e fazem viagem astral e até levitam.

Não sei qual a vantagem de alguém dizer ter tido uma encontro com Deus ou uma experiência sobrenatural, se tudo isso não passa de misticismo.

O certo é que eu creio em Jesus e creio em seu Evangelho. Agora, misticismo não é comigo. Jesus disse que basta eu crer em Deus e crer nele que serei salvo. E quem pode contrariar isso?

“Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida” (João 5:24).

“Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê tem a vida eterna” (João 6:47).

“Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11:25).

“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16:16) [Texto apócrifo inserido no Evangelho de Marcos].

Para ser salvo não é necessário se batizar. O ato de batizar alguém não é condição para salvação. Batismo é apenas um testemunho público de que alguém se converteu para alguma religião, seita ou sociedade secreta. O próprio Senhor Jesus foi batizado por João. E João disse que seu batismo era para remissão dos pecados. Será que Jesus foi pecador até os 30 anos?  O ladrão que estava na cruz junto com Cristo foi salvo sem ter sido batizado. E os pastores não dizem que se um pecador, estando à beira da morte, se arrepender e confessar os seus pecados e dizer que aceita a Jesus, ele será salvo no mesmo momento?! Então, não há nenhuma necessidade de batizar o pecador para que seja salvo.

“Assim apareceu João, o Batista, no deserto, pregando o batismo de arrependimento para remissão dos pecados” (Marcos 1:4).

Na verdade, a condição para ser salvo é o ato de crer em Jesus e confessar que é um pecador arrependido. O batismo é apenas uma mera formalidade, como testemunho público, de que a pessoa se converteu.

“E disse-lhes: Assim está escrito que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressurgisse dentre os mortos; e que em seu nome se pregasse o arrependimento para remissão dos pecados, a todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24:46-47).

“A ele todos os profetas dão testemunho de que todo o que nele crê receberá a remissão dos pecados pelo seu nome” (Atos 10:43). [Aqui se diz que é pelo nome de Jesus que se recebe remissão dos pecados].

—————————————-
Miquels7

30/04/2017 Posted by | CASOS POLEMICOS, FANATISMO RELIGIOSO, MISTÉRIOS DO ALÉM | , , , , | Deixe um comentário

SÍMBOLOS E SINAIS SECRETOS DOS MAÇONS E ILLUMINATI

Aquela máxima proferida por Jesus Cristo se aplica também aos maçons e seus segredos:

“Portanto, não os temais; porque nada há encoberto que não haja de ser descoberto, nem oculto que não haja de ser conhecido” (Mateus 10:26).

****
Esquadro e Compasso e Letra G (2)
Alguém perguntou a um maçom da Loja Azul se um profano que revelasse algum segredo maçônico poderia ser punido, de alguma forma. A resposta foi que, um profano pode, sim, revelar algum segredo e não sofrer sanções ou punições, pois o tal não fez juramento para não revelar os segredos maçônicos.

No entanto, acho que um profano que “sabe demais” pode sofrer perseguições por partes dos “homens de preto”. Essa história dos homens de preto vem de longa data, desde quando os magos fundaram as primeiras escolas de mistérios, no antigo Egito.

Por favor, quem passar neste blog e ler este post, repasse para outras pessoas através de e-mail ou faça uma cópia do mesmo e replique em outro blog. As coisas que escrevo aqui são a mais pura verdade, e o mundo precisa saber desse conhecimento. Vou explicar aqui o significado real do principal símbolo maçônico: o esquadro, o compasso e a letra G. Os maçons enganam as pessoas ao afirmar que o compasso é um instrumento de pedreiro. Vou provar que o compasso não é ferramenta de trabalho de um pedreiro. E que a letra G só pode ter dois significados, e nada mais.

*********
Caros leitores, atentem bem para isso. 99% dos maçons não são e nunca exerceram a profissão de pedreiro ou arquiteto. Então, porque eles usam os símbolos de pedreiro e arquiteto? Na antiguidade realmente havia sociedades de pedreiros e construtores, mas eles realmente exerciam a profissão. Essa sociedade dos pedreiros (maçom, mason) vem desde os construtores das grandes pirâmides no antigo Egito, e depois, no reino de Israel durante a construção do grande Templo de Salomão. Porém, esses maçons de hoje nada têm a ver com ofício de pedreiro e arquiteto. Sendo assim, qual o objetivo dessa sociedade secreta? O que eles carregam escondido? 

**********
Como já expliquei em outras ocasiões, o surgimento das Sociedades Secretas ou Escolas de Mistérios deu-se devido à perseguição dos reis e imperadores contra os bruxos e seus conhecimentos ocultos. Os primeiros reis e faraós não se deram conta do grande perigo que existia no conhecimento oculto praticado em rituais pelos magos (bruxos), sacerdotes dos deuses. Somente depois que souberam que a invocação do reino das trevas em rituais ultrassecretos realizados pelos magos podia trazer o mal à humanidade, os reis mandaram destruir e queimar todos os livros que ensinavam magias e rituais satânicos. Dizem que Ramsés II ordenou destruir e queimar o Livro de Thoth. Porém, o maldito Livro de Thoth ressurgiu das cinzas; os magos conseguiram trazê-lo de volta. Na verdade, eles já tinham decorados os segredos e rituais do livro e apenas o reescreveram novamente. Mas aí surgiu uma inquietação entre os magos: Como guardar o livro maldito escondido de forma que o imperador não o destruísse novamente? Como manter o conhecimento oculto escritos nesses livros, de forma que não despertasse a ira dos reis? Não havia como guardá-lo protegido. Talvez pudesse guarda-lo em algum lugar, enterrado, guardado em uma caixa de bronze no meio de um rio, mas um dia alguém poderia precisa-lo e teria que desenterra-lo. Aí alguém teve uma brilhante ideia: Vamos reescrever o livro em forma de contos mitológicos e símbolos, de forma que somente os iniciados poderão decifrá-lo. Foi aí que tudo começou. O Livro de Thot e demais livros de alta magia foram reescritos em forma de contos lendários, figuras e símbolos que só os iniciados acima do 33º grau do Rito Escocês ou York sabem decifrar. Os principais símbolos utilizados para codificar o conhecimento oculto são as Cartas do Tarô e as letras do Alfabeto Hebraico.

Aos maçons abaixo do grau 33 é revelado apenas o conhecimento Exotérico, pois eles ainda são neófitos ou aprendizes. A base da pirâmide maçônica é composta de maçons da Loja Azul; cerca de 90%. Os maçons da Loja Azul são apenas “maçons decorativos”, pois eles formam uma “agremiação de fachada”, de homens fraternos e camaradas, que prezam pela ética, pela moralidade, liberdade e justiça, mas que a finalidade maior é apenas dar a impressão de que a Maçonaria é uma instituição do bem e que respeita as religiões e o Cristianismo. Por causa da grande relação de amizade e irmandade dos maçons da Loja Azul, eles se ajudam e se protegem entre si, e um defende o outro, principalmente no meio político.

Ao verdadeiro maçom, acima do grau 33, é revelado o conhecimento Esotérico. O verdadeiro significado dos contos mitológicos e símbolos maçônicos são levados e repassados via oral pelos maçons de alto grau. Por isso que um maçom de grau 33 só entra para a elite por convite e não por direito. Mesmo que algum maçom que galgue até o grau 33 se ache no direito de entrar para o grupo seleto, ele poderá não ser aceito. Porque a partir daí ele terá que ser o guardião dos verdadeiros segredos da Maçonaria e do Ocultismo. E para ser um guardião dos segredos a pessoa tem que possuir todas as qualidades exigidas. A partir daí o maçom recebe a patente de General de Satã, e ele não poderá retroceder, porque “retroceder significa a morte”.

No link, a seguir, há uma boa explicação sobre o Livro de Thoth:

http://www.planetaesoterico.com.br/tarot/tarot-egipcio/o-livro-de-thot.html
ou
http://br.sputniknews.com/portuguese.ruvr.ru/2014_02_11/a-historia-de-um-livro-maldito-8485/

Existem vários livros sobre Maçonaria e seus símbolos escritos por maçons de 33º grau. Porém, nesses livros eles só revelam o conhecimento Exotérico, e de forma parcial. Eles são autorizados a revelar somente aquilo que o profano pode saber, e nada mais, além disso. Albert Pike e Eliphas Levi revelaram em seus escritos muitas coisas ocultas da Maçonaria, mas de forma indireta. Só pessoas entendidas conseguem entender o que eles querem dizer nas entrelinhas. Um exemplo de conhecimento oculto repassado de forma indireta é o pequeno texto conhecido como “Tábua de Esmeralda”, de autoria de Hermes Trismegisto. O conhecimento repassado via oral nas Escolas de Mistérios é chamado de “hermético”, ou fechado. Só os iniciados de alto grau podem receber e repassar. Portanto, como o conhecimento oculto ou proibido é repassado via oral pelos maçons de alto grau, não é necessário escrevê-los em livros, exceto se forem escritos de forma codificada. E não há como esse conhecimento se perder, porque ele é repassado para os novos maçons de alto grau que entram para a elite da Maçonaria.

As duas principais Escolas de Mistérios que carregam o conhecimento oculto proibido são a Maçonaria e a Rosa-Cruz. Os gnósticos e cabalistas também possuem conhecimentos esotéricos, mas não referentes à bruxaria.

Thoth, o semi-deus egípcio, foi conhecido como Hermes pelos iniciados gregos. Os magos batizaram Hermes (Thoth) com um novo título: Hermes Trismegisto (Hermes três vezes maior). Isso se deu porque os magos consideraram que daquele dia em diante o conhecimento oculto transmitido por Hermes seria três vezes maior, e ninguém poderia destruí-lo.

O mago e poeta grego, Homero, também codificou a história dos deuses caídos nas suas obras Ilíada e Odisseia, através de contos mitológicos. Toda história oculta dos deuses das trevas estão codificadas nesses livros de contos mitológicos. Qualquer leigo – e até mesmo pessoas cultas – pode ler e falar sobre a mitologia egípcia, grega, celta e romana sem se dar conta do que realmente se trata. Para a maioria dos estudantes universitários, aqueles contos mitológicos de Homero não passam de lendas. Alguns historiadores garantem que na época da primeira destruição da Biblioteca de Alexandria, no Egito, no ano 48 a.C., ainda existiam exemplares de livros de ocultismo não codificados, que os bruxos conseguiram salvar do fogo. Porém, tais livros foram enterrados. Talvez estejam escondidos em alguma sala secreta debaixo das Pirâmides de Gizé. Ou escondidos no Museu do Louvre, em Paris.

Para quem ainda não sabe, esse semideus Thoth nada mais era que o Enoque que a Bíblia relata, aquele que andava com Deus. O nome Enoque significa INICIADO, isto é, aquele que possui o conhecimento oculto, ou conhecimento proibido. Você pode pesquisar num dicionário ou enciclopédia para confirmar o que digo. Alguns teólogos cristãos tentam minimizar o significado do nome Enoque, afirmando que Enoque recebeu esse nome por ser o primeiro a ter conhecimento da escrita e o primeiro a ter conhecimento dos céus, pois ele foi abduzido pelos anjos. E não que ele pertencesse a uma escola de mistérios ocultos. Porém, ninguém pode se esquivar do significado do nome INICIADO. Iniciado é aquele que faz parte de uma Sociedade Secreta ou Escola de Mistérios, e faz juramentos de não revelar os segredos que lá são ensinados.

O que sabemos é que Enoque realmente foi o primeiro humano a ter conhecimento da escrita e escrever o conhecimento oculto em livros. No livro atribuído a Enoque se diz que ele entregou todos os livros que escreveu aos cuidados de seu filho Matusalém. Porém, depois da morte de Matusalém não se sabe para quem ele entregou os tais livros. Acredito eu que os magos do Egito se apossaram desses livros e do conhecimento neles contidos, e aprenderam a forma e o ritual de invocação dos anjos de Deus e também dos anjos caídos. Daí que eles trocaram o nome de Enoque pelo nome Thoth. Entenda uma coisa. O rei Salomão também se envolveu com o conhecimento oculto, tanto é que cultuou aos deuses caídos e permitiu que algumas de suas mulheres rainhas construíssem altares aos seus desuses das trevas. Acredito que Salomão, no final de sua vida, tenha se arrependido do seu envolvimento com a bruxaria. Porém, os Cavaleiros Templários acharam os escritos ocultos que Salomão e seus magos escreveram; dizem que acharam em salões secretos debaixo das ruínas do antigo Templo de Salomão. Um desses livros diabólicos foi batizado de “As Clavículas de Salomão”. Esse livro maligno é utilizado pelos magos que praticam a alta magia. Da mesma forma, os discípulos do bruxo Cipriano de Antioquia também esconderam seus escritos, que mais tarde batizaram de “O Livro de São Cipriano”. Cipriano de Antioquia deixou a bruxaria e se converteu ao Cristianismo. Porém, seus escritos não foram todos destruídos. Até mesmo o profeta Nostradamus andou coletando ensinos do ocultismo e praticava magia. Dizem que ele se utilizava de uma bacia com água para receber os oráculos. Os teósofos fizeram uma coletânea desses escritos ocultos de Nostradamus e batizaram o livro de “Breviário de Nostradamus”. Eu possuo um exemplar desse livro, e realmente nele contém várias orações de invocação das trevas e palavras que profanos não podem pronunciar em forma de maldição, porque se não, pode causar a morte de alguém; tem algumas orações de invocação e louvor a Satanás. Mas essas orações só surtem efeitos quando lidas em rituais, com velas acesas e tudo mais. A mesma coisa são as orações do Livro de São Cipriano. Qualquer um que ler tais orações de invocação dos demônios acha que elas são inofensivas. Porém, experimente acender uma vela num quarto escuro, à meia-noite, e leia uma das orações do Livro de São Cipriano para ver se o capeta não se manifestará literalmente na sua frente! Ou, melhor ainda, vá até uma mata fechada, à meia noite, e acenda umas velas, e reze as orações. Depois me conte o que aconteceu. Nesses livros contém várias orações de simpatias que os macumbeiros costumam utilizar para resolver problemas das pessoas que procuram seus serviços.

A Arte, a Cultura, o Cinema e a Astronomia estão contaminados com referências aos deuses caídos. Os astrônomos batizaram os astros do Sistema Solar com os nomes dos deuses caídos, para que fosse perpetuada a referência a cada um deles: Mercúrio, Vênus, Marte, Saturno, Júpiter, Urano, Netuno e Plutão. Até os dias da semana foi colocado nome em homenagem aos deuses caídos: Domingo/Sunday (Dia do Sol ou deus Sol/Lúcifer), Saturday (Dia de Saturno), Martes e Miercules, em espanhol.

****
O SIGNIFICADO DO SÍMBOLO DA MAÇONARIA

Continue lendo

20/12/2015 Posted by | CONSPIRAÇÃO, MISTÉRIOS DA HUMANIDADE, SOCIEDADE SECRETA, SOCIEDADES SECRETAS | , , , | 5 Comentários